quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

OS CLUBES DO DF: 1º de Maio E. C.


O 1º de Maio Esporte Clube foi fundado em 1º de maio de 1960.
Pertencia ao Departamento de Limpeza Pública, ligada à Prefeitura Municipal do Distrito Federal.
Era alvinegro, com uniforme semelhante ao do Botafogo, do Rio de Janeiro.
O 1º de Maio só viria a disputar jogos por uma competição oficial da Federação Desportiva de Brasília no dia 2 de junho de 1963, quando tomou parte do Torneio Início da Liga dos Clubes Independentes, no campo do Esporte Clube W-3.
Quando, em 1964, o profissionalismo foi implantado no futebol do Distrito Federal, o 1º de Maio resolveu aderir à nova categoria. Seu presidente, Nelson Andrade de Oliveira Filho (diretor do Departamento de Limpeza Pública da Prefeitura do Distrito Federal) trouxe para ser o treinador do clube o ex-zagueiro da Seleção Brasileira, Juvenal Francisco Dias.
Logo em seu primeiro jogo, no dia 12 de janeiro de 1964, no Estádio Israel Pinheiro, campo do Guará, venceu o Unidos de Sobradinho por 5 x 2. Os gols do 1º de Maio foram marcados por Cascorel (2), Goiano (2) e Belini. Atuou o 1º de Maio com: Chicão, Geraldinho e Aderbal; Ailton, Carneiro (Pedroca) e Tuiste; Raimundinho (Zeca), Cascorel, Goiano, Azulinho e Manoel (Belini).
Na preliminar, entre equipes aspirantes, o 1º de Maio venceu por 4 x 0, com gols de Preá (2), Guido e Oliveira.
No dia 23 de fevereiro de 1964 foi até o bastante castigado campo pelas chuvas Aristóteles Góes, e venceu o Nacional por 2 x 1. Formou com Chicão, Geraldinho, Aderbal, Morales e Alfredo; Bolinha e Azulinho (Ceará); Raimundinho, Zeca, Cascorel e Manoel (Goiano). Cascorel marcou os dois gols do 1º de Maio.
Na Assembleia Geral realizada em 25 de fevereiro de 1964 e que aprovou a reforma nos estatutos da Federação, criando a Divisão de Futebol Profissional, foram tomadas outras decisões, sendo uma delas aceitar, a título precário, a filiação do 1º de Maio.
A primeira competição oficial de que participou o 1º de Maio foi o Torneio “Prefeito Ivo Magalhães”, realizado no dia 8 de março de 1964 e que contou com a participação dos quatro clubes que aderiram ao profissionalismo: Rabello, 1º de Maio, Colombo e Luziânia.
Em sua estreia, no estádio Israel Pinheiro, o 1º de Maio conseguiu um grande resultado ao empatar em 1 x 1 com o poderoso Rabello, em jogo tumultuado e com duas expulsões.
Aos 44 minutos do 1º tempo, Azulinho abriu a contagem para o 1º de Maio e entrou para a história ao marcar o primeiro gol em uma competição de profissionais em Brasília. Cascorel cruzou, Gaguinho tocou na bola, Luziné tentou afastar da área e surgiu a cabeçada de Azulinho.
O 1º de Maio atuou com Chicão (Gato), Geraldinho, Aderbal, Morales e Alfredo; Bolinha (Ailton) e Azulinho (Goiano); Raimundinho, Zeca, Cascorel e Manuel (Ceará).
Empatou os outros dois jogos contra o Luziânia e com o Colombo, ambos pelo placar de 1 x 1, e terminou com o vice-campeonato do torneio.
No dia 31 de agosto de 1964 aconteceram eleição e posse da nova diretoria do 1º de Maio, ficando assim constituída: Presidente: Osmar Barros Barata; Vice-Presidente: Norberto Vicente da Silva; 1º Secretário: Jeremias Leite da Silva; 2º Secretário: Darlan Rocha; 1º Tesoureiro: Antônio Henrique de Carvalho Costandrade; 2º Tesoureiro: Milton Rodrigues de Souza e Diretor Esportivo: Manoel Maurílio da Silva.
No mês de setembro de 1964, o River, de Teresina (PI), fez uma pequena excursão ao Distrito Federal, disputando dois jogos, um deles contra o 1º de Maio, no dia 8 de setembro de 1964. O novato clube brasiliense foi goleado pelo marcador de 5 x 0.
Veio, então, a realização do primeiro campeonato brasiliense de profissionais. Tomaram parte da competição cinco clubes, a saber: Colombo, Defelê, Luziânia, 1º de Maio e Rabello.
Novamente estreou contra o Rabello, no dia 4 de outubro de 1964, desta vez perdendo por 2 x 0. A equipe da estreia foi formada com Gato, Alfredo, Tranqueira, Bastinhos e Miranda; Bibi e Bolinha; Ceará (Goiano), Zeca, Cascorel e Raimundinho.
O último jogo oficial de sua história aconteceu no dia 22 de novembro de 1964, quando foi derrotado pelo Defelê, por 3 x 2.
O 1º de Maio formou com Amaury, Alfredo, Firmo, Peoco e Miranda; Bibi e Cascorel; Zeca, Clarindo, Bolinha e Ceará.
Os dois gols do 1º de Maio foram marcados por Clarindo e Cascorel.
Na verdade, seu último jogo deveria ser contra o Luziânia, mas resolveu não comparecer ao estádio dessa cidade, sendo derrotado por WO.
Na classificação final do campeonato brasiliense de 1964, o 1º de Maio ficou com a quinta e última colocação. Sua campanha foi: oito jogos, nenhuma vitória, um empate e sete derrotas. Marcou apenas três gols e sofreu 14.
Elegeu sua nova diretoria no dia 27 de janeiro de 1965, que ficou assim constituída: Presidente: Idelson Gadioli dos Santos; Vice-Presidente: Raimundo Nonato da Silva; 1º Secretário: Roberto Pozzatti; 2º Secretário: Aldemar Sampaio; 1º Tesoureiro: José Gadioli dos Santos; 2º Tesoureiro: Alberto Evangelista Rêgo; Diretor de Esportes: Itamar Jardim Lopes e Orador: Manoel Barros da Costa. Conselho Fiscal: José Norberto da Silva, Francisco Lourenço de Carvalho, Antônio Pedro Filho, Raimundo de Souza Carvalho e Adelino Avelino da Rocha.
Representantes na FDB: Ariovaldo Salles, Antônio Gomes de Souza e Roberto Pozzatti.
Também no mesmo dia, reiniciando as suas atividades após longo período de inatividade, o Luziânia disputou um amistoso contra o 1º de Maio, de Brasília.
Antes de fechar suas portas em definitivo, disputou dois amistosos no ano de 1965. O primeiro, no dia 14 de fevereiro, em Luziânia (GO), sendo derrotado pelo clube do mesmo nome, por 3 x 2.
Em 7 de março, nova derrota, dessa vez diante do Grêmio, por 3 x 0. O jogo foi interrompido aos 25 minutos do 2º tempo, quando o jogador Índio, do 1º de Maio, agrediu o árbitro da partida, que encerrou a partida antes do tempo regulamentar.
O 1º de Maio entrou em campo pela última vez com Tarzan, Miranda, Firmo, Neto e Airton; China e Cascorel; Goiano, Índio, Baiano e Antônio.
No dia 5 de abril de 1965, o 1º de Maio Esporte Clube encaminhou ofício à Federação Desportiva de Brasília, assinado pelo seu Presidente, solicitando licença da disputa do campeonato profissional de 1965.



segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

JOGOS INUSITADOS: 1º de Maio goleia Unidos de Sobradinho - 1964


No dia 12 de janeiro de 1964, no Estádio Israel Pinheiro, campo do Guará, aconteceu o primeiro jogo do ano. O 1º de Maio venceu o Unidos de Sobradinho por 5 x 2. Os gols do quadro vencedor foram marcados por Cascorel (2), Goiano (2) e Belini, cabendo a Manoelzinho e Zequinha os tentos dos vencidos.
Formou o 1º de Maio com Chicão, Geraldinho e Aderbal; Ailton, Carneiro (Pedroca) e Tuiste; Raimundinho (Zeca), Cascorel, Goiano, Azulinho e Manoel (Belini).
O Unidos de Sobradinho atuou com essa formação: Jorge, Nelson e Russo; Matarazzo, Ramos e Zequinha; Manoelzinho, Antônio, Cabeção, Ciliu e Vovô.
A renda foi de CR$ 31.000,00.
Na preliminar, entre equipes aspirantes, o 1º de Maio venceu por 4 x 0, com gols de Preá (2), Guido e Oliveira.

Nota:
O 1º de Maio era o mesmo que, em 1963, participou do campeonato da Liga de Clubes Independentes, se profissionalizou e disputou o campeonato brasiliense dessa categoria nesse ano de 1964, sua única vez.
Seu presidente era Nelson Andrade de Oliveira e o treinador Juvenal.




sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

OS ARTILHEIROS: Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão - 1979


Fantato
1º - Péricles (Gama), 10 gols;
2º - Fantato (Gama), 8;
3º - Julinho (Brasília), 7;
4º - Banana (Brasília), 6;
5º - Aloísio (Desportiva Bandeirante), 5;
6º - Edmar e Ney (Brasília), Robertinho (Gama) e Zé Afonso (Sobradinho), 4;
7º - Belo (Guará) e Moreirinha e Zé Vieira (Taguatinga), 3;
8º - Luiz Carlos (Brasília), Messias (Desportiva Bandeirante), Roldão e Santana (Gama), Antônio Carlos, Dionísio, Piau e Rafael (Guará), Careca e Rafael (Sobradinho) e Léo e Warlan (Taguatinga), 2; e
9º - Luisinho e William (Brasília), Cláudio, Gilberto, Moisés, Mundinho, Robozinho, Vanderlei e Wanner-contra (Desportiva Bandeirante), Careca, Manoel Ferreira e Niltinho (Gama), Boni, Ivonildo, Jânio, Remo, Ricardo e Xavier (Guará), Baduca, Eduir, Gaúcho, Maurício e Pebinha (Sobradinho) e Dario, Elmo, Nilson e Wilton (Taguatinga), 1 gol.


quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

AS DECISÕES: melhor-de-três em disputa do direito de acesso - 1963


No dia 27 de outubro de 1963, no Estádio Israel Pinheiro, teve início a melhor-de-três em disputa do direito de acesso, entre Dínamo (campeão da Segunda Divisão) e Alvorada (último colocado da Primeira).
Sob arbitragem de Wilson Francini, o Alvorada venceu por 1 x 0, gol de Azulinho, cobrando pênalti, aos 21 minutos do 1º tempo. O Alvorada formou com Toninho (Roberto), Veludo, Gaúcho, Ronaldo e Cremonês; Cardoso e Azulinho; Morato, Raimundo, Moacir e João Carlos (Batista). Técnico: Juvenal. O Dínamo foi derrota com essa composição: Sarmento, Milton, Benicassa, Lúcio e Bazan; Carneiro e Luiz (Elmano); Adilson, Laerte, Isaías e Abdorá. Bazan foi expulso de campo por jogo violento e Abdorá, por ofensas ao árbitro.

No campo do Rabello (Estádio Paulo Linhares), no dia 3 de novembro de 1963, aconteceu o segundo jogo da “melhor-de-três” entre Dínamo e Alvorada.
Desta vez, o Alvorada não teve dificuldades para vencer, por 4 x 1. Moacir abriu a contagem para o Alvorada, aos dez minutos, após falha conjunta da defesa do Dínamo. Aos 25, Baiano empatou. Morato, entrando numa bola rasteira lançada da esquerda, aos 38 minutos estabeleceu 2 x 1 em favor do Alvorada. No segundo tempo, aos 35 e 37 minutos, respectivamente, Moacir e Morato voltaram a marcar, concluindo bons lançamentos em profundidade. Desta forma, o Alvorada permaneceu na Primeira Divisão no ano de 1964.
Eduino Edmundo Lima foi o árbitro do jogo e expulsou de campo, ainda no primeiro tempo, dois jogadores do Dínamo: Benicassa e Bazan. As equipes formaram assim:
ALVORADA – Roberto, Veludo, Gaúcho, Ronaldo e Cremonês; Cardoso e Azulinho; Dorico, Morato, Moacir e Luís. Técnico: Juvenal.
DÍNAMO – Sarmento, Benicassa, Malha, Carneiro e Lúcio; Hiroito e Elmano; Laerte, Baiano, Isaías e Bazan.
Foi a única vez que aconteceu esse tipo de disputa.

Nota: este jogo estava marcado para o Estádio Aristóteles Góes. A cerca do estádio foi parcialmente destruída pelo temporal. A transferência, em cima da hora, para o Estádio Paulo Linhares, conspirou contra a renda, que ficou apenas em 10 mil e duzentos cruzeiros.



quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

ARQUIVOS DO FUTEBOL BRASILIENSE: o Torneio da Prefeitura do Distrito Federal - 1962


O Torneio da Prefeitura do Distrito Federal, Taça "Embaixador Sette Câmara", foi disputado de 11 de março a 20 de maio de 1962 e contou com a participação de seis equipes: Defelê, Guanabara, Guará, Nacional, Planalto e Rabello.
Dentre as resoluções tomadas pelas associações participantes, algumas chamavam a atenção:
1. Permitir que tomassem parte do torneio atletas em experiência, apenas com registro provisório e exame médico;
2. Fixar a inclusão de atletas para experiência até a terceira rodada;
3. Não permitir a inclusão de novos atletas após a terceira rodada;
4. Permitir três substituições por jogo, inclusive o goleiro;
5. Aprovar o campo neutro para todas as partidas e
6. Aprovar duas partidas por domingo, sendo uma na Asa Sul e a outra na Asa Norte.

Os jogos foram esses:

DEFELÊ 3 x 2 GUANABARA
Data: 11.03.1962
Local: Estádio Israel Pinheiro
Árbitro: Josué Costa Araújo
Renda: CR$ 23.000,00
Expulsões: Ely, do Defelê, e Farneze, do Guanabara
Gols: Fino e Invasão (2) para o Defelê e Lula (2) para o Guanabara

RABELLO 3 x 0 PLANALTO
Data: 15.03.1962
Local: Estádio Aristóteles Góes
Árbitro: Jorge Cardoso
Renda: Cr$ 13.500,00
Gols: 1º tempo - França e Ely; 2º tempo - França

GUARÁ 2 x 2 NACIONAL
Data: 18.03.1962
Local: Estádio Paulo Linhares
Árbitro: Moacir Siqueira.
Renda: CR$ 22.000,00.
Expulsões: Múcio, do Guará, e Beto Pretti, do Nacional
Gols: Alberto (contra) e Orlando para o Guará; Zezito e Morales para o Nacional

RABELLO 1 x 0 GUANABARA
Data: 18.03.1962
Local: Estádio Israel Pinheiro
Árbitro: Nilzo de Sá
Gol: Léo (pênalti), 27

DEFELÊ 2 x 0 PLANALTO
Data: 25.03.1962
Local: Estádio Aristóteles Góes
Árbitro: Jorge Cardoso
Expulsão: Alonso Capella, do Defelê
Gols: Ely, 74 e Ramiro, 77

RABELLO 2 x 0 NACIONAL
Data: 25.03.1962
Local: Estádio Israel Pinheiro
Árbitro: Josué Costa Araújo
Renda: CR$ 35.000,00
Expulsão: Alberto (Nacional)
Gols: Alaor Capela, 48 e Nicotina, 61

GUARÁ 2 x 1 GUANABARA
Data: 01.04.1962
Local: Estádio Aristóteles Góes
Árbitro: Josué Costa Araújo
Gols: Haroldo, 28; Antônio (Guanabara), 85 e Orlando, 89
Obs.: partida realizada somente até os 17 minutos do primeiro tempo, sendo interrompida devido a chuva. A complementação do jogo ocorreu em 4 de abril de 1962.

NACIONAL 3 x 2 PLANALTO
Data: 01.04.1962
Local: Estádio Israel Pinheiro
Árbitro: Moacyr Siqueira
Expulsões: Hudson, do Planalto, e Alberto, do Nacional
Gols: Naelson, 12; 2º tempo - Ferreira, ???; Ubaldo, 74 e 79 e Beto Pretti, ???

RABELLO 3 x 0 GUARÁ
Data: 08.04.1962
Estádio Aristóteles Góes
Árbitro: Josué Costa Araújo
Expulsão: Múcio (Guará)
Gols: Joãozinho (2) e Arnaldo, todos no 2º tempo

GUANABARA 0 x 0 NACIONAL
Data: 08.04.1962
Local: Estádio Israel Pinheiro
Árbitro: Moacyr Siqueira
Renda: CR$ 10.700,00

GUARÁ WO x 0 PLANALTO
Data: 15.04.1962
Local: Estádio Aristóteles Góes.

DEFELÊ 4 x 0 NACIONAL
Data: 15.04.1962
Local: Estádio Israel Pinheiro
Árbitro: Nilzo de Sá
Gols: Zé Paulo (2), Invasão e Reinaldo
Expulsões: Nivaldo, do Nacional, e Matarazzo, do Defelê

GUANABARA WO x 0 PLANALTO
Data: 29.04.1962
Local: Estádio Paulo Linhares
Árbitro: Moacyr Siqueira

DEFELÊ 1 x 0 GUARÁ
Data: 06.05.1962
Local: Estádio Aristóteles Góes
Árbitro: Moacyr Siqueira
Gol: Ely
Obs.: Jogo terminado aos 35 minutos do 1º tempo quando Beto, do Guará, foi expulso e todo o time deixou o campo em solidariedade ao jogador.

RABELLO 5 x 0 DEFELÊ
Data: 20.05.1962
Local: Estádio Aristóteles Góes
Árbitro: Josué Costa Araújo
Renda: CR$ 48.600,00
Gols: Gavião (contra), Nicotina, Joãozinho Capela e Léo

CLASSIFICAÇÃO FINAL

CF
CLUBES
J
V
E
D
GF
GC
SG
PG
RABELLO
5
5
0
0
13
1
12
10
DEFELÊ
5
4
0
1
10
7
3
8
GUARÁ
5
1
2
2
6
7
-1
4
NACIONAL
5
1
2
2
5
10
-5
4
GUANABARA
5
0
2
3
3
6
-3
2
PLANALTO
5
0
2
3
3
9
-6
2

JOGOS REALIZADOS = 15
GOLS MARCADOS = 40
MÉDIA DE GOLS POR JOGO = 2,67.



terça-feira, 22 de janeiro de 2019

ARQUIVOS DO FUTEBOL BRASILIENSE: Torneio Início da Primeira Divisão - 1961

C. R. Guará

Na tarde de 9 de julho de 1961, no Estádio “Israel Pinheiro”, do Guará, foi disputado o Torneio Início do Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão.
Oito clubes participaram: Alvorada, Defelê, Grêmio, Guará, Nacional, Planalto, Rabello e Sobradinho.

1º jogo - Grêmio 0 x 0 Rabello (vitória do Grêmio nos pênaltis);

2º jogo - Guará 1 x 0 Sobradinho, gol de Índio, aos 14 minutos de jogo;

3º jogo - Defelê 1 x 0 Planalto, gol de Leônidas (contra), aos 6 minutos de jogo;

4º jogo - Alvorada 0 x 0 Nacional (vitória do Nacional na terceira série das disputas de pênaltis);

5º jogo - Grêmio 0 x 0 Guará (vitória do Guará nos pênaltis);

6º jogo - Defelê 0 x 0 Nacional (vitória do Nacional nos pênaltis, onde foram chutados nada menos que 12 pênaltis para cada lado);

Final:
Nacional 2 x 2 Guará
Árbitro: Lourandyr Castro Gomes
Expulsão: Eluff, do Guará
Gols: Guiomarino, 14 do 1º tempo; no 2º tempo, Diniz, 9; Zezito, 18 e Índio, 22
Nacional: Sinval, Aldovandro, Hamilton e Alberto; Manoel e Logodô; Jadir, Diniz, Zezito, Toninho e Zezinho.
Guará: Redola, Ney, Tostão e Agostinho; Eluff e Ditão; Guiomarino, Ferreira, Aderbal, Índio e Walter Moreira.

Obs.: após o tempo regulamentar de 60 minutos, houve uma prorrogação de vinte, sem alteração no placar. Como já estava bastante escuro e, de acordo com o regulamento, não seria permitida outra prorrogação, foi determinado que a decisão do torneio acontecesse em outro dia.
No dia 12 de julho de 1961, a Federação Desportiva de Brasília deliberou que o desempate ocorreria no primeiro encontro entre ambas as equipes pelo Campeonato Brasiliense de 1961, quando deveriam disputar a continuação da prorrogação (dez minutos), sendo que, caso não houvesse vencedor, ficaria a decisão para o jogo do returno.
Guará e Nacional se encontraram no dia 23 de julho de 1961 e, nos dez minutos da prorrogação determinados, aconteceu a vitória do Nacional pelo placar de 1 x 0. Após esse resultado, o Nacional foi declarado campeão do Torneio Início de 1961.

TORNEIO INÍCIO DA SEGUNDA DIVISÃO

Pela manhã do dia 9 de julho de 1961, também no campo do Guará, tivemos o Torneio Início da Segunda Divisão. Os jogos foram esses:

Colombo 1 x 0 Real
Guanabara 2 x 0 La Salle

Final:
Guanabara 3 x 1 Colombo
Árbitro: Celso Santos
Expulsões: Dequinha, Sabará e Tião I, do Colombo, e Antoninho, do Guanabara
Guanabara: Russo, Toninho, Airton e Julinho; Agassis e Antoninho; Nelício, Hélio, Walfredo, Barbosinha e Brasil.
Colombo: Bené, Nenê, Neca e Sabará; Walter e Dequinha; Tião I, Baiano, Jorge, Tião II e Cid.

Campeão: Guanabara; Vice-Campeão: Colombo.