Total de visualizações de página

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

JUNIORS DO DF E DA SELEÇÃO BRASILEIRA EMPATAM - 1980

A Seleção Brasileira de Juniors que se preparava para as eliminatórias dos Jogos Olímpicos de Moscou realizou alguns amistosos pelo Brasil e um deles aconteceu no dia 11 de janeiro de 1980, no Estádio Serejão, em Taguatinga, contra a Seleção de Juniors do Distrito Federal. O jogo terminou empatado em 1 x 1.
O árbitro do encontro foi Lourival Farias Filho.
Marcaram os gols, Anselmo, de pênalti, aos 58 minutos de jogo, e Junior, aos 87.
Eis as formações das duas equipes:
SELEÇÃO DO DISTRITO FEDERAL: Haroldo, Zenildo, Junior, Brito e Nêgo; Marquinhos, Maurinho e Vicente; Dárcio, Paulo e Wando. Treinador: Martim Francisco.
SELEÇÃO DO BRASIL: Luís Henrique (Ponte Preta), Édson Boaro (Ponte Preta), Márcio Rossini (Marília) depois Valdoir (Bahia), Wagner Basílio (Corinthians) depois Mauro Galvão (Internacional) e João Luís (Vasco da Gama); Vítor (Flamengo) depois Dudu (Vasco da Gama), Cléo (Internacional) e Jerson (Botafogo); Jorginho (Palmeiras), Anselmo (Flamengo) depois Lela (Noroeste) e Aroni (XV de Jaú). Técnico: Jaime Valente.

JOGO QUE DECIDIU O CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1981

TAGUATINGA 1 x 0 GUARÁ
Data: 15 de novembro de 1981
Local: Estádio Elmo Serejo Farias, o Serejão
Árbitro: Roberto Coelho
Renda: Cr$ 640.350,00
Gol: Caiaba
TAGUATINGA: Augusto, Warlan, Décio, Emerson e Edson; Boni, Péricles e Raimundinho; Paulo Hermes, Caiaba e Serginho.
GUARÁ: Adriano, Elmo, Luís Fernando, Edvaldo e Maia; Barão, Newton e Jânio; Ivonildo, Jesus (Bolão) e Dionísio.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A REINAUGURAÇÃO DO ESTÁDIO MANÉ GARRINCHA


No dia 15 de dezembro de 1983 a Seleção do Distrito Federal realizou um amistoso contra uma Seleção Brasileira de Novos, na reinauguração do Estádio Mané Garrincha, no Centro Desportivo Presidente Médici, em Brasília.
A Comissão Técnica da Seleção do DF era formada pelo Supervisor Almir de Azevedo Vieira e pelo Técnico Pedro Pradera, os quais convocaram os seguintes jogadores:
Goleiros: Sidney (Brasília) e Bocaiúva (Guará)
Lateral-direito: Ricardo (Brasília) e Cidão (Gama)
Zagueiros: Foca (Brasília) e Zinha (Gama)
Lateral-esquerdo: Ahlá (Brasília) e Auro (Ceilândia)
Meio-campo: Barão (Guará), Marquinhos (Ceilândia), Péricles (Taguatinga) e Marco Antônio e Wander (Brasília)
Ponteiros: Santos (Brasília) e Lino (Gama)
Centro-avantes: Éder (Guará) e Zecão (Taguatinga)
Posteriormente, foram convocados Flávio (Sobradinho), Kleber, Zu e Kidão (Brasília)
Wander, Auro, Flávio e Kleber foram dispensados.
A Seleção Brasileira de Novos derrotou a Seleção do Distrito Federal por 2 x 1.
O árbitro foi José de Assis Aragão e a renda alcançou Cr$ 19.868.500,00 (público: 12.198).
Os gols foram marcados por Marcus Vinícius e Chicão para a Seleção Brasileira e Péricles para a Seleção do DF. As equipes foram assim formadas:
BRASIL: Acácio, Edson, Toninho Carlos, Leiz e Jorginho (Josimar); Alemão, Berg (Renê) e Marcus Vinícius (Paulinho); Geraldo, Chicão e Márcio Fernandes. Técnico: Carlos Alberto Parreira.
DISTRITO FEDERAL: Bocaiúva, Ricardo, Foca, Zinha e Ahlá; Barão, Marquinhos (Marco Antônio) e Péricles; Santos (Luís Carlos), Éder e Lino (Zecão). Técnico: Pedro Pradera.

sábado, 28 de janeiro de 2012

CRAQUES DE ONTEM E DE HOJE: BETO PRETTI



Alberto José Pretti Filho, o Beto Pretti, nasceu em 7 de junho de 1935, em Colatina (ES), e lá começou a jogar futebol, defendendo o UACEC – União Atlética Colégio Estadual de Colatina, clube formado com a finalidade de agregar jovens estudantes de sua cidade natal e que hoje se encontra extinto.
Em 1955, foi contratado pelo Rio Branco, onde estreou em 1º de abril de 1955, num amistoso contra o Vitória, com derrota de 1 x 0. Seu primeiro gol aconteceu em 9 de outubro do mesmo ano, na goleada sobre o Americano por 5 x 0.
No ano de 1956 foi campeão do Torneio Início capixaba.
As maiores conquistas aconteceriam dois anos depois: 1957 e 1958, quando se tornou bicampeão capixaba, ainda atuando pelo Rio Branco, de Vitória.
No certame de 1957, participou de todos os 9 jogos do clube, sem marcar gols, atuando de meia-esquerda. Em 1958, foram onze jogos de um total de 14, marcando apenas um gol.
Após o returno de 1958, foi vendido para o Atlético Mineiro. Disputou cem jogos com a camisa do Rio Branco.
O primeiro jogo em seu novo clube aconteceu no dia 4 de janeiro de 1959, num amistoso em que o Atlético Mineiro venceu o América (MG), por 3 x 1.
De 24 de maio a 7 de junho de 1959 participou da excursão que o Atlético Mineiro fez à Bahia, marcando apenas um gol na vitória sobre o Itabuna, por 5 x 1.
Seu último jogo com a camisa do Atlético Mineiro seria em Brasília, no dia 26 de junho de 1960, no empate com o Cruzeiro em 2 x 2.
No Atlético foram 47 jogos e 6 gols marcados. O único título conquistado no clube foi o de campeão da Copa Belo Horizonte de 1959.
Voltando ao jogo do dia 26 de junho, este foi realizado no Estádio Israel Pinheiro, campo do Guará, como parte dos festejos de inauguração oficial da TV Nacional de Brasília. Os gols do Atlético Mineiro foram marcados por Colete e Beto Pretti. Com um detalhe: o gol de Beto foi olímpico.
Depois do jogo, foi contratado pelo time da Construtora Ribeiro. Já era formado em Odontologia e, em novembro de 1960 foi nomeado Dentista Classe “J” do Quadro Permanente do Departamento de Assistência Médica do Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Comerciários, conforme Portaria de 04.11.1960.
Sua estréia no time da Construtora Ribeiro foi no dia 3 de julho de 1960, com vitória de 2 x 0 sobre a equipe do B.G.P. (Batalhão da Guarda Presidencial), em jogo válido pelo Troféu Danton Jobim, promovido em homenagem ao DC-Brasília e aos jornalistas brasileiros.
O Ribeiro acabaria conquistando o torneio no dia 31 de julho, com vitória de 5 x 0 sobre a ENACO. A formação do Ribeiro foi Nei, Japonês e Caio; Valter, Marianelli e Enes; Zé Luís, Paulinho, Gesil, Beto Pretti e Viola.
O time da Construtora Ribeiro foi desfeito e seus jogadores procuraram por outros clubes. Beto Pretti resolveu apostar no futebol de salão que estava em franca ascensão na Capital Federal. Firmou contrato com em 1961 com o Brasília Ecisa Clube. 
Não pôde praticar o futebol de salão por muito tempo. Logo depois, a Federação Desportiva de Brasília recebeu o Ofício nº 6.615, da CBD, comunicando que o pedido de transferência e reversão do atleta Alberto José Pretti Filho foi indeferido por falta de estágio regulamentar de um ano.
Voltou, então, para o futebol, contratado que fora pela A. E. Cruzeiro do Sul. Seu primeiro grande jogo foi em 21 de abril de 1962, no jogo Seleção de Brasília 1 x 1 Vasco da Gama, do Rio de Janeiro, no Estádio Vasco Viana de Andrade. Esse jogo teve como convidados especiais Zizinho, que chegou a jogar, entrando no lugar de Alaor Capela, e Friedenreich.
Segundo o Jornal do Brasil “o Vasco da Gama teve sempre dificuldade de armar seus ataques, pela falta de apoio no meio-de-campo, onde o meia-esquerda Beto, de Brasília, ganhava a maioria das jogadas contra Lorico e Écio”.
Ainda em 1962, participou de outro jogo da Seleção do Distrito Federal, que em 29 de setembro, empatou com Goiás em 2 x 2, em Goiânia.
Em 1963, foi importante peça para a conquista do título de campeão brasiliense pelo Cruzeiro do Sul.
De 1964 a 1965, passou para o Rabello, que adotara o profissionalismo, conquistando os títulos em todos esses anos.
Em 1967, transferiu-se para o Flamengo, de Taguatinga, onde fez sua estréia no dia 7 de abril, no jogo Flamengo 0 x 0 Rabello, na preliminar do amistoso interestadual Defelê 1 x 1 Bonsucesso (RJ). Dois dias depois, esse mesmo Flamengo foi derrotado pelo Bonsucesso, por 3 x 2.
Foi seu último ano em Brasília, como jogador. Decidiu voltar para seu Estado natal e iniciar a carreira de treinador.
Como técnico, levou a equipe do Rio Branco, de Vitória, aos títulos estaduais em 1968 e 1970. Ganhou, ainda, o campeonato da cidade de 1969.
Daí, em diante, foi treinador de todos os grandes times do futebol capixaba. 
Dentre outros, em 1973 foi técnico da Desportiva Ferroviária no Campeonato Brasileiro. De 1976 a 1978, voltou para o Rio Branco. 
Em 1979 foi o treinador do Vitória quando o clube capixaba conquistou um dos maiores títulos da sua história, a IX Copa Presidente Park Chung-Hee, na Coréia do Sul.
Em 1981, foi o técnico da Desportiva Ferroviária no Campeonato Brasileiro, da mesma forma que em 1985.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

TORNEIO SELETIVO - FASE REGIONAL DA TAÇA CBF - 1984

Participantes:
GRUPO A – Gama, Sobradinho, Taguatinga e Vasco da Gama.
GRUPO B – Ceilândia, Guará e Tiradentes

05.02.1984
Taguatinga 0 x 0 Sobradinho
Gama 1 x 0 Vasco da Gama
Tiradentes 3 x 1 Ceilândia

08.02.1984
Ceilândia 2 x 0 Guará
Sobradinho 1 x 1 Gama
Taguatinga 5 x 0 Vasco da Gama

12.02.1984
Gama 0 x 0 Taguatinga
Sobradinho 4 x 0 Vasco da Gama
Tiradentes 0 x 1 Guará

Artilheiros:
1º - Joãozinho (Ceilândia), Serginho e Jânio (Taguatinga) e Péricles Ribeiro (Sobradinho), 2 gols.

DECISÃO DO TORNEIO
19.02.1984
Tiradentes 2 x 0 Taguatinga, gols de Robertinho e Serginho.

JOGOS QUE DECIDIRAM O CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1982

BRASÍLIA 1 x 0 GUARÁ
17 de novembro de 1982
Local: CAVE, Guará
Árbitro: Edson Rezende de Oliveira
Renda: Cr$ 135.500,00
Público: 750
Gol: Aluísio, 16
Brasília: Haroldo, Ricardo, Kidão, Foca e Zu; Wilson Bispo, Marco Antônio e Márcio; Mardone, Aluísio e Cléber. Técnico: Erci Rosa.
Guará: Jonas, Elmo, Luiz Fernando, Carlinhos e Caio; Barão, Nilton e Edilson; Beline, Éder e Zé Vieira. Técnico: Raimundinho.

BRASÍLIA 1 x 1 GUARÁ
24 de novembro de 1982
Local: CAVE, Guará
Árbitro: Clésio José Penoni
Renda: Cr$ 909.600,00
Público: 4.325
Gols: Cléber (Brasília), 46 e Carlinhos (Guará), 63

GUARÁ 0 x 0 BRASÍLIA
28 de novembro de 1982
Local: CAVE, Guará
Árbitro: Edson Rezende de Oliveira
Renda: Cr$ 1.324.600,00
Público: 5.815
Expulsão: Mardone, 85
Brasília: Haroldo, Ricardo, Kidão, Foca e Zu; Wilson Bispo, Marco Antônio e Kleber; Mardone, Márcio (Santos) e Zé Carlos. Técnico: Erci Rosa.
Guará: Jonas, Edvaldo, Luiz Fernando, Carlinhos e Geraldo Galvão; Barão, Nilton (Beline) e Elmo; Paulo Caju (Zé Vieira), Éder e Dionísio. Técnico: Raimundinho.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

TORNEIO CENTRO-OESTE DE SELEÇÕES - 1980

Distrito Federal 4 x 1 Goiás (combinado Goiás e Vila Nova)
Data: 21 de abril de 1980
Local: Estádio Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Edson Rezende de Oliveira
Renda: Cr$ 82.830,00
Gols: Fantato (22), Manoel Ferreira (25), Pastoril (27), Roldão (76) e Eduir (85).
DISTRITO FEDERAL: Hélio, Carlão, Mário, Jonas Foca e Zé Mário; Alencar, Eduir e Manoel Ferreira; Roldão, Fantato e Robertinho.
GOIÁS: Serginho, Triel (Jáder), Argeu, Góis e Nonoca; Roberto Oliveira, Luís Dário (Miguelzinho) e Pastoril; Lucinho, Marco Antônio e Edvan (Zé Sérgio).

Goiás 1 x 1 Distrito Federal
Data: 24 de abril de 1980
Local: Estádio Serra Dourada, Goiânia (GO)
Árbitro: ?
Renda: Cr$ 34.890,00
Gols: Zé Sérgio (30) e Roldão (85)
GOIÁS: Serginho, Triel (Jáder), Argeu, Marcelo e Nonoca; Luís Carlos, Danival e Pastoril; Lucinho, Marco Antônio e Zé Sérgio.
DISTRITO FEDERAL: Hélio, Carlão, Jonas Foca, Zé Mário (Geraldo Galvão) e Luizinho; Alencar, Eduir e Manoel Ferreira; Roldão, Fantato e Robertinho (Lino).

A SELEÇÃO DO DF NO CAMPEONATO BRASILEIRO DE JUNIORS - 1981

Estes foram os jogadores convocados pelo técnico Erci Rosa para defenderem a Seleção de juniors do Distrito Federal no IV Campeonato Brasileiro da categoria:
Guará: Éder Antunes, Marcelo e Newton;
Brasília: Bolão, Souza, Wando, Zé Maurício, Odair, Juscelino, Jussiê, Kleber, Nena, Mardone e Santos;
Tiradentes: Gilberto;
Sobradinho: Iranil, Jansen e Wellington;
Gama: Djalma, Chiquinho, Jaiden, Nescau, Juninho e Zinha; e
Taguatinga: Marcelo Lourenço e Marcelo Freitas.
O Auxiliar Técnico era Josemar Macedo.

O Distrito Federal não aproveitou o fato de jogar em casa (os jogos do grupo foram realizados no Estádio do CAVE, no Guará) e não se classificou para a fase seguinte. Os resultados foram esses:

01.12.1981
Distrito Federal 1 x 0 Goiás, gol de Santos
Rio de Janeiro 1 x 1 Minas Gerais

03.12.1981
Rio de Janeiro 1 x 0 Goiás
Distrito Federal 0 x 1 Minas Gerais

05.12.1981
Minas Gerais 7 x 1 Goiás
Distrito Federal 1 x 2 Rio de Janeiro, no Pelezão, gol de Zinha.

Defenderam a seleção do Distrito Federal: Nena, Gilberto, Iranil, Zinha (Souza) e Nescau; Kleber, Newton (Santos) e Zé Maurício; Jussiê (Bolão), Éder Antunes e Wando (Mardone). Técnico: Ercy Rosa.
Destaques: o quarto-zagueiro Zinha, o meio-de-campo Zé Maurício, o ponteiro Jussiê (que era da seleção brasileira juvenil) e o centro-avante Éder Antunes.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

MELHORES DO ESPORTE EM 1985

Promoção da ABCD - Associação Brasiliense de Cronistas Desportivos.
No Futebol concorreram: Kleber e Nei (Brasília), Marquinhos (Taguatinga) e Arthur, Toni e Jamil (Sobradinho).
Ganhou o prêmio Arthur, do Sobradinho.

TROFÉU “MANÉ GARRINCHA” - 1984

Para os “Melhores do Ano”, eleitos por cronistas esportivos do Distrito Federal:

Ronaldo (Ceilândia), Junior (Taguatinga), Gilvan (Taguatinga), Foca (Brasília) e Vizotto (Taguatinga); Wellington (Sobradinho), Marco Antônio (Brasília) e Wander (Brasília); Régis (Sobradinho), Joãozinho (Ceilândia) e Marquinhos (Taguatinga).
Técnico: Jorge Medina (Brasília)
Preparador Físico: Altair Siqueira (Sobradinho)
Árbitro: Edson Rezende de Oliveira
Presidente de clube: Froylan Pinto (Taguatinga)
Obs.: a solenidade aconteceu no dia 20 de janeiro de 1985.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

JOGOS QUE DECIDIRAM O CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1984

BRASÍLIA 2 x 2 SOBRADINHO
Data: 24 de novembro de 1984
Local: Estádio Mané Garrincha
Árbitro: Tolistoi Batista
Renda: Cr$ 3.104.000
Público: 1.124
Gols: Dedei, 20, Kidão, 43, Jamil, 66 e Marco Antônio, 72.
Expulsão: Dedei e Joaldo.
BRASÍLIA: Joaldo, Paulinho Comelli, Kidão, Iranil e Mundinho; Marco Antônio, Manuel Ferreira e Baiano (Ahla); Kleber, Júlio César (Nei) e Wander. Técnico: Jorge Medina.
SOBRADINHO: Ataíde, Marcos, Esquerdinha, Rildo e Cláudio; Chiquinho, Wellington (Michael) e Filó; Régis (Jamil), Dedei e César. Técnico: Nielsen.

TAGUATINGA 0 x 1 BRASÍLIA
Data: 28 de novembro de 1984
Local: Estádio Elmo Serejo Farias (Serejão)
Árbitro: Walterley Pereira
Renda: Cr$ 6.200.000
Público: 6.150
Gol: Mundinho, 6
TAGUATINGA: Augusto, Junior (Auro), Gilvan, Zinha e Vizotto; Bill (Lino), Péricles e Marcelo; Serginho, Roldão e Marquinhos. Técnico: Canhoto.
BRASÍLIA: Nena, Iranil, Kidão, Foca e Ahla; Baiano, Manuel Ferreira e Marco Antônio; Paulinho Comelli, Mundinho e Wander. Técnico: Jorge Medina.

TAGUATINGA 0 x 0 SOBRADINHO
Data: 1º de dezembro de 1984
Local: Estádio Elmo Serejo Farias (Serejão)
Árbitro: Edson Resende
Renda: Cr$ 3.414.000
Público: 1.138
TAGUATINGA: Augusto, Auro, Gilvan, Zinha e Vizotto; Wilson Bispo (Bill), Péricles e Marcelo (Agnaldo); Lino, Serginho e Marquinhos. Técnico: Canhoto.
SOBRADINHO: Ataíde, Marcos, Esquerdinha, Rildo e Jamil; Chiquinho, Wellington e Filó; Régis (Nilo), César e Arthur. Técnico: Nielsen.

ZICO E RIVELINO NA SELEÇÃO DO DF EM 1983

Em benefício das vítimas das enchentes que assolaram o sul do Brasil naquele ano, foi realizado um amistoso no dia 23 de julho de 1983, no Estádio Elmo Serejo Farias (Serejão), em Taguatinga, reunindo uma Seleção do Distrito Federal e uma Seleção do Sul, que alguns jornais chamaram de Seleção de Santa Catarina.
A Seleção do Distrito Federal contou com os reforços dos craques Zico e Rivelino.
O placar final foi Seleção do DF 3 x 2 Seleção do Sul. A renda foi de Cr$ 7.889.000,00. José Mário Vinhas atuou como árbitro do jogo.
Marcaram os gols: Bizu, 18; Zico, 48; Silva, 62; Marquinhos, 87 e Éder, 90.
Formou a Seleção do DF com Jonas (Adriano), Cidão (Ricardo), Foca, Zinha e Manoel Silva (Pacheco); Barão, Zico (Marquinhos) e Rivelino (Wander); Santos (Raimundinho), Nilson (Éder Antunes) e Lino (Marcelo). Técnico: Pedro Pradera.
Já a Seleção do Sul atuou com Gilson (Borrachinha), Bruno (Toninho), Adilço (Silva), Gilberto e Álvaro; Careca (Édson), Toninho Vanusa e João Renato; João Carlos, Bizu (Nestor) e Ademir. Técnico: Adelardo Madalena.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

TORNEIO INÍCIO DO CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1983

Regulamento: jogos eliminatórios com tempo de 30 minutos (15 x 15); em caso de empate, cobrança de pênaltis, começando a série com 3 penalidades.
Data: 8 de maio de 1983
Local: Estádio Bezerrão, Gama

TAGUATINGA 0 x 0 GUARÁ (nos pênaltis: Taguatinga 6 x 5)
BRASÍLIA 0 x 0 SOBRADINHO (nos pênaltis: Sobradinho 9 x 8)
TIRADENTES 1 x 0 CEILÂNDIA
Gol: Manoel Ferreira
GAMA 1 x 1 VASCO DA GAMA
Gols: Lino para o Gama e Dircinho para o Vasco da Gama
Nos pênaltis: Gama 3 x 2
TAGUATINGA 0 x 0 SOBRADINHO (nos pênaltis: Sobradinho 3 x 2; Serginho, Arthur e Rodrigues para o Sobradinho e Paulo Araújo e Péricles para o Taguatinga; Joaldo defendeu o pênalti cobrado por Fantato.)
GAMA 2 x 0 TIRADENTES
Gols: Lino e Ronaldo

DECISÃO
GAMA 0 x 0 SOBRADINHO (nos pênaltis: Gama 2 x 0; Hélio defendeu os pênaltis cobrados por Serginho e Arthur, enquanto que Lino e Cidão marcaram os gols do campeão Gama.

BOTAFOGO VENCE TORNEIO EM BRASÍLIA - 1983


Para comemorar mais um aniversário da cidade de Brasília (o 23º), a Federação Metropolitana de Futebol promoveu um quadrangular interestadual, denominado “Torneio 21 de Abril” (Taça “Governador José Ornellas), e que contou com as participações de Gama, Taguatinga e Tiradentes, de Brasília, e do Botafogo, do Rio de Janeiro.
Uma das atrações do torneio foi a participação do tricampeão mundial Jair Ventura Filho, o Jairzinho, jogando com a camisa do Tiradentes.
A primeira rodada do torneio aconteceu no dia 20 de abril. Os jogos foram realizados no Estádio Serejão, em Taguatinga.
No primeiro jogo, o Tiradentes venceu o Gama por 2 x 0 Gama, gols de Jairzinho e Ivonildo. Formou o Tiradentes com Daniel, Márcio, Renato César, Joãozinho e Serginho; Neto (Cizo), Moreirinha e Manoel Ferreira; Ivonildo, Jairzinho e Josimar.
No jogo principal, o Botafogo derrotou o Taguatinga por 1 x 0, gol marcado por Té. O Botafogo jogou com Paulo Sérgio, Josimar, Luís Cláudio, Osvaldo e Wagner; Ataíde, Sídnei e Alemão; Geraldo, Nunes e Té. Já o Taguatinga formou com Adriano, Pacheco, Warlan, Anselmo e Cuca; Paulo Araújo, Péricles e Boni; Julinho, Fantato e Jânio.
O árbitro foi Édson Rezende de Oliveira.
Três dias depois (23 de abril) aconteceu a decisão do torneio, no Estádio Bezerrão, no Gama.
Na disputa do terceiro lugar, o Taguatinga ganhou do Gama por 2 x 1. Fantato fez os dois gols do Taguatinga e Nilson descontou para o Gama.
O Botafogo sagrou-se campeão do torneio ao vencer o Tiradentes, por 3 x 1. Té, duas vezes, e Geraldo marcaram os gols do Botafogo, enquanto Jairzinho fez o único gol do Tiradentes.
Édson Rezende de Oliveira foi o árbitro da partida.
Formou o Botafogo com Paulo Sérgio (Luiz Carlos), Josimar, Luís Cláudio (Christiano), Osvaldo e Wagner (Paulo Verdan); Alemão (Serginho), Ataíde e Sídnei (Édson); Geraldo, Nunes e Té. Técnico: Zé Mário. O Tiradentes atuou com Daniel, Márcio, Renato César, Joãozinho (Oscar) e Serginho; Neto, Moreirinha e Manoel Ferreira; Ivonildo, Jairzinho (Tico) e Josimar. Técnico: Luís Gomes.

domingo, 22 de janeiro de 2012

GUARÁ VENCE SELEÇÃO BRASILEIRA DE JUNIORES EM 1981


A Seleção Brasileira se preparava para disputar o Campeonato Mundial Sub-20 de 1981, na Austrália, e realizou diversos amistosos pelo Brasil. Um deles foi contra o Guará, no dia 7 de setembro de 1981, no Estádio do CAVE, no Guará.
O resultado final apontou Guará 3 x 1 Seleção Brasileira de Juniores.
Edson Rezende de Oliveira foi o árbitro da partida.
Os gols foram marcados por Ivonildo, Cidão e Jesus para o Guará e Júlio César para a Seleção Brasileira, todos no primeiro tempo.
Assim formaram as equipes:
GUARÁ: Adriano, Cidão (Paulinho), Luiz Fernando, Geraldo Galvão e Edvaldo; Barão, Niltinho e Jânio; Ivonildo, Jesus (Dionísio) e Éder. Técnico: Carlos Morales.
SELEÇÃO BRASILEIRA: Brigatti (Ponte Preta), Paulo Roberto (Grêmio), Partala (Matsubara) (Luís Antônio – São Bento), Mauro Galvão (Internacional) e Nelsinho (São Paulo); Júlio César (Guarani), Josimar (Botafogo) e Leomir (Coritiba); Lela (Noroeste), Marcelo Vita (Guarani) e Djalma Baía (Matsubara). Técnico: Vavá.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

CLUBES DE BRASÍLIA: COLOMBO




Mineiro de Uberlândia (MG), Adolfo Luís Rizza chegou para Brasília ainda em 1957. Juntamente com seu irmão Antônio, era proprietário do Posto e Recapagem Colombo, na Cidade Livre, hoje Núcleo Bandeirante, durante a construção de Brasília. Seus irmãos Pedro e Luiz também atuaram como empresários na Cidade Livre.
Formada por vários desportistas, a família Rizza foi a maior incentivadora para a fundação, na Cidade Livre, do Clube Atlético Colombo, em 6 de abril de 1960.
A primeira diretoria do Colombo ficou assim composta: Presidente: Francisco Correia Bento; Vice-Presidente: José Ribeiro Costa, Diretor Secretário: Jason Santana; Diretor Tesoureiro: Manoel Ribeiro da Costa; Diretor Esportivo: Adolfo Rizza e Vice-Diretor Esportivo: Pedro Rizza. Adolfo Rizza também era o representante do clube junto a Federação Desportiva de Brasília - FDB.
As cores oficiais do novo clube foram escolhidas na mesma reunião: amarela e azul.
Disputou campeonatos oficiais da Federação desde o ano de sua fundação até o ano de 1972.
A primeira participação do Colombo em competições oficiais da FDB aconteceu no dia 9 de julho de 1961, no Torneio Início da Segunda Divisão. Ficou com a segunda colocação, perdendo a final para o Guanabara, por 3 x 1. Real e La Salle foram os outros clubes participantes.
Sua estréia no certame da Segunda Divisão de 1961 aconteceu no dia 6 de agosto de 1961. No Estádio “Israel Pinheiro”, o Colombo marcou 3 x 0 no Real.
Depois de dois turnos disputados, chegou a uma melhor-de-três em igualdade de condições com o Guanabara. Após dois empates (1 x 1 e 2 x 2) e uma derrota de 1 x 0 no dia 3 de dezembro de 1961, o Colombo ficou com o vice-campeonato. Revelaria bons jogadores, tais como Tião I, Vonges, Nilo, Baiano, Ventura, Paulista, Tião II e Cid.
No ano de 1962, já como clube da Primeira Divisão, participou, nos dias 28 de abril e 1º de maio, da Taça Candango, torneio patrocinado pela Companhia Antarctica Paulista, juntamente com Guará, Defelê e Rabello. Foi derrotado pelo Guará.
No Torneio Início de 10 de junho, no Estádio “Ciro Machado do Espírito Santo”, em seu primeiro e único jogo empatou em 0 x 0 com o Defelê, sendo derrotado nos pênaltis por 3 x 1).
No dia 9 de setembro foi até a cidade goiana de Anápolis e trouxe um ótimo resultado: empate de 3 x 3 com o Anápolis.
Sua estréia na Primeira Divisão foi no dia 1º de julho de 1962, no Estádio “Israel Pinheiro”, com vitória de 3 x 0 sobre a A. E. Presidência, com dois gols de Tião I e um de Tião II.
Realizou uma brilhante campanha (18 jogos, 11 vitórias, 3 empates e 4 derrotas; 47 gols a favor e 19 contra), mas ficou com a segunda colocação, atrás apenas do bicampeão Defelê. Dez equipes disputaram o campeonato brasiliense de 1962.
Além da campanha, três jogadores do Colombo terminaram o campeonato entre os quatro maiores artilheiros da competição: 1º Cid, com 14 gols; 2º Tião I, com 11 e 4º Tião II, com 9.
A formação básica foi Chico Itacarambi, Vonges, Nilo, Landulfo (Índio) e Nenê; Paulista (Léo) e Cascorel; Baiano (Almir), Tião I, Cid e Tião II. O treinador era Edvard Brandão.
Ainda neste ano de 1962 teve três de seus jogadores convocados para representarem o Distrito Federal no Campeonato Brasileiro de Seleções: os atacantes Cid, Tião I e Tião II. O DF passou por Mato Grosso mas foi desclassificado por Goiás.
Iniciou o ano de 1963 com bons resultados: no dia 17 de fevereiro, em Anápolis, empatou com o clube do mesmo nome em 2 x 2. Um mês depois, novamente em Anápolis, venceu o Ipiranga local por 3 x 2.
No Torneio Início, realizado em 12 de maio, no campo do Grêmio, Estádio “Vasco Viana de Andrade”, chegou até a final, contra o Defelê. No tempo normal de jogo, empate em 1 x 1. Na cobrança de pênaltis, seu ex-jogador Cid (contratado pelo Defelê) decidiu o torneio em favor do seu novo clube, convertendo 2 em 3 cobranças, enquanto Nilo, do Colombo, perdeu dois.
No campeonato, não reeditou sua campanha anterior, ficando em quinto lugar entre nove participantes.
Em 1964, foi aprovada a implantação do profissionalismo no futebol de Brasília e o Colombo resolveu aderir à novidade.
Logo no dia 5 de abril, conquistou um grande resultado ao ganhar o amistoso interestadual contra o Vila Nova (GO), por 3 x 2.
Antes, no dia 8 de março de 1964, estreou no Torneio “Prefeito Ivo de Magalhães” derrotando o Luziânia por 2 x 1. Ficou em terceiro lugar no torneio.
No campeonato de profissionais, que reuniu cinco equipes, estreou com derrota de 3 x 0 para o Defelê, no dia 6 de outubro de 1964. No final do certame, ficou na terceira colocação, atrás de Rabello e Defelê.
Seus maiores destaques foram o goleiro Dico (que mais tarde defenderia o Rabello e o Clube do Remo), o zagueiro Sir Peres e o meio-de-campo João Dutra, além de continuar contando com a eficiência da dupla Tião I e Tião II.
Preparando-se para o campeonato de 1965, disputou alguns amistosos interestaduais, com destaque para estes: 26 de maio – 1 x 2 Moto Clube, do Maranhão, e 27 de junho – 1 x 0 Uberlândia (MG), ambos em Brasília.
No campeonato de profissionais de 1965, disputado por apenas quatro clubes, ficou em segundo lugar, um ponto atrás do Rabello, o campeão, e à frente de Guará e Defelê. Voltou a contar com a força do atacante Cid e teve como treinador Didi de Carvalho.
Em 1966, perdeu João Dutra para o Rabello. Chegou à semifinal do Torneio Início, quando foi derrotado pelo Defelê. No campeonato de profissionais, que passou a contar com sete equipes, ficou em terceiro lugar, e teve o artilheiro do campeonato, Cid, com 11 gols, e o segundo colocado (junto com outros dois jogadores), Baiano, com 9.
Logo depois, a FDB promoveu o Torneio de Profissionais “Engenheiro Plínio Cantanhede”, com a participação das mesmas equipes que disputaram o campeonato.
O título foi decidido em um jogo extra entre Colombo e Defelê. Aconteceu empate de 3 x 3, com Zezé, Tião e Baiano marcando para o Colombo e Invasão (2) e Sabará para o Defelê. Com o empate, o título foi decidido no “gol-average”, critério que beneficiou o Colombo, declarado campeão do torneio.
Individualmente, o destaque do Colombo foi o zagueiro Juci, que tempos depois defenderia a Desportiva Ferroviária, do Espírito Santo. Além dele, o Colombo colocou mais dois jogadores na “Seleção do Ano” escolhida pela Editoria de Esportes do jornal Correio Braziliense: o lateral-esquerdo Oliveira e o atacante Cid.
Em 1967, perdeu seu grande artilheiro Cid para o Rabello, o mesmo acontecendo com seu goleiro Dico. Sua primeira competição no ano foi o Torneio Brasil Central, disputado por duas equipes de Goiânia (GO), duas de Anápolis (GO) e mais o Defelê, do DF, de 30 de abril a 28 de junho. O Colombo chegou na sexta e última colocação, sem vitória nos dez jogos que disputou.
Venceu o Torneio Início de Profissionais, no dia 11 de junho. Na decisão: Colombo 1 x 0 Cruzeiro do Sul, gol de Milton (contra).
No campeonato de profissionais, jogando contra outras cinco equipes, ficou com a terceira colocação. O campeão foi o Rabello.
O ano de 1968 já começou ruim para o Colombo depois que Juci e Crispim, dois dos seus melhores jogadores, se transferiram para o América, de Belo Horizonte (MG). E terminou mal, com o clube chegando na quinta e última colocação no campeonato de profissionais de 1968.
Preferiu não se inscrever no campeonato misto (profissionais e amadores) que a Federação resolveu promover em 1969.
Retorna em 1970 e em 2 de maio deste ano realiza Assembléia para escolher sua nova diretoria. O Diretor de Esportes e representante na FDB era Adolfo Rizza.
Não participou do Torneio “Governador Hélio Prates da Silveira”, iniciado em 5 de julho de 1970. Por outro lado, tomou parte do campeonato, onde estreou no dia 7 de setembro, com vitória de 2 x 0 sobre o Jaguar, gols de Zequinha e Paulinho. O Colombo ficou com a quinta colocação entre dez equipes.
Não foi bem no Torneio “Governador do Distrito Federal”, primeira competição oficial do ano de 1971 e marcada por muitos WO, pois muitos clubes estavam irregulares (débito com a Tesouraria da FDB) e suspensos de suas obrigações. Disputado por 11 equipes, o Colombo chegou em 8º lugar.
Em compensação, conquistou invicto o título do campeonato oficial de 1971, com direito a vencer os dois turnos disputados.
Em seu último jogo, no dia 31 de outubro de 1971, o Colombo formou com Carlos José, Luiz Gonçalves, Sir Peres, Jonas e Paulo Moreira; Zoca e Pedro Léo; Procópio (Gonçalves), Zé Carlos, Diogo (Hermes) e Macalé.
Foram oito jogos disputados, com cinco vitórias e três empates. Marcou 12 gols e sofreu 3. Somou treze pontos ganhos, quatro a mais que Serviço Gráfico, o vice-campeão. Os demais participantes foram Ceub, Grêmio Brasiliense e Jaguar.
Seus artilheiros foram: Zé Carlos, com cinco gols; Pedro Léo, com 2 e Paulinho, Hermes, Procópio, Macalé e Zoca, todos com um.
O goleiro menos vazado foi Carlos José, do Colombo, com 3 gols sofrido, tendo disputado todas as partidas.
Logo no começo de 1972, mais precisamente em 8 de fevereiro, aconteceu nova Assembléia do C. A. Colombo, para eleição da nova Diretoria. Entre os dirigentes escolhidos estavam o 2º Vice-Presidente João Batista Rizza (filho de Adolfo Rizza) e o Diretor Financeiro: Milton Rizza, primos.
No campeonato daquele ano, que seria o último disputado, o Colombo chegou na terceira colocação entre sete equipes. Foram 12 jogos, com seis vitórias, quatro empates e duas derrotas. Vinte gols a favor e doze contra.
O último jogo disputado pelo Colombo foi no dia 26 de novembro de 1972, no Estádio Pelezão, contra o Ceub. Sob a arbitragem de Alaor Ribeiro, aconteceu empate em 1 x 1. O gol do Colombo foi marcado por Sérgio, do Ceub, contra suas próprias redes.
Numa Assembléia Geral Extraordinária de 16 de agosto de 1973, o Colombo transformou-se em Sociedade Esportiva Bandeirante e tinha como presidente João Batista Rizza. Não disputou nenhuma competição oficial naquele ano.

sábado, 7 de janeiro de 2012

FÉRIAS!



ESTE BLOG FICARÁ SEM ATUALIZAÇÃO NO PERÍODO DE 8 A 18 DE JANEIRO DE 2012, POIS ESTAREI EM ARACAJU (SE), CURTINDO MINHAS MERECIDAS FÉRIAS!
QUANDO RETORNAR, A GENTE CONTINUA NA LUTA!
GRANDE ABRAÇO A TODOS.
JOSÉ RICARDO CALDAS E ALMEIDA

CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1970

PARTICIPANTES
ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA SERVIÇO GRÁFICO (BRASÍLIA)
ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA CARIOCA (BRASÍLIA)
CLUBE ATLÉTICO COLOMBO (NÚCLEO BANDEIRANTE)
CLUBE ATLÉTICO PLANALTO (GAMA)
COENGE FUTEBOL CLUBE (GAMA)
DEFELÊ FUTEBOL CLUBE (BRASÍLIA)
GRÊMIO ESPORTIVO BRASILIENSE (NÚCLEO BANDEIRANTE)
JAGUAR ESPORTE CLUBE (NÚCLEO BANDEIRANTE)
PILOTO ATLÉTICO CLUBE (BRASÍLIA)
SOCIEDADE ESPORTIVA SERVENG CIVILSAN (BRASÍLIA)

1º TURNO

CIVILSAN 2 x 0 GRÊMIO
Data: 06.09.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gols: Baiano e Da Silva 

CARIOCA 0 x 0 PILOTO
Data: 06.09.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Oswaldo dos Santos

COENGE 1 x 0 DEFELÊ
Data: 06.09.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Amphilóphio Pereira da Silva
Gol: Oscar 

PLANALTO 1 x 0 SERVIÇO GRÁFICO
Data: 06.09.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Djalma Neves
Gol: Zoca 

COLOMBO 2 x 0 JAGUAR
Data: 07.09.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Carlos Ferreira do Amaral
Gols: Zequinha e Paulinho 

COLOMBO 1 x 1 CIVILSAN
Data: 13.09.1970
Local: Adolfo Rizza
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gols: Joãozinho / Gentil

GRÊMIO 3 x 3 PILOTO
Data: 13.09.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Alaor Ribeiro de Souza
Gols: Paulinho (2) e Ademir / Zé Grilo, Nenê e Paulinho

COENGE 2 x 0 CARIOCA
Data: 13.09.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Jorge Cardoso
Gols: Oscar e Toinho 

SERVIÇO GRÁFICO 2 x 1 DEFELÊ
Data: 13.09.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Jorge Aloise
Gols: Walmir e Carlos Gomes / Solon

PLANALTO 0 x 1 JAGUAR
Data: 13.09.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Geraldo Delfino de Souza
Gol: Ventura

CIVILSAN 3 x 1 DEFELÊ
Data: 20.09.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Oswaldo dos Santos
Gols: Eduardo (2) e Da Silva / Portela

PILOTO 2 x 1 PLANALTO
Data: 20.09.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Taquegi Koressawa
Gols: Sabino e Paulinho / Zoca

SERVIÇO GRÁFICO 1 x 0 JAGUAR
Data: 20.09.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Luiz Antônio Cavalcanti
Gol: Carlos Gomes 

JAGUAR 2 x 1 CIVILSAN
Data: 27.09.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Jorge Cardoso
Gols: Ireide e Ventura / Baiano

GRÊMIO 1 x 0 CARIOCA
Data: 27.09.1970
Local: Ciro Machado
Árbitro: Oswaldo dos Santos
Gol: Wanderley 

COENGE 2 x 2 COLOMBO
Data: 27.09.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Taquegi Koressawa
Gols: Oscar e Divino / Moisés e Joãozinho

SERVIÇO GRÁFICO 1 x 0 PILOTO
Data: 27.09.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gol: Dazinho 

DEFELÊ 1 x 2 PLANALTO
Data: 27.09.1970
Local: Ciro Machado
Árbitro: Adhemar Pereira da Cruz
Gols: Boni / Deija e Murilo (contra)

DEFELÊ 0 x 2 GRÊMIO
Data: 04.10.1970
Local: Ciro Machado
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gols:   Pedrinho e Sinval

COLOMBO 2 x 0 SERVIÇO GRÁFICO
Data: 04.10.1970
Local: Adolfo Rizza
Árbitro: Adhemar Pereira da Cruz
Gols: Joãozinho e Diogo 

JAGUAR 3 x 1 PILOTO
Data: 04.10.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Raphael de Carvalho
Gols: Oliveira (2) e Carlos / Jackson

COENGE 2 x 2 PLANALTO
Data: 04.10.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Oswaldo dos Santos
Gols: Oscar e Renê / Zoca e Wesley

PILOTO 1 x 1 CIVILSAN
Data: 11.10.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Carlos Ferreira do Amaral
Gols: Ivan / Manoelzinho

PLANALTO 0 x 2 GRÊMIO
Data: 11.10.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Jorge Cardoso
Gols: Noé e Ademir

SERVIÇO GRÁFICO 5 x 0 CARIOCA
Data: 11.10.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Amaury de Albuquerque Barros
Gols: Guairacá, Carlos Gomes, Walmir, Dazinho e Tião 

DEFELÊ 1 x 3 COLOMBO
Data: 11.10.1970
Local: Ciro Machado
Árbitro: Oswaldo dos Santos
Gols: Portela / Joãozinho, Moisés e Diogo

COENGE 0 x 3 JAGUAR
Data: 11.10.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gols: Felipe, Carlos e Ventura

COLOMBO 1 x 0 CARIOCA
Data: 12.10.1970
Local: Adolfo Rizza
Árbitro: Amphilóphio Pereira da Silva
Gol: Diogo 

PLANALTO 2 x 2 CIVILSAN
Data: 18.10.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Amphilóphio Pereira da Silva
Gols: Deija e Didi (contra) / Arnaldo (2)

COLOMBO 0 x 2 GRÊMIO
Data: 18.10.1970
Local: Adolfo Rizza
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gols: Nemias (2)

CARIOCA 6 x 1 JAGUAR
Data: 18.10.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Sebastião Benedito da Silva
Gols: Miluir (2), Carlinhos, Nico, Maurílio e Gisélio / Oliveira

DEFELÊ 1 x 4 PILOTO
Data: 18.10.1970
Local: Ciro Machado
Árbitro: Djalma Neves
Gols: Vitinho / Paulinho (2), Lula e Carneiro

SERVIÇO GRÁFICO 4 x 2 COENGE
Data: 18.10.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Oswaldo dos Santos
Gols: Cid (2) e Guairacá (2) / Paulinho e Oscar

COENGE 0 x 1 CIVILSAN
Data: 25.10.1979
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gol: Manoelzinho

SERVIÇO GRÁFICO 1 x 0 GRÊMIO
Data: 25.10.1979
Local: Pelezão
Árbitro: Edson Braga
Gol: Carlos Gomes 

CARIOCA 0 x 2 PLANALTO
Data: 25.10.1979
Local: Pelezão
Árbitro: Adélio Nogueira Soares
Gols: Zoca e Parada

COLOMBO 1 x 2 PILOTO
Data: 25.10.1979
Local: Adolfo Rizza
Árbitro: Adhemar Pereira da Cruz
Gols: Moisés / Nenê e Paulinho

DEFELÊ 1 x 5 JAGUAR
Data: 25.10.1979
Local: Ciro Machado
Árbitro: Oswaldo dos Santos
Gols: Vitinho / Geraldo (2), Oliveira, Ventura e Felipe

SERVIÇO GRÁFICO 1 x 1 CIVILSAN
Data: 01.11.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Jorge Cardoso
Gols: César / Manoelzinho

JAGUAR 2 x 2 GRÊMIO
Data: 01.11.1970
Local: Ciro Machado
Árbitro: Eano Carmo Correa
Gols: Oliveira e Gilson / Marcos e Paulinho

DEFELÊ 0 x 1 CARIOCA
Data: 01.11.1970
Local: Ciro Machado
Árbitro: Amphilóphio Pereira da Silva
Gol: Miluir

COLOMBO 0 x 2 PLANALTO
Data: 01.11.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gols: Reco (2)

COENGE 1 x 0 PILOTO
Data: 01.11.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Oswaldo dos Santos
Gols: Toinho 

CARIOCA 2 x 2 CIVILSAN
Data: 08.11.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Jorge Cardoso
Gols: Nilson e Miluir / Dedeco (contra) e Arnaldo

COENGE WO x 0 GRÊMIO
Data: 08.11.1970
Local: Cultural Mariana
Árbitro: Amphilóphio Pereira da Silva

CLASSIFICAÇÃO FINAL DO 1º TURNO


CF
CLUBES
J
V
E
D
GF
GC
PG
SERVIÇO GRÁFICO
9
6
1
2
15
7
13
JAGUAR
9
5
1
3
17
14
11
CIVILSAN
9
3
5
1
14
10
11
GRÊMIO
9
4
2
3
12
9
10
COLOMBO
9
4
2
3
12
10
10
PLANALTO
9
4
2
3
12
10
10
COENGE
9
4
2
3
11
12
10
PILOTO
9
3
3
3
13
12
9
CARIOCA
9
2
2
5
9
14
6
10º
DEFELÊ
9
0
0
9
6
23
0


2º TURNO

SERVIÇO GRÁFICO 3 x 0 COLOMBO
Data: 29.11.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Oswaldo dos Santos
Gols: Tião (2) e Artur 

GRÊMIO 0 x 0 CIVILSAN
Data: 29.11.1970
Local: Ciro Machado
Árbitro: Djalma Neves

JAGUAR 1 x 1 PLANALTO
Data: 29.11.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gols: Gildo / Roberto

SERVIÇO GRÁFICO 4 x 0 PLANALTO
Data: 06.12.1970
Local: Ciro Machado
Árbitro: Adhemar Pereira da Cruz
Gols: Cid (2), Artur e Carlos Gomes 

CIVILSAN 4 x 1 JAGUAR
Data: 06.12.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gols: Invasão (3) e Nenê / Cascorel

GRÊMIO 1 x 0 COLOMBO
Data: 06.12.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Carlos Ferreira do Amaral
Gols: Osvaldinho 

GRÊMIO 3 x 1 SERVIÇO GRÁFICO
Data: 13.12.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gols: Noé (2) e Santos / Cid

CIVILSAN 3 x 1 PLANALTO
Data: 13.12.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Carlos Ferreira do Amaral
Gols: Invasão (3) / Roberto

COLOMBO 1 x 0 JAGUAR
Data: 13.12.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Adhemar Pereira da Cruz
Gol: João Dutra 

SERVIÇO GRÁFICO 1 x 0 JAGUAR
Data: 20.12.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Carlos Ferreira do Amaral
Gol: Carlos Gomes 

GRÊMIO 1 x 0 PLANALTO
Data: 20.12.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Rubens Pacheco
Gol: Noé 

CIVILSAN 3 x 0 COLOMBO
Data: 20.12.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Oswaldo dos Santos
Gols: Aldo, Arnaldo e Procópio 

CIVILSAN 1 x 0 SERVIÇO GRÁFICO
Data: 27.12.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Rubens Pacheco
Gol: Nazo 

GRÊMIO 2 x 0 JAGUAR
Data: 27.12.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Oswaldo dos Santos
Gols: Sérgio e Osvaldinho 

PLANALTO 4 x 1 COLOMBO
Data: 27.12.1970
Local: Pelezão
Árbitro: Adhemar Pereira da Cruz
Gols: Reco (2), Pedrinho e Paulo (contra) / Nêgo

CLASSIFICAÇÃO FINAL DO 2º TURNO


CF
CLUBES
J
V
E
D
GF
GC
PG
CIVILSAN
5
4
1
0
11
2
9
GRÊMIO
5
4
1
0
7
1
9
SERVIÇO GRÁFICO
5
3
0
2
9
4
6
PLANALTO
5
1
1
3
6
10
3
COLOMBO
5
1
0
4
2
11
2
JAGUAR
5
0
1
4
2
9
1


DECISÃO

CIVILSAN 6 x 2 GRÊMIO
Data: 24.01.1971
Local: Pelezão
Árbitro: Taquegi Koressawa
Gols: Arnaldo (4), Manoelzinho e Eduardo / Paulinho e Nemias

GRÊMIO 2 x 1 CIVILSAN
Data: 31.01.1971
Local: Pelezão
Árbitro: Aristeu Teixeira Santana
Gols: Noé e Cardoso / Procópio

GRÊMIO 2 x 1 CIVILSAN
Data: 07.02.1971
Local: Pelezão
Árbitro: Gualter Portela Filho
Gols: Pedrinho e Cardoso / Baiano

CLASSIFICAÇÃO GERAL

CF
CLUBES
J
V
E
D
GF
GC
PG
GRÊMIO
17
10
3
4
25
18
23
CIVILSAN
17
8
6
3
33
18
22
SERVIÇO GRÁFICO
14
9
1
4
24
11
19
PLANALTO
14
5
3
6
18
20
13
JAGUAR
14
5
2
7
19
23
12
COLOMBO
14
5
2
7
14
21
12
COENGE
9
4
2
3
11
12
10
PILOTO
9
3
3
3
13
12
9
CARIOCA
9
2
2
5
9
14
6
10º
DEFELÊ
9
0
0
9
6
23
0