sexta-feira, 31 de agosto de 2018

OLHO NO LANCE!



Lance do amistoso interestadual realizado no dia 17 de setembro de 1961, no barro do estádio Israel Pinheiro, quando o Guará recebeu o supertime do Botafogo, do Rio de Janeiro, e foi goleado por 6 x 0.
No lance, vemos Nilton Santos, “A Enciclopédia”, dominando a bola, acossado por dois jogadores do Guará, Severo, a sua esquerda, e Léo, à direita. Ao centro, Zé Maria, do Botafogo.

GUARÁ 0 x 6 BOTAFOGO
Local: Estádio Israel Pinheiro (DF)
Renda: CR$ 730.000,00.
Árbitro: Gualter Portela Filho (RJ). Auxiliares: Nilzo de Sá e Joventino Antônio de Oliveira.
Gols: Pampolini, 15; Amoroso, 25; Amarildo, 32 e 44; Garrincha, 47 e Airton, 60
Botafogo: Manga (Adalberto), Cacá, Zé Maria e Chicão (Paulistinha); Pampolini e Nilton Santos (Rildo); Garrincha, Didi (Edson), Amoroso, Amarildo (Airton) e Zagalo (Neivaldo).
Guará: Redola (Matil), Aderbal, Edson Galba (Alan) e Enes (Jaime); Eluff (Paulo) e Bimba; Índio (Sabará), Severo (Heleno), Léo, Mingau e Joãozinho.



quinta-feira, 30 de agosto de 2018

A PRIMEIRA VEZ A GENTE NÃO ESQUECE: o primeiro jogo do Sobradinho no Campeonato Brasileiro da Série A

A maioria desses jogadores enfrentou o Sobradinho

Disposto a cumprir uma boa campanha e tentar a classificação para a Segunda Fase da competição, o Sobradinho contratou reforços para disputar o primeiro jogo pelo Campeonato Brasileiro em sua história. Chegaram os zagueiros Carlão, Tobias, Ari e Lourenço, todos do Fabril, de Minas Gerais, e mais Demétrio e Idevaldo, que pertenceram ao Botafogo, do Rio de Janeiro. A esperança, porém, ainda era o artilheiro Toni, prata da casa.
O Internacional atravessava uma grande crise financeira e foi obrigado a vender dois de seus melhores jogadores, Ruben Paz e Mauro Galvão, para saldar dívidas, e também não teve Tita nesse dia, recusando-se a jogar já que pretendia ser negociado com o Vasco da Gama. Ainda assim, o vice-campeão gaúcho continuava sendo uma equipe temida em todo o Brasil.
Apesar dos péssimos resultados obtidos antes da estreia e o reduzido tempo de treinamento que impossibilitou o desejado entrosamento entre os recém contratados e o restante da equipe, o Sobradinho estava confiante em uma boa apresentação diante do vice-campeão gaúcho.
O primeiro tempo do jogo foi de um futebol muito fraco, que decepcionou o público presente, com muitos erros de ambas as partes.
O Internacional voltou um pouco melhor na etapa final, o suficiente para marcar seu gol, através de Marcelo Vitta, aos 31 minutos, numa bobeira da defesa do Sobradinho. O gol surgiu na cobrança de um escanteio e o atacante do Internacional aproveitou-se da má colocação dos zagueiros do Sobradinho para assinalar o único tento do jogo, numa clara demonstração de desentrosamento da zaga adversária. Do contrário, o marcador não teria se modificado, o que, aliás, seria mais justo.
Com a entrada de Toni, no segundo tempo, o Sobradinho ganhou em poder ofensivo e em movimentação do meio campo, nada suficiente para alterar o placar final.

SOBRADINHO 0 x 1 INTERNACIONAL
Data: 31 de agosto de 1986
Local: Mané Garrincha, Brasília (DF)
Árbitro: Valquir Pimentel (RJ)
Renda: Cz$ 232.425,00
Público: 8.328 pagantes
Gol: Marcelo, 75
SOBRADINHO: Bocaiúva, Carlão, Ari, Tobias e Lourenço; Demétrio, Filó e Wellington (Toni); Régis, Idevaldo e Michael (Jamil). Técnico: José Antônio Furtado Leal.
INTERNACIONAL: Taffarel, Luís Carlos Winck, Pinga, Aloísio e Marco Aurélio; Marquinhos, Ailton e Luís Fernando Flores (Sabará); Robertinho, Marcelo Vitta (Gilmar Mazzoti) e Balalo. Técnico: Homero Cavalheiro.


quarta-feira, 29 de agosto de 2018

OLHO NO LANCE!



Lance do amistoso interestadual realizado no dia 8 de dezembro de 1982, no Pelezão, em Brasília (DF), entre Brasília e Botafogo, do Rio de Janeiro, que terminou empatado em 1 x 1.
No lance estão presentes, pelo Botafogo, o goleiro Paulo Sérgio, o lateral Perivaldo e o meia Alemão, nessa ordem, da esquerda para a direita. O dez do Brasília era o Kléber.

BRASÍLIA 1 x 1 BOTAFOGO
Data: 8 de dezembro de 1982
Local: Pelezão, Brasília (DF)
Árbitro: Baltasar de Paula
Renda: Cr$ 5.127.000,00
Público: 9.664 pagantes
Gols: Té, 40 e Zé Maurício, 83
Brasília: Haroldo, Ricardo, Kidão, Jonas Foca e Aldair; Wilson Bispo, Marco Antônio e Kléber; Mardone (Santos), Márcio (Zé Maurício) e Zé Carlos. Técnico: Ercy Rosa.
Botafogo: Paulo Sérgio, Perivaldo, Abel (Gaúcho), Eraldo e Wagner (Gilberto); Josimar, Alemão e Mendonça; Geraldo (Chicão), Té (Mirandinha) e César. Técnico: Zé Mário.



CURRÍCULO: Dom Pedro II


CURRÍCULO, do latim “currere”, significa caminho, jornada, trajetória... 
Aqui trataremos da trajetória dos clubes de futebol do DF. O nosso "currículo" será um documento que conterá os dados biográficos de cada clube e as suas realizações no futebol brasiliense.
Neste mês de agosto, estamos apresentando o “curriculum vitae” do Esporte Clube Dom Pedro II.

NOME COMPLETO: Esporte Clube Dom Pedro II
LOCAL E DATA DE NASCIMENTO: Guará-DF, 16 de abril de 1994.
CORES OFICIAIS: Vermelha e Branca.

TRAJETÓRIA NO CAMPEONATO BRASILIENSE DA PRIMEIRA DIVISÃO

ANO
CF
J
V
E
D
GF
GC
SG
PG
% Aprov.
1996
19
6
4
9
20
31
-11
26
45,6%
1997
18
4
3
11
18
31
-13
15
27,8%
1998
18
6
4
8
21
25
-4
22
40,7%
1999
22
11
4
7
35
29
6
37
56,1%
2000
20
8
6
6
22
18
4
30
50,0%
2001
18
2
5
11
12
25
-13
11
20,4%
2003
11
4
0
7
15
18
-3
12
36,4%
2004
11
5
1
5
20
22
-2
16
48,5%
2005
10
4
2
4
21
18
3
14
46,7%
2006
8
3
2
3
9
9
0
11
45,8%
2007
14
5
2
7
25
29
-4
17
40,5%
2008
14
7
5
2
19
11
8
26
61,9%
2009
20
8
5
7
25
29
-4
29
48,3%
2010
14
3
5
6
15
19
-4
14
33,3%
2012
12º
11
2
2
7
11
39
-28
8
24,2%

TRAJETÓRIA NO CAMPEONATO BRASILIENSE DA SEGUNDA DIVISÃO

 

ANO

CF

J

V

E

D

GF

GC

SG

PG

% Aprov.

2001

16

7

1

8

23

27

-4

22

45,8%

2002

13

6

4

3

22

16

6

22

56,4%

2011

14

7

3

4

23

16

7

24

57,1%

2013

9

2

4

3

15

9

6

10

37,0%