terça-feira, 24 de abril de 2018

OS GOLEIROS DO FUTEBOL BRASILIENSE: Zé Walter


NOME COMPLETO: José Walter Girão de Melo
APELIDO: Zé Walter
LOCAL E DATA DE NASCIMENTO: Fortaleza (CE), 24 de abril de 1946.
POSIÇÃO EM CAMPO: Goleiro. Obs.: considerado um dos melhores goleiros do futebol brasiliense.

1962
Começou nos juvenis do Defelê.

1963
Antes de completar 17 anos, ingressou na equipe de juvenis da Associação Esportiva Cruzeiro do Sul. No mesmo ano, foi inscrito e relacionado para compor o banco de reservas da equipe principal. Nessa condição, fez parte da equipe que venceu o Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão de 1963.

1964
Transferiu-se para o Defelê, passando a defender, primeiramente, o arco da equipe de juvenis. Depois, Zé Walter atuou como titular da equipe nos oito jogos disputados pela primeira competição de profissionais em Brasília, ficando com o vice-campeonato.
Sua estreia aconteceu no dia 6 de outubro de 1964, no estádio Ciro Machado do Espírito Santo, na vitória do Defelê sobre o Colombo, por 3 x 1. Detalhe: Zé Walter defendeu um pênalti. No dia 19 de outubro, na vitória de 2 x 0 sobre o 1º de Maio, novamente Zé Walter não sofreu gol de mais uma penalidade máxima marcada contra o Defelê.
Nas férias de 1964, passadas no Rio de Janeiro, Zé Walter aproveitou para treinar no Vasco da Gama e passou a ser um problema para a diretoria do Defelê, pois passou a fazer parte dos atletas que poderiam ser contratados pelo clube carioca, tendo em vista que se constituiu numa das grandes figuras em ação no período em que esteve treinando no Rio de Janeiro.

1965
Sua última partida pelo Defelê aconteceu em 20 de junho de 1965, num amistoso contra o Guará, no estádio Ciro Machado do Espírito Santo, com vitória do Defelê, por 1 x 0. Formou o Defelê com: Zé Walter, Zé Paulo, Agnaldo (Alonso Capella), Bosco e Wilson; Reinaldo e Elmano; Manoelzinho, Ely, Alaor Capella e Vitinho (Sabará). Técnico: Carlos Magno. Zé Walter foi apontado como uma das grandes figuras da partida, com defesas impressionantes, principalmente na etapa complementar, quando defendeu um pênalti cobrado por Heitor e num lance em cobertura na pequena área de Niltinho.
Transferiu-se para o Rabello, onde disputou seis jogos e tornou-se campeão brasiliense profissional de 1965.
Sua estreia aconteceu num amistoso realizado no dia 22 de julho de 1965, em Goiânia, com empate de 0 x 0 entre Rabello e Goiânia. O Rabello formou com Zé Walter, Délio, Gegê, Bimba e Ivan; Zé Maria e Beto Pretti; Sabará, Djalma, Clarindo (Invasão) e Zezé.
Nesse ano foi por duas vezes convocado para a Seleção de Brasília. A primeira vez, ainda como atleta do Defelê, para o amistoso diante do Luziânia (vitória de 3 x 1), no dia 13 de abril de 1965, substituindo Gaguinho no segundo tempo, e a segunda para o jogo que serviu de inauguração do Estádio de Brasília, que mais tarde passaria a ser chamado de Pelezão. Nesse dia, a Seleção de Brasília foi derrotada pelo Siderúrgica, de Minas Gerais, por 3 x 1, tendo Zé Walter atuado como titular.

1966
Bicampeão brasiliense de profissionais pelo Rabello. Foi o goleiro menos vazado da competição, sofrendo 12 gols em onze jogos. Disputou a Taça Brasil e novamente foi convocado duas vezes para defender a seleção brasiliense, nos amistosos contra a Seleção de São Paulo (11 de maio) e Seleção de Goiás (23 de novembro).

1967
Disputou o campeonato brasiliense pelo Guará. Seu primeiro jogo no novo clube aconteceu em 20 de julho de 1967, no Estádio de Brasília, com derrota de 2 x 1 para o Colombo. A formação do Guará foi a seguinte: Zé Walter, Rodolfo, Noel, Eduardo e Luiz Carlos; Axel e Heitor; Guairacá, Zeca, Maurício e Walmir.
Foi por mais duas vezes convocado para defender a seleção do DF, contra o Santos (25 de maio) e Racing, do Uruguai (16 de julho), nesta não participando do jogo.

1968
Na preliminar de Vasco da Gama 0 x 0 América, Rabello e Defelê disputaram um amistoso no dia 15 de fevereiro de 1968. Foi o retorno de Zé Walter ao Defelê, que formou com Zé Walter, Luiz, Lima, Negrito e J. Pereira; Quincas e Alaor Capella; Guairacá, Walmir, Djalma (Solon) e Gedeon (Arnaldo). 
Depois de vencer o Torneio Início, venceu o Campeonato Brasiliense de profissionais, tendo disputado todos os jogos como titular da equipe.
Também nesse ano, foram cinco convocações para a Seleção do DF, a primeira em 28 de julho e a última em 20 de outubro.

1969 
Em 9 de novembro de 1969, num torneio para comemorar o 13º aniversário do Núcleo Bandeirante, Zé Walter estreou no gol da A. A. Serviço Gráfico. A formação da equipe foi Zé Walter, Ximenes, Garibaldi, César e Maninho; Dazinho (Julinho) e Tião; Carlos Gomes, Cid, Paulinho I e Zezão (Paulinho II).

1970
Depois de rápidas passagens por S. E. Serveng-Civilsan e CSU, Zé Walter voltou à A. A. Serviço Gráfico, por onde disputou doze jogos válidos pelo campeonato brasiliense. Antes, em preparativos para a formação da equipe que representaria o Distrito Federal nos XXI Jogos Universitários que seriam realizados em Brasília, defendeu o gol do Centro de Ensino Universitário de Brasília – CEUB (onde estudava) em vários amistosos. A equipe principal do CEUB era formada por Zé Walter, Sérgio, Lúcio, César e Odilon; Carlinhos e Garrido; Hilário, Adilson, Walmir e Renato.
Por duas vezes foi convocado para defender a Seleção do DF, em 7 e 14 de março.
No final do ano de 1970, transferiu-se de vez para o Ceub Esporte Clube.

1971
O quadro do CEUB continuava em franca atividade, pensando unicamente em manter o bom preparo físico e técnico de sua equipe. Nos amistosos que o CEUB pretendia fazer a partir de 30 de maio, o técnico Otaziano já poderia contar com o arqueiro Zé Walter, que não pôde atuar no Torneio “Candango” devido a problemas de transferência.
No amistoso realizado na manhã do dia 30 de maio, no Pelezão, Zé Walter fez sua estreia definitiva no gol do Ceub, na vitória de 5 x 1 sobre o Serviço Gráfico, atuando com a seguinte formação: Zé Walter, Aderbal, Lúcio, Afonso e Lima; Darse (Renato) e Carlinhos; Wilfrido (Landulfo), Adilson, Marcos e Paulo César.
Também em 1971, Zé Walter foi o goleiro titular da seleção da FAUNB, que estava treinando para os XXII Jogos Universitários Brasileiros, que seria realizado em Porto Alegre (RS), no período de 16 a 27 de julho de 1971 (a maioria dos jogadores dessa seleção pertencia ao Ceub).

1972
Foi vice-campeão brasiliense de 1972 pelo Ceub. A partir de 31 de agosto de 1972, Zé Walter passou a atuar como treinador da equipe amadora do Ceub, ao lado de Morales. Nessa função, trabalhou em quatro jogos.
No dia 4 de junho de 1972, no Pelezão, Zé Walter foi o goleiro do Ceub no empate em 0 x 0 com o Cruzeiro, de Belo Horizonte (MG), amistoso que ficou marcado pela presença de Mané Garrincha na ponta-direita do Ceub. Também teve atuações de destaque nos amistosos contra o Flamengo, do Rio de Janeiro (1 x 1), Estudiantes, da Argentina (3 x 1) e Rio Branco-ES (1 x 0).

1973
Seu último jogo pelo Ceub aconteceu no dia 24 de fevereiro de 1973, no amistoso que terminou empatado em 1 x 1 com o Fluminense, do Rio de Janeiro. Nesse dia, o Ceub formou com Zé Walter, Mauro Cruz, Cláudio Oliveira, Emerson e Murilo; Enísio e Renê; Julinho, Marco Antônio, Cláudio Garcia e Dinarte.
Depois que, cedo ainda, largou o futebol, e passando a adotar seu nome completo, tornou-se Gerente Geral de Promoções das organizações do “rei da noite” Ricardo Amaral, as principais delas as boates Hippopotamus e Papagaio. Também foi sócio-proprietário do bar Vaticano, juntamente com o ex-colunista Daniel Más, ex-editor de Vogue e novelista de televisão, e Roberto Talma, diretor de TV. Foi Diretor de Marketing da Company.

Curiosidade: Paulo Sérgio, goleiro do Botafogo e da Seleção Brasileira, foi, durante muito tempo, reserva do time em que jogava na Universidade Gama Filho. O goleiro titular, que durante o tempo em que permaneceu na equipe nunca cedeu seu lugar a Paulo Sérgio, não era outro senão Zé Walter.



Um comentário: