segunda-feira, 15 de julho de 2024

OS CLUBES DO DF: Guadalajara





Ainda sob a empolgação da conquista do tricampeonato mundial pela Seleção Brasileira, no México, um grupo de amigos se reuniu para fundar um clube esportivo. A reunião aconteceu no dia 15 de julho de 1970, às 20 horas, na residência de Manoel Ferreira de Souza, à Rua 17, Casa 32, no Núcleo Bandeirante.
O nome escolhido para a nova associação foi ESPORTE CLUBE GUADALAJARA. As cores oficiais eram a vermelha e a preta. O primeiro uniforme era formado por camisa com faixas horizontais nas cores vermelha e preta, com golas e punhos pretos, calção branco e meiões com faixas horizontais vermelhas e pretas. No segundo, a camisa era branca, com duas faixas horizontais nas cores vermelha e preta, números vermelhos, calção branco e meiões vermelhos.
Em seguida, procedeu-se a eleição da primeira diretoria do novo clube, que ficou assim constituída: Presidente – Miguel Pereira de Carvalho; Vice-Presidente – Junovaldo Gonçalves Santana; 1º Secretário – João Batista de Morais; 2º Secretário – João Lauriano Lúcio; 1º Tesoureiro – José Pereira Fernandes; 2º Tesoureiro – José Ribeiro de Souza; Diretor de Esportes – Tirçon Zeferino Gomes; 1º Diretor Social – Isolino Mariano dos Santos e 2º Diretor Social – Geraldo Pedro Antunes.
Pouco tempo depois, o Guadalajara conseguiu construir sua sede na Ceilândia.
O Guadalajara demorou para aderir ao futebol. Somente na reunião de 13 de junho de 1975 a prática do futebol foi incrementada no novo clube.
No Regulamento Geral do clube, constava: “§ 3º - Determinar que os atletas adquiram seus materiais esportivos de uso pessoal, tais como chuteira, ataduras, sungas etc., pois o E.C.G. só fornecerá camisa, calção e meiões para os jogos de caráter amistoso ou oficial”.
Mesmo com pouca estrutura, o Guadalajara resolveu participar da sua primeira competição oficial ainda em 1975.
Foi a I Copa Arizona de Futebol Amador, com início em 19 de março daquele ano. A competição reuniu 64 equipes amadoras de todo o Distrito Federal e o Guadalajara conseguiu terminar entre os oito finalistas.
Logo depois, filiou-se à Federação Metropolitana de Futebol. Nessa condição, foi convidado a participar de um torneio quadrangular promovido pela Federação e que contou com as participações de A. A. Relações Exteriores, E. C. Canarinho e Humaitá E. C.
Fez sua estréia no dia 6 de julho, sendo derrotado pelo Canarinho (2 x 0). No dia 13 de julho, empatou com o Humaitá (1 x 1) e, no dia 3 de agosto encerrou sua participação no torneio sofrendo uma goleada diante da Relações Exteriores (6 x 3). Ficou na quarta e última colocação no torneio.
Voltou a ficar na última colocação no Campeonato Brasiliense de 1975, competição disputada por oito clubes em dois turnos e iniciada no dia 20 de setembro. Formado em sua maioria por ex-jogadores do Colombo e do Piloto, a campanha do Guadalajara foi esta: 14 jogos, 1 vitória, 2 empates e 11 derrotas; 9 gols a favor e 40 contra. Somou apenas quatro pontos ganhos.
Sua única vitória aconteceu no dia 8 de dezembro, no Pelezão: 2 x 1 sobre o Humaitá.
Seus artilheiros foram: Chiquinho (4), Messias (3), Freitas e Durval.
Seu último jogo aconteceu no dia 20 de dezembro, com derrota para o Ceub, pelo placar de 4 x 2.
No ano seguinte, 1976, foi definitivamente instalado o profissionalismo no futebol de Brasília e o Guadalajara resolveu continuar disputando apenas as categorias de base e, a partir de 1978, o campeonato amador promovido pela Federação de Brasília, sem nenhuma conquista.

Colaboração: Sérgio Mello.





domingo, 14 de julho de 2024

O DIA DE HOJE NA HISTÓRIA DO FUTEBOL BRASILIENSE: o Torneio Início de 1974


Disputado no Estádio Edson Arantes do Nascimento, o Pelezão, no dia 14 de julho de 1974.
O vencedor recebeu a Taça “Ponto Frio Bonzão” e o vice-campeão a Taça “Crônica Desportiva de Brasília”.

HUMAITÁ 3 x 0 UNIDOS DE SOBRADINHO
Árbitro: Ranulfo Soares
Gols: Aderbal, Vavá e Lord
HUMAITÁ: Elizaldo, Mabinho, Carlos Alberto, Aderbal e Nazo; Julinho, Vavá e Arleno; Lord, Moisés e Pedrinho. Técnico: José da Silva Carvalho.

CEUB 0 x 0 RELAÇÕES EXTERIORES
Obs.: nos escanteios, Ceub 5 x 1 Relações Exteriores
Árbitro: Jorge Aloise
CEUB: Déo, Fernandinho, Fernando, Aluísio e Miguel; Capela, Moreirinha e Pedro Léo; Junior Brasília, Valdemar e Nivaldo. Técnico: Edilson Braga.
Obs.: o Relações Exteriores atuou com oito jogadores.

PIONEIRA 1 x 0 LUZIÂNIA
Árbitro: Volney Bezerril
Gol: Maurício
PIONEIRA: Carlos José, Gonçalves, Dão, Rui e Diogo; Rubens e China; Borges, Maurício, Piau (Peixoto) e Delfino.
LUZIÂNIA: Roberto Carneiro, João Preto, Fernando Melo, Ruy Meireles e Branco; Laiguinha e Zanata; Washington, Peru, Baiê e Toinho de Laiza. Técnico: Eurípedes Bueno.

HUMAITÁ 1 x 0 JAGUAR
Árbitro: Édson Rezende de Oliveira
Gol: Moisés
HUMAITÁ: Elizaldo, Mabinho, Carlos Alberto, Aderbal e Nazo; Julinho, Vavá e Arleno; Lord, Moisés e Pedrinho. Técnico: José da Silva Carvalho.
JAGUAR: Roberto, Salvador, Kidão, Leocrécio e Claudinho; Wellington, Ariston e Paulinho; Ramos, Jorge Luiz e Nonoca. Técnico: José Sampaio de Souza.

CEUB 0 x 0 PIONEIRA
Obs.: nos escanteios: Ceub 1 x 0 Pioneira
Árbitro: Arnóbio Passos
CEUB: Déo, Fernandinho, Fernando, Aluísio e Miguel; Capela, Moreirinha e Pedro Léo; Junior Brasília, Valdemar e Nivaldo. Técnico: Edilson Braga.
PIONEIRA: Carlos José, Gonçalves, Dão, Rui e Diogo; Rubens e China; Borges, Maurício, Piau (Peixoto) e Delfino.

DECISÃO

HUMAITÁ 4 x 0 CEUB
Árbitro: Cid Marival Fonseca
Gols: Vavá, 14 e Lord, 20 do 1º tempo; Vavá, 13 e Arleno, 17 do segundo.
HUMAITÁ: Elizaldo, Mabinho, Carlos Alberto, Aderbal e Nazo; Julinho, Vavá e Arleno; Lord, Moisés e Pedrinho. Técnico: José da Silva Carvalho.
CEUB: Déo, Fernandinho, Fernando, Aluísio e Miguel; Capela, Moreirinha e Pedro Léo; Junior Brasília e Valdemar. Técnico: Edilson Braga.
Obs.: o Ceub atuou com dez jogadores; ambas as equipes sem jogadores no banco de reservas.

CAMPEÃO: HUMAITÁ.





sábado, 13 de julho de 2024

FORMAÇÕES: Grêmio Esportivo Brasiliense - 1976



Formação do Grêmio Esportivo Brasiliense que disputou o 1º Campeonato de Futebol Profissional do DF, em 1976. 
Em pé, da esquerda para a direita: Geraldo Piloto (médico), Luís Carlos, Diron, Leo, Luciano, Grimaldi, Arlindo e Inácio Milani (treinador). 
Agachados, na mesma ordem: Paiva (massagista), Gonçalves, Jaime, Marquinhos, Hamilton e Moacir.

Colaboração do ex-jogador Luciano, na foto acima.



sexta-feira, 12 de julho de 2024

JOGOS INUSITADOS: Botafogo-Sobradinho x Botafogo-RJ - 1996


No dia 5 de março de 1996 o Sobradinho Esporte Clube passou a se chamar Botafogo Sobradinho Futebol Clube.
O acordo foi fechado entre o Presidente do Botafogo carioca, Carlos Augusto Montenegro, e o representante do alvinegro do Rio de Janeiro em Brasília, Délio Cardoso, empossado como Presidente do novo clube. O Diretor de Futebol do Botafogo Sobradinho seria Nilton Santos.
Pelo contrato, alguns jogadores reservas do time carioca disputariam o campeonato do DF e os que se destacassem retornariam ao Rio de Janeiro, com chances de entrar na equipe principal do Botafogo.
Os jogadores emprestados ao Botafogo Sobradinho foram: o goleiro Arilson (irmão de Célio Silva, na época no Corinthians), lateral-direito Eliomar, zagueiros Fabiano e Alessandro, meias Márcio Borges, Arcelino, Dedé e Pardal e os atacantes Big e Junior. O treinador era Dé Aranha.
A estreia oficial do Botafogo Sobradinho aconteceu no dia 10 de março de 1996, no Augustinho Lima, com vitória sobre o Comercial, do Núcleo Bandeirante, por 4 x 1. O primeiro gol foi marcado por Dedé.

BOTAFOGO SOBRADINHO 1 x 1 BOTAFOGO (RJ)
Data: 12 de julho de 1996
Local: Augustinho Lima, Sobradinho
Árbitro: Sérgio Carvalho (DF)
Gols: Bentinho, 38 e Oliveira, 75
BOTAFOGO SOBRADINHO: Arilson, Alexandre (Cílio), Fabiano, Alessandro e Edilson; Arcelino, Oliveira (Juninho) e Dedé (Simbo); Dimba, Junior (Túlio) (Pardal) e Dejair. Técnico: Dé Aranha.
BOTAFOGO-RJ: Alex, Wilson Goiano, Alemão, Jefferson e André Silva; Souza, Otacílio, Marcelo Alves (Julinho) e Bentinho; Mauricinho e Túlio (Marco Aurélio). Técnico: Ricardo Barreto.



quinta-feira, 11 de julho de 2024

FORMAÇÕES: Canarinho - 1976


Uma das formações do Canarinho que disputou o 1º Campeonato Brasiliense de Futebol Profissional, em 1976.
Em pé, da esquerda para a direita: Toinho, Itamar, Tonhão, Ivan, Cruzeiro e Déo.
Agachados, na mesma ordem: Flavinho, Celino, Robertinho, Peba e Belo.


Colaboração: Édson Bonfim.


quarta-feira, 10 de julho de 2024

TOP TEN: OS DEZ MAIS no maior número de VITÓRIAS na Primeira Divisão do DF - 1960 a 2024



EM VALORES ABSOLUTOS

CF

CLUBES

VITÓRIAS

GAMA

406

BRASÍLIA

314

TAGUATINGA

261

GUARÁ

259

CEILÂNDIA

251

BRASILIENSE

236

SOBRADINHO

232

TIRADENTES

136

LUZIÂNIA

135

10º

PLANALTINA

80


POR ÍNDICE DE APROVEITAMENTO

CF

CLUBES

ÍNDICE DE APROVEITAMENTO

BRASILIENSE

60,8%

GAMA

42,9%

TAGUATINGA

42,2%

BRASÍLIA

40,8%

GUARÁ

34,4%

DOM PEDRO II

34,2%

LUZIÂNIA

34,1%

CEILÂNDIA

33,6%

TIRADENTES

32,5%

10º

SOBRADINHO

31,6%


Obs.: Com mais de 200 jogos.



terça-feira, 9 de julho de 2024

TOP TEN: OS DEZ MAIS no maior número de campeonatos disputados na Primeira Divisão do DF - 1960 a 2024




CF

CLUBES

CD

GAMA

49

CEILÂNDIA

40

GUARÁ e SOBRADINHO

39

BRASÍLIA

38

TAGUATINGA e LUZIÂNIA

28

BRASILIENSE

24

TIRADENTES

17

10º

DOM PEDRO II e PLANALTINA

15


CD = Campeonatos Disputados.