sexta-feira, 30 de novembro de 2018

HÁ 50 ANOS NO FUTEBOL BRASILIENSE: o campeonato do Departamento Autônomo


O Campeonato do Departamento Autônomo de 1968 foi dividido em três séries: Gama, Taguatinga e Plano Piloto/Sobradinho.
A Série Gama foi disputada por União, Real, Gaminha, Guarani, Grêmio, Minas, Imperial e Coenge. O Coenge foi o campeão dessa série e, juntamente com o Gaminha, vice-campeão, classificou-se para a fase final da competição.
O Meta foi campeão invicto da série de Taguatinga.
Na outra série classificaram-se Civilsan e Manufatura.
A Fase Final foi iniciada em 1º de dezembro de 1968 e reuniu Gaminha e Coenge, do Gama, Civilsan, do Plano Piloto, Manufatura, de Sobradinho, e Brasília, Meta e Setor Automobilístico, de Taguatinga.
Na primeira rodada: Coenge 2 x 2 Manufatura e o Gaminha venceu o Meta.
Eis alguns outros resultados encontrados:

22.12.1968
Coenge 2 x 2 Civilsan
Gaminha 8 x 2 Manufatura

29.12.1968
Coenge 1 x 0 Meta
Gaminha 1 x 0 Setor Automobilístico
Brasília 1 x 0 Manufatura

05.01.1969
Coenge 2 x 1 Gaminha
Brasília 1 x 0 Setor Automobilístico
Civilsan 3 x 1 Meta

11.01.1969
Gaminha 2 x 2 Civilsan
Brasília 2 x 3 Coenge
Manufatura 1 x 1 Setor Automobilístico

18.01.1969
Coenge 3 x 3 Setor Automobilístico
Gaminha 4 x 2 Meta

Após esses resultados (e outros desconhecidos), três equipes terminaram empatadas na primeira colocação, com três pontos perdidos: Gaminha, Civilsan e Coenge.
Foi necessária a realização de um triangular final para se conhecer o campeão de 1968.

COENGE 2 x 1 CIVILSAN
Data: 25.01.1969
Renda: NCr$ 800,00
Gols: Tatá e Pelezinho para o Coenge e William para o Civilsan
O Coenge formou com Hugo, Mauro, Tarcísio, Xixico e Dirceu; Tatá e Divino; Pelezão, Noé (Ademar), Eraldo e Pelezinho (Márcio Minhoca).

A decisão do DA teve a seguinte ficha técnica:

COENGE 1 x 0 GAMINHA
Data: 01.02.1969
Árbitro: Wolney Rosa
Renda: NCr$ 646,00
Gol: Oscar, 34
Coenge: Hugo, Dirceu (Minhoca), Heraldo, Ferraz e Xixico (Duchinha); Mauro e Divino; Garrinchinha, Pelezinho, Tatá e Oscar.
Gaminha: Batista (Baiano), Perninha, Chita, Santos e Domingos; Zito (Zé Carlos) e Garrincha; Neto, Marão, Nenen e Reco.



terça-feira, 27 de novembro de 2018

VOCÊ SABIA QUE O PALMEIRAS NUNCA VENCEU O GAMA EM CAMPEONATO BRASILEIRO?


Você sabia que o Gama nunca perdeu para o Palmeiras em jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro?
Pois é, foram cinco confrontos, com duas vitórias do Gama e três empates.
A primeira vitória foi alcançada no dia 22 de agosto de 1999 e apresentou a seguinte ficha técnica:

PALMEIRAS 0 x 2 GAMA
Data: 22 de agosto de 1999
Local: Parque Antarctica, São Paulo (SP)
Árbitro: Reinaldo Ribas Vieira (RJ)
Renda: R$ 126.795,00
Público: 11.684 pagantes
Gols: Sorato, 61 e Romualdo, 90+1
PALMEIRAS: Marcos, Arce (Asprilla), César Sampaio (Zé Maria), Agnaldo e Junior; Galeano, Rogério, Alex e Zinho; Paulo Nunes e Oséas (Euller). Técnico: Luiz Felipe Scolari.
GAMA: Marcelo Cruz, Paulo Henrique, Gerson, Jairo e Rochinha; Deda, Caçapa, Lindomar (Kabila) e Alexandre Gaúcho (Beto); Romualdo e Sorato (Mazinho Loyola). Técnico: Jair Picerni.

Um ano depois, o Gama voltaria a vencer o Palmeiras pelo mesmo placar, desta vez no DF, em jogo que teve essa ficha técnica:

GAMA 2 x 0 PALMEIRAS
Data: 13 de setembro de 2000
Local: Mané Garrincha, Brasília (DF)
Árbitro: Álvaro Augusto de Azeredo Quelhas (RJ)
R$ 51.940,00
Público: 7.194 pagantes
Gols: Romualdo, 32 e 84
GAMA: Nilson, Paulo Henrique, Gerson (Nen), Jairo e Rochinha; Deda, Sérgio Soares, Lindomar e Romualdo; Juari (Marquinhos Piauí) e Silva (Abimael).Técnico: Mauro Fernandes.
PALMEIRAS : Sérgio, Arce, Gilmar, Agnaldo e Neném (Tiago Silva); Fernando, Magrão, Flávio e Lopes (Adriano); Juninho (Alberto) e Basílio. Técnico: Marco Aurélio.

Depois desses dois jogos, Gama e Palmeiras se enfrentaram mais três vezes e em todos elas aconteceu empate. Eis as súmulas desses jogos:

GAMA 1 x 1 PALMEIRAS
Data: 19 de setembro de 2001
Local: Mané Garrincha, Brasília (DF)
Árbitro: Léo Feldman (RJ)
Público: 7.407 pagantes
Expulsão: Nen, do Gama
Gols: Arce, 24 e Anderson, 47
GAMA: Ronaldo, Gerson, Jairo, Nen e Wilson Goiano; Jefferson, Lindomar, Piá (Beto) e Romualdo; Reinaldo (Robston) e Anderson (Jhonson). Técnico: Cláudio Duarte.
PALMEIRAS: Marcos, Arce, Alexandre, Leonardo e Misso; Galeano (Basílio), Fernando, Magrão e Lopes (Taddei); Tuta e Juninho (Thiago Gentil). Técnico: Celso Roth.

PALMEIRAS 2 x 2 GAMA
Data: 7 de setembro de 2002
Local: Parque Antarctica, São Paulo (SP)
Árbitro: Edilson Soares da Silva (RJ)
Público: 7.131 pagantes
Gols: Zinho, 5; Dodô, 20 e Dimba, 41 e 85
PALMEIRAS: Marcos, Arce, Alexandre, Thiago Matias, Rubens Cardoso, Paulo Assunção, Fabiano Eller, Leonardo Moura, Zinho, Dodô (Muñoz) e Nenê. Técnico: Levir Culpi.
GAMA: Pitarelli, Valdir (Marquinhos), Vinícius, Jairo, Rochinha, Deda, Nen, (Rafael), Jackson, Lindomar (Romualdo), Paulo Nunes e Dimba. Técnico: Hélio dos Anjos.

O último jogo do Gama contra o Palmeiras foi no dia 13 de setembro de 2003, válido pelo Campeonato Brasileiro da Série B (o ano de 2002 foi o último do Gama na Série A do Campeonato Brasileiro).

PALMEIRAS 2 x 2 GAMA
Data: 13 de setembro de 2003
Local: Parque Antarctica, São Paulo (SP)
Árbitro: Domingos de Jesus Viana Filho (PA)
Renda: R$ 76.212,00
Público: 7.869 pagantes
Gols: Diego Souza, 11; Emerson, 13; Edmilson, 15 e Adriano, 17
PALMEIRAS: Marcos, Baiano, Daniel, Leonardo e Lúcio (Marquinhos); Alceu, Corrêa, Magrão (Élson) e Diego Souza; Vágner Love e Edmilson (Muñoz). Técnico: Jair Picerni.
GAMA: Luciano Silva, Jefferson, Nen, Emerson e Rochinha; Daniel, Cléber, Leandro Leite (Fábio Costa) e Anderson; Adriano (Abimael) e Luciano Fonseca (Rodriguinho). Técnico: Estevam Soares.



domingo, 25 de novembro de 2018

HÁ 50 ANOS NO FUTEBOL BRASILIENSE: o Torneio "Carlos Simas"


Nos dias 24 e 27 de novembro de 1968, no Estádio de Brasília, foi realizado o Torneio “Ministro Carlos Simas” (*).
(*) Ministro das Comunicações do Governo Castelo Branco.

Participaram o Araguari, de Minas Gerais, o Botafogo, de Ribeirão Preto (SP), o Vitória, de Salvador (BA) e o anfitrião Defelê, de Brasília (DF).

O primeiro jogo (14 horas) foi entre o Defelê e o Botafogo, de Ribeirão Preto, e apresentou a seguinte ficha técnica:

DEFELÊ 0 x 4 BOTAFOGO-Ribeirão Preto
Local: Estádio da Federação Desportiva de Brasília
Árbitro: Eduíno Edmundo Lima
Gols: Ganzepe, 16 e 36; Vadão, 65 e Wilson, 83
Defelê: Zé Walter, Sir Peres, Farneze (Aderbal), J. Pereira e Lima; João Dutra, Alaor Capella e Sabarazinho; Augustinho (Jaime), Zezé e Manuelzinho. Técnico: Otaziano Ferreira da Silva.
Botafogo: Geninho, Galli, Calegari, Carlucci e Cubatão; Léo e Cunha; Edgard, Vadão, Ganzepe (Wilson) e Quartin (Alfredo).
Obs: Manoelzinho desperdiçou um pênalti.

No jogo principal (às 16 horas), Araguari e Vitória-BA se enfrentaram e esses foram os dados técnicos:

ARAGUARI 2 x 1 VITÓRIA-BA
Local: Estádio da Federação Desportiva de Brasília
Renda: NCr$ 11.130,00
Árbitro: Almir Alves do Nascimento
Gols: Rogério, 4; Natal, 54 e Zezinho
Araguari: Valtinho, Paulinho, Ganso, Rogério e Edmir; Lúcio e Natal; Marco (Sabonete), Mário (Fausto), Reinaldo e Domingão (Jackson).
Vitória: Detinho, Aguiar, Romero (Wesley), Samuel e Mundinho; Edmundo e Canhoto; Orlandinho, Cléber (Maurício), Zezinho e Geraldo (Olívio).

A decisão do 3º lugar ocorreu em 27 de novembro de 1968. Aconteceu empate em 0 x 0 entre Defelê e Vitória-BA.

DEFELÊ 0 x 0 VITÓRIA-BA
Local: Estádio da Federação Desportiva de Brasília
Juiz: Geraldo Delfino
Defelê: Zé Walter; Sir Peres, Farneze, J. Pereira e Lima; João Dutra, Alaor Capella e Sabarazinho; Manuelzinho, Invasão e Jaime.
Vitória: Detinho, Aguiar, Romenil, Samuel e Mundinho; Edmundo e Canhoto; Orlandinho, Cléber (Scarpini), Zezinho e Geraldo (Olívio).

O Botafogo, de Ribeirão Preto, sagrou-se campeão do Torneio Ministro Carlos Simas ao derrotar o Araguari, por 2 x 1.

BOTAFOGO-Ribeirão Preto 2 x 1 ARAGUARI
Local: Estádio da Federação Desportiva de Brasília
Árbitro: Amphilóphio Pereira da Silva
Renda: NCr$ 4.200,00
Expulsão: Rogério, do Araguari
Gols: Edgard e Galli para o Botafogo e Reinaldo para o Araguari, todos no tempo
Botafogo: Geninho, Galli, Calegari, Carlucci e Cubatão (Mineiro); Léo e Cunha; Edgard, Vadão (Wilson), Ganzepe e Quartin.
Araguari: Valtinho, Paulinho, Ganso, Rogério e Edmir; Lúcio e Natal; Marcos, Mário, Reinaldo e Domingos.

Nota: os destaques no Botafogo-RP eram o goleiro Geninho (hoje treinador) e o zagueiro Galli (também treinador).



sexta-feira, 23 de novembro de 2018

CURRÍCULO DO TIRADENTES


CURRÍCULO, do latim “currere”, significa caminho, jornada, trajetória... Aqui trataremos da trajetória dos clubes de futebol do DF. O nosso currículo será um documento que conterá os dados biográficos de cada clube e as suas realizações no futebol brasiliense e brasileiro, quando for o caso.
Desta vez, estamos apresentando o “curriculum vitae” do Grêmio Esportivo Tiradentes.

NOME COMPLETO: Grêmio Esportivo Tiradentes
LOCAL E DATA DE NASCIMENTO: o Tiradentes nasceu do embrião de um time de futebol formado por oficiais da Polícia Militar do Distrito Federal, moradores da Vila Militar, situada na área dentro do Quartel do 2º Batalhão da PMDF, em Taguatinga, em meados de 1973.
CORES OFICIAIS: Vermelha e Preta.

TRAJETÓRIA NO CAMPEONATO BRASILIENSE DA PRIMEIRA DIVISÃO
 

ANO

CF

J

V

E

D

GF

GC

SG

PG

1980

24

5

2

17

22

50

-28

12

1981

15

4

4

7

10

16

-6

12

1982

27

12

9

6

34

15

19

33

1983

49

18

15

16

49

43

6

51

1984

30

10

8

12

26

28

-2

28

1985

21

4

6

11

19

32

-13

14

1986

16

5

7

4

20

21

-1

17

1987

21

7

4

10

26

30

-4

18

1988

30

13

11

6

44

27

17

37

1989

23

11

9

3

28

14

14

44

1990

16

5

6

5

14

11

3

16

1991

28

3

12

13

22

33

-11

18

1992

30

13

10

7

46

32

14

36

1993

37

11

19

7

44

31

13

41

1994

18

6

5

7

18

18

0

17

1995

20

7

4

9

15

25

-10

26

1996

10º

13

2

6

5

14

17

-3

16

 

TRAJETÓRIA NO CAMPEONATO BRASILIENSE DA SEGUNDA DIVISÃO

 

ANO

CF

J

V

E

D

GF

GC

SG

PG

2001

16

7

1

8

23

27

-4

22

2002

13

6

4

3

22

16

6

22

2011

14

7

3

4

23

16

7

24

2013

9

2

4

3

15

9

6

10

 

TRAJETÓRIA DO TIRADENTES NO CAMPEONATO BRASILEIRO

 

ANO

CF

J

V

E

D

GF

GC

SG

PG

1988 - Série C

14

9 (*)

0

5 (**)

24

16

8

32

(*) sendo duas nos pênaltis; (**) sendo uma nos pênaltis.

 

ANO

CF

J

V

E

D

GF

GC

SG

PG

1994 - Série B

24º

10

2

1

7

6

20

-14

5

 

TRAJETÓRIA DO TIRADENTES NA COPA DO BRASIL

 

ANO

CF

J

V

E

D

GF

GC

SG

PG

1989

4

2

1

1

2

5

-3

5