Total de visualizações de página

sábado, 21 de dezembro de 2013

ANO NOVO VIDA NOVA

 
 
 
Caríssimos amigos,

Por motivo de viagem, o blog ficará sem atualização de amanhã, 22 de dezembro, ao começo de janeiro de 2014, quando, então, acontecerá meu retorno a Brasília.
Ao nos aproximarmos de cem mil visitas, quero aproveitar para deixar meu abraço a todos e fazer um pedido para entrarmos no próximo ano com o ânimo renovado.
Tivemos muitos acertos e muitos erros, mas a convivência em grupo é assim mesmo.
Como disse um amigo meu, somos uma grande família que tem como objetivo a preservação da memória do nosso futebol, cada um contribuindo da forma que é possível.
Podem ter certeza de que o ano de 2013 foi bom para todos, pois todos nós passamos por ele, simples assim!
Cada coisa boa que aconteceu, foi uma vitória. Cada novo amigo, um presente. Cada nova postagem uma satisfação pessoal. Cada dificuldade foi um aprendizado, cada amizade que não se firmou um atalho que fortalecerá nosso caminho.
Lembrem-se sempre que TODOS nós torcedores e amantes do futebol somos responsáveis por sua história e não devemos esmorecer nessa luta.
Desejo a todos os amigos que estiveram junto com a gente por mais um ano e para suas famílias um Natal Feliz e o ano de 2014 repleto de felicidade, paz, saúde e realizações plenas.
Zé Ricardo

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

O GAMA NO CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE A 2002


BAHIA 1 x 0 GAMA
11.08.2002
Fonte Nova, Salvador (BA)
Árbitro: Jorge Fernando Rabelo (RJ)
Renda: R$ 96.120,00
Público: 12.949 pagantes
Gol: Robson, 64
BAHIA: Emerson, Daniel, Marcelo Souza, Sandro Lima e Chiquinho; Ramalho (Gil Baiano), Bebeto Campos, Carlinhos e Janilson (Dudu); Robson e Nonato. Técnico: Bobô.
GAMA: Pitarelli, Valdir (Rafael), Vinícius, Jairo e Rochinha; Deda, Jackson, Nen (Romualdo) e Lindomar; Dimba e Anderson (Paulo Nunes). Técnico: Hélio dos Anjos.

GAMA 0 x 1 SÃO PAULO
15.08.2002
Serejão, Taguatinga (DF)
Árbitro: Wagner Tardelli (RJ)
Expulsão: Jairo, 79
Gol: Júlio Santos, 81
GAMA: Pitarelli, Valdir, Vinícius, Jairo e Rochinha; Deda, Nen, Lindomar e Jackson (Anderson); Paulo Nunes (Romualdo) e Dimba. Técnico: Hélio dos Anjos.
SÃO PAULO: Rogério Ceni, Gabriel, Wilson (Júlio Santos), Jean e Jorginho Paulista; Maldonado, Fábio Simplício, Kaká e Júlio Batista; Luís Fabiano (Leandro Alves) (Gustavo Nery) e Reinaldo. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

GAMA 2 x 1 VITÓRIA
18.08.2002
Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Gols: Aristizábal, 32; Dimba, 58 e 59
GAMA: Pitarelli, Valdir (Paulo Henrique), Vinícius, Nen e Rochinha; Deda, Rafael (Romualdo), Lindomar e Jackson; Paulo Nunes (Gerson) e Dimba. Técnico: Hélio dos Anjos.
VITÓRIA: Jean, Ramalho, Marcelo Heleno (Samir), Elói e Paulo Rodrigues; Marcos, Xavier, Fernando e Allann Dellon; André e Aristizábal. Técnico: Joel Santana.

VASCO DA GAMA 0 x 1 GAMA
22.08.2002
São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Público: 3.299 pagantes
Gol: Dimba, 40
VASCO DA GAMA: Hélton, Wellington, Géder, Emerson e Jorginho (Wederson); Bruno Lazaroni, Haroldo, Rodrigo Souto e Andrezinho; Léo Guerra (Ely Thadeu) e Souza (Washington). Técnico: Antônio Lopes.
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique, Vinícius, Jairo e Rochinha; Deda, Nen, Jackson (Anderson) e Lindomar (Rafael); Paulo Nunes (Romualdo) e Dimba. Técnico: Hélio dos Anjos.

PORTUGUESA DE DESPORTOS 1 x 0 GAMA
25.08.2002
Canindé, São Paulo (SP)
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Expulsão: Dimba, 43
Gol: Ricardo Oliveira, 47
PORTUGUESA DE DESPORTOS: Bosco, Alex Xavier, Ageu, César (Cléber) e Alexandre Chagas; Marcus Vinícius (Ricardo Lopes), Rocha (Arilson), Éder e Júlio César; Alex Alves e Ricardo Oliveira. Técnico: Edu Marangon.
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique, Vinícius, Jairo e Rochinha; Deda (Romualdo), Nen, Jackson e Lindomar (Fernando Gaúcho); Paulo Nunes (Anderson) e Dimba. Técnico: Hélio dos Anjos.

GAMA 2 x 1 FLAMENGO
28.08.2002
Serejão, Taguatinga (DF)
Árbitro: Lourival Dias Filho (BA)
Gols: Rafael, 27; Zé Carlos, 66 e Paulo Nunes, 72
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique, Vinícius, Jairo e Rochinha; Deda, Rafael, Lindomar (Anderson) e Jackson; Romualdo (Marquinhos) e Paulo Nunes. Técnico: Hélio dos Anjos.
FLAMENGO: Júlio César, Alessandro, André Bahia, Fernando e Rubens (Anderson); Jorginho, André Gomes, Felipe Melo (Iranildo) e Hugo (Andrezinho); Liédson e Zé Carlos. Técnico: Lula Pereira.

BOTAFOGO 1 x 0 GAMA
31.08.2002
Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Valdomiro Matias (PE)
Renda: R$ 83.123,00
Público: 10.765 pagantes
Gol: Galeano, 77
BOTAFOGO: Carlos Germano, Odvan, Romeu, Cléberson e Bruno; Galeano, Carlos Alberto, Esquerdinha (Lúcio) e Leonardo Inácio; Camacho (Dudu) e Ademílson (Almir). Técnico: Abel Braga.
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique, Vinicius, Jairo e Rochinha; Nen, Rafael (Fernando Gaúcho), Jackson e Lindomar (Anderson); Paulo Nunes (Romualdo) e Dimba. Técnico: Hélio dos Anjos.

GAMA 0 x 0 PONTE PRETA
04.09.2002
Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Elvécio Zequeto (MS)
Expulsão: Rodrigo, 85
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique, Vinícius, Nen e Rochinha; Deda, Rafael, Jackson (Marquinhos) e Anderson (Romualdo); Paulo Nunes (Fernando Gaúcho) e Dimba. Técnico: Hélio dos Anjos.
PONTE PRETA: Hiran, Luciano Baiano, Marinho, Rodrigo e Elivélton; Roberto, Humberto, Adrianinho (Jean) e Alex Oliveira (Luiz Carlos); Lucas e Fabrício Carvalho (Macedo). Técnico: Oswaldo Alvarez (Vadão).

PALMEIRAS 2 x 2 GAMA
07.09.2002
Parque Antarctica, São Paulo (SP)
Árbitro: Edilson Soares da Silva (RJ)
Público: 7.131 pagantes
Gols: Zinho, Dodô, 20; Dimba, 41 e 85
PALMEIRAS: Marcos, Arce, Alexandre, Thiago Matias e Rubens Cardoso; Paulo Assunção, Fabiano Eller, Leonardo Moura e Zinho; Nenê e Dodô (Muñoz). Técnico: Levir Cupi.
GAMA: Pitarelli, Valdir (Marquinhos), Vinícius, Jairo e Rochinha; Nen (Rafael), Deda, Lindomar (Romualdo) e Jackson; Paulo Nunes e Dimba. Técnico: Hélio dos Anjos.

GAMA 1 x 2 FLUMINENSE
12.09.2002
Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Cléber Abade (SP)
Gols: Dimba, 9; César, 22 e Magno Alves, 63
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique, Vinícius, Jairo e Rochinha; Deda, Rafael (Fernando Gaúcho) e Jackson (Wesley); Paulo Nunes (Anderson), Dimba e Romualdo. Técnico: Hélio dos Anjos.
FLUMINENSE: Kléber, Flávio, César, Andrei e Marquinhos; Marcão, Beto, Zada (Jancarlos) e Fernando Diniz; Magno Alves (Roni) e Romário. Técnico: Renato Gaúcho.

SÃO CAETANO 4 x 0 GAMA
15.09.2002
Anacleto Campanella, São Caetano do Sul (SP)
Árbitro: Lourival Dias Lima Filho (BA)
Expulsão: Jairo, 86
Gols: Wágner, 4; Somália, 15; Lúcio, 44 e Somália, 57
SÃO CAETANO: Sílvio Luiz, Marlon, Daniel, Dininho (Irinei) e Lúcio; Claudecir, Magrão, Adãozinho e Marco Aurélio; Wágner (Rinaldo) e Somália (Anaílson). Técnico: Mário Sérgio.
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique (Rafael), Vinícius, Jairo e Rochinha; Deda, Nen, Jackson e Anderson (Marquinhos); Dimba e Paulo Nunes (Romualdo). Técnico: Hélio dos Anjos.

ATLÉTICO PARANAENSE 1 x 3 GAMA
18.09.2002
Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Público: 11.007 pagantes
Gols: Dimba, 7; Gerson, 27; Kleber, 47 e Dimba, 76
ATLÉTICO PARANAENSE: Adriano Basso, Alessandro, Igor, Rogério Corrêa (Sílvio Criciúma) e Fabiano; Alan Bahia, Rodrigo (Rogério Souza), Kleberson e Adriano, Kléber e Dagoberto. Técnico: Valdir Espinosa.
GAMA, Pitarelli, Valdir (Jefferson), Gerson, Nen e Rochinha; Deda, Rafael, Lindomar (Marquinhos) e Jackson; Paulo Nunes (Romualdo) e Dimba. Técnico: Giba.

GAMA 0 x 0 SANTOS
26.09.2002
Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Álvaro Quelhas (MG)
Expulsão: Jairo, 88
GAMA: Pitarelli, Valdir (Paulo Henrique), Gerson, Jairo e Rochinha; Deda, Rafael (Anderson), Lindomar e Jackson; Dimba e Rodriguinho (Romualdo). Técnico: Giba.
SANTOS: Júlio Sérgio, Maurinho, Preto, Alex e Léo; Paulo Almeida, Renato, Diego (William) e Elano; Robinho (Robert) e Alberto. Técnico: Emerson Leão.

FIGUEIRENSE 2 x 1 GAMA
29.09.2002
Orlando Scarpelli, Florianópolis (SC)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)
Renda: R$ 52.170,00
Público: 11.738 pagantes
Gols: Igor, 55 e 61 e Dimba, 66
FIGUEIRENSE: Édson Bastos, Márcio Goiano, Carlinhos, André Luís e Paulo Sérgio; Marcinho, William, Igor (Fábio Augusto) e Lino; Thiago Gentil (Marcelinho) e Selmir (Fernandes). Técnico: Muricy Ramalho.
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique, Nen, Gerson e Rochinha; Deda, Rafael, Jackson (Fernando Gaúcho) e Lindomar; Dimba e Rodriguinho (Romualdo). Técnico: Giba.

GAMA 1 x 1 INTERNACIONAL
02.10.2002
Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Cléver Assunção Gonçalves (MG)
Gols: Dimba, 51 e Cleiton Xavier, 52
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique, Vinícius, Jairo e Rodriguinho (Wilson Goiano); Deda, Rafael, Lindomar e Jackson; Fernando Gaúcho  (Romualdo) e Dimba. Técnico: Giba.
INTERNACIONAL: Luisão, Luizinho Netto, Chris, Luís Alberto e Chiquinho (Vinícius); Márcio, Claiton, Fabiano Costa e Daniel Carvalho; Cleiton Xavier (Geninho) e Mahicon Librelato (Leandrão). Técnico: Celso Roth.

GAMA 2 x 0 PAYSANDU
05.10.2002
Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Cléber Wellington Abade (SP)
Gols: Rafael, 9 e Dimba, 63
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique (Wilson Goiano), Vinícius, Jairo e Rochinha; Deda, Rafael, Lindomar e Jackson; Fernando Gaúcho (Romualdo) e Dimba. Técnico: Giba.
PAYSANDU: Marcão, Marcos (Valentim), Tinho, Sérgio e Luís Fernando; Elson (Vandick), Sandro, Vanderson e Jóbson; Zé Augusto e Cleisson (Albertinho). Técnico: Hélio dos Anjos.

GUARANI 3 x 1 GAMA
08.10.2002
Brinco de Ouro, Campinas (SP)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Expulsão: Wilson Goiano, 86
Gols: Sérgio Alves, 3; Dimba, 41; Sérgio Alves, 67 e Léo, 87
GUARANI, Edervan, Patrício, Bruno Quadros, Juninho e Gilson; Émerson (Otacílio), Martinez, Júnior (Adriano) e Marquinhos; Brener (Léo) e Sérgio Alves. Técnico: Jair Picerni.
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique (Wilson Goiano), Vinícius, Jairo e Rochinha; Jefferson, Rafael, Lindomar (Anderson) e Jackson; Fernando Gaúcho (Romualdo) e Dimba. Técnico: Giba.

GAMA 1 x 3 CORINTHIANS
13.10.2002
Mané Garrincha, Brasília (DF)
Árbitro: Giuliano Bozzano (SC)
Gols: Lindomar, 5; Deivid, 32; Renato, 55 e Gil, 65
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique, Gerson, Vinícius e Rochinha; Deda, Jefferson, Jackson e Lindomar; Dimba e Fernando Gaúcho (Anderson). Técnico: Giba.
CORINTHIANS: Doni, Rogério, Fábio Luciano, Anderson e Kléber; Vampeta, Fabrício, Renato (Juliano) e Gil (Marcinho); Guilherme (Leandro) e Deivid. Técnico: Carlos Alberto Parreira.

GAMA 1 x 0 JUVENTUDE
16.10.2002
Mané Garrincha, Brasília (DF)
Árbitro: Jorge Rabello (RJ)
Gol: Dimba, 70
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique, Gerson, Jairo e Rochinha; Deda, Rafael, Jackson (Nen) e Lindomar (Anderson); Romualdo e Dimba. Técnico: Sérgio Alexandre.
JUVENTUDE: Diego, Itaqui, Índio, Paulão e Denis; Fernando, Dionattan (Élder), Marcelo (Valdo) e Edmilson; Cláudio Pitbull e Leonardo Manzi (Michel). Técnico: Ricardo Gomes.

GRÊMIO 3 x 1 GAMA
19.10.2002
Olímpico, Porto Alegre (DF)
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (SC)
Renda: R$ 64.040,00
Público: 6.212 pagantes
Gols: Dimba, 12; Rodrigo Fabri, 74; Anderson Lima (pênalti), 31 e 90
GRÊMIO: Danrlei, Adriano, Claudiomiro (Bruno), Roger e Anderson Lima; Tinga, Emerson (Lauro), Rodrigo Fabri e Gilberto; Luiz Mário e Rodrigo Mendes (Pedrinho). Técnico: Tite.
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique, Gerson, Nen e Rochinha (Rodriguinho); Deda, Rafael, Jackson (Vinícius) e Lindomar; Romualdo (Anderson Barbosa) e Dimba. Técnico: Sérgio Alexandre.

PARANÁ 2 x 1 GAMA
23.10.2002
Pinheirão, Curitiba (PR)
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE)
Gols: Jackson, 1 e Maurílio, 31 e 58
PARANÁ: Marcos, Roberto, Wellington (Valdir), Cristiano e Luís Paulo (Cris); César Romero, Sidnei, Alexandre (Ronaldo) e Fabinho; Maurílio e Márcio. Técnico: Caio Júnior.
GAMA: Pitarelli, Wilson Goiano, Jairo, Gerson (Nen) e Paulo Henrique (Anderson); Rafael, Deda, Jackson e Lindomar; Romualdo (Fernando Gaúcho) e Dimba. Técnico: Sérgio Alexandre.

GAMA 0 x 1 GOIÁS
26.10.2002
Mané Garrincha, Brasília (DF)
Árbitro: Sílvio Fagundes Filho (SP)
Expulsão: Deda, 69
Gol: Tiago, 8
GAMA: Pitarelli, Wilson Goiano, Nen, Jairo e Rochinha (Anderson); Deda, Rafael, Jackson e Lindomar (Victor); Romualdo (Rodriguinho) e Dimba. Técnico: Sérgio Alexandre.
GOIÁS: Harley, Neném, Fabão, André Cruz e Marquinhos; Túlio, Marabá (Leandro Smith), Tiago e Danilo; Evair (Jefferson Feijão) e Araújo. Técnico: Nelsinho Baptista.

GAMA 2 x 3 CRUZEIRO
06.11.2002
Mané Garrincha, Brasília (DF)
Árbitro: Lourival Dias Filho (BA)
Gols: Romualdo, 13; Anderson, 17; Fábio Jr., 57; Leandro, 74 e Cris, 82
GAMA: Pitarelli (Júlio César), Wilson Goiano, Gerson, (Marquinhos), Jairo e Rochinha; Nen, Rafael, Lindomar e Anderson; Romualdo (Jackson) e Dimba. Técnico: Sérgio Alexandre.
CRUZEIRO: Gomes, Ruy, Luisão, Cris e Rondinelli (Marcelo Batatais); Fernando Miguel (Quintana), Paulo Miranda, Alex e Leandro; Fábio Jr. e Marcelo Ramos (Alessandro). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

ATLÉTICO MINEIRO 6 x 4 GAMA
13.11.2002
Independência, Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Romildo Corrêa (SP)
Renda: R$ 76.243,00
Público: 15.783 pagantes
Gols: Renaldo, 15; Mancini, 43; Anderson, 49; Renaldo, 51; Nen, 58; Rodriguinho, 74; Kim, 78, Mancini, 81; Dimba (pênalti), 86 e Renaldo (pênalti), 90+3
Expulsões: Romualdo, 61; Jackson e Paulinho, 90+4 e Pitarelli, 90+5
ATLÉTICO MINEIRO: Eduardo, Neguete (Ronildo), Nem (Genalvo), Edgar (Eraldo) e Mancini; Hélcio, Cleison, Paulinho e Michel; Kim e Renaldo. Técnico: Geninho.
GAMA: Pitarelli, Paulo Henrique (Wilson Goiano), Nen, Vinícius e Rochinha (Victor); Deda, Anderson, Jackson e Lindomar (Rodriguinho), Romualdo e Dimba. Técnico: Sérgio Alexandre.

GAMA 4 x 0 CORITIBA
17.11.2002
Mané Garrincha, Brasília (DF)
Árbitro: Helvécio Zequetto (MS)
Gols: Dimba, 45+2; Larosa, 48; Rodriguinho, 83 e Dimba, 85
Expulsão: Pícoli, 30
GAMA: Júlio César, Weyder (Wilson Goiano), Nen, Jairo e Paulo Henrique; Marquinhos (Rodriguinho), Deda, Anderson e Lindomar; Vítor (Larosa) e Dimba. Técnico: Sérgio Alexandre.
CORITIBA: Fernando, Reginaldo Araújo (Ceará), Pícoli, Edinho Baiano e Adriano; Reginaldo Nascimento, Roberto Brum, Tcheco (Alexandre Fávaro) e Lúcio Flávio; Da Silva (Marcel) e Jabá. Técnico: Paulo Bonamigo.

domingo, 15 de dezembro de 2013

UPIS É HEXACAMPEÃ BRASILEIRA DE FUTEBOL UNIVERSITÁRIO







A cidade de Uberlândia, Minas Gerais, recebeu entre os dias 10 e 16 de novembro a Liga do Desporto Universitário de Futebol de Campo (LDU de Futebol 2013).
Participaram da competição atletas de 10 Estados, divididos em 16 equipes, sendo 13 no masculino e 3 no feminino.
As equipes que disputaram a categoria masculina foram:
União Pioneira de Integração Social (UPIS) e Universidade de Brasília (UnB), do Distrito Federal;
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN);
Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO) e Universidade Federal de Goiás (UFG), de Goiás;
Universidade Federal de Sergipe (UFS);
Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), do Rio Grande do Sul;
Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), da Bahia;
Universidade Federal da Paraíba (UFPB);
Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP), de Caçador (SC);
Centro Universitário Sant’Anna (Uni Sant’Anna), de São Paulo; E os donos da casa Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e a Universidade Federal de Viçosa (UFV), de Minas Gerais.
No feminino as participantes foram a UPIS (DF), a Uni Sant’Anna (SP) e a Universidade Paulista (Unip), as duas de São Paulo.
O congresso técnico realizado no Hotel Montblanc definiu a forma de disputa das competições. No masculino foram definidos quatro grupos (três com três equipes e um com quatro). Classificaram-se para a fase seguinte os dois melhores de cada grupo. Houve um sorteio para definir os cruzamentos das quartas-de-final. Os vencedores disputaram as semifinais e em seguida, a final.
Na categoria feminina aconteceu um rodízio simples entre os times.
Os jogos foram realizados nos seguintes locais: Campo do Asufub (Grupo A), Poliesportivo Santa Luzia (Grupo B), Poliesportivo Dona Zulmira (Grupo C), Campo de Educação Física da Universidade Federal de Uberlândia (Grupo D e Feminino), Poliesportivo Patrimônio (Quartas-de-final) e no Estádio Sabiazinho (na primeira fase todos os jogos da UFU-MG, semifinais e final).
A Liga do Desporto Universitário de Futebol 2013 foi uma realização da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), com apoio do Ministério do Esporte e patrocínio do Banco Itaú, por meio da lei de incentivo ao esporte do Governo Federal. Agência de marketing esportivo: Koch Tavares. Apoio local: Federação Universitária Mineira de Esportes (FUME) e Divisão de Esportes e Lazer Universitária (DIESU) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).
Assim foram formados os grupos da categoria masculina da LDU 2013:
Grupo A - UPIS (DF), Uniarp (SC) e Universo (GO);
Grupo B - UFRN (RN), IFPB (PB), FTC (BA) E UFV (MG);
Grupo C - UFS (SE), UnB (DF) e ULBRA (RS);
Grupo D - UFU (MG), Uni Sant’Anna (SP) e UFG (GO).
A competição teve início no dia 11 de novembro, com jogos apenas entre os homens.
No estádio da Asufube, pelo grupo A, em um jogo parelho e de marcações fortes, a Universo (GO) bateu a Uniarp (SC) por 1 x 0. Na plateia, o time da Upis (DF), cabeça de chave e então vice-campeã do torneio, analisava a partida e os adversários da chave.
A FTC (BA) também garantiu um saldo de gols confortável, marcando 3 x 1 contra a IFPB (PB). Ainda pelo Grupo B, no estádio Santa Luzia, um empate com gosto de vitória para os mineiros da UFV. No segundo tempo, a UFRN vencia por 2 x 0 quando a UFV, com um jogador a menos, buscou o empate em 2 x 2.
No estádio Dona Zulmira, jogando pelo grupo C, a Ulbra goleou a UnB por 5 x 0.
O último jogo da rodada aconteceu às 19 horas no estádio do Sabiazinho. Os donos da casa - UFU (MG) - receberam a UFG (GO). Os mineiros saíram com os três pontos, vencendo por 1 x 0.
No segundo dia da competição, 12 de novembro, aconteceram mais seis jogos, dentre eles a estreia da categoria feminina.
Entre as mulheres, Uni Sant’Anna e Unip ficaram no 0 x 0.
Por ser a atual campeã da LDU, a UPIS foi cabeça de chave e ficou aguardando o perdedor dessa partida para dar seguimento ao rodízio simples deste grupo único.
No masculino, pelo grupo A, a Universo conquistou a vaga nas quartas-de-final em cima da UPIS, também vencendo por 1 x 0.
No Grupo B, os potiguares da UFRN venceram os baianos da FTC, por 1 x 0.
O placar magro de 1 x 0 foi o suficiente para garantir o credenciamento de três times para as quartas de final. Foram eles: Ulbra (RS), Universo e a UFU.
Ulbra e UFS fizeram um jogo equilibrado. Aos 43 minutos do segundo tempo, a Ulbra marcou o gol da vitória e garantiu a classificação para a fase seguinte e o 1º lugar do grupo C.
A qualificação dos dons da casa, UFU, também foi alcançada após um jogo difícil contra a equipe da Uni Sant’ Anna: o placar de 1 x 0 foi construído no 1º tempo.
O dia 13 de novembro foi de muita emoção e de partidas decisivas. O confronto entre a UPIS e a Uniarp foi um verdadeiro teste para cardíaco, com direito a empate da UPIS aos 48 minutos do segundo tempo, placar que obrigou a decisão a ir para o sorteio visto que as equipes estavam iguais em todos os critérios de desempate. No sorteio, deu UPIS.
Logo no começo do jogo, aos 9 minutos, o gol de Marcos Correia parecia escrever uma história favorável para os catarinenses, mas só pareceu. Após o tento, só a UPIS atacava. Ela tentou de todas as formas achar o gol, que custou a vir. Só apareceu aos 48 minutos do segundo tempo, através de um gol de Renato Sampaio. Neste momento, todo o time e comissão técnica foram ao delírio.
A decisão da segunda vaga do grupo C também foi de tirar o fôlego. De virada, a UnB conquistou a vaga sobre a UFS. Num jogo tenso e com muitas faltas, a UnB jogava pela vitória para passar para as quartas-de-final. A UFS jogava por um empate. Ainda no primeiro tempo, Rafael Vasconcelos fez um gol para os sergipanos, que se fecharam. Mas a tática não deu muito certo. Aos 20 minutos do segundo tempo Alexandre Moreira marcou para a UnB, que passou a buscar mais o jogo. A classificação da UnB veio aos 40 minutos da etapa complementar, com o gol de Vitor Braga.
A Uni Sant’Anna também se classificou para as quartas-de-final ao bater o time da UFG por 3 x 1. Pelo mesmo placar a UFV venceu a FTC e seguiu para a fase seguinte da competição na liderança do grupo B.
Os cruzamentos das quartas-de-final aconteceram no dia 14 de novembro.
No jogo da UFU contra a UFRN, um gol contra do zagueiro potiguar decidiu o jogo em favor do time da casa: 1 x 0.
Na outra partida pelas quartas-de-final, a UFV enfrentou a Uni Sant’Anna. Num jogo duro, de marcações fortes, os paulistas conseguiram marcar o gol primeiro. Daí em diante a UFV foi só ataque, mas a bola insistia em não entrar. Quando o jogo ganhava ares dramáticos para os mineiros, aos 43 do segundo tempo aconteceu o empate. O jogo terminou empatado e seguiu para prorrogação. Sem gols, terminou da mesma forma. A vaga teve que ser decidida nos pênaltis e a vitória ficou com o time mineiro.
No terceiro jogo, UPIS e Ulbra empataram em 0 x 0. Nos pênaltis o goleiro Leonardo Matheus defendeu três chutes e garantiu a presença na semifinal para equipe de Brasília. Os gaúchos voltaram para casa sem perder nenhuma partida no tempo regulamentar da competição.
No quarto e último jogo do dia, a Universo goleou a UnB por 6 x 0 e seguiu com 100% de aproveitamento na competição.
Também no dia 14 aconteceu a definição da final na categoria feminina. A Unip conquistou a vaga na final após vencer a UPIS, por 2 x 0. Este resultado garantiu à Unip a vantagem do empate na final.
A disputa pela vaga na final masculina aconteceu no dia 15 de novembro.
A UPIS proporcionou mais uma partida de fortes emoções. Depois de ganhar a vaga no sorteio contra a Uniarp (SC) e de conseguir o passaporte para a semifinal nos pênaltis contra a Ulbra, pois o jogo terminou empatado em 0 x 0, no tempo regulamentar e na prorrogação, na semifinal contra o time da UFU não poderia ser diferente, a história se repetiu.
O jogo terminou empatado em 0 x 0, tanto no tempo normal quanto na prorrogação. Na partida, a UPIS teve mais posse de bola, mas faltou qualidade nas finalizações. A vitória da UPIS só veio nas cobranças alternadas de pênaltis. Victor Diniz, da UFU, bateu o pênalti e o goleiro da UPIS, Leonardo Matheus, defendeu, decretando o placar de 6 x 5 a favor da UPIS.
Na outra semifinal, com uma campanha impecável, cem por cento de aproveitamento e nenhum gol tomado, a Universo enfrentou a UFV. Com grande qualidade no passe de bola, a equipe goiana apresentou um volume maior de jogo e chegou ao placar de 3 x 0. Garantiu vaga na final de forma invicta e sem sofrer nenhum gol.
As decisões das duas categorias aconteceram no último dia de jogos, 16 de novembro.
Entre as mulheres, a Unip conquistou o título de campeã ao vencer por 1 x 0 a equipe da Uni Sant‘Anna.
Os mineiros da UFV e UFU decidiram o terceiro lugar. A UFV venceu a UFU por 6 x 5 nos pênaltis, após empate de 1 x 1 no tempo regulamentar de jogo.
A partida decisiva entre Universo e UPIS começou bastante equilibrada, como se esperava de uma final, com marcação forte e muitas faltas cometidas, sendo três delas punidas com cartão amarelo. Apesar de as duas equipes apresentarem grande volume de jogo, ocorreram poucos chutes a gol.
No segundo tempo a história se repetiu, mas o nervosismo das equipes e o cansaço físico desaceleraram a partida. Com a expulsão de dois jogadores (um de cada time), o jogo se concentrou no meio de campo. A partida terminou empatada em 0 x 0 e seguiu para a prorrogação.
Logo aos 3 minutos da prorrogação, o jogador da UPIS, Harysson Fernandes, sofreu uma entrada violenta e saiu de campo de ambulância. Retomada a prorrogação, a UPIS chegou por duas vezes com muito perigo ao gol adversário, mas não teve êxito nas finalizações. Faltando poucos segundos para o fim do jogo, a Universo teve a chance de fazer o gol. Uma falta na entrada da grande área foi marcada a seu favor. Mas a cobrança não conseguiu transpor a barreira e a bola foi desviada para fora de campo, levando a disputa para os pênaltis.
A Universo foi impecável até a quarta cobrança. Já a UPIS havia perdido o terceiro pênalti e seguia depositando a confiança em seu goleiro Leandro Matheus para reverter a situação. O arqueiro brasiliense não decepcionou. Defendeu a quinta cobrança, igualando a situação. Passou-se, então para as cobranças alternadas de pênaltis. Flávio Mendes converteu primeiro para a UPIS. Em seguida, na cobrança de Francisco Neto, da Universo, o paredão brasilense defendeu mais uma vez, garantindo o título de campeão da LDU 2013 para a UPIS.

A defesa que garantiu o título à UPIS

Após quatro anos sem vencer, a UPIS voltou ao lugar mais alto do pódio na LDU de Futebol. Esse é o sexto título da instituição na competição (2003/2004/2006/2007/2008 e 2013).
Na cerimônia de premiação os brasilienses dedicaram o título ao jogador Harysson, que saiu machucado da partida.
O técnico da UPIS foi o ex-jogador e ex-árbitro Sérgio Carvalho.


Fonte: site da CBDU.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

CAMPEONATO BRASILIENSE DE JUNIORS DE 1993


 
CLASSIFICAÇÃO FINAL DA PRIMEIRA FASE
CF
CLUBES
J
V
E
D
GF
GC
SG
PG
TAGUATINGA
16
12
4
0
22
8
14
28
CEILÂNDIA
15
7
5
3
24
10
14
19
BRASÍLIA
16
8
3
5
26
14
12
19
PLANALTINA
15
7
5
3
25
19
6
19
GAMA
16
6
3
7
21
17
4
15
GUARÁ
16
5
2
9
12
22
-10
12
SOBRADINHO
16
5
5
6
17
16
1
15
TIRADENTES
16
3
3
10
12
27
-15
9

QUADRANGULAR FINAL

17.10.1993
CEILÂNDIA 0 x 1 BRASÍLIA
TAGUATINGA 0 x 0 PLANALTINA

24.10.1993
TAGUATINGA 1 x 1 CEILÂNDIA
BRASÍLIA 0 x 3 PLANALTINA

31.10.1993
PLANALTINA 1 x 0 CEILÂNDIA
BRASÍLIA 1 x 0 TAGUATINGA

CLASSIFICAÇÃO DA FASE FINAL
CF
CLUBES
J
V
E
D
GF
GC
SG
PG
PLANALTINA
3
2
1
0
4
0
4
5
BRASÍLIA
3
2
0
1
2
3
-1
4
TAGUATINGA
3
0
2
1
1
2
-1
3
CEILÂNDIA
3
0
1
2
1
3
-2
1

Obs.: o Taguatinga ganhou um ponto de bonificação por ter sido o vencedor da Primeira Fase.

Artilheiro do campeonato: Flávio Elias, do Taguatinga, que marcou 11 gols.

Goleiro menos vazado: Dorival, do Taguatinga, que sofreu apenas dois gols em oito jogos.

 

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

ESTATÍSTICAS DO CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1980


CLUBES PARTICIPANTES: 9.
JOGOS REALIZADOS: 109.
GOLS ASSINALADOS: 275.
MÉDIA DE GOLS POR JOGO: 2,5.
MELHOR ATAQUE DO CAMPEONATO: Brasília, com 64 gols a favor.
PIOR ATAQUE DO CAMPEONATO: Ceilândia e Bandeirante, 14 gols a favor.
MELHOR DEFESA DO CAMPEONATO: Brasília, com 7 gols contra.
PIOR DEFESA DO CAMPEONATO: Bandeirante, 53 gols contra.
MELHOR SALDO DE GOLS: Brasília, 57.
MAIOR NÚMERO DE VITÓRIAS: Brasília, com 19.
MENOR NÚMERO DE VITÓRIAS: Bandeirante, 3.
MENOR NÚMERO DE DERROTAS: Brasília, 0.
MAIOR NÚMERO DE DERROTAS: Tiradentes, com 17.
MELHOR ÍNDICE DE APROVEITAMENTO: Brasília, com 88,0%.
MAIOR GOLEADA DO CAMPEONATO: 20.07.1980, Gama 7 x 0 Bandeirante
JOGO COM MAIOR NÚMERO DE GOLS MARCADOS: 05.10.1980, Comercial 6 x 2 Tiradentes

PRINCIPAIS ARTILHEIROS:

Fantato
1º - Fantato (Gama), 23 gols
2º - Lino (Gama), 17
3º - Albeneir (Brasília), 16
4º - Aloísio (Brasília), 11
5º - William e Wander (Brasília), 10
7º - Vicente Biônico (Tiradentes), 9
8º - Ivonildo (Guará) e Nicácio (Comercial), 8

GOLEIROS MENOS VAZADOS:

1º - Déo (Brasília), 7 gols em 25 jogos
2º - Hélio (Gama), 13 gols em 24 jogos
3º - Adriano (Guará), 19 gols em 21 jogos
4º - Jonas (Taguatinga), 20 gols em 22 jogos
5º - Jaidan (Sobradinho), 28 gols em 21 jogos.

TOTAL DE CARTÕES AMARELOS = 195

TOTAL DE EXPULSÕES DE CAMPO = 38

TAÇA EFICIÊNCIA:

1º - Brasília, 230 pontos
2º - Gama, 188
3º - Guará, 148
4º - Sobradinho, 132
5º - Taguatinga, 126
6º - Comercial, 114
7º - Ceilândia, 104
8º - Tiradentes e Bandeirante, 62

TAÇA DISCIPLINA

Campeão: Guará

MELHORES DE 1980

Jornal Correio Braziliense

Déo (Brasília), Luisinho (Brasília), Mário (Brasília), Hani (Sobradinho) e Zé Mário (Brasília); Alencar (Brasília), Barão (Guará) e Manoel Ferreira (Gama); William (Brasília), Fantato (Gama) e Lino (Gama).
Craque do campeonato: Alencar.

Jornal de Brasília

Déo (Brasília), Luisinho (Brasília), Mário (Brasília), Jonas Foca (Brasília) e Zé Mário (Brasília); Alencar (Brasília), Barão (Guará) e Manoel Ferreira (Gama); Lino (Gama), Fantato (Gama) e Elmo (Guará).
Treinador: Bugue (Brasília).
Dirigente: Oscar Perné do Carmo (Brasília)

ÁRBITROS QUE MAIS ATUARAM:

Edson Rezende de Oliveira

1º - Edson Rezende de Oliveira, 18 jogos;
2º - José Mário Vinhas, 14;
3º - Cacírio Marinho, 11;
4º - Lincoln Costa, Oswaldo dos Santos e Adélio Nogueira Soares, 6;
5º - Carlos Alberto São Tiago, Walterley Pereira e Antônio Barbosa, 5;
6º - Vicente de Paulo Lima, Clésio José Penoni e Lourival Faria Filho, 4;
7º - Neide Carvalho Pimentel, 3;
8º - Ataíde de Castro Reis, Tolistoi Batista, Ranulfo José Soares, Francisco Xavier Portugal e Luiz Vilhena do Nascimento, 2; e
9º - Rômulo Epitácio Vargas, Francisco José Lopes, José Hermano Arraes Parente, Aldemir da Silva Padilha, Manoel Batista de Oliveira, Luiz Carlos Magno, Álvaro Hippertt e José Vidal, 1.

ESTÁDIOS UTILIZADOS:

1º - Serejão, em Taguatinga, 22 jogos;
2º - Pelezão, em Brasília, 20;
3º - Bezerrão, no Gama, 19;
4º - CAVE, no Guará, 18;
5º - Adonir Guimarães, em Planaltina, 16;
6º - Augustinho Lima, em Sobradinho, 13; e
7º - Chapadinha, em Brazlândia, 1.