quinta-feira, 30 de agosto de 2018

A PRIMEIRA VEZ A GENTE NÃO ESQUECE: o primeiro jogo do Sobradinho no Campeonato Brasileiro da Série A

A maioria desses jogadores enfrentou o Sobradinho

Disposto a cumprir uma boa campanha e tentar a classificação para a Segunda Fase da competição, o Sobradinho contratou reforços para disputar o primeiro jogo pelo Campeonato Brasileiro em sua história. Chegaram os zagueiros Carlão, Tobias, Ari e Lourenço, todos do Fabril, de Minas Gerais, e mais Demétrio e Idevaldo, que pertenceram ao Botafogo, do Rio de Janeiro. A esperança, porém, ainda era o artilheiro Toni, prata da casa.
O Internacional atravessava uma grande crise financeira e foi obrigado a vender dois de seus melhores jogadores, Ruben Paz e Mauro Galvão, para saldar dívidas, e também não teve Tita nesse dia, recusando-se a jogar já que pretendia ser negociado com o Vasco da Gama. Ainda assim, o vice-campeão gaúcho continuava sendo uma equipe temida em todo o Brasil.
Apesar dos péssimos resultados obtidos antes da estreia e o reduzido tempo de treinamento que impossibilitou o desejado entrosamento entre os recém contratados e o restante da equipe, o Sobradinho estava confiante em uma boa apresentação diante do vice-campeão gaúcho.
O primeiro tempo do jogo foi de um futebol muito fraco, que decepcionou o público presente, com muitos erros de ambas as partes.
O Internacional voltou um pouco melhor na etapa final, o suficiente para marcar seu gol, através de Marcelo Vitta, aos 31 minutos, numa bobeira da defesa do Sobradinho. O gol surgiu na cobrança de um escanteio e o atacante do Internacional aproveitou-se da má colocação dos zagueiros do Sobradinho para assinalar o único tento do jogo, numa clara demonstração de desentrosamento da zaga adversária. Do contrário, o marcador não teria se modificado, o que, aliás, seria mais justo.
Com a entrada de Toni, no segundo tempo, o Sobradinho ganhou em poder ofensivo e em movimentação do meio campo, nada suficiente para alterar o placar final.

SOBRADINHO 0 x 1 INTERNACIONAL
Data: 31 de agosto de 1986
Local: Mané Garrincha, Brasília (DF)
Árbitro: Valquir Pimentel (RJ)
Renda: Cz$ 232.425,00
Público: 8.328 pagantes
Gol: Marcelo, 75
SOBRADINHO: Bocaiúva, Carlão, Ari, Tobias e Lourenço; Demétrio, Filó e Wellington (Toni); Régis, Idevaldo e Michael (Jamil). Técnico: José Antônio Furtado Leal.
INTERNACIONAL: Taffarel, Luís Carlos Winck, Pinga, Aloísio e Marco Aurélio; Marquinhos, Ailton e Luís Fernando Flores (Sabará); Robertinho, Marcelo Vitta (Gilmar Mazzoti) e Balalo. Técnico: Homero Cavalheiro.


Um comentário:

  1. Já falei sobre esse assunto, mas vou repetir. Esse também foi minha primeira vez em um estádio de futebol. Eu era recém chegado em Brasília, vindo do interior de Minas Gerais, não conhecia quase nada aqui no DF, mas tinha uma noção onde ficava o Estádio Mané Garrincha. Vi na televisão que o Sobradinho iria estrear no Campeonato Brasileiro daquele ano contra o Inter. Eu era fascinado por futebol, era minha chance de vê de perto uma partida, porém eu não conhecia ninguém que ia assistir o jogo, mesmo sem conhecer Brasília fui sozinho, peguei um ônibus desci na Rodoviária do Plano Piloto de lá segui á pé para o Estádio. Comprei o ingresso e adentrei ao Estádio quase duas horas antes do jogo começar. Claro que eu estava torcendo para o Sobradinho, mas o inter foi melhor e mereceu a vitória. Não foi um grande jogo, mas no segundo tempo o Internacional atacou mais, consegui fazer seu Gol aos 31 minutos do segundo tempo, Balalo cobrou um escanteio e Marcelo subiu de cabeça sem chance para o goleiro Bocaiúva. Depois do inter pressionou o Sobradinho e Bocaiúva fez pelo menos três grandes defesas se tornando o goleiro do Fantástico.

    ResponderExcluir