sábado, 15 de agosto de 2020

TROCANDO GATO POR LEBRE: a vinda do Flamengo a Brasília em 1962


Na tarde de 15 de agosto de 1962, no Estádio Israel Pinheiro, aconteceu um amistoso entre o Guará, de Brasília, e o Flamengo, do Rio de Janeiro.
Infelizmente, aqueles que se deslocaram até o campo do Guará, não puderam assistir a um bom espetáculo de futebol, o qual vinha sendo cercado de rara expectativa.
Um dos fatores principais do fraco futebol que se viu deveu-se à falta de entendimentos entre os responsáveis, os promotores da partida.
Como era do conhecimento geral, a imprensa por diversas vezes noticiou a vinda do rubro-negro carioca a Brasília, representado por seus titulares, pelo menos, por alguns dos seus principais valores conforme declarações prestadas à reportagem pelo promotor do encontro.
Isto, entretanto, para a tristeza de muitos não aconteceu e a diretoria do Flamengo mandou a Brasília um quadro de categoria bastante inferior, esta é a verdade.
O jogo foi morno, com a vitória sem brilho do Flamengo, que teve um adversário que cometeu muitos erros. Mas o clima fora de campo foi muito mais quente!
A Federação Desportiva de Brasília expediu nota oficial, que teve o rápido revide, tendo o chefe da delegação do Flamengo, Gunnar Goransson, replicado a nota oficial com outra.
Eis a Nota Oficial assinada por Ademar Gomes Moreira, Presidente da Federação Desportiva de Brasília:
“Tendo em vista a decepcionante atitude assumida pela direção do Clube de Regatas Flamengo, do Estado da Guanabara, que em flagrante desrespeito aos clubes de Brasília, bem como ao povo desportista desta cidade, usou de ardil e malícia para enganá-los, afirmando que viria sua equipe principal e, sem o menor aviso, trouxe uma representação formada por jogadores de segunda e terceira categorias, esta Federação, com a solidariedade das agremiações a ela filiadas, torna público o seu repúdio a tal ato.
Outrossim, comunica ao povo e às autoridades que nenhuma responsabilidade tem a Federação e o C. R. Guará com qualquer despesa decorrente com a realização dessa partida de futebol.
A Federação Desportiva de Brasília, considerando que inúmeros ingressos para o jogo de hoje entre as equipes do C. R. Guará e um pretenso quadro do ex-valoroso C. R. Flamengo já foram vendidos, torna público que a referida partida será executada.
Essa atitude, tomada de comum acordo com os clubes filiados, é para atender os interesses do povo desportista desta cidade”.

A resposta de Gunnar Goransson veio nos seguintes termos:

“Em face das declarações do Sr. Ademar Gomes Moreira, presidente da Federação Desportiva de Brasília, a chefia da delegação do Flamengo sente-se no dever de esclarecer o seguinte:
No ano passado, surgiu um desentendimento artificial entre o ex-presidente da Federação Desportiva de Brasília e o Clube de Regatas do Flamengo.
Há 15 dias, apresentou-se no Rio de Janeiro um cavalheiro que se dizia representante da F.D.B., com o propósito de desfazer os equívocos que marcaram a crise entre ambas as entidades desportivas, no ano passado.
Deseja ele trazer a Brasília o quadro titular do Flamengo para uma exibição, pela qual o clube rubro-negro receberia a quantia de 1 milhão de cruzeiros.
Consultado o Departamento Técnico do Clube, constatou-se a impossibilidade de o Flamengo enviar à Capital do Brasil a sua equipe principal, dadas as responsabilidades decorrentes da posição do clube, no campeonato guanabarino.
Em face disto, prosseguiram os entendimentos, tendo as partes interessadas acordado em que o Flamengo mandaria a Brasília o seu quadro de aspirantes, a fim de enfrentar o Guará, recebendo, em contrapartida, a cota de 400 mil cruzeiros.
A imprensa carioca noticiou amplamente este fato, representada aqui por jornalistas de O Globo e Jornal dos Sports, que acompanharam o desenrolar das conversações, na Guanabara.
Outra intenção não teve o Flamengo senão a de prestigiar a atual diretoria da Federação Desportiva de Brasília, motivo pelo qual fomos colhidos pela estranheza das declarações do Sr. Moreira, nas quais teve a infeliz oportunidade de fazer referências precipitadas ao presidente Fadel Fadel.
O Flamengo veio a Brasília - frise-se bem - para prestigiar a Diretoria da F. D. B.
(ass) Gunnar Goransson - Vice-Presidente de Futebol do C. R. do Flamengo”.

Coincidência ou não, o Almanaque do Flamengo, de autoria de Roberto Assaf e Clóvis Martins, não relaciona esse jogo como sendo um dos disputados pelo Flamengo.
Não por isso, se um dia quiserem citar, aí está a ficha técnica desse jogo:

Guará 0 x 2 Flamengo-RJ
Data: 15 de agosto de 1962
Local: Israel Pinheiro
Árbitro: Lourandyr de Castro Gomes
Renda: CR$ 523.750,00
Gols: Luís Carlos, 43 e 62
Guará: Redola (Chico), Aderbal, Múcio (Edilson) (Enes) e Clemente; Sir Peres e Sabará (Benicassa) (Bananal); Nicotina, Alaor Capella, Zezito, Edinho (Toinho) (Da Silva) e Zizi (Raimundinho).
Flamengo: Ari (Miranda), Hilton (Carlos Alberto), Paulo e Silas; Valtinho e Jaime; Othon, Paulinho, Airton, Luís Carlos e Fraga (Jair).




Nenhum comentário:

Postar um comentário