quarta-feira, 30 de setembro de 2015

POR ONDE ANDA JUSSIÊ?


O blog acaba de contratar o investigador particular “Faro Fino” com a finalidade de identificar o paradeiro de jogadores, treinadores e dirigentes que já passaram pelo futebol brasiliense, em todos os tempos.

E como funcionará essa nova seção? 
A primeira parte da “investigação” será fornecida pelo blog, que colocará na postagem todas as informações que possui sobre o “investigado”.
Depois das dicas que o blog fornecer, será a vez do trabalho de investigação do Faro Fino, que não será outro senão a colaboração dos amigos e parentes do investigado, que acrescentarão novidades nos comentários ou mesmo encaminhando uma mensagem via e-mail (jrca1957@gmail.com).
Com base nessas colaborações, Faro Fino apresentará seu relatório final!
Tentaremos realizar “investigações” semanais e contamos com a colaboração de todos os nossos leitores.
Estamos iniciando essa nova seção com o jogador JUSSIÊ!

JUSSIÊ

Jussiê No Seara, o Jussiê, nasceu em Barreiras (BA), em 10 de agosto de 1963.
Começou nas categorias de base do Brasília Esporte Clube, sagrando-se bicampeão brasiliense de juniores nos anos de 1980 e 1981.
No final do ano de 1980, foi convocado pela primeira vez para a seleção brasiliense de juniores, que disputou o III Campeonato Brasileiro de Seleções, em Goiânia (GO).
Novamente em dezembro de 1981 foi um dos jogadores convocados pelo técnico Ercy Rosa para defender a Seleção de juniores do Distrito Federal no IV Campeonato Brasileiro da categoria. Pelo segundo ano consecutivo, o DF não se classificou para a fase seguinte.
Também em 1981 disputou um bom campeonato brasiliense de profissionais pelo Brasília Esporte Clube, que levou o Jornal de Brasília a colocá-lo na seleção do ano, elegendo-o como o melhor ponteiro direito da competição.
As boas atuações de Jussiê o levaram a ser convocado para a Seleção Brasileira Sub-18 que, em janeiro de 1982, em Moscou, disputou o Torneio Valentin A. Granatkin (ex-vice-presidente da FIFA). A seleção brasileira ficou com o vice-campeonato, atrás apenas da Seleção A da União Soviética (as demais seleções foram Alemanha Ocidental, Bulgária, Itália e a Seleção B da União Soviética). Jornalistas de vários países se mostraram impressionados, principalmente com Giovani, o maior destaque dessa seleção, e com Jussiê, devido aos seus dribles.
Antes do término do torneio, ainda em janeiro de 1982, o Vasco da Gama contratou Jussiê.
Depois do torneio em Moscou, Jussiê se apresentou ao técnico Antônio Lopes, que o convocou para juntar-se logo ao grupo de profissionais, apesar de ter idade de juvenil.
Mas Jussiê enfrentava um problema físico muito sério, que só foi sanado com uma operação um tanto ou quanto difícil, feita pelo médico Clóvis Munhoz, e que consistiu em colocar a rótula no lugar que lhe cabe no joelho. Antes, Jussiê não suportava jogar durante muito tempo e por isso não foi convocado para defender a seleção de juniores que disputou o Sul-Americano da categoria no Uruguai, um ano antes.
Recuperado da cirurgia no joelho, Jussiê pôde fazer sua estreia no time titular do Vasco da Gama em 9 de fevereiro de 1983, no Torneio Internacional Feira do Sol, contra o Estudiantes, de Mérida (Venezuela), com vitória do clube brasileiro pelo placar de 3 x 0.
Jussiê passou a ser titular da posição pelo que apresentou nos jogos na Venezuela, barrando Pedrinho Gaúcho, cotado para ocupar a posição.
O primeiro gol de Jussiê pelo Vasco da Gama só viria a acontecer em 19 de maio de 1983, no amistoso contra o Grêmio, em Porto Alegre (RS), na vitória de 2 x 1.
Jussiê defendeu o Vasco da Gama por dois anos, disputando 47 jogos (20 em 1983 e 27 em 1984) e marcando seis gols.
Em 1984, foi para o Internacional, de Porto Alegre, logo após o clube gaúcho representar a Seleção Brasileira na Olimpíada de Los Angeles (EUA). Depois de fazer apenas um treino, Jussiê foi escalado para o Gre-Nal que decidiu o primeiro turno do Gauchão e marcou um dos gols que definiu o placar de 2 x 0 para o Internacional, no dia 23 de setembro de 1984. Ao final do campeonato, após 12 jogos e três gols marcados, pôde comemorar o título de campeão gaúcho desse ano.
Seu último jogo com a camisa do Internacional aconteceu em 14 de maio de 1986, no Estádio Beira Rio, na vitória de 2 x 0 sobre o Pelotas.
Transferiu-se para o Santo André, de São Paulo, clube que defendeu no campeonato paulista de 1986, estreando no dia 6 de julho de 1986, no empate de 0 x 0 com o São Bento. Suas boas atuações chamaram a atenção do Santos, que o contratou, por empréstimo, como reforço para o Campeonato Brasileiro do mesmo ano. Estreou no Santos em 14 de setembro, em Salvador (BA), na derrota de 3 x 0 para o Bahia, entrando no segundo tempo. O primeiro gol veio em 25 de setembro, na vitória de 3 x 0 sobre o Operário, de Várzea Grande (MT).
Na Vila Belmiro, Jussiê não viveu um bom momento, não conseguindo firmar-se como titular, deixando o clube ao final do campeonato brasileiro de 1986. 
Retornou ao Santo André, por onde disputou poucos jogos pelo Campeonato Paulista de 1987.
No dia 4 de fevereiro de 1988 fez sua estreia no Criciúma, de Santa Catarina, na vitória de 2 x 0 sobre a Chapecoense, marcando um gol. Seu último jogo no clube catarinense foi em 17 de julho de 1988, também com vitória de 2 x 0 sobre o Marcílio Dias. Foram 30 jogos pelo Criciúma, quando marcou quatro gols.
Logo depois foi para Portugal, onde defenderia o Clube de Futebol União da Madeira, que disputava a Segunda Divisão de Portugal. 
No dia 15 de maio de 1989, Jussiê entrou para a história desse clube português, ao ajudá-lo a subir pela primeira vez para a Primeira Divisão.
Na temporada 1990/1991, atuou pelo Varzim Sport Club, da Segunda Divisão portuguesa, onde disputou 32 jogos e marcou oito gols.
O último clube que defendeu foi o Futebol Clube Paços de Ferreira, também de Portugal, onde disputou duas temporadas: 1991/1992 e 1992/1993. Foram 62 jogos no total, marcando 17 gols.
Encerrou a carreira aos 30 anos de idade, em 1993.




Nosso investigador particular encontrou algumas fotos de Jussiê circulando pela internet, as quais estão sendo divulgadas com o objetivo de facilitar uma possível identificação!!!


União da Madeira

Paços de Ferreira

Paços de Ferreira

Figurinha do Campeonato Português

Paços de Ferreira

Jogador de futebol de botão


14 comentários:

  1. O Jussiê foi meu visinho kkkkk Em Porto Alegre - RS.... Agora ele se mudou para Brasília parece..

    Abss

    ResponderExcluir
  2. O Jussiê foi meu visinho kkkkk Em Porto Alegre - RS.... Agora ele se mudou para Brasília parece..

    Abss

    ResponderExcluir
  3. Jussiê é evangelizador das Testemunhas de Jeová. Atualmente é Superintendete de Circuito e viaja com a esposa por diversos estados brasileiros coordenando e orientando congregações locais unificando a linguagem teocrática da doutrina.

    ResponderExcluir
  4. Jussie foi meu colega de escola na quinta série em Taguatinga DF, em 1973.
    O garoto era uma fera no futebol, sabia que seria um craque.
    Gustavo Afonso Ferreira.

    ResponderExcluir
  5. Jogava muito....o Vasco contratou ele, o Geovani daqui de Vitoria, Mauricinho e também o Santos, que também era de Brasilia

    ResponderExcluir
  6. Amizade de família quando jogava no Vasco. Saudade! Muuitos anos sem vê-lo!

    ResponderExcluir
  7. Uberaba S.C. - 1987
    Em pé : Beto Fuscão,Zé Maria,Edson,Marcinho,Tim e Odair;Agachados:Jussiê Nô Seara,Givaldo,Paulinho Kiss,Celso Sá e Cabrinha

    https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/10686921_373288682826485_6241023902580238143_n.jpg?oh=56c944f8ab3152f7927af037eb183504&oe=5A3D67C1

    ResponderExcluir
  8. Meu nome se deu por causa dele no Inter, a minha mae tinha um album de figurinha do meu irmao e colocou-me o nome. Era baita ponteiro!

    ResponderExcluir
  9. Estudei com Jussiê em 1979, terceiro ano do segundo grau, escola CTN, na cidade-satélite de Taguatinga/DF. Nas peladas ele já mostrava q tinha potencial. Além de boa praça ...

    ResponderExcluir
  10. Meu nome foi escolhido pelo meu pai torcedor fanático pelo inter-rs.Jussie nasceu no mesmo dia e ano do meu pai.

    ResponderExcluir
  11. Jogava muito um ótimo ponteiro direito agora seguindo a verdade bíblica se multiplicará com a bençaos de Deus Jeová

    ResponderExcluir
  12. Hoje é Testemunha de Jeová. Motivo por ter deixado o futebol tão cedo.

    ResponderExcluir
  13. Hoje é Testemunha de Jeová. Motivo por ter deixado o futebol tão cedo.

    ResponderExcluir
  14. O Jussie é Testemunha de Jeova. Tive a honra de evangelizar na pregação em prol do Reino de Deus ao seu lado em Porto Alegre.

    ResponderExcluir