terça-feira, 17 de julho de 2018

FICHA TÉCNICA: Nenê


Ornedes Alves dos Santos, o Nenê, nasceu em Presidente Prudente (SP), no dia 17 de julho de 1956.
Em janeiro de 1972, antes de completar 16 anos, Nenê foi um dos vinte jogadores convocados para a seleção de futebol dente-de-leite de Brasília que passaram a treinar sob as ordens de Airton Nogueira. Nenê era jogador da equipe da Ação Social do Planalto.
De 19 a 23 de abril de 1972, Brasília recebeu as seleções do Estado do Rio, Goiás, Guanabara, Minas Gerais e São Paulo para a disputa da Mini Copa Dedinho de Dente de Leite, patrocinada pelo Ministério de Educação e Cultura - MEC e disputada no Estádio Pelezão. O maior destaque desse torneio foi o centroavante Reinaldo, de Minas Gerais.
Nota: Dedinho era o personagem central de uma revista em quadrinhos, criada em 1971 pelo então Departamento de Educação Física e Desportos (DED), do Ministério da Educação e Cultura.
O Distrito Federal foi apenas o quinto colocado, contando com a seguinte formação básica: João Carlos, Éder, Antônio José, Capela e Nenê; Fernando, Toninho e Moreirinha; Junior, Carlos e Jorge Luiz. Técnico: Airton Nogueira. Em compensação, juntamente com Junior Brasília, Nenê fez parte da seleção dos melhores do torneio, escolhidos por jornalistas convidados pela revista Placar, que foi assim composta: Décio (São Paulo), Moisés (São Paulo), Rogério (Estado do Rio), Carlos (Guanabara) e Nenê (Distrito Federal); Nobre (São Paulo) e Portinho (Goiás); Junior (Distrito Federal), Dufrayer (Guanabara), Reinaldo (Minas Gerais) e Gilson (Guanabara).
Em 1973, Nenê passou a fazer parte da equipe infanto-juvenil da A. A. Novacap, treinada por Airton Nogueira, e que passou a ser considerada a melhor equipe do DF, contando com jogadores da categoria do goleiro Paulo Victor, Fernando, Nenê, Nonoca, os irmãos gêmeos Robério e Rogério, Marco Antônio, Cafuringa (depois chamado de Junior Brasília) e Moreirinha. Na decisão do campeonato, no dia 4 de novembro de 1973, a Novacap venceu o Ceub, por 2 x 1 e sagrou-se campeã brasiliense da categoria infanto-juvenil.
Como Airton Nogueira passou a dividir seu tempo entre as categorias de base da Novacap e o time adulto do Jaguar, que disputou o campeonato brasiliense de futebol amador (4º colocado em 1973), Nenê estreou na equipe no dia 17 de novembro de 1973, no Pelezão, na vitória de 4 x 1 sobre o América. O Jaguar formou com Carlão, Capela (Décio), Dão, Salvador e Nenê; Pedrinho e Ariston; Cafuringa (Risada), Batista, Djalma e Tita. Técnico: Airton Nogueira.
Em 1974, Nenê seguiu trabalhando com Airton Nogueira, que continuou como treinador da equipe adulta do Jaguar (que foi vice-campeã brasiliense), passando depois para a equipe de juvenis do Ceub.
A estreia de Nenê na equipe adulta do Ceub aconteceu no dia 6 de setembro de 1974, no Estádio Presidente Médici, na derrota de 2 x 1 para o Vitória-BA, válido pelo Torneio da Independência (que ainda contou com Botafogo-RJ e Corinthians-SP). O Ceub formou com Édson, Cláudio, Pedro Pradera, Émerson e Nenê; Alencar, Péricles e Xisté (Douradinho); Julinho, Gilberto (Humberto) e Marco Antônio.
No ano de 1975, Nenê disputou sete jogos pelo Campeonato Brasileiro e fez parte da delegação do Ceub que excursionou ao exterior (África e Europa).
Seu último jogo com a camisa do Ceub foi em 10 de abril de 1976, pelo Torneio Imprensa, sendo registrado o empate em 1 x 1. A formação do Ceub foi esta: Paulo Victor, Ademir, Paulo Roberto, Cláudio Oliveira e Nenê; Alencar, Xisté e Jorge Luís; Pira, Eduardo e Gilbertinho.
Depois do fim do Ceub, ainda em 1976 ingressou no Vila Nova, de Goiânia-GO, onde venceu, consecutivamente, o campeonato estadual de Goiás em 1977 e 1978. De 1979 a 1983, passou, seguidamente, por Noroeste, de Bauru, Comercial, de Campo Grande-MS, e Marília-SP.
Em 1983, chegou ao Vasco da Gama, do Rio de Janeiro-RJ, onde ficou até 1984. O Vasco da Gama vivia, então, um período bastante conturbado e em crise de resultados, acabando a passagem de Nenê pelo clube sem conquistar qualquer título de relevo.
No Atlético Paranaense, seu último clube no Brasil antes de ir para a Europa, sagrou-se campeão estadual em 1985.
Nenê ainda começou o ano de 1986 a serviço do Atlético Paranaense, jogando o campeonato estadual, mas, no meio do ano, surgir o convite para ir jogar no Vitória de Guimarães, de Portugal, que tinha como técnico o brasileiro Marinho Peres..
Nenê tornou-se um dos principais jogadores do Vitoria de Guimarães na notável campanha realizada pelo clube na temporada 1986/87.
Realizou o seu primeiro jogo com a camisa do Vitória de Guimarães em 2 de agosto de 1986, num amistoso de pré-temporada com o Rio Ave, com vitória por 3 x 0. De forma oficial, sua estreia aconteceria na primeira rodada do Campeonato Português da 1ª Divisão, em Braga, num jogo disputado no dia 23 de agosto de 1986, contra o S. C. Braga.
Na temporada 1986/87, o Vitória de Guimarães realizou uma campanha extraordinária. No Campeonato Português, conseguiu atingir um lugar no pódio, conquistando um honroso terceiro lugar na classificação final. No plano internacional, o Vitória de Guimarães alcançou também um grande destaque com a sua brilhante participação na Taça Uefa. Também com grandes exibições individuais de Nenê, especialmente uma que produziu no Estádio Vicente Calderon, frente ao Atlético de Madrid, a equipa do Vitória de Guimarães atingiu as quartas de final da conceituada competição, eliminando, nesse percurso, grandes equipes europeias.
Nenê realizou 20 jogos no Campeonato Nacional da 1ª Divisão da temporada 1986/87, anotando apenas um gol.
Renovou o seu contrato com o Vitória de Guimarães para a temporada 1987/88. Esta temporada revelou-se, contudo, bastante decepcionante para as aspirações do Vitória de Guimarães, obtendo um sofrível 14º lugar na principal liga nacional.
Na Taça de Portugal, o Vitória de Guimarães atingiu a final, com derrota de 1 x 0 frente ao Porto.
No início da temporada 1988/89, ocorreu uma verdadeira revolução na composição do plantel, com o treinador brasileiro Geninho escolhido para comandar a equipe. A grande conquista nesta temporada foi a da Supertaça Cândido de Oliveira, o mais prestigiado troféu conquistado, frente ao Porto.
Nenê foi titular durante algum tempo no Vitória de Guimarães na temporada 1988/89, realizando 16 jogos no Campeonato Nacional da 1ª Divisão. Também assumiu as funções de treinador da equipe após a saída de Geninho, após uma derrota em casa frente ao Boavista, na 32ª rodada. Nenê, então, foi promovido para a condição de jogador-treinador.
Fez a sua estreia na função de treinador do Vitória de Guimarães na rodada seguinte do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, em Penafiel, frente ao clube do mesmo nome, com o placar de 1 x 0 a favor do Vitória de Guimarães.
Nenê seria o responsável técnico pelo Vitória de Guimarães até o final da temporada 1988/89, comandando a equipe nas últimas seis rodadas, alcançando três vitórias e sofrendo outras três derrotas. O Vitória de Guimarães terminaria o Campeonato Nacional da 1ª Divisão na 9ª posição da tabela de classificação.
Na temporada 1989/90, Nenê abandonou as funções de treinador. O clube português escolheu o brasileiro Paulo Autuori para assumir o comando técnico da sua equipe principal.
Após a contratação de grandes jogadores para a defesa do Vitória de Guimarães, e com mais de 33 anos de idade, Nenê perdeu espaço no time titular. Deixou, então, o Vitória de Guimarães para regressar ao Brasil.
No Brasil, ainda viria a alinhar pelo recém-criado Paraná Clube, em 1991, onde voltou a encontrar-se com o técnico Otacílio Gonçalves e a entrar na história desse clube ao conquistar o seu primeiro Campeonato Paranaense.
Hoje, com 62 anos de idade, Nenê continua ligado ao futebol, trabalhando com intermediação nas transferências de jogadores. Em janeiro de 2018, a CBF cadastrou 457 intermediários para a negociação de 21 mil jogadores do País, dentre eles a Nenê Sports S/C Ltda – ME (Ornedes Alves dos Santos), com sede em Curitiba-PR.



Nenhum comentário:

Postar um comentário