domingo, 14 de abril de 2024

SÚMULAS DO CAMPEONATO BRASILIENSE DA PRIMEIRA DIVISÃO – 2024 – 1ª parte – Rodadas 1 a 4 da Primeira Fase




REAL BRASÍLIA 0 x 1 CEILÂNDIA
Data: sábado, 13 de janeiro de 2024
Local: Ciro Machado do Espírito Santo, Brasília (DF)
Árbitro: Marcello Rudá Neves Ramos da Costa
Renda: R$ 2.360,00
Público: 188 pagantes
Gol: Romarinho, 29
REAL BRASÍLIA: Wendell, Davy Dias, Caio Mendes, Regino e Gabriel Lima (Breno Lopes); Obina e Tassio; Guilherme (Bruninho) e Marquinhos (Pedrinho); Uederson (Kaio Nunes) (Juan Alves) e Michel Douglas. Técnico: Ariel Mamede.
CEILÂNDIA: Thiago Santos, Euller, Badhuga, China e Emerson Santos (Wisley); Bosco, Kennedy (Elbinho) e Cabralzinho (Júlio César); Pedro Bambu, Felipe Clemente (Edson Reis) e Romarinho (Railson). Técnico: Adelson de Almeida.

GAMA 2 x 0 PLANALTINA
Data: sábado, 13 de janeiro de 2024
Local: Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Matheus de Moraes Silva
Renda: R$ 51.645,00
Público: 5.223 pagantes
Gols: Patrick, 26 e Dieguinho, 28
GAMA: Renan Rinaldi (Gleibson), Cleiton, Wellington Silva, Pedro Romano e PH; Bruninho (Adenilson), Ramon (Matheus Jesus), Gui Mendes (Thiago Magno) e Dieguinho; Patrick e Wanderson (Kelvin). Técnico: Cícero Junior.
PLANALTINA: Vagne Hugo, Aldonys; Tonhão, Rivaldo e Giovanny (Jackson); Iury (Honorato), Alê, Ícaro (Carangas) e Wesley Ceifador; Denilson (Netinho) e Rai Teles (Wandinho). Técnico: Hugo Pilo.

BRASILIENSE 5 x 1 CEILANDENSE
Data: domingo, 14 de janeiro de 2024
Local: Serejão, Taguatinga (DF)
Árbitro: Maguielson Lima Barbosa
Gols: Tarta, 25, Joãozinho, 43; Gabriel Pedra, 50; Tobinha, 57; Joãozinho, 63 e Aldo, 86
BRASILIENSE: Ravel, Gustavo Henrique, Igor Morais, Romário e Caetano (Andrezinho); Aldo, Tarta e Lila (Kersul); Tobinha (Luquinhas), Joãozinho (Pedrinho) e Matheus Barboza. Técnico: Luís dos Reis.
CEILANDENSE: Bismark, Estevão, Somália, Eduardo Elias e Vandinho; Igor Gomes (Biro Biro), João Carlos e Rodrigo Menezes (Maycon Alagoano); Mirandinha (Caio Pirata), Gabriel Pedra (Vitor Mariano) e Henrique (Dogão). Técnico: Gabriel Teixeira.

PARANOÁ 0 x 0 CAPITAL
Data: domingo, 14 de janeiro de 2024
Local: Ciro Machado do Espírito Santo, Brasília (DF)
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo
Renda: R$ 1.023,00
Público: 402 pagantes
PARANOÁ: Alexandre, Douglas Rato (Alanderson), Henrique Jesus, Jeffão e Fernandinho; Alemão, Geovane (André Paulista) e Willian Junior; Valter Bala, Wisman (Rafinha) e Roberto Junior (Daniel Guerreiro). Técnico: Agnaldo Liz.
CAPITAL: Luan Santos, Everton Silva, Lucas Oliveira, Éder Lima e Renan Luis; Felipe Guedes, Marconi (Deivão) e Romarinho (Renan Mota); Deysinho (Jailson), Leozinho (Kadu Barone) e Wallace Pernambucano (Mattheus Silva). Técnico: Paulinho Kobayashi.

SANTA MARIA 2 x 1 SAMAMBAIA
Data: domingo, 14 de janeiro de 2024
Local: Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Luiz Paulo da Silva Aniceto
Renda: R$ 1.235,00
Público: 132 pagantes
Gols: Caetano, 44; Gabriel Magalhães, 46 e Caetano, 53
SANTA MARIA: Isael, Nathan, David, Alexandre e Sony (Pedro Henrique); Marcos Vinícius, Alessandro, Marquinhos Paracatu e Caetano (Bryan Henrique); Braian e William (Jonatas). Técnico: Jerry Adriane.
SAMAMBAIA: Samuel Deuner, Daniel Mendonça, Gustavo Rambo, Elder Timm e Matheus Nunes (Kaian); Filipe Werley (Milla), Iago (Lucas Silveira), Emerson (Glauber) e Vitor Xavier; Gabriel Guimarães e Luquinhas (Giovanny). Técnico: Vilson Tadei.

SAMAMBAIA 1 x 2 PARANOÁ
Data: sábado, 20 de janeiro de 2024
Local: Rorizão, Samambaia
Árbitro: Pedro Carlos Copatt Bueno Telles
Renda: R$ 1.485,00
Público: 177 pagantes
Gols: Wisman, 5 e Gabriel, 22 e 90+4
SAMAMBAIA: Samuel Deuner, Reinaldo (Juan Pablo), Gustavo Rambo, Matheus Nunes e Daniel Mendonça (Kaian); Filipe Werley, Iago (Schimaltz) e Vitor Xavier; Luquinhas, Emerson (Ian Carlos) e Gabriel. Técnico: Vilson Tadei.
PARANOÁ: Alexandre, Douglas Rato, Henrique Jesus, Jeffão e Fernandinho; Alemão (André Paulista), Geovane e Willian Junior (Shaolin); Valter Bala (Gabriel), Wisman (Rafinha) e Roberto Junior (Daniel Guerreiro). Técnico: Agnaldo Liz.

CEILÂNDIA 2 x 1 BRASILIENSE
Data: sábado, 20 de janeiro de 2024
Local: Abadião, Ceilândia (DF)
Árbitro: Maguielson Lima Barbosa
Renda: R$ 4.800,00
Público: 480 pagantes
Gols: Felipe Clemente, 47; Romarinho, 65 e Gustavão, 90+2
CEILÂNDIA: Thiago Santos, Wisley, Euller, Badhuga e China; Bosco (Júlio César), Kennedy (Elbinho) e Cabralzinho (Nolasco); Romarinho (Railson) e Felipe Clemente (Edson Reis). Técnico: Adelson de Almeida.
BRASILIENSE: Ravel, Caetano (Andrezinho), Gustavo Henrique, Igor Morais e Romário (Júlio César); Aldo, Tarta (Kersul) e Lila; Joãozinho (Luquinhas), Tobinha e Matheus Barboza (Gustavão). Técnico: Luís dos Reis.

PLANALTINA 1 x 1 REAL BRASÍLIA
Data: sábado, 20 de janeiro de 2024
Local: Rorizão, Samambaia
Árbitro: Pedro Alves de Oliveira
Renda: R$ 600,00
Público: 118 pagantes
Gols: Michel Douglas, 32 e Honorato, 65
PLANALTINA: Vagne Hugo, Don, Tonhão, Rivaldo e Jackson; Wandinho (Índio), Alê (Antônio Carlos), Ícaro (Netinho) e Wesley Ceifador; Denilson (Carangas) e Rai Teles (Honorato). Técnico: Hugo Pilo.
REAL BRASÍLIA: Wendell; Davy Dias, Garcia, Regino e Gabriel Lima (Breno Lopes); Obina (Bruninho) e Tassio; Guilherme (Juan Alves) e Marquinhos (Kennedy); Uederson e Michel Douglas (Pedrinho). Técnico: Ariel Mamede.

CEILANDENSE 2 x 0 SANTA MARIA
Data: domingo, 21 de janeiro de 2024
Local: Serejão, Taguatinga (DF)
Árbitro: Allysson de Souza Zilse
Gols: Eduardo Elias, 52 e Gabriel Pedra, 77
CEILANDENSE: Kaleb, Estevão, Medeiros, Eduardo Elias e Vandinho; João Carlos, Dogão e Rodrigo Menezes (Luigi) (Henrique); Biro Biro (Igor Gomes), Caio Pirata (Mirandinha) e Gabriel Pedra. Técnico: Gabriel Teixeira.
SANTA MARIA: Isael, Nathan (Felipe), David (Jonatas), Alexandre (Pedro) e Sony; Marcos Vinícius (Hudson), Alessandro (Bryan Henrique), Marquinhos Paracatu e Caetano; Braian e William. Técnico: Jerry Adriane

CAPITAL 1 x 0 GAMA
Data: domingo, 21 de janeiro de 2024
Local: JK, Paranoá (DF)
Árbitro: Marcello Rudá Neves Ramos da Costa
Renda: R$ 19.973,00
Público: 2.721 pagantes
Expulsão: Vitinho, do Gama
Gol: Deivão, 65
CAPITAL: Luan Santos, Everton Silva (Weriton), Lucas Oliveira, Éder Lima e Renan Luís (Mattheus Silva); Felipe Guedes, Marconi (Maycon Lucas) e Romarinho (Renan Mota); Deysinho, Kadu Barone (Deivão) e Wallace Pernambucano. Técnico: Paulinho Kobayashi
GAMA: Renan Rinaldi, Cleiton (Vitinho), Wellington Silva, Pedro Romano e PH; Bruninho (Ramon), Kelvin (Adenilson), Walmir e Dieguinho; Wanderson e Patrick (Thiago Magno). Técnico: Cícero Junior.

PARANOÁ 4 x 3 CEILANDENSE
Data: sábado, 27 de janeiro de 2024
Local: Ciro Machado do Espírito Santo, Brasília (DF)
Árbitro: Pedro Carlos Copatt Bueno Telles
Renda: R$ 1.695,00
Público: 285 pagantes
Gols: Gabriel Pedra, 10; Eduardo Elias, 14; Caio Pirata, 63; Wisman, 81; Daniel Guerreiro, 83 e 90 e Willian Junior, 90+4.
PARANOÁ: Alexandre, Douglas Rato (Alanderson), Henrique Jesus, Jeffão (Dedé) e Fernandinho (Gabriel); Alemão (Rafinha), Wisman e Geovane; Willian Junior, Valter Bala e Roberto Junior (Daniel Guerreiro). Técnico: Agnaldo Liz.
CEILANDENSE: Kaleb, Estevão, Eduardo Elias, Medeiros e Vandinho (Izarron); João Carlos, Dogão (Thallyson) e Henrique (Rodrigo Menezes); Biro Biro (Igor Gomes), Caio Pirata (Mirandinha) e Gabriel Pedra. Técnico: Gabriel Teixeira.

GAMA 2 x 1 SAMAMBAIA
Data: sábado, 27 de janeiro de 2024
Local: Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Rafael Martins Diniz
Renda: R$ 46.900,00
Público: 3.230 pagantes
Gols: Gabriel Guimarães, 34; Pedro Romano, 46 e Ramon, 47
GAMA: Gleibson, Cesinha, Wellington Silva, Pedro Romano e PH (Thiago Magno); Adenilson (Kelvin), Cleiton (Bruninho), Gui Mendes (Pablo Félix) e Dieguinho; Patrick (Nunes) e Ramon. Técnico: Cícero Junior.
SAMAMBAIA: Murilo, Daniel Mendonça, Juan Pablo, Reinaldo e Matheus Nunes; Filipe Werley (Petrocelli), Dandan e Vitor Xavier (Schimaltz); Ian Carlos (Emerson), Luquinhas (Lucas Victor) e Gabriel Guimarães (Giovanny). Técnico: Vilson Tadei.

REAL BRASÍLIA 0 x 3 CAPITAL
Data: domingo, 28 de janeiro de 2024
Local: Ciro Machado do Espírito Santo, Brasília (DF)
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo
Renda: R$ 1.520,00
Público: 116 pagantes
Gols: Wallace Pernambucano, 32; Leozinho, 72 e Kadu Barone, 77
REAL BRASÍLIA: Wendell, Davy Dias, André Martini (Thalles), Regino (Kaio Nunes) e Gabriel Lima; Lucas Luzzi (Michel Douglas), Obina e Tássio; Breno Lopes (Bruninho), Pedrinho (Guilherme) e Uederson. Técnico: Ariel Mamede.
CAPITAL: Luan Santos, Everton Silva (Weriton), Lucas Oliveira, Éder Lima e Mattheus Silva (Renan Luis); Felipe Guedes, Marconi (Maycon Lucas) e Romarinho; Kadu Barone, Deivão (Leozinho) e Wallace Pernambucano (Marcelo). Técnico: Paulinho Kobayashi.

PLANALTINA 0 x 3 CEILÂNDIA
Data: domingo, 28 de janeiro de 2024
Local: Rorizão, Samambaia
Árbitro: Luiz Paulo da Silva Aniceto
Renda: R$ 1.300,00
Público: 147 pagantes
Gols: Júlio César, 9; Felipe Clemente, 11 e Romarinho, 42
PLANALTINA: Vagne Hugo, Don (Luiz Henrique) (Carangas), Tonhão, Rivaldo e Jackson (Netinho); Antônio Carlos, Alê, Honorato e Wesley Ceifador; Ícaro (Leonardo) e Rai Teles (Wandinho). Técnico: Hugo Pilo.
CEILÂNDIA: Thiago Santos, Wisley, Euller, Badhuga e China; Pedro Bambu (Sebastyan), Julio Cesar, Kennedy (Elbinho) e Cabralzinho (Nolasco); Romarinho (Raílson) e Felipe Clemente (Edson Reis). Técnico: Adelson de Almeida.

SANTA MARIA 0 x 1 BRASILIENSE
Data: domingo, 28 de janeiro de 2024
Local: Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Leandro Almeida Damas de Oliveira
Renda: R$ 1.840,00
Público: 179 pagantes
Expulsão: Júlio Lima, do Brasiliense
Gol: Tarta, 81
SANTA MARIA: Isael, Nathan, Alexandre, David e Sony (Felipe); Marcos Vinícius, Alessandro e Caetano (Braian); William, Bryan Henrique (Hudson) e Thiago Uenis. Técnico: Jerry Adriane
BRASILIENSE: Ravel, Caetano (Pedrinho), Gustavo Henrique, Igor Morais e Júlio Lima; Aldo, Kersul (Tarta) e Lila (Romário); Matheus Falero (Joãozinho), Tobinha e Gustavão (Max Nóbrega). Técnico: Luís dos Reis.

CEILANDENSE 0 x 1 GAMA
Data: sexta-feira, 2 de fevereiro de 2024
Local: Serejão, Taguatinga (DF)
Árbitro: Luiz Paulo da Silva Aniceto
Expulsões: Estevão, do Ceilandense, e Cleiton, do Gama
Gol: Pablo Félix, 49
CEILANDENSE: Kaleb, Estevão, Eduardo Elias, Medeiros e Vandinho; João Carlos, Dogão (Heitor) e Henrique (Maycon Alagoano); Biro Biro (Igor Gomes), Caio Pirata (Mirandinha) e Gabriel Pedra (Luan). Técnico: Gabriel Teixeira.
GAMA: Renan Rinaldi, Cesinha, Wellington Silva, Pedro Romano e PH (Walmir); Adenilson (Bruninho), Cleiton, Gui Mendes (Patrick) e Dieguinho; Nunes (Mateus Jesus) e Ramon (Pablo Félix). Técnico: Cícero Junior.

BRASILIENSE 0 x 0 PARANOÁ
Data: sábado, 3 de fevereiro de 2024
Local: Serejão, Taguatinga (DF)
Árbitro: Pedro Alves de Oliveira
BRASILIENSE: Ravel, Netinho (Caetano), Gustavo Henrique, Igor Morais e Romário; Aldo, Tarta e Bernardo (Lila); Tobinha (Matheus Falero), Joãozinho e Allan Dias (Yan Lima). Técnico: Luís dos Reis.
PARANOÁ: Alexandre, Alanderson (Douglas Rato); Luiz Fernando, Dedé e Elivelton (Fernandinho); Alemão, André Paulista e Geovane; Willian Junior, Valter Bala e Wisman (Rafinha). Técnico: Agnaldo Liz.

CEILÂNDIA 6 x 0 SANTA MARIA
Data: sábado, 3 de fevereiro de 2024
Local: Abadião, Ceilândia (DF)
Árbitro: Maguielson Lima Barbosa
Renda: R$ 1.180,00
Público: 343 pagantes
Gols: Felipe Clemente, 31; Cabralzinho, 42; Felipe Clemente, 54; Romarinho, 64 e 79 e Alexandre (contra), 88
CEILÂNDIA: Thiago Santos (Henrique), Wisley, Euller, Badhuga (Pedrinho) e China; Júlio César, Pedro Bambu (Nolasco) e Cabralzinho; Kennedy (Elbinho), Romarinho e Felipe Clemente (Edson Reis). Técnico: Adelson de Almeida.
SANTA MARIA: Isael, Nathan, David, Alexandre e Hudson; William, Alessandro e Marquinhos Paracatu (Caetano); Braian, Thiago Uenis (Jonatas) e Guilherme Silveira (Marcos Vinícius). Técnico: Jerry Adriane.

CAPITAL 4 x 0 PLANALTINA
Data: domingo, 4 de fevereiro de 2024
Local: JK, Paranoá (DF)
Árbitro: Rafael Martins Diniz
Renda: R$ 12.170,00
Público: 1.185 pagantes
Gols: Deysinho, 6; Jailson, 14 e 16 e Renan Mota, 49
CAPITAL: Luan Santos, Everton Silva, Lucas Oliveira (Domingues), Éder Lima e Renan Luís; Felipe Guedes, Marconi e Romarinho (Renan Mota); Deysinho (Deivão), Jailson (Leozinho) e Wallace Pernambucano (Rian Pablo). Técnico: Paulinho Kobayashi.
PLANALTINA: Johnny, Roberth, Tonhão, Sho (Wandinho) e Jackson (Honorato); Alê, Juninho Arinos e Ícaro; Wesley Ceifador (Índio), Frank (Carangas) e Leonardo (Netinho). Técnico: Hugo Pilo.

SAMAMBAIA 3 x 0 REAL BRASÍLIA
Data: segunda-feira, 5 de fevereiro de 2024
Local: Serejão, Taguatinga (DF)
Árbitro: Matheus de Moraes Silva
Gols: Vitor Xavier, 44; Dandan, 49 e Gabriel Guimarães, 88
SAMAMBAIA: Murilo, Daniel Mendonça, Rafael Lima, Reinaldo e Matheus Nunes (Lucas Victor); Filipe Werley (Petrocelli), Dandan e Vitor Xavier (Schimaltz); Ian Carlos (Kaian), Luquinhas (Emerson) e Gabriel Guimarães. Técnico: Vilson Tadei.
REAL BRASÍLIA: Wendell, Davy Dias, André Martini (Kaio Nunes), Felipe e Breno Lopes (Gabriel Lima); Lucas Luzzi, Obina e Tássio (Regino); Michel Douglas, Pedrinho (Arthurzinho) e Uederson (Marquinhos). Técnico: Ariel Mamede.


sábado, 13 de abril de 2024

OS TÉCNICOS DO FUTEBOL BRASILIENSE: Jorge Medina - 2ª parte


Recebeu, então, o convite para comandar o Municipal, de Puntarenas, da Costa Rica.
Quando Jorge Medina chegou à Costa Rica, o Puntarenas estava em nono lugar. Ele recuperou a equipe, que chegou a liderar o campeonato nacional.
Com apenas uma temporada na Costa Rica, Jorge Medina surgiu como o favorito para assumir a direção técnica da seleção desse país da América Central, graças ao excelente trabalho realizado no Municipal de Puntarenas.
Desde 1985, quando havia conquistado o único título nacional, o Puntarenas não chegava tão longe. Estava relegado ao plano secundário, com colocações que oscilavam do sexto ao décimo lugar, numa prova que o comodismo dos treinadores o deixavam apenas como figurante.
Só que Medina revolucionou a maneira de atuar do time, tornando-o extremamente ofensivo. Calcado na juventude de uma equipe hábil e na experiência dos brasileiros Fernandez (zagueiro que atuou no Campo Grande e no Bangu) e do atacante Kleber, ex-Brasília, ganhou o status de surpresa do campeonato, deixando para trás equipes tradicionais.

Liderou 31 das 44 rodadas do longo campeonato de um ano, vencido pela Liga Alajuelense. Mereceu, por essa razão, diversas reportagens dos jornais e revistas especializadas.
Com grandes conhecimentos técnicos, conseguiu conquistar o elenco e os torcedores, que a cada jogo faziam questão de levar a bandeira do Brasil. Tudo isso levou o Puntarenas ao terceiro lugar, algo impensado antes da competição.
O prestígio de Medina alcançou pontos altos entre os dirigentes da Federação de Costa Rica, a ponto de ter sido convidado, em 1992, a fazer parte da Comissão Técnica da seleção costarriquenha.
Em 1993, Jorge Medina retornou ao Brasil, para ser o treinador do Uberaba (MG). Foi uma passagem relâmpago. Contratado no final do mês de junho de 1993, Medina dirigiu o time em três amistosos, o último deles 4 de julho de 1993. Medina, que havia acabado de chegar da Costa Rica, recebeu uma proposta irrecusável para voltar ao país e deixou o clube.
Um ano depois encerrou o ciclo no futebol da Costa Rica, retornou ao Brasil e passou a dividir seu tempo entre o futebol e a se dedicar à família.
Não demorou muito para voltar aos gramados. No dia 23 de julho de 1994, no Serejão, dirigiu novamente o Tiradentes na vitória de 3 x 1 sobre o Comercial, em jogo válido pelo segundo turno do Campeonato Brasiliense desse ano. O Tiradentes formou com Capucho, Flávio Negão, Adson (Kedmo), Wilton e Estevam; Divino, Helder e Júlio César; Jackson, Dário e Carlinhos (Gringa).
Em 1995, teve rápida passagem pelo Nacional, de Uberaba, que disputou o Módulo II do Campeonato Mineiro.
Nos anos de 1996 e 1997, foi Coordenador de uma escolinha de futebol em Formosa-GO, como núcleo do Vasco da Gama.
Foi o técnico do Bosque Formosa no Campeonato Brasiliense da Segunda Divisão em 2001, mesmo ano em que esteve trabalhando na AGEPOL, nos anos de 2001 e 2002, com a divisão de base do clube, atendendo a convite de amigos. Em seguida voltou para a Costa Rica.

No começo de 2003 novamente foi treinador do Nacional, de Uberaba. Medina deixou o clube no dia 20 de fevereiro, após derrota por 1 x 0 frente ao América (MG), pelo Campeonato Mineiro.
Em 2005, dirigiu o Barra do Garça no campeonato mato-grossense e foi treinador do Sobradinho no Campeonato Brasiliense desse mesmo ano.
Foi convidado para apresentar um Curso de Futebol pelo governo da Tailândia, em 2006.
Com mais de 60 anos e dedicando mais tempo a família, Medina passou a não se aventurar tanto no futebol fora do Distrito Federal. Foi treinador do Paranoá, no Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão de 2007 e foi convidado para ser Auxiliar Técnico de Edson Porto, na Sociedade Esportiva do Gama.
Após quase dez anos afastado do futebol, Jorge Medina viu, no projeto da Sociedade Esportiva Planaltina-GO, um bom motivo para retornar à modalidade no final de 2015. Chegou a trabalhar com a equipe na pré-temporada, mas decidiu deixar o clube na véspera do Campeonato Brasiliense de 2016, alegando falta de estrutura.

Já em 2018, aos 72 anos, o técnico Jorge Medina aceitou o convite do presidente Ricardo Martins para dirigir o tradicional Planaltina Esporte Clube, na segunda divisão do Campeonato Brasiliense. Mesmo com um elenco bastante jovem, Medina deu ao time, durante a pré-temporada, um bom padrão de jogo, implantou o esquema tático 3-5-2 e com o entrosamento adquirido levou o Planaltina a melhor campanha da primeira fase da competição com quatro vitórias e 1 empate em cinco jogos disputados.
Na semifinal, o Planaltina perdeu o duelo de ida por 2 x 1 e ficou no empate por 1 x 1 contra o Capital. A equipe terminou o campeonato na terceira posição, faltando um gol para obter o acesso para elite do futebol de Brasília.


Colaboradores:
Everson Cordeiro e Ruy Trida.



sexta-feira, 12 de abril de 2024

OS TÉCNICOS DO FUTEBOL BRASILIENSE: Jorge Medina - 1ª parte


Jorge Cardoso Medina nasceu no Rio de Janeiro (RJ), no dia 12 de abril de 1946.
Incomum para os dias de hoje, quando a maioria dos pais querem ver seus filhos no esporte para fugir das drogas e descaminhos, os de baixa renda sonham e até investem para que joguem futebol. Quando menino a ideia era ter uma profissão e trabalhar para ajudar no orçamento familiar.
Somente a partir dos 14 anos, já com trabalho e carteira assinada, Jorge Medina pôde se dedicar ao futebol. Iniciou entre infantis e juvenis de clubes da Baixada Fluminense. Aos 16 anos, tentou e teve a oportunidade de ser indicado para um período de experiência no São Cristóvão, que, coincidentemente, utilizava o Estádio de São Januário.
Entretanto, sofreu séria contusão no joelho, precisou fazer cirurgia e ficou longo tempo afastado. Resolveu partir para o curso de Enfermagem na Santa Casa e, em seguida, para o Núcleo da Divisão Aeroterrestre - paraquedista do Exército, como integrante do pessoal de saúde.
Ao deixar o exército, em 1965, iniciou a atividade empresarial com uma fábrica de produtos químicos.
O retorno ao futebol passou a ser um hobby, sem qualquer pretensão de fazer carreira. Tendo participado do campeonato do Departamento Autônomo do Rio de Janeiro, foi escolhido para compor a seleção do campeonato.
Em 1971, foi convidado pelo ex-jogador Coronel para ser treinador de goleiros e auxiliar das categorias de base do Vasco da Gama, que lhe permitiu um aprendizado altamente profissional, tendo a oportunidade de acompanhar de perto o trabalho de excelentes treinadores da época, como Mário Travaglini, Zizinho e Zagalo, podendo vivenciar a operacionalidade de um grande clube em todos os setores. Permaneceu no clube cruzmaltino até 1975.
Incentivado por Coronel (que havia deixado o Vasco da Gama e ido para o Itabuna-BA), Medina aceitou um convite para dirigir o Esporte Clube Carlos Chagas, uma equipe amadora de Minas Gerais, em 1976.
Após dez jogos no clube mineiro, assinou o primeiro contrato com o São Mateus, da primeira divisão do Espírito Santo.
Em 1977, foi treinador do Leão de São Marcos, de Nova Venécia, que disputou o Campeonato Capixaba desse ano.
Foi considerado o técnico revelação ao dirigir o Castelo, campeão do Torneio Incentivo e quinto colocado no Campeonato Capixaba de 1978.
No futebol capixaba, Medina dirigiu ainda Colatina, Botafogo (de Pinheiros) e Vitória, outra vez com auxiliar de Coronel e treinador de goleiros, inclusive o Paulo Victor.
No começo de 1980, tornou-se técnico do Estrela do Norte, de Cachoeiro de Itapemirim (ES). Foi sua última experiência no futebol capixaba. Nesse mesmo ano, deu um tempo no futebol e voltou para o Rio de Janeiro, onde iniciou o curso de Matemática da Universidade Castelo Branco.
Jorge Medina, à direita, com jogadores do Sobradinho
Chegou a Brasília em 1982 e foi morar em Sobradinho, onde montou um empreendimento de produtos químicos fornecidos para supermercados, até ser convidado para dirigir o Sobradinho Esporte Clube.
Sua estreia no futebol brasiliense aconteceu no dia 23 de maio de 1982, no jogo Brasília 1 x 1 Sobradinho, disputado no Pelezão, válido pelo campeonato desse ano. O Sobradinho formou com Chicão, Alcimar (Junior), Maurício Pradera, Ari e Claudinho; Ahlá, Palmir e Paulo Sérgio; Tininho (Paulo Araújo), Leivinha e Zezé.
No começo de 1983, já morando em Formosa (GO), onde reside até hoje, Jorge Medina foi convidado para ser Auxiliar Técnico do treinador Bugue no Brasília que iria disputar o Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão desse ano. Depois que o Brasília foi um dos clubes eliminados da Taça de Ouro (Primeira Divisão), juntamente com mais onze clubes, e passou a disputar a Taça de Prata (Segunda Divisão) a partir da Terceira Fase, Jorge Medina assumiu o comando do Brasília.

Bugue (treinador) e Jorge Medina
(Auxiliar Técnico) do Brasília
Sua estreia foi no dia 13 de março de 1983, em Campina Grande (PB), na derrota de 3 x 2 para o Treze local. Formou o Brasília com Déo, Ricardo, Kidão, Iranil e Nilton; Paulo Sérgio, Marco Antônio e Wander (Santos); Mardone, Bife e Zé Carlos.
O Brasília terminou a Taça de Prata na quarta colocação, a melhor em toda a sua história numa competição de âmbito nacional.
Logo após o encerramento dessa competição, Jorge Medina voltou a ocupar o cargo de treinador do Sobradinho. Esteve à frente da equipe em 39 jogos válidos pelo Campeonato Brasiliense de 1983, até o derradeiro, em 5 de outubro de 1983, no Serejão, com derrota de 1 x 0 para o Brasília. Nessa ocasião, o Sobradinho formou com Joaldo, Cabral, Rildo, Claudinho e Rodrigues; Sérgio, Zé Vieira e Wellington (Serginho); Aurê, Puruca e Jamil (Artur).
Não ficou muito tempo fora dos gramados e, em 30 de novembro de 1983, passou a ser o treinador do Taguatinga no Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão, pouco antes da disputa do triangular final dessa competição em que o Taguatinga ficou com a terceira colocação.
Em 1984, Jorge Medina conquistou seu primeiro título estadual ao comandar o Brasília em 24 jogos. Assumiu o clube em 4 de julho de 1984 e o levou até o último jogo da campanha vitoriosa, contra o Taguatinga, no dia 28 de novembro de 1984, no Serejão, com vitória de 1 x 0. O Brasília se sagrou campeão atuando com Nena, Iranil, Kidão, Jonas Foca e Ahlá; Baiano (Kleber), Marco Antônio e Mundinho; Paulinho Comelli (Nei), Manoel Ferreira e Wander.
No final do ano, Jorge Medina recebeu o Troféu “Mané Garrincha”, entregue para os “Melhores do Ano” escolhidos por cronistas esportivos do Distrito Federal.
Começou o ano de 1985 dirigindo o Brasília no Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão em todos os seus 22 jogos nessa competição.
Em 1986 foi treinador do Gama no Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão. No dia 21 de dezembro de 1986, Jorge Medina foi o técnico da Seleção Brasiliense de Masters que disputou um amistoso contra a seleção carioca da mesma categoria.

Wander Abdalla (Diretor de Futebol), Medina (técnico)
e Carlos Romeiro (Supervisor) do Taguatinga
Não trabalhou em 1987 e, no ano seguinte, foi contratado para ser o treinador do Tiradentes. O Tiradentes era líder absoluto do Campeonato Brasiliense, mas Jorge Medina resolveu deixar o clube e ir trabalhar no futebol mineiro, quando aceitou proposta do Nacional, de Uberaba. Neste clube, fez sua estreia no dia 29 de março de 1988, mas não obteve sucesso. Assumiu o posto ao final do primeiro turno do Campeonato Mineiro e dirigiu o clube em nove partidas, sem conseguir uma única vitória. Foram cinco empates e quatro derrotas, a última delas no clássico contra o Uberaba, por 1 x 0, em 15 de maio de 1988.
Uma semana depois, Jorge Medina estava de volta ao Tiradentes, dirigindo o time na derrota de 3 x 1 para o Brasília. A última vez que comandou o Tiradentes foi em 17 de julho de 1988, em outra derrota, desta vez diante do Gama, por 1 x 0. A má campanha do time nesse período fez com que Jorge Medina fosse demitido. Logo após esse fato, o Tiradentes passou a ter em seu comando o técnico uruguaio Roberto Ruben Delgado, treinador que acabaria levando o Tiradentes ao inédito título de campeão brasiliense nesse ano. Medina esteve à frente do Tiradentes em 16 jogos.
Em 1989, dirigiu o Guará no Campeonato Brasiliense. Logo depois, passou a ser treinador do Uberaba (MG), ficando à frente da equipe em apenas quatro amistosos, disputadas durante o mês de outubro de 1989. Resolveu, então, voltar para Brasília para cuidar da filha que estava doente.
Nesse ano, Jorge Medina também foi treinador do Hercílio Luz, de Santa Catarina.
Sua última participação no futebol brasileiro foi no dia 18 de fevereiro de 1990, quando dirigiu o Tiradentes em jogo válido pelo Campeonato Brasiliense desse ano (novamente foi substituído por Roberto Ruben Delgado). No Mané Garrincha, o Tiradentes perdeu para o Guará, por 2 x 1, formando com Déo, Beto Guarapari, Claudinho, Beto Fuscão e Gilberto; Chicão, Wander e Zé Maurício; Bugre, Joel e Murilo (Egberto).


quinta-feira, 11 de abril de 2024

O DIA DE HOJE NA HISTÓRIA DO FUTEBOL BRASILIENSE: eleições na FDB




No dia 11 de abril de 1966 aconteceu a Assembleia Geral Extraordinária que elegeu um novo Presidente para a Federação Desportiva de Brasília.
Depois de seis anos presidindo o Tribunal de Justiça Desportiva da FDB, Hugo Mósca passou a ser o Presidente da entidade, em substituição a Wilson de Andrade.
Na mesma reunião foram confirmados os seguintes diretores:
Diretor do Departamento de Futebol Profissional - Jardel Noronha de Oliveira;
Diretor do Departamento de Futebol Amador - Theodorico Barbosa Fernandes;
Diretor do Departamento de Árbitros - Alan Guerra de Alencar (que, depois, mudou-se de Brasília, sendo substituído por Emílio Vieira dos Santos);
Assessor do Departamento de Futebol Profissional - Oswaldo Cruz Vieira;
Diretor do Departamento de Esportes Terrestres - Jackson Augusto Roedel; e
Diretor Financeiro: João Batelli.

Nota:
Nascido em 11 de setembro de 1916, Hugo Mósca era advogado, foi professor de Direito do Trabalho e Código de Processo Civil, Diretor Geral da Secretaria do Supremo Tribunal Federal, onde trabalhou 30 anos, Diretor do Departamento de Imprensa e Propaganda no Governo Getúlio Vargas, Diretor da Rádio Mauá, da Rádio Continental e de diversos jornais no Rio de Janeiro.



quarta-feira, 10 de abril de 2024

ESTAMOS DE VOLTA!!!




Por problemas técnicos (estivemos, desde o dia 5 de abril, até hoje, com o computador na assistência técnica), ficamos sem atualizar nosso blog.
Esperamos normalizar essa situação a partir de amanhã, 11 de abril de 2024.



quinta-feira, 4 de abril de 2024

GRANDES RESULTADOS DO FUTEBOL BRASILIENSE: o Gama venceu o campeão da Libertadores - 1999


Romualdo: o melhor jogador 
da partida
Dois meses depois de conquistar o título mais importante de sua história, a Taça Libertadores da América, o Palmeiras enfrentou o Gama, em jogo válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro da Série A de 1999.
No primeiro semestre desse ano, o Gama havia sido eliminado da Copa do Brasil pelo Palmeiras, que venceu as duas partidas, uma delas por 5 x 0.
O Gama começou a partida todo fechado. Fazendo marcação no seu campo e tentando sair nos contra-ataques, os jogadores conseguiram aguentar a pressão inicial do adversário. Aos poucos, porém, o time brasiliense viu que tinha condições de ir mais à frente.
A primeira boa chance do Palmeiras aconteceu aos 8 minutos, em cruzamento para a área. Junior bateu falta pela esquerda, a zaga do Gama falhou, e Agnaldo bateu firme, à direita do gol.
O time paulista tentava envolver a defesa adversária por meio de toques rápidos, principalmente nas triangulações de Zinho, Alex e Paulo Nunes. Na hora de finalizar, porém, os zagueiros se recuperavam e impediam o arremate a gol.
Em um lance de bola trabalhada, com tabela entre Paulo Nunes e Alex, Oséas, aos 18 minutos, perdeu boa oportunidade. O centroavante recebeu a bola livre, mas bateu fraco, em cima do goleiro.
A falta de objetividade do Palmeiras começou a irritar a torcida. Fechado na defesa, o Gama conseguia dificultar as investidas dos atacantes paulistas.
No lance mais bonito do primeiro tempo, o atacante do Gama, Romualdo, deu um chapéu em Agnaldo e bateu firme, exigindo do goleiro Marcos excelente defesa.
Revoltada com o desempenho do time, a torcida começou a gritar o nome de Asprilla.
O time do DF dominava o jogo. A zaga do Palmeiras voltou a falhar, e Sorato bateu de voleio, à esquerda de Marcos.
Galeano perdeu a melhor oportunidade do Palmeiras na primeira etapa. O volante recebeu belo passe de Paulo Nunes e bateu na saída do goleiro. A bola passou rente à trave esquerda. No fim da primeira etapa, mais vaias.
O time paulista voltou mais ofensivo no segundo tempo. Asprilla fez sua estreia, entrando no lugar de Oséas, e Euller ocupou a vaga de Arce. O volante Rogério foi deslocado para a lateral direita.
Novamente, a pressão inicial foi dos paulistas, mas o Gama soube suportar.
Em seu primeiro lance, Asprilla arrancou aplausos dos torcedores. O colombiano deixou, com um toque de calcanhar, Euller na cara do gol, mas a bola foi desviada.
Aos 17 minutos, o Gama fez seu primeiro gol. Após bom lance pela esquerda, o atacante Romualdo cruzou, e Sorato desviou de cabeça, abrindo o placar.
Aos 24, o Gama acertou uma bola na trave, em chute de Alexandre Gaúcho. Doze minutos depois, Euller perdeu a chance de empatar, chutando a bola na trave.
O tempo ia passando e o desespero dos palmeirenses aumentando.
Aos 48 minutos (o árbitro determinou quatro minutos de acréscimo), Romualdo recebeu de Mazinho Loyola e fez um belíssimo gol, driblando dois jogadores do Palmeiras e batendo na saída de Marcos.
Eis a ficha técnica desse jogo:

PALMEIRAS 0 x 2 GAMA
Data: 22 de agosto de 1999
Local: Parque Antarctica, São Paulo (SP)
Árbitro: Reinaldo Ribas Vieira (RJ)
Renda: R$ 126.795,00
Público: 11.684 pagantes
Gols: Sorato, 62 e Romualdo, 90+3
PALMEIRAS: Marcos, Arce (Euller), César Sampaio (Zé Maria), Agnaldo e Junior; Galeano, Rogério, Alex e Zinho; Paulo Nunes e Oséas (Asprilla). Técnico: Luiz Felipe Scolari.
GAMA: Marcelo Cruz, Paulo Henrique, Gerson, Jairo e Rochinha; Deda, Caçapa, Lindomar (Kabila) e Alexandre Gaúcho (Beto); Romualdo e Sorato (Mazinho Loyola). Técnico: Jair Picerni.


Os dois gols desse jogo podem ser vistos no vídeo abaixo:





quarta-feira, 3 de abril de 2024

OS ARTILHEIROS: Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão – 2014


Éder

CF

JOGADORES

CLUBES

GOLS

ÉDER

Bosque Formosa

9

RODRIGUINHO

Luziânia

6

DIMBA

Sobradinho

6

ALEKITO

Brasília

5

RAFAEL TOLEDO

Capital

5

FÁBIO SACI

Gama

5

WILLIAN SAROÁ

Sobradinho

5

LUQUINHAS

Brasiliense

4

ALLANN DELON

Ceilândia

4

CASSIUS

Ceilândia

4

TINGA

Legião

4

CHEFE

Luziânia

4

OLAVO

Santa Maria

4

MARQUINHOS

Unaí

4

KAKÁ

Brasília

3

MATHEUZINHO

Brasília

3

LUIZ CARLOS

Brasiliense

3

LUCAS

Santa Maria

3

GALEGO

Sobradinho

3

CHINA

Atlético Ceilandense

2

MARQUINHOS

Atlético Ceilandense

2

WESLEY BRASÍLIA

Atlético Ceilandense

2

MARCELO

Bosque Formosa

2

CLÉCIO

Brasília

2

DANIEL

Brasília

2

IGOR

Brasília

2

LAÉCIO

Brasiliense

2

IGOR RAFAEL

Capital

2

ELVIS

Ceilândia

2

PIMENTA

Gama

2

ALDO

Luziânia

2

MAX PARDALZINHO

Luziânia

2

MARCELINHO

Sobradinho

2

DOUGLAS ALEMÃO

Unaí

2

REINALDO

Unaí

2

DALESTE

Atlético Ceilandense

1

LUÍS ANDRÉ

Atlético Ceilandense

1

RAYLLAN

Atlético Ceilandense

1

FELIPE DA MAIA

Bosque Formosa

1

GENESIS

Bosque Formosa

1

NICK

Bosque Formosa

1

PRETO MARABÁ

Bosque Formosa

1

ROMARINHO

Bosque Formosa

1

ALEX MARTINS

Brasília

1

ANDRÉ NUNES

Brasília

1

CLAUDECIR

Brasília

1

DAVID (CONTRA)

Brasília

1

GILMAR

Brasília

1

VICTOR HUGO

Brasília

1

BAIANO

Brasiliense

1

CAUÊ

Brasiliense

1

EVERTON

Brasiliense

1

GILVAN

Brasiliense

1

PENINHA

Brasiliense

1

RAMON

Brasiliense

1

THOMAZ

Brasiliense

1

WILLIAM

Brasiliense

1

ANJINHO

Capital

1

CLÁUDIO LUIZ

Ceilândia

1

GILMAR HERÊ

Ceilândia

1

GILSON

Ceilândia

1

TAVARES

Ceilândia

1

DOUGLAS PARÁ

Gama

1

JHON

Gama

1

MAYCON CARIOCA

Gama

1

RODRIGO

Gama

1

RONALDO TREVIZAN

Gama

1

THYAGO FERNANDES

Gama

1

ACEROLA

Legião

1

BRUNINHO

Legião

1

DIEGO

Legião

1

EMERSON

Legião

1

JEFFERSON

Legião

1

WUDSON

Legião

1

CARLÃO

Luziânia

1

GUSTAVO (CONTRA)

Luziânia

1

LÚCIO BALA

Luziânia

1

VAGUINHO

Luziânia

1

ALLANZINHO

Santa Maria

1

UALLACE

Santa Maria

1

CARLÃO (CONTRA)

Sobradinho

1

DIDÃO

Sobradinho

1

EMERSON

Sobradinho

1

JUNINHO

Sobradinho

1

KABRINE

Sobradinho

1

MACIEL

Sobradinho

1

MILTÃO

Sobradinho

1

PATRICK

Sobradinho

1

RODRIGO MELO

Sobradinho

1

TINGA

Sobradinho

1

DEDÉ

Unaí

1

FABRÍCIO

Unaí

1

WILLIAM CEZAR

Unaí

1