terça-feira, 1 de maio de 2018

FICHA TÉCNICA: Juci



IN MEMORIAM

NOME COMPLETO: Juci Tenório de Araújo
APELIDO: Juci
LOCAL E DATA DE NASCIMENTO: Recife (PE), 1º de maio de 1948
POSIÇÃO EM CAMPO: Zagueiro

LINHA DO TEMPO

1965
Começou a jogar futebol nos juvenis do Colombo, do Núcleo Bandeirante (DF).

1966
No Colombo, o terceiro, em pé, da esquerda para a direita
Estreia no time principal do Colombo no dia 11 de abril de 1966, no amistoso com derrota para o Atlético Goianiense (2 x 3), no Estádio de Brasília. O Colombo formou com Dico, Vonges, Juci, Sir Peres e Oliveira; Índio (Sabino) e Paulista; Tião I, Baiano, Cid e Crispim.
Convocado para amistoso em benefício das obras do Estádio de Brasília, entre as seleções do Distrito Federal e de São Paulo, no dia 11 de maio de 1966. Não entrou no jogo.
Segunda convocação para defender a Seleção do Distrito Federal, contra a seleção de Goiás, no dia 23 de novembro de 1966. Desta vez como titular. A seleção do DF venceu por 2 x 1 e formou assim: Zé Walter, Aderbal, Juci, Carlão e Oliveira; João Dutra e Ely; Zezé, Sabará (Invasão), Roberto e Arnaldo.
Fez parte da “Seleção do Ano”, escolhida pela Editoria de Esportes do Correio Braziliense, assim composta: Walmir (Luziânia), Aderbal (Rabello), Juci (Colombo), Carlão (Rabello) e Oliveira (Colombo); João Dutra (Rabello) e Beto Pretti (Rabello); Sabará (Luziânia), Cid (Colombo), Otávio (Rabello) e Reinaldo (Rabello).
Campeão do Torneio “Engenheiro Plínio Cantanhede”, realizado de 23 de outubro a 20 de novembro de 1966, e que contou com a participação das sete equipes profissionais do DF.
Foi titular em todas as partidas disputadas pelo Campeonato Brasiliense de 1966. O Colombo ficou com a terceira colocação.

1967
Convocado para a Seleção do DF que, no dia 16 de julho de 1967, enfrentou o Racing, do Uruguai. Não participou do jogo.
Disputou a Copa Brasil Central pelo Colombo.
No Campeonato Brasiliense de 1967, Juci esteve em onze dos treze jogos disputados pelo Colombo, que voltou a ficar em terceiro lugar.
Seu último jogo com a camisa do Colombo foi em 19 de novembro de 1967, no Estádio de Brasília, com derrota para o Rabello. O Colombo atuou com essa formação: Sílvio, Ivan, Juci, Sir Peres e Oliveira; Bolinha e Zezé; Índio, Paulista, Baiano e Crispim.

1968
Em janeiro de 1968, Juci e Crispim, ambos do Colombo, se transferiram para o América, de Belo Horizonte (MG). No final do mesmo mês, Juci já estava treinando entre os reservas do América.
No time titular fez sua estreia no dia 4 de fevereiro de 1968, no Mineirão, na vitória de 2 x 1 sobre o Democrata, de Sete Lagoas. O América jogou com Emílio, Décio Brito (Sabará), Juci, Caillaux e Vanderlei; Dirceu Alves e Carlos Pedro (Chiquito); Zé Carlos, Mosquito (Edvar), Samuel e Crispim.

1969
A primeira participação do Democrata, de Governador Valadares, no Campeonato Mineiro de Profissionais aconteceu em 1969, após a Federação Mineira extinguir a divisão especial e a primeira divisão em 1968, criando a divisão extra. O Democrata-GV foi convidado a participar desta divisão. Entre os jogadores inscritos para disputar o campeonato mineiro de 1969 estava Juci. O técnico era Henrique Frade.
No dia 2 de fevereiro de 1969, em jogo pelo Campeonato Mineiro, contra o América-MG, passou a formar a zaga com Elci. Além disso, seu companheiro Crispim na ponta esquerda.

1970
Disputou o Campeonato Mineiro no Democrata-GV. O clube ficou em segundo lugar no Grupo B na Fase de Classificação e não conseguiu passar para a Segunda Fase.

1971
Transferiu-se para a Desportiva Ferroviária, do Espírito Santo, também formando a zaga com Elci. Em junho, a Desportiva perdeu a decisão numa série melhor de quatro pontos que apontou o campeão de Vitória, contra o Rio Branco.

1972
No dia 25 de janeiro de 1972, Rio Branco, campeão do 1º turno, e Desportiva, vencedora do segundo, voltaram a disputar um título - em série de melhor de três -, desta vez pelo Campeonato Capixaba de 1971. A Desportiva venceu por 1 x 0, gol de Chiquinho, sagrando-se campeã com essa formação: Edalmo, Walter, Juci, Elci (Serginho) e Nelson; Pinduca e Marcílio; Chiquinho, Elísio, Kleber e Carlinhos (Déo). Treinador: Beto Pretti.
Mas o Rio Branco recorreu à Justiça Desportiva e pediu a anulação do jogo, sob alegação de que os atletas Nelson e Walter pertenciam ao Valeriodoce, de Itabira (MG), time também patrocinado pela Companha Vale do Rio Doce, e que disputaram simultaneamente o campeonato mineiro. A CBD anulou o jogo, marcou nova data para a partida, mas a Desportiva não compareceu, ficando o título para o Rio Branco.
Depois de começar o ano de 1972 na Desportiva, disputou o Campeonato Mineiro pelo Valeriodoce, de Itabira (MG).
Retornou ao clube capixaba e no dia 10 de dezembro de 1972, de pênalti, marcou o gol da vitória de 1 x 0 da Desportiva sobre o Rio Branco, no primeiro jogo da melhor-de-três. Após derrota no jogo seguinte e um empate no terceiro, a Desportiva venceu o campeonato capixaba.

1973
No dia 31 de janeiro, marcou o gol do empate em 1 x 1 da Desportiva com o Botafogo-RJ, cobrando pênalti.
Em 26 de agosto, a Desportiva faz sua estreia no Campeonato Brasileiro, contra o Sergipe, com o técnico Beto Pretti comandando a equipe. Juci, de pênalti, marcou um dos gols da vitória de 2 x 0). A Desportiva formou com Jorge Reis, Walter, Juci, Elci e Nélson Souza; Wilson Pereira e Evandro (Baiano); Sérgio, Lucinho (Elísio), Zezinho e Fio Maravilha.
Logo após a derrota do Flamengo para a Desportiva Ferroviária, por 1 x 0, no dia 17 de outubro, o técnico do rubro-negro carioca, na edição do Jornal dos Sports de 19.10.1973, fez os maiores elogios ao time capixaba e apontou dois jogadores, Zezinho e Juci, a seu ver, em nível de seleção brasileira. Zagalo disse que Juci foi o melhor zagueiro que já viu atuar nesse Campeonato Brasileiro.
Curiosidade: No dia 11 de novembro de 1973, em Vitória, a Desportiva venceu o Ceub, de Brasília, por 1 x 0, gol de Juci, cobrando pênalti.

No dia 25 de julho de 1973, Juci retornava de um passeio à praia de Camboriú com o acadêmico Carlos Lima, do departamento médico do clube, quando um caminhão parou de repente na frente do Opala dirigido pelo sextanista de medicina. Resultado: Carlos Lima teve morte instantânea e Juci fraturou a clavícula esquerda.

1974
No dia 12 de fevereiro de 1974, a Desportiva venceu o Rio Branco, por 2 x 1, no jogo que apontou de quem seria a vaga do Espírito Santo para o Campeonato Brasileiro desse ano. No tempo normal de jogo, empate em 1 x 1. No segundo tempo da prorrogação, Juci marcou o gol da vitória da Desportiva.
Em julho de 1974, a imprensa carioca divulgava que o treinador Zagalo havia indicado o zagueiro Juci para fazer parte do elenco do Botafogo. Quem também estava interessado no zagueiro era o Atlético Paranaense, baseado em suas boas atuações em Curitiba, quando sempre foi o melhor jogador da Desportiva. Como o Botafogo decidiu investir nas categorias de base, em agosto de 1974, Juci foi emprestado ao Atlético Paranaense, e estreou no dia 4 de setembro de 1974, na vitória de 4 x 0 sobre o Paranavaí, substituindo Almeida, jogador em que esteve na reserva na maioria dos jogos.

1975
Retornou à Desportiva, onde foi vice-campeão capixaba e disputou o Campeonato Brasileiro.

1976
Disputou o Campeonato Goiano pelo Atlético Goianiense, ficado o clube na terceira colocação. No Torneio Seletivo que apontaria os dois clubes goianos ao Campeonato Brasileiro, o Atlético Goianiense empatou os seis jogos que disputou e ficou na terceira colocação, atrás de Goiás e Goiânia. Como este não se classificou, foi emprestado ao Goiânia.

1977
Juci estreou no dia 24 de março de 1977, na Copa Leonino Caiado, defendendo o Itumbiara, na vitória de 2 x 0 sobre o Vila Nova. O Itumbiara ficou com o vice-campeonato da competição.
Depois, o Itumbiara, disputou o Campeonato Goiano, ficando de fora do quadrangular final.
No Seletivo que apontaria o segundo representante goiano no Campeonato Brasileiro desse ano (o outro era o campeão estadual Goiás), o Itumbiara chegou na primeira colocação do quadrangular, juntamente com o Vila Nova, para quem perdeu a decisão, por 1 x 0.
Como o torneio foi vencido pelo Vila Nova, Juci foi emprestado ao Goiás para a disputa do Campeonato Brasileiro.

1978
Disputou o Campeonato Goiano, pelo Itumbiara.

1979
Disputou o Campeonato Goiano e o Campeonato Brasileiro da Série A pelo Itumbiara.

1980
Campeonato Brasileiro da Série B pelo Itumbiara.

1983
Última participação no futebol no Campeonato Brasileiro da Série B pelo Itumbiara.

2005
Faleceu no dia 21 de janeiro de 2005.


Nenhum comentário:

Postar um comentário