quarta-feira, 26 de agosto de 2015

A HISTÓRIA DO FUTEBOL NAS CIDADES SATÉLITES - Planaltina - 7ª e última parte - Categorias de Base


Celeiro de craques, a cidade de Planaltina é especialista em revelar talentos para clubes de futebol do Brasil e do Mundo. 
Por estar muito tempo sem ter nenhum clube profissional na cidade (o Planaltina E. C. está retornando para a Segunda Divisão em 2015, depois de disputar o campeonato brasiliense pela última vez em 1998), o destaque passou a ser a escolinha de futebol do Planaltina Atlético Clube, que há mais de 30 anos se destaca com suas divisões de base e revelando novos atletas.

Zé Vasco
Na escolinha, comandados por José Joaquim da Rosa, o Zé Vasco, meninos de 5 a 17 anos treinam três vezes por semana nos três campos que cercam o Estádio Adonir Guimarães, em busca do sonho de se tornar um jogador profissional.Zé Vasco trabalha com cerca de 200 jovens desde 1978, quando o Adonir Guimarães foi inaugurado.
Para manter a fama de celeiros de craques, mostrando o potencial dos jogadores da região, a escolinha tem procurado melhorar a estrutura e a filosofia de trabalho para aprimorar as categorias de base e conseguir revelar para o mundo da bola ainda mais atletas.
Com esse objetivo, o Projeto Craque na Vida da ONG - Esporte Mais firmou uma parceria com o Governo do Distrito Federal, através da CAESB e beneficiou os pequenos craques com bolas e uniformes em prol de melhorar a estrutura da prática esportiva na cidade.
Aos poucos, o sonho de se tornar um grande jogador vem fazendo a cabeça da meninada.
O Planaltina Atlético Clube conquistou, em 2008, três dos cinco títulos em disputa na Taça de Ouro da ASFI - Associação Serrana de Futebol Infantil, de Sobradinho: foi campeão nas categorias juvenil, infantil e mirim.

A Associação Sporting Atlético Clube surgiu em 10 de agosto de 2009 e tem como atual presidente o professor Silvino de Castro.
A ideia da associação é preparar atletas das categorias de base e capacitá-los para enviar para os grandes clubes de futebol do Brasil e do exterior, administrando as suas carreiras com o objetivo de se tornarem jogadores profissionais.
A ASAC oferece a possibilidade dos atletas demonstrarem o seu futebol para os seus observadores técnicos e para os observadores dos grandes clubes, que sempre são convidados para nos acompanhar nas observações técnicas.
Como aconteceu entre os dias 3 e 5 de setembro de 2013, quando a Comissão Técnica das categorias de base da Portuguesa Santista esteve em Planaltina para avaliar 300 meninos que almejavam se tornar jogadores profissionais.
Os trabalhos, supervisionados pelo professor das categorias de base da Portuguesa, Diogo Meschine Alves, foram realizados na escolinha da ASAC, com o auxílio do professor Silvino de Castro, do diretor de marketing Leandro Alves e do massagista Samuel da Silva. Na avaliação, cinco atletas se destacaram e foram convidados para vir a Santos, onde farão novos testes.
Em sua primeira participação nas competições da ASFI - Associação Serrana de Futebol Infantil, de Sobradinho, em 2013, a ASAC sagrou-se campeã da Taça de Prata Sub-16 ao derrotar o Vila Real, nos pênaltis. No tempo normal o jogo foi 1 x 1. Na categoria Sub-14, a ASAC foi vice-campeã da Taça de Ouro Sub-14.

Mas esse trabalho de se preocupar com o futuro craque vem bem antes das atuais escolinhas de futebol.
Quando, no dia 22 de novembro de 1970, teve início o I Campeonato Infantil das cidades-satélites do DF, Planaltina era uma das subchaves (as outras eram Gama, Sobradinho, Taguatinga, Guará e Cruzeiro).
Na subchave de Planaltina, dez equipes disputaram uma vaga na Fase Final: Columbia, Pupilos, Ipiranga, Jules Rimet, Planaltina, Vila E. C., Brasil, Leonor, Independente e Edson Arantes.
O campeonato só foi encerrado em meados de 1971. Dois clubes de Planaltina chegaram às semifinais: entre os “juniores”, o Vila, e entre os “seniores”, o Pupilos. Não conseguimos encontrar a classificação final desse torneio.
Também em 1971, foi convocada uma Seleção Brasiliense de Dentes de Leite para enfrentar equipe da mesma categoria do Cruzeiro, de Belo Horizonte. O jogo foi realizado no dia 17 de outubro de 1971. O Pupilos cedeu dois de seus jogadores: Cesário e Chico.
Em 1974, quando o Governo do Distrito Federal organizou os Jogos Estudantis do Distrito Federal, no futebol o Colégio de Planaltina foi o vice-campeão, atrás apenas do C. E. M. Elefante Branco.
Lúcio na escolinha de Zé Vasco: o segundo, 
agachado, da esquerda para a direita
O Pupilos foi um dos quinze times que disputaram o campeonato de juvenis promovido pela AUD - Administração das Unidades Desportivas do GDF em 1975. Não chegou à fase final do torneio.

Os maiores orgulhos dos planaltinenses são o zagueiro Lúcio e o volante Sandro, jogadores da cidade que começaram a carreira nas divisões de base local e ganharam destaque em clubes nacionais e internacionais, defendendo inclusive a camisa da Seleção Brasileira.
Além de Lúcio e Sandro, outros jogadores saíram de Planaltina para brilhar em grandes clubes. Foram eles: Jadson, ex-Botafogo-RJ; que estava na Udinese, da Itália, e foi emprestado ao Atlético Paranaense, os atacantes Renaldo (artilheiro do campeonato brasileiro de 1996 pelo Atlético-MG) e Dimba, artilheiro do Brasileirão de 2003, e Vaná, goleiro do Coritiba.

PARTICIPAÇÃO EM TORNEIOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

Nos últimos anos, o futebol das categorias de base de Planaltina vem se firmando no cenário nacional e internacional.
De 24 a 31 de janeiro de 2012, as cidades do interior de São Paulo Valparaíso e Lavínia, foram sedes da XXVIII Copa Sul-Americana, competição que reuniu garotos de todos os países da América do Sul, em sete categorias (nascidos em 1994, 1995, 1996, 1997,1998, 1999 e 2000/2001).
A garotada do Planaltina Atlético Clube fez bonito em duas categorias: 1996, chegando em terceiro lugar, e 2000/2001, quando se tornou vice-campeão.
Um ano depois, em fevereiro de 2013, a cidade de Planaltina foi sede da 2ª Copa Sul-Americana de Futebol de Base “César Medeiros”. A competição agitou Planaltina e contou com a participação de aproximadamente dois mil garotos, divididos entre 120 equipes, de oito categorias: Sub 18 (1995), Sub 17 (1996), Sub 16 (1997), Sub 15 (1998), Sub 14 (1999), Sub 13 (2000), Sub 12 (2001) e Sub 11 (2002). 
O evento foi realizado em parceria entre a GELAZ (Gerência de Esporte e Lazer da Administração Regional de Planaltina), Mundo Bola Eventos Esportivos e Planeta Revelação, com total apoio do Governo do Distrito Federal.
Nos confrontos decisivos, show de talentos. Pela categoria Sub-18, na disputa pelo terceiro lugar, o Maranhão A. C (MA) bateu o ASAC, de Planaltina, por 3 x 0.
Na Sub-17, outra equipe de Planaltina perdeu a decisão do terceiro lugar: o Jabaquara (SP) derrotou o Planaltina A. C. por 5 x 1. 
Já na Sub-13, o Planaltina A. C. se deu bem em cima da forte equipe do Meninos da Vila (DF), vencendo por 1 x 0 e conquistando o título de campeão. Na mesma categoria, na disputa pelo terceiro lugar, Iate Clube/Verde Oliva (MT) bateu o Asac por 3 x 0. 
Na decisão da Sub-12, o Planaltina A. C não tomou conhecimento e venceu o Iate Clube/Verde Oliva-MT por goleada: 4 x 1.
A cidade de Paracatu (MG) sediou, de 10 a 17 de janeiro de 2014, a 1ª Copa Internacional de Futebol das Categorias de Base. Durante sete dias, mais de cem equipes, nacionais e internacionais, estiveram disputando os jogos.
O Planaltina sagrou-se campeão da Categoria 2001, utilizando os seguintes jogadores: João Pedro, Iron Fonseca, Carlos Eduardo, Alex Deylon, Caio Cecílio, Guilherme Correia, Luan Carvalho, Paulo Gustavo, Biro-Biro, Ítalo Soares, Willian Soares, João Victor, Maycon Alves, Caio Santos, Gregory e Matheus.

CAMPEONATO BRASILIENSE DE JUNIORES

Apenas uma vez o Planaltina Esporte Clube conquistou o título de campeão da categoria de juniores promovido pela Federação Brasiliense de Futebol.
Isso aconteceu no ano de 1993.
Num campeonato disputado por nove equipes (Brasília, Ceilândia, Gama, Guará, Planaltina, Samambaia, Sobradinho, Taguatinga e Tiradentes) e que revelou dentre outros jogadores nomes como Cilas e Mazinho, do Brasília, Kedmo, do Tiradentes, Giubá, do Sobradinho, Bazé, do Planaltina e Rochinha, do Gama, o Planaltina realizou a seguinte campanha na Primeira Fase: 15 jogos, 7 vitórias, 5 empates e 4 derrotas; marcou 25 gols e sofreu 19, somando 19 pontos. Ficou com a quarta e última vaga para o quadrangular final, que passaria a disputar juntamente com Taguatinga, Ceilândia e Brasília para se conhecer o campeão de 1993. Começou empatando com o Taguatinga (0 x 0) e depois venceu Brasília (3 x 0) e Ceilândia (1 x 0), terminando em 1º lugar, com um ponto a mais que o Brasília.
O ano de 1993 também foi muito bom para o Planaltina nas categorias infantis e juvenis.
No campeonato de juvenis, disputado por oito equipes, também garantiu classificação para o quadrangular final, ficando com a terceira colocação.
Entre os infantis, seis equipes disputaram o campeonato em turno e returno. O Planaltina ficou em quarto lugar, com apenas duas derrotas. Nesta equipe, dois nomes que viriam a brilhar posteriormente: Lucimar da Silva Ferreira, o Lúcio, e Cristian de Morais Pinto, o Alemão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário