sábado, 15 de junho de 2013

A SELEÇÃO BRASILEIRA NO DF


A Seleção Brasileira já se apresentou no Distrito Federal em dez oportunidades.
Foram nove amistosos e apenas um jogo válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2006.
Venceu oito, empatou um e perdeu um.
Marcou 31 gols e sofreu quatro.
Destes jogos, oito foram realizados no Estádio Mané Garrincha, um no Serejão e um no Bezerrão.
O primeiro jogo aconteceu no dia 21 de abril de 1974, quando a cidade de Brasília completava 14 anos de vida e o estádio ainda não tinha o nome de Mané Garrincha. Naquela ocasião, no Estádio Hélio Prates da Silveira, o Silveirão (que faz parte do Centro Desportivo Presidente Médici), o Brasil venceu o Haiti por 4 x 0, com gols de Paulo César Lima, Rivelino, Marinho Chagas e Edu.
O árbitro do jogo foi Miguel Angel Comensaña, da Argentina.
O Brasil formou com Leão (do Palmeiras), Zé Maria (Corinthians), Luís Pereira (Palmeiras), Piazza (Cruzeiro) e Marinho Chagas (Botafogo); Clodoaldo (Santos), Paulo César Carpegiani (Internacional) e Rivelino (Corinthians); Jairzinho (Botafogo), César (Palmeiras) (Leivinha - Palmeiras) e Paulo César Lima (Flamengo) (Edu - Santos).
Técnico: Zagalo.
O Haiti jogou com Francillon, Bayonne, Joseph, Racine (Leandre) e Auguste; Vorbe, Desir e Antoine; Guy St. Vil (Barthelemy), Sanon e Roger St. Vil.
Técnico: Antoine Tassy.
No segundo jogo, no dia 21 de fevereiro de 1976, a Seleção Brasileira enfrentou um selecionado formado por jogadores de clubes brasilienses e venceu apertado, por 1 x 0, gol de Flecha, aos 36 minutos do 1º tempo. O maior destaque na imprensa local foi a grande atuação do ponteiro Junior Brasília, que levou nítida vantagem sobre o lateral Marinho Chagas.
Armando Marques foi o árbitro do jogo e a renda de Cr$ 305.780,00.
As seleções formaram assim: BRASIL: Valdir Peres (São Paulo), Nelinho (Cruzeiro) - (Getúlio –Atlético Mineiro), Miguel (Fluminense), Amaral (Guarani) e Marinho Chagas (Botafogo); Chicão (São Paulo), Geraldo (Flamengo) e Rivelino (Fluminense); Flecha (Guarani) - (Edu - Palmeiras), Palhinha (Cruzeiro) – (Falcão - Internacional) e Lula (Internacional). Técnico: Osvaldo Brandão.
SELEÇÃO DE BRASÍLIA: Nêgo (Grêmio), Tereso (Brasília), Luís Carlos (Grêmio), Fabinho (Grêmio) e Nenê (Ceub); Alencar (Ceub), Marquinhos (Grêmio) e Xisté (Ceub); Junior Brasília (Ceub), Léo (Grêmio) e Nei (Brasília) (Humberto - Brasília). Técnico: Cláudio Galbo Garcia.
Curiosidade: Na preliminar, o primeiro jogo da história do Gama: Gama 2 x 0 Humaitá, válido pelo Torneio Imprensa.
O terceiro jogo da Seleção Brasileira por gramados brasilienses foi contra outra seleção regional, desta vez a de Minas Gerais, no dia 1º de maio de 1980. A partida foi disputada no Estádio Elmo Serejo Farias, o Serejão, em Taguatinga.
A seleção brasileira não teve dificuldades para marcar 4 x 0 sobre o selecionado mineiro, com dois gols de Renato, um de Serginho e outro de Sócrates.
O árbitro foi José Mário Vinhas, de Brasília.
Jogaram pela Seleção Brasileira: Carlos (Ponte Preta) – (Raul Plassmann - Flamengo), Nelinho (Cruzeiro), Amaral (Corinthians) - (Rondinelli - Flamengo), Luisinho (Atlético Mineiro) e Junior (Flamengo) - (Pedrinho - Palmeiras); Toninho Cerezo (Atlético Mineiro), Renato (São Paulo) - (Andrade - Flamengo) e Sócrates (Corinthians); Paulo Isidoro (Grêmio), Serginho (São Paulo) e Zé Sérgio (São Paulo) - (João Paulo - Santos). Técnico: Telê Santana.
A Seleção Mineira formou com João Leite (Luís Antônio), Orlando, Osmar, Zezinho Figueroa e Jorge Valença; Chicão (Nélio), Alexandre e Palhinha (Pedrinho); Eduardo, Roberto César (Fernando Roberto) e Éder (Donizetti). Técnico: Martim Francisco.
Em sua quarta apresentação no Distrito Federal, no dia 28 de abril de 1985, a Seleção Brasileira conheceu sua primeira e única derrota. Caiu diante da Seleção do Peru, por 1 x 0, gol marcado por Julio César Uribe, aos 17 minutos do 2º tempo.
O estádio de Brasília já se chamava Mané Garrincha e comportou 50.940 pagantes.
Jesús Díaz Palácios, da Colômbia, foi o árbitro e as seleções formaram assim: BRASIL - Paulo Vítor (Fluminense), Luís Carlos Winck (Internacional), Oscar (São Paulo), Mozer (Flamengo) e Branco (Fluminense); Dema (Santos), Alemão (Botafogo) e Casagrande (Corinthians) (Jorginho - Palmeiras); Bebeto (Flamengo), Careca (São Paulo) e Éder (Atlético Mineiro) (Mário Sérgio - Palmeiras). Técnico: Evaristo de Macedo. PERU - Acasuso, Rojas, Requeña, Díaz  e Gastulo; Velásquez, Cueto e Chirinos; La Rosa, Navarro e Oblitas (Uribe). Técnico: Marcos Moisés Barack.
A primeira seleção europeia a enfrentar a seleção brasileira, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, foi a da Finlândia, no dia 17 de abril de 1986. Com gols no 2º tempo marcados por Marinho, aos 13, Oscar, aos 40 e Casagrande aos 44, o Brasil venceu por 3 x 0.
O público foi de 44.597 pagantes e o árbitro do jogo José de Assis Aragão.
O Brasil jogou com Carlos (Corinthians), (Paulo Vítor - Fluminense), Leandro (Flamengo), Oscar (São Paulo), Mozer (Flamengo) e Branco (Fluminense); Elzo (Atlético Mineiro), Sócrates (Flamengo) (Silas - São Paulo) e Müller (São Paulo) (Casagrande - Corinthians); Marinho (Bangu), Careca (São Paulo) e Edivaldo (Atlético Mineiro). Técnico: Telê Santana.
A Finlândia perdeu com Korhonen, Lahtinen, Hännikäinen, Ikalainen e Granskog; Pekonen, Rautianen e Turunen (Valveen); Ukkonen, Rantanen e Hjelm. Técnico: Martti Kuusela.
A primeira seleção de nível 1 do futebol mundial a se apresentar no Estádio Mané Garrincha contra a seleção brasileira foi a da Alemanha Ocidental, em 12 de dezembro de  1987.
O jogo terminou empatado em 1 x 1. O Brasil marcou primeiro, através do zagueiro Batista, aos 22 minutos do 2º tempo. Quando a vitória brasileira parecia certa, Reuter empatou aos 44 da segunda etapa.
Defenderam as cores brasileiras Gilmar (São Paulo), Zé Teodoro (São Paulo), Batista (Atlético Mineiro), Luisinho (Atlético Mineiro) e Nelsinho (São Paulo) (Eduardo - Fluminense); Douglas (Cruzeiro), Raí (Botafogo-SP) (Washington - Fluminense) e Pita (São Paulo) (Uidemar - Goiás); Müller (São Paulo) (Sérgio Araújo – (Atlético Mineiro), Renato (Atlético Mineiro) e Valdo (Grêmio). Técnico: Carlos Alberto Silva. A Alemanha Ocidental atuou com Immel, Reuter, Buchwald, Kohler e Brehme (Hochstätter); Herget, Schwabl (Ordenewitz), Matthäus e Frontzeck (Franco Foda); Klinsmann e Thon. Técnico: Franz Beckenbauer.
Elias Jácome, do Equador, foi o árbitro do jogo.
Quase dez anos depois desse jogo, o Estádio Mané Garrincha voltou a ser palco de uma apresentação da seleção brasileira.
No dia 2 de abril de 1997, com grande atuação da dupla Ronaldo/Romário, o Brasil venceu o Chile por 4 x 0. Os gols foram marcados nesta ordem: Ronaldo, 9 e Romário, 39 do 1º tempo; Ronaldo, 13 e Romário, 17 do 2º.
O árbitro foi o brasileiro Carlos Eugênio Simon e as equipes formaram assim: BRASIL - Taffarel (Atlético Mineiro), Cafu (Palmeiras) (César Prates - Real Madrid), Aldair (Roma), Gonçalves (Botafogo) e Roberto Carlos (Real Madrid) (Zé Roberto - Real Madrid); Mauro Silva (La Coruña), Leandro Ávila (Palmeiras), Juninho Paulista (Middlesbrough) e Denilson (São Paulo); Ronaldo (Barcelona) (Jardel - Porto) e Romário (Flamengo) (Donizete - Corinthians). Técnico: Zagalo.
CHILE: Tapia, Mendoza, Fuentes, Reyes e Margas (Muñoz); Castañeda (Valencia), Musrri, Marcelo Salas e Sierra; Basay (Goldberg) e Nuñez (Pedro Gonzalez). Técnico: Nelson Acosta.
Ainda no ano de 1997, o Brasil voltou a atuar no Estádio Mané Garrincha, desta vez para enfrentar a seleção do País de Gales, no dia 11 de novembro.
Não teve dificuldades para vencer a seleção galesa por 3 x 0, com gols de Zinho e Rivaldo, aos 32 e 37 minutos do 1º tempo, respectivamente, e Rodrigo Fabbri, aos 9 do 2º.
Javier Castrilli, da Argentina, foi o árbitro do jogo.
A seleção brasileira atuou com Taffarel (Atlético Mineiro), Cafu (Roma) (Zé Maria - Parma), Aldair (Roma), André Cruz (Milan) (Junior Baiano - Flamengo) e Zé Roberto (Real Madrid); Doriva (Atlético Mineiro), Flávio Conceição (La Coruña) (Émerson - Bayer Leverkusen), Rivaldo (Barcelona) e Zinho (Palmeiras); Müller (Santos) e  Dodô (São Paulo) (Rodrigo Fabri – Portuguesa de Desportos). Técnico: Zagalo.
O País de Gales foi derrotado com Jones (Marriot), Jenkins (Andrew Williams), Coleman, Ready e Page; Robinson, Pembridge (Trollope), Speed e Oster; Saunders, Horworth (Adrian Williams). Técnico: Bobby Gould.
O primeiro jogo válido por uma competição oficial a ser disputado pela Seleção Brasileira no Estádio Mané Garrincha aconteceu em 4 de setembro de 2005. Foi válido pelas eliminatórias para a Copa do Mundo do ano seguinte e o Brasil não deu a menor chance ao seu adversário, o Chile, goleado por 5 x 0. O primeiro tempo terminou com o placar de 4 x 0, com gols de Juan (11), Robinho (20) e Adriano (26 e 29). Nos acréscimos do 2º tempo, Adriano definiu o placar em 5 x 0.
O paraguaio Carlos Amarilla foi o árbitro do jogo e as seleções estiveram assim formadas: BRASIL - Dida (Milan), Cafu (Milan), Lúcio (Bayern Munich), Juan (Bayer Leverkusen) e Roberto Carlos (Real Madrid) (Juninho Pernambucano - Lyon); Émerson (Juventus, da Itália) (Gilberto Silva - Arsenal), Kaká (Milan) e Zé Roberto (Bayern Munich); Robinho (Real Madrid), Ronaldo (Real Madrid) (Ricardinho - Santos) e Adriano (Internazionale). Técnico: Carlos Alberto Parreira. CHILE: Tapia, Fuentes, Rojas, Contreras (Acuña) e Alvarez; Meléndez, Maldonado, Tello (Pérez) e Pizarro; Pinilla (Jimenez) e Rubio. Técnico: Nelson Acosta.
A última vez que a seleção brasileira se apresentou em gramados do Distrito Federal foi em 11 de novembro de 2008. Naquele dia, o estádio Bezerrão, no Gama, estava sendo reinaugurado. E, para completar a festa, o Brasil aplicou uma goleada em Portugal: 6 x 2. Luís Fabiano, três vezes, Maicon, Elano e Adriano marcaram os gols da seleção brasileira. Danny e Simão Sabrosa assinalaram os gols de Portugal.
Jorge Larrionda, do Uruguai, foi o árbitro do jogo e as equipes estiveram assim formadas: BRASIL - Júlio César (Internazionale), Maicon (Internazionale) (Daniel Alves - Barcelona), Luisão (Benfica), Thiago Silva (Fluminense) e Kléber (Santos) (Marcelo - Real Madrid); Gilberto Silva (Panathinaikos), Anderson (Manchester United) (Josué - Wolfsburg), Elano (Manchester City) (Mancini - Internazionale) e Kaká (Milan); Luís Fabiano (Sevilla) (Adriano - Internazionale) e Robinho (Manchester City) (Alex - Internacional). Técnico: Dunga.
PORTUGAL: Quim, Bosingwa, Bruno Alves, Pepe e Paulo Ferreira; Maniche (César Peixoto), Tiago (Raul Meireles), Deco (João Moutinho) e Danny (Nani); Simão Sabrosa (Hugo Almeida) e Cristiano Ronaldo. Técnico: Carlos Queiroz.
Dos jogadores brasileiros que atuaram neste jogo, apenas quatro estarão em campo logo mais no novo Mané Garrincha, na abertura da Copa das Confederações diante do Japão: Júlio César, Daniel Alves, Thiago Silva e Marcelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário