Total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

A POSSE DA NOVA DIRETORIA DA FEDERAÇÃO DESPORTIVA DE BRASÍLIA


Após um intervalo bastante grande, de exatamente 14 meses, aconteceram eleições para ser escolhida a nova diretoria da FDB. A reunião foi realizada no dia 3 de junho de 1960, às 20 horas, na Associação Comercial de Brasília, no Núcleo Bandeirante.
Muitos dos clubes que participaram da primeira reunião (em 16 de março de 1959) deixaram de existir. Outros se filiaram.
Eram os seguintes os clubes filiados a FDB: A. A. Brasília (IAPI), A. A. Brasília Palace, A. E. de Taguatinga, A. E. EBE, A. A. Bancária, Assiban (IAPB), Brasil E.C. (Coenge), Brasil Central A.C., C.C. Nacional, C. R. Guará, E. C. Brasília (IPASE), E. C. Planalto, Expansão F.C. (SAPS), Grêmio Esportivo Brasiliense, Novo Horizonte F.C. (IAPETC), Rabello F.C., E. C. Radium (Rádio Nacional), Ribeiro F.C., Kosmos e Pacheco Fernandes Dantas F.C.
Apesar do elevado número de filiados, somente seis representantes de clubes compareceram para votar: Décio de Souza Reis (Brasil Central), Laércio Lamounier (Grêmio), Dirceu Basílio (Planalto), Petrônio de Carvalho (Guará), Ricardo P. Leopold (A. E. de Taguatinga) e José Paulo (Ribeiro).
Orlando Gaglionone, Presidente em exercício, e Luís Gonzaga Contart, Diretor de Futebol, apresentaram seus pedidos de renúncia.
O primeiro presidente da Federação Desportiva de Brasília foi o radialista mineiro Adelchi Leonello Ziller, diretor da Rádio Nacional de Brasília a partir de setembro de 1959.
Os demais cargos foram assim preenchidos:
1º Vice-Presidente - Jardel Noronha de Oliveira
2º Vice-Presidente - Domingos Gusmão da Cunha.
3º Vice-Presidente – Lincoln A. Horta
Conselho Fiscal - Efetivos: Inezil Penna Marinho, Agnelo Paz Sobreira e José Severiano da Costa Andrade; Suplentes: Geraldo Costa Manso, Cássio Elízio Figueiredo Damásio e Ary Mafla.
Tribunal de Justiça Desportiva - Efetivos: Hugo Mósca (Presidente), Lincoln Horta (Vice-Presidente), Henrique Diniz de Andrada, Nery Kurtz, Roberto Meira Castro, Cláudio Lacombe, Marcelo Varela e Daniel Aarão Reis. Foram convidados e por diversos motivos não puderam ser empossados: Senador Arlindo Rodrigues Gomes, Deputado Vasconcelos Torres, Deputado Brígido Tinoco e Fausto Vasconcelos Padrão. Os suplentes eram Carlos Augusto Palhares, Jonas Bahiense, José Carlos Baleeiro e Moacyr Belchior.
Foram também escolhidos os seguintes diretores:
Diretor Secretário - Décio de Souza Reis.
Diretor Tesoureiro - Flávio Brun Von Sperling
Diretor de Relações Públicas - Luiz Gonzaga Contart.
Diretor de Futebol - Augusto da Costa
Também foram nomeados os diretores de Atletismo, Basquetebol, Ciclismo, Futebol de Salão, Natação, Tênis de Mesa, Voleibol e Xadrez, modalidades esportivas controladas pela FDB.
José Ramos de Freitas foi escolhido para ser o representante da FDB junto às confederações esportivas e ao Conselho Nacional de Desportos.
A FDB recomendou aos filiados que tomassem providências no sentido de registrar em cartório os seus estatutos.
Com o passar do tempo, os clubes iam tendo seus estatutos aprovados e comunicando constituição de sua diretoria.
O primeiro clube a remeter cópia de seus estatutos, solicitando encaminhamento para registro e aprovação, foi o Clube de Regatas Guará.


terça-feira, 27 de dezembro de 2011

A INAUGURAÇÃO DO ESTÁDIO DO GAMA

GAMA 0 x 3 BOTAFOGO (RJ) 
Data: 9 de outubro de 1977
Árbitro: Amphilóphio Pereira da Silva
Renda: Cr$ 350.000,00
Gols: Mendonça 10, Gil 60 e 75.
GAMA: Chico, Carlão (Osvaldo), César, Santana e Ivair; Mundinho, Marcos (Lelé) e Adilson (Rildo); Lucas (Careca), Maninho e Roldão (Chicão).
BOTAFOGO: Zé Carlos, China (Perivaldo), Osmar, Renê e Rodrigues Neto; Luisinho Rangel, Mendonça e Mário Sérgio; Gil (Ricardo), Nilson Dias (João Paulo) e Paulo César (Tiquinho).

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

CLUBES DE BRASÍLIA: UNIDOS DE SOBRADINHO ATLÉTICO CLUBE




O Unidos de Sobradinho Atlético Clube foi fundado em 10 de maio de 1962, na cidade de Sobradinho (DF).
Geraldo Ribeiro foi o seu primeiro presidente.
Constam dos seus estatutos dois escudos (conforme acima) e quatro uniformes, a saber:
Uniforme nº 1: camisa azul, calção e meia brancos;
Uniforme nº 2: camisa com listras verticais em azul e branco, calção branco e meias com listras horizontais em azul e branco.
Uniforme nº 3: camisa branca com golas azuis, calção azul e meias brancas.
Uniforme nº 4: camisa azul com três faixas brancas verticais, calção e meias brancas com detalhes em azul.
Filiou-se a Federação Desportiva de Brasília em 1966. Neste ano, participou do campeonato do Departamento Autônomo da F.D.B. Na primeira fase dessa competição, os clubes foram divididos em três seções: Taguatinga, Plano Piloto e Sobradinho. Nesta última, o Unidos de Sobradinho ficou com uma das duas vagas, superando outras quatro equipes, classificando-se para a Fase Final da competição. 
Em 1967, novamente disputou o campeonato do Departamento Autônomo (desta vez contando com mais uma seção, a do Gama), passando de novo para a Fase Final, quando chegou na sétima colocação.
Em 1969, foi um dos 24 clubes a disputar o campeonato brasiliense. Em sua estréia, no dia 13 de abril, foi goleado pelo Serviço Gráfico, por 4 x 1. Recuperou-se no jogo seguinte, em 20 de abril, ao golear o Rabello, por 6 x 2.
Sua campanha na Primeira Fase da competição foi muito fraca: nos dez jogos que disputou venceu três, empatou um e sofreu seis derrotas. Marcou e sofreu 18 gols, ficando com 0 de saldo. Com isso, ficou na oitava colocação entre os onze clubes do Grupo A e não passou para a Fase Final (somente os seis primeiros se qualificavam).
De 1970 a 1972, não disputou competições oficiais promovidas pela então Federação Metropolitana de Futebol.
No dia 16 de agosto de 1973 aconteceu a Assembléia Geral que aprovou a filiação do Unidos de Sobradinho.
Inscreveu-se no campeonato brasiliense de 1973, no qual estreou no dia 2 de setembro, sendo derrotado pelo Ceub, por 2 x 0.
Formou com Marcos, Sabará, Sir Peres, Jonas e Xavier; Sidney, Paulinho e Santos; Litinho, Geraldino e Reinaldo (Carrasco). 
No primeiro turno, entre 10 times, ficou com a quinta colocação (dois pontos atrás do primeiro colocado, o Ceub) após a seguinte campanha: nove jogos, cinco vitórias, um empate e três derrotas. Marcou 18 gols e sofreu 8.
Veio o segundo turno, e não conseguiu repetir a boa campanha do primeiro. Ficou na sétima colocação. Nos oito jogos que disputou, venceu apenas um, empatou quatro e perdeu três. Marcou oito gols e sofreu 14.
No cômputo geral, somando os dois turnos, ficou com a quinta colocação.
Carlinhos e Santos foram seus artilheiros, cada um com seis gols.
Defenderam o Unidos de Sobradinho: Goleiros - Batista, Marcos e Gato; Defensores - Zezão, Sabará, Sir Peres, Sidney, Orlando e Xavier; Atacantes - Santos, Carlinhos, Litinho, Paulinho, Cid, Wesley, Jonas, Geraldino e Reinaldo. Técnicos: Manga, depois Chileno.
Em 1974, chegou a disputar o Torneio Início, no dia 14 de julho, sendo eliminado logo no primeiro jogo diante do Humaitá.
Disputou ainda o 1º turno do campeonato daquele ano. Antes de ser iniciado o segundo turno, o Unidos de Sobradinho desistiu de continuar disputando o campeonato e a Federação determinou a contagem de pontos para todos os seus adversários.
Em 13 de dezembro de 1974, uma Assembléia Geral Extraordinária decidiu por desfiliar o Unidos de Sobradinho.
Afastado da Federação, o Unidos de Sobradinho disputou a I Copa Arizona de Futebol Amador, que teve início no dia 19 de março de 1975, reunindo 64 equipes amadoras de todo o Distrito Federal.
Em uma das semifinais, o Unidos de Sobradinho marcou 2 x 0 sobre o Penharol, gols de Zezinho e Nidoval-contra.
Na final, em 25 de maio, nova vitória do Unidos de Sobradinho de 2 x 0, desta vez sobre o Humaitá, gols de Chenco.
Disputou as finais da Copa Arizona em São Paulo, nos dias 19, 20, 21 e 22 de junho de 1975 (não temos os resultados), juntamente com Colorado (Paraná), Romeu Martins (Fortaleza-CE), Ajax (Florianópolis-SC), Ouro Verde (Ijuí-RS), Real Madrid (Belo Horizonte-MG), G. E. 2º Registro (São Paulo-SP) e E. C. Golfinho (Guarulhos-SP).
Antes do início do campeonato oficial de 1975 (no dia 20 de setembro), 13 jogadores que pertenciam ao Unidos de Sobradinho foram transferidos para o Campineira Futebol Clube.
O Campineira acabaria vencendo o campeonato brasiliense de 1975.
Passou, então, a disputar o Campeonato Regional de Sobradinho.
No ano de 1978 voltou a vencer a Copa Arizona de Futebol Amador. Na final, aconteceu empate de 1 x 1 entre Unidos de Sobradinho e Royal. Nos pênaltis, vitória e o título do Unidos de Sobradinho.
Ainda em 1978, participou do 1º Campeonato de Futebol Amador depois da implantação do profissionalismo no Distrito Federal (em 1976). Vinte equipes participaram. O Unidos de Sobradinho ficou entre as oito melhores colocadas na fase semifinal.
Em 1979 não se inscreveu nessa competição.
Daí em diante só disputou competições amadoras em Sobradinho.

Agradecimentos a José Jorge Farah pelo redesenho dos escudos.

domingo, 18 de dezembro de 2011

A FERROVIÁRIA, DE ARARAQUARA, EM BRASÍLIA


O clube paulista foi convidado para disputar dois amistosos contra a Seleção do Distrito Federal, nos dias 6 e 8 de setembro de 1968. Venceu ambos, o segundo deles por goleada. Eis as fichas técnicas dos jogos:

SELEÇÃO DO DISTRITO FEDERAL 0 x 1 FERROVIÁRIA
Data: 6 de setembro de 1968
Local: Estádio da FDB
Árbitro: Ivan Campos
Gol: Leocádio
DISTRITO FEDERAL: Dico, Aderbal, Farneze, Sir Peres e J. Pereira (Wilson); Heitor e Zé Maria; Djalma (Sabará), Solon, Paulinho e Alaor Capella.
FERROVIÁRIA: Carlos Alberto, Baiano, Fernando, Rossi e Fogueira; Bebeto e Bazzani; Peixinho, Leocádio, Ismael e Pio.

SELEÇÃO DO DISTRITO FEDERAL 1 x 5 FERROVIÁRIA
Data: 8 de setembro de 1968
Local: Estádio da FDB
Árbitro: Amphilóphio Pereira da Silva
Gols: Peixinho (3), Bazzani e Amaral para a Ferroviária e Aderbal, de pênalti, para a Seleção do Distrito Federal.
DISTRITO FEDERAL: Dico, Aderbal, Farneze, Sir Peres e J. Pereira (Wilson); Heitor (Didi), Zé Maria e Alaor Capella; Paulinho (Djalma), Solon e Cid.
FERROVIÁRIA: Carlos Alberto (Sérgio), Baiano, Fernando, Rossi (Paina) e Fogueira (Rodrigues); Bebeto e Bazzani (Teodoro); Peixinho (Ruy), Leocádio, Amaral e Ney.


TORNEIO INÍCIO DO CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1968


Realizado no dia 3 de março de 1968, no Estádio de Brasília (posteriormente Pelezão)

Guará 0 x 0 Colombo (nos pênaltis, Colombo 3 x 1)
Defelê WO x 0 Cruzeiro do Sul
Rabello 1 x 0 Colombo, gol de Cid
Defelê 2 x 2 Rabello, gols de Paulinho (2) para o Defelê e Luizinho e Cid para o Rabello; nos pênaltis: Defelê 3 x 2.

Campeão: Defelê
Vice-campeão: Rabello.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

JOGOS DA SELEÇÃO DO DF EM 1971

No dia 10 de fevereiro de 1971 uma Comissão foi nomeada para organizar a Seleção do Distrito Federal. Ficou assim constituída:
Supervisor Geral: Prof. Laerte
Comissão Técnica: Narciso Mori, Adolfo Bastos e Norberto Fernandes Teixeira
Técnico: Hector Gritta
Preparador Físico: Capitão Jaime Cabral
Médico: Coronel Antônio Ribeiro de Jesus
Enfermeiro: Fuminho
Massagista: Anísio
Roupeiro: Alicate
No primeiro treino realizado os times formaram com essas escalações:
Time “A”: Maracanã, Orlando, Sir Peres, Paulinho I e Mário Lúcio; César e Divino, Manoelzinho, Nemias, Paulinho II e Reco.
Time “B”: Carlos José, Baiano, Paraguai, Didi e Wilson; Tião e Cid; Augustin, Invasão, Carlos Gomes e Zequinha.
No dia 7 de março, aconteceu o primeiro amistoso. Em Luziânia, a Seleção do Distrito Federal venceu a equipe local do Luziânia, por 3 x 2, com gols de Paulinho (2) e Bira.
A seleção formou com Zé Walter (Maracanã), Mário Lúcio (Mauro), Didi, Paraguai e Wilson; Aldo (César) e Divino; Manoelzinho (Carlos Gomes), Cid (Bira), Paulinho e Procópio.
Uma semana depois, a Seleção enfrentaria o Coenge.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

JOGOS HISTÓRICOS: INAUGURAÇÃO DO ESTÁDIO PELEZÃO

 
SELEÇÃO DO DISTRITO FEDERAL 1 x 3 SIDERÚRGICA (MG)
Data: 21 de abril de 1965
Obs.: Inauguração parcial do Estádio de Brasília (que mais tarde passaria a ser chamado de Pelezão)
Entrada franca (portões abertos)
Árbitro: Jorge Cardoso
Gols: Zé Emílio, 22 (1º gol do novo estádio), Silvestre, 44, Djalma, 51 e Noventa, 85.
SELEÇÃO DO DISTRITO FEDERAL: Zé Walter (Defelê), Aderbal (Rabello), Gegê (Rabello), Sir Peres (Colombo) e Wilson (Defelê); Zé Maria (Rabello) e Beto Pretti (Rabello); Sabará (Rabello) (Nobre), Djalma (Rabello), Sabino (Colombo) (Clarindo - Rabello) e Arnaldo (Defelê). Técnico: Hector Gritta.
SIDERÚRGICA: Djair, Geraldino (Hamilton), Chiquito, Edson (Tim) e Zé Luiz; Dawson e Silvestre (Fiel); Ernâni, Zé Emílio (Altino), Noventa e Canhoteiro (Raimundo).

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

CEUB CAMPEÃO DO TORNEIO INTERNACIONAL “OSMAR CABRAL”

Sede: Goiânia (GO)

23 de março de 1975
Goiânia 2 x 3 Ceub
Atlético Goianiense 1 x 0 Nacional, de Montevidéu

26 de março de 1975
Decisão do torneio
Atlético Goianiense 0 x 0 Ceub
Obs.: Na prorrogação, o placar continuou o mesmo.
Na decisão por pênaltis: primeira série de cinco pênaltis: 3 x 3; na segunda, 4 x 4 e, na terceira e última, 4 x 3 para o Ceub.

CAMPEÃO: CEUB

Formação do Ceub no jogo decisivo: Déo, Fernandinho, Pedro Pradera, Emerson e Joel; Alencar (Humberto) e Renê; Julinho, Marco Antônio, Péricles e Xisté (Rogério).

sábado, 10 de dezembro de 2011

DECISÃO DO CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1974

PIONEIRA 2 x 0 JAGUAR
Data: 08.12.1974
Local: Pelezão
Árbitro: Amphilóphio Pereira da Silva
Expulsão: Jorge Luiz (Jaguar)
Gols: Boy, 25 e 77
PIONEIRA: Adriano, Aldair, Dão (Diogo), Rui e Ivan; Maurício, Nemias e Vital (Déo); Delfino, Boy e Piau. Técnico: Eurípedes Bueno.
JAGUAR: Josué, Elci, Vicente, Kidão e Tita; Wellington e Djalma; Roberto, Fernando e Jorge Luiz. Técnico: Anísio Cabral de Lima.

Obs.:
1) O Jaguar atuou com 10 jogadores;
2) Jogou desfalcado de quatro titulares: Leocrécio, Salvador, Décio e Ariston, que viajaram com a equipe de juvenis do Ceub, emprestados ao clube universitário para a disputa da Taça Cidade de São Paulo de Juniors.
3) O jogador Roberto era goleiro.

TORNEIO DA INDEPENDÊNCIA - 1974

Local: Estádio Presidente Médici, Brasília (DF)

06.09.1974
CEUB 1 x 2 VITÓRIA (BA)
Obs.: preliminar de Botafogo x Corinthians
Árbitro: Cid Marival Fonseca
Expulsão: Pedro Pradera, no 2º tempo
Gols: Osni, 63 e 72 e Péricles, 85
CEUB: Édson, Cláudio, Pedro Pradera, Émerson e Nenê; Alencar, Péricles e Xisté (Douradinho); Julinho, Gilberto (Humberto) e Marco Antônio.
VITÓRIA: Zé Ivã, Roberto, Valter, Vavá e Jorge Valença; Roberto Menezes, Gibira e Davi; Osni, André e Mário Sérgio.

BOTAFOGO 1 x 0 CORINTHIANS
Árbitro: Adélio Nogueira
Renda: Cr$ 131.000,00
Gol: Nilson Dias, 87
BOTAFOGO: Wendell, Valtencir, Mauro Cruz, Osmar e Marinho Chagas; Nei Conceição, Marco Aurélio e Dirceu; Puruca, Fischer (Jorge Luís) e Nilson Dias.
CORINTHIANS: Ado, Zé Maria, Pescuma, Brito e Vanderlei; Tião e Rivelino (Adãozinho); Vaguinho (Ivã), Lance, Zé Roberto e Pita (Peri).

08.09.1974
CEUB 2 x 2 CORINTHIANS
Obs.: preliminar de Botafogo x Vitória
Árbitro: Wolney Bezerril
Gols: Julinho, 15; Lance, 21; Zé Roberto, 33 e Douradinho, 49
CEUB: Édson, Cláudio (Pedrinho), Pedro Pradera, Émerson e Nenê; Alencar, Péricles e Xisté (Douradinho); Julinho, Gilberto (Humberto) e Marco Antônio.
CORINTHIANS: Ado, Zé Maria, Pescuma (Vágner), Brito e Vanderlei; Dirceu Alves e Adãozinho; Vaguinho, Ivã, Lance, Zé Roberto e Pita (Peri).
Nos pênaltis: vitória do Corinthians.

BOTAFOGO 1 x 0 VITÓRIA
Árbitro: Édson Rezende de Oliveira
Renda: Cr$ 51.000,00 (7.000 pagantes)
Gol: Nilson Dias, 8
BOTAFOGO: Wendell, Valtencir, Mauro Cruz, Osmar e Marinho Chagas; Nei Conceição, Marco Aurélio e Dirceu; Puruca, Fischer (Jorge Luís) e Nilson Dias.
VITÓRIA: Aguinaldo, Roberto, Valter, Vavá e Jorge Valença; Roberto Menezes e Davi; Osni, André, Gibira e Mário Sérgio.

O Botafogo foi o campeão do torneio.

TORNEIO INÍCIO DO CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1974



Data: 14 de julho de 1974
Local: Estádio Pelezão

Humaitá 3 x 0 Unidos de Sobradinho (Aderbal, Vavá e Lord)
Ceub 0 x 0 Relações Exteriores (nos escanteios, Ceub 5 x 1)
Pioneira 1 x 0 Luziânia
Humaitá 1 x 0 Jaguar
Ceub 1 x 0 Pioneira
Humaitá 4 x 0 Ceub (Vavá-2, Lord e Arleno)

Campeão: Humaitá
Elizaldo, Mabinho, Carlos Alberto, Aderbal e Nazo; Julinho, Vavá e Arleno; Lord, Moisés e Pedrinho. Técnico: José da Silva Carvalho.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

TÚNEL DO TEMPO: O QUE ACONTECEU HÁ 50 ANOS (01 a 31 de dezembro de 1961)

03.12.1961
Finalmente, depois de três jogos empatados na série “melhor-de-três”, o futebol de Brasília passou a conhecer seu novo campeão. No quarto jogo entre Defelê e Rabello, o Defelê venceu por 3 x 1 e sagrou-se bicampeão brasiliense de futebol. Eis a ficha técnica do jogo:

DEFELÊ 3 x 1 RABELLO
Data: 3 de dezembro de 1961
Local: Estádio Aristóteles Góes.
Árbitro: Amilcar Ferreira, da Federação Carioca de Futebol, auxiliado por Josué Costa Araújo e Nilzo de Sá.
Renda: CR$ 137.000,00 (recorde absoluto do futebol de Brasília).
Gols: Ely, 39 e 57, Sérgio, 78 e Sabará, de pênalti, 80.
DEFELÊ: Matil, Zé Paulo, Oswaldo, Gavião, Alonso Capela, Bimba, Ramiro, Sérgio, Ely, Fino e Raimundinho.
RABELLO: Gaguinho, Paulo, Leocádio, Pernambuco, Sabará, Bugue, Roberto, Calado, Joãozinho, Nilo e Arnaldo.

Quem também apontou seu novo campeão no dia 3 de dezembro de 1961 foi a Segunda Divisão. Em jogo realizado no Estádio Israel Pinheiro, o Guanabara venceu o Colombo, por 1 x 0, gol de Walfredo, e conquistou o título de campeão e o direito de fazer parte da Primeira Divisão do Campeonato Brasiliense em 1962. Moacir Siqueira foi o árbitro da partida, que teve a renda de CR$ 20.000,00.

20.12.1961
A Federação Desportiva de Brasília apresentou o seguinte resumo das suas atividades do ano de 1961 no futebol:
Atletas registrados no Departamento de Futebol da FDB (categorias Primeira e Segunda Divisões): 921
Jogos amistosos realizados: 5
Jogos oficiais pelas duas divisões: 113.

OS MELHORES DE 1961

DIÁRIO CARIOCA-Brasília
MELHOR JOGADOR: Sabará, do Rabello;
MELHOR TREINADOR: Didi, do Defelê;
MELHOR DIRIGENTE: Orlando Gaglionone.
Obs.: Foram escolhidos destaques de todas as modalidades que integravam a Federação Desportiva de Brasília.

CORREIO BRAZILIENSE
Melhor jogador de futebol do ano: Bimba, do Defelê. Foram escolhidos atletas do voleibol, futebol de salão, basquetebol, natação e tênis de mesa.
No futebol, mereceram menção honrosa Sabará e Joãozinho, do Rabello, e Zé Paulo, do Defelê.
Melhor técnico de futebol: Didi de Carvalho.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1977


PARTICIPANTES:
ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA BANDEIRANTE (NÚCLEO BANDEIRANTE)
BRASÍLIA ESPORTE CLUBE (BRASÍLIA)
ESPORTE CLUBE CANARINHO (TAGUATINGA)
GRÊMIO ESPORTIVO BRASILIENSE (NÚCLEO BANDEIRANTE)
SOCIEDADE ESPORTIVA DO GAMA (GAMA)
TAGUATINGA ESPORTE CLUBE (TAGUATINGA)

1º TURNO

CANARINHO 2 x 0 GRÊMIO
Data: 04.06.1977
Local: Pelezão
Árbitro: Arnóbio Passos de Andrade
Gols: Maninho e Peba

BRASÍLIA 4 x 0 BANDEIRANTE
Data: 04.06.1977
Local: Pelezão
Árbitro: Edson Rezende de Oliveira
Gols: Julinho (2), Moreirinha e Assis (contra)

BRASÍLIA 3 x 2 CANARINHO
Data: 11.06.1977
Local: Pelezão
Árbitro: Cacírio Marinho
Gols: Julinho (2) e Léo / Peba e Maninho

TAGUATINGA 1 x 0 GAMA
Data: 11.06.1977
Local: Pelezão
Árbitro: Francisco Xavier Portugal
Gol: Wellington

BANDEIRANTE 1 x 0 GAMA
Data: 18.06.1977
Local: Pelezão
Árbitro: Jonas de Oliveira
Gol: Nemias

TAGUATINGA 0 x 0 GRÊMIO
Data: 18.06.1977
Local: Pelezão
Árbitro: Márcio Humberto

GRÊMIO 2 x 2 GAMA
Data: 26.06.1977
Local: Pelezão
Árbitro: Aníbal Blanch
Gols: Aluísio e Carlão (contra) / Gisélio e Zé Vieira

BRASÍLIA 4 x 0 TAGUATINGA
Data: 26.06.1977
Local: Pelezão
Árbitro: Francisco José Lopes
Gols: Julinho, Ney, Banana e Uel

BANDEIRANTE 3 x 0 CANARINHO
Data: 02.07.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Luiz Carlos Magno
Gols: Messias (2) e Geraldo

BRASÍLIA 2 x 0 GAMA
Data: 02.07.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Ranulfo Soares
Gols: Julinho e Banana

CANARINHO 1 x 1 TAGUATINGA
Data: 09.07.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Vicente de Paulo Lima
Gols: Jackson / Elmo

BANDEIRANTE 1 x 0 GRÊMIO
Data: 09.07.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Francisco Xavier Portugal
Gol: Anapolino

BRASÍLIA 4 x 0 GRÊMIO
Data: 16.07.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Adélio Nogueira Soares
Gols: Banana (3) e Julinho

BANDEIRANTE 0 x 0 TAGUATINGA
Data: 23.07.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: José Mário Vinhas

GAMA 3 x 2 CANARINHO
Data: 23.07.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Cid Marival
Gols: João da Mata, Zé Vieira e Adilson / Maninho (2)

2º TURNO

TAGUATINGA 3 x 1 GRÊMIO
Data: 30.07.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Ranulfo Soares
Gols: Piau, Maurício e Bira / Cleiton

BRASÍLIA 3 x 0 GAMA
Data: 31.07.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: José Mário Vinhas
Gols: Edmar, Bira e Julinho

CANARINHO 2 x 0 BANDEIRANTE
Data: 06.08.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Arnóbio Passos de Andrade
Gols: Zé Newton e Cláudio

BRASÍLIA 1 x 0 GRÊMIO
Data: 07.08.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Cid Marival
Gol: Banana

GAMA 1 x 0 BANDEIRANTE
Data: 13.08.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Cid Marival
Gol: Lelé

TAGUATINGA 1 x 1 CANARINHO
Data: 14.08.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Adélio Nogueira Soares
Gols: Jackson / Belo

TAGUATINGA 2 x 1 BANDEIRANTE
Data: 20.08.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Cid Marival
Gols: Jackson e Aderbal / Esquerdinha

BRASÍLIA 3 x 1 CANARINHO
Data: 21.08.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: José Mário Vinhas
Gols: Banana, Julinho e Robério / Belo

GRÊMIO 1 x 0 GAMA
Data: 27.08.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Adélio Nogueira Soares
Gol: Edinho

TAGUATINGA 0 x 0 GAMA
Data: 03.09.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Cid Marival

BRASÍLIA 4 x 0 BANDEIRANTE
Data: 03.09.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: José Mário Vinhas
Gols: Moisés, Zé Wilson (contra), Bira e Julinho

CANARINHO 4 x 1 GAMA
Data: 10.09.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Adélio Nogueira Soares
Gols: Belo (2), Jackson e Maninho / Lelé

GRÊMIO 2 x 1 BANDEIRANTE
Data: 11.09.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Arnóbio Passos de Andrade
Gols: Kidão e Aloísio / Jorginho

CANARINHO 3 x 1 GRÊMIO
Data: 17.09.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: José Mário Vinhas
Gols: Peba, Bolinha e Belo / Edu

BRASÍLIA 3 x 0 TAGUATINGA
Data: 18.09.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Cid Marival
Gols: Julinho (2) e Banana

FASE FINAL

BANDEIRANTE 2 x 1 CANARINHO
Data: 24.09.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: José Mário Vinhas
Gols: Mundinho e Paraibinha / Maninho

BRASÍLIA 3 x 1 TAGUATINGA
Data: 24.09.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Ranulfo Soares
Gols: Moreirinha, Bira e Banana / Wellington

BANDEIRANTE 1 x 1 TAGUATINGA
Data: 02.10.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Adélio Nogueira Soares
Gols: Zecão / Vala

BRASÍLIA 3 x 0 CANARINHO
Data: 02.10.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Cid Marival
Gols: Julinho (2) e Banana

TAGUATINGA 0 x 0 CANARINHO
Data: 08.10.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: Cid Marival

BRASÍLIA 1 x 1 BANDEIRANTE
Data: 12.10.1977
Local: Presidente Médici
Árbitro: José Mário Vinhas
Gols: Julinho / Zecão

CLASSIFICAÇÃO FINAL

CF
CLUBES
J
V
E
D
GF
GC
PG
BRASÍLIA
13
12
1
0
38
5
25
BANDEIRANTE
13
4
3
6
11
18
11
TAGUATINGA
13
3
7
3
10
15
13
CANARINHO
13
4
3
6
19
21
11
GAMA
10
2
2
6
7
16
6
GRÊMIO
10
2
2
6
7
17
6

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

CRAQUES DE ONTEM E DE HOJE: BIMBA



Américo da Cruz, o Bimba, nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 15 de abril de 1936.
Foi um zagueiro que jogava com elegância e de um futebol clássico.
Começou nos juvenis da Portuguesa, do Rio de Janeiro, disputou o campeonato carioca de 1958, pelo Bonsucesso, e o campeonato mineiro de 1959, pelo Bela Vista, de Sete Lagoas.
Foi trazido para o futebol de Brasília por indicação do ex-jogador do Botafogo e da Seleção Brasileira, Juvenal, e assinou contrato com o Guará, em 1960, ano em que o clube ficou na segunda colocação do campeonato brasiliense.
Transferiu-se para o Defelê em 1961, quando integrou a primeira Seleção de Brasília formada para disputar um amistoso contra a Seleção de Goiás, em Goiânia, no dia 16 de abril.
Disputou ainda mais três amistosos pela Seleção de Brasília no ano de 1961, contra o Santos, em 21 de abril, Fluminense, em 2 de julho, e Botafogo, em 17 de setembro.
Ao final do ano, tendo conquistado o título de campeão brasiliense, também teve seu mérito reconhecido ao ser escolhido pelo jornal Correio Braziliense o “Melhor jogador de futebol do ano”. Foram escolhidos destaques de todas as modalidades que integravam a Federação Desportiva de Brasília.
Em 1962 foi para o Rabello. Novamente fez parte da Seleção de Brasília que enfrentou o Vasco da Gama, no dia 21 de abril, e a Seleção de Goiás, em 29 de setembro.
Em seu novo time, conquistou a Taça “Candango”, disputada no período de 28 de abril a 1º de maio e que reuniu Guará, Colombo, Defelê e Rabello, no campo do Defelê, e o Torneio da Prefeitura do Distrito Federal, Taça "Embaixador Sette Câmara", com direito a vitória por goleada sobre seu ex-clube, o Defelê, na final, por 5 x 0.
No campeonato brasiliense de 1962, o Rabello ficou na terceira colocação.
No final do ano, Bimba foi um dos convocados para representar o Distrito Federal no Campeonato Brasileiro de Seleções. A Seleção do DF passou por Mato Grosso, mas foi desclassificada por Goiás.
Continuou no Rabello em 1963 e foi convocado para o amistoso da Seleção do Distrito Federal contra o Atlético Mineiro, em 21 de abril.
O Rabello foi o vice-campeão de 1963.
Transferiu-se para o Goiás ainda em 1963 e na metade de 1964 retornou ao Distrito Federal, voltando a defender o Rabello.
Defendeu a Seleção do Distrito Federal em amistosos contra o Ceará, Atlético Mineiro e Treze, da Paraíba.
No Rabello, sagrou-se campeão da primeira competição sob o regime profissional em Brasília.
Em 1965, foi jogar no Guará e perdeu a chance de conquistar o bicampeonato brasiliense, título alcançado pelo Rabello.
Transferiu-se para o Luziânia em 1966, tendo inclusive disputado um amistoso do seu novo time contra a Seleção do Distrito Federal, em 15 de maio (3 x 3).
Em novembro de 1966 foi convocado para defender a Seleção do DF que venceu a Seleção de Goiás, por 2 x 1.
Com o Luziânia, chegou na segunda colocação do campeonato brasiliense de profissionais.
Em 1967, foi contratado para ser o treinador do Guanabara.
No ano de 1968, dividiu seu tempo como jogador do Cruzeiro do Sul e depois como treinador do Alvorada.
Ainda foi técnico do Luziânia no início de 1973.
No início dos anos 80, enfrentando problemas com o álcool, foi internado na Clínica São Miguel, de propriedade do conceituado psiquiatra no DF, Dr. Neilor Rolim, no bairro do Parque Alvorada, às margens da BR 040, em Luziânia. Com a sua habitual irreverência, fez muitos amigos na clínica, dentre eles o ex- jogador do Luziânia, Ziza. Formaram o time da Clínica São Miguel e participaram do campeonato amador de Luziânia. Bimba atuava como jogador e técnico do time da clínica.
Com o fechamento da clínica, foi transferido para o asilo São Vicente de Paula, juntamente com vários companheiros da clínica. Fugiu e foi morar na rodoviária, no centro da cidade de Luziânia, onde hoje é o Centro de Convenções projetado por Oscar Niemayer.
Tornou-se mendigo de rua. Morreu só e abandonado por todos. Faleceu no dia 3 de agosto de 1993, sendo sepultado pela Secretaria de Assistência Social do Município de Luziânia, sem a presença de familiares, só com alguns amigos da época da Clínica São Miguel.

Colaboração: José Egídio Pereira, pesquisador do Luziânia.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

PERSONAGENS & PERSONALIDADES: Luiz Gonzaga Contart


Fundada em 16 de março de 1959, na reunião seguinte, no dia 1º de abril de 1959, além de receber novos clubes filiados, a Federação Desportiva de Brasília criou os seus departamentos especializados, tendo, para o Departamento de Futebol sido eleito Luiz Gonzaga Contart, o qual promoveu diversas reuniões com os clubes inscritos no Departamento, em número de 20, para a disputa do primeiro campeonato de futebol da cidade.
Luiz Gonzaga Contart nasceu em Ituverava (SP) em 5 de maio de 1925. Mudou-se, com seus pais, para Goiânia, em 1934. Depois de participar de diversos cursos de especialização, dedicou-se à profissão de jornalista. Foi diretor do Sindicato de Jornalistas Profissionais, Conselheiro e Vice-Presidente da Associação Goiana de Imprensa. Foi diretor da Rádio Alvorada, Rádio Independência e do jornal Diário Carioca-Brasília, o primeiro diário da nova Capital. Em 1965, retornou a Goiânia, passando a trabalhar numa agência de publicidade. Trabalhou no jornal Cinco de Março e no Diário da Manhã. De 1950 a 1954 foi eleito Vereador de Goiânia pelo PSB. Presidente da Câmara Municipal de Goiânia, recebeu em 1998 o título de Cidadão Goianiense.
Faleceu em Goiânia, no ano de 2002.

O GUARÁ VENCE O GOIÁS - 1959

No dia 27 de setembro de 1959 foi realizado amistoso entre o C. R. Guará e o E. C. Goiás, de Goiânia, em Brasília.
Vitória do Guará, por 2 x 0, gols de Severo.
O Guará formou com Bitinho (Maia), Silas (Tostão), Vandoca e Homero; Cazuza e Múcio; Braz (Nereu), Severo, Reinaldo, Luís Maia e Zezinho.
O Goiás alinhou Valdir (Nezinho), Barreto, Horácio (Pedro) e Mário; Fio Preto e Lazinho; Mané Preto, Barata, Laércio, Tão e Zé Preto.

O PRIMEIRO JOGO DE FUTEBOL APÓS A INAUGURAÇÃO DE BRASÍLIA

Disputado no dia 1º de maio de 1960, o amistoso envolveu a equipe do C. R. do Guará e o time da Construtora Ribeiro. O Ribeiro chegou a abrir 2 x 0, mas depois sofreu a virada. Mais alguns detalhes do jogo:

GUARÁ 3 x 2 RIBEIRO
Local: Estádio Israel Pinheiro
Guará: Bosco, Manoelito, Tostão e Luizinho; Múcio e Severo; Zé Siqueira, Fernando, Íris, Eluff e Valdir (Mário).
Ribeiro: Roberto, Cássio, Lalá e Hélvio; Japonês e Orlando I; Zé Luiz (Pelezinho), Marianelli, Atílio, Nilo e Paulinho.
Gols: Paulinho, 10 e 18; Fernando, 42, Mário, 73 e Múcio, 85.
O Guará jogava com uniforme preto e branco; o Ribeiro era alvi-celeste.