Total de visualizações de página

quinta-feira, 23 de março de 2017

QUEM SOU EU ???



1. Nasci em Brasília (DF), no dia 4 de abril de 1973.

2. Sempre atuei como zagueiro. 

3. Comecei minha carreira nas categorias de base do Taguatinga, em 1989, e, por este time, fui campeão brasiliense de 1992 e 1993.

4. Depois de defender o Taguatinga até 1994, em 1995 ganhei passe livre e ingressei no Guará.

5. Joguei no Gama de 1996 a 1999. Participei das conquistas do Campeonato Brasiliense nos anos de 1997, 1998 e 1999, e a Série B de 1998.

6. No campeonato brasiliense de 1997, defendendo o Gama, marquei cinco gols, a maioria de cabeça, aproveitando minha altura. Voltei a marcar cinco gols no campeonato brasiliense de 2001, jogando pela ARUC.

7. Disputei o Campeonato Brasileiro da Série D de 2009 pelo Brasília.

8. No futebol do DF, ainda joguei pelo Brasiliense, Dom Pedro II (2004) e Botafogo.

9. O último time do DF onde joguei foi o Ceilândia, em 2013. Um ano antes estive no Ceilandense.

10. Encerrei minha carreira em 2015, defendendo o Pesqueira Futebol Clube, de Pernambuco.

11. Fora do DF, joguei ainda no Atlético Tubarão (SC), Confiança (SE), Coruripe (AL) Paysandu (PA) e Rioverdense (GO).

12. Meu apelido lembra o de um famoso palhaço!



Nota:
O último "Quem Sou Eu", postado no dia 24.02.2017, foi com o goleiro Abraão.

quarta-feira, 22 de março de 2017

OS GOLEIROS DO FUTEBOL BRASILIENSE: Édson



Édson Bomfim nasceu em Goianésia (GO), no dia 15 de outubro de 1953.
O mais velho de oito irmãos, veio para o Distrito Federal, mais precisamente Taguatinga, em dezembro de 1969.
Desde cedo, gostava de futebol e, principalmente, de ser goleiro. Com oito anos de idade, vendia picolé em sua cidade natal e ficava sempre atrás dos gols, admirando os goleiros que por lá passavam.
Seu pai havia sido goleiro e, nos fundos de sua casa tinha um quintal onde espalhava palha de arroz numa área para que seus amigos ficassem chutando bolas para Édson tentar defender. Faziam até torneios para ver quem fazia mais gols em Édson.
No quarteirão onde morava havia um campo de terra onde, após as aulas, Édson e seus amigos jogavam duplas cariocas, ou seja, uma equipe chutava, a outra defendia.
Em Taguatinga, perto do Colégio Marista havia um estádio de madeira, que pertencia ao Flamengo local, e foi ali que, aos 16 anos, Édson começou a atuar como goleiro.

Não demorou para se destacar no infanto-juvenil e chegou a fazer parte da Seleção do DF nessa categoria.
Do Flamengo, Édson foi para o Nacional, que tinha um campo onde hoje está o UNICEUB, na entrada de Águas Claras. Passou dois anos atuando por essa equipe, disputando muitos jogos pela região do Entorno nos finais de semana.
Aos 18 anos, foi para o Santa Teresinha, que mais tarde viraria o Canarinho Esporte Clube.
Com 19 anos, foi para Brazlândia, onde jogou nos principais times da cidade: Renner, Auto Esporte e Atlético, este já pelo campeonato brasiliense de 1973. Chegou a jogar pela Seleção de Brazlândia, desbancando goleiros veteranos.

Quando o Canarinho foi fundado, em 1975, Édson foi para lá. Suas boas atuações no Canarinho o levaram a ser convocado para a Seleção do DF que enfrentaria a Seleção de Minas Gerais, no Mineirão (0 x 0), no dia13 de julho de 1975. Ficou no banco de reservas, pois a seleção brasiliense estava muito bem servida de goleiros: Paulo Victor e Déo, ambos do Ceub.
Em agosto de 1975, Édson sagrou-se campeão de um torneio quadrangular que reuniu, além do Canarinho, A. A. Relações Exteriores, Guadalajara e Humaitá.

Em 1976, se profissionalizou e disputou o primeiro campeonato de profissionais do Distrito Federal pelo Canarinho. Jogou nessa equipe por três anos. Quando o Canarinho acabou, vários jogadores foram para o Taguatinga. Édson foi para a Desportiva Bandeirante, do Núcleo Bandeirante.
No Ceilândia
Quando o Ceilândia surgiu, em 1979, Édson tornou-se o primeiro jogador profissional a ser contratado pelo novo clube, onde ficou por um ano e meio.
No dia 18 de novembro de 1979, no Serejão, o Ceilândia realizou sua primeira partida oficial contra o Brasília e Édson foi o seu goleiro. O Ceilândia fez uma boa partida, mas perdeu por 2 x 1.
Ainda em 1979, passou no vestibular e, com a ajuda da AGAP-DF, tornou-se o primeiro jogador profissional do DF a ganhar bolsa universitária. 
Disputou 14 jogos válidos pelo campeonato brasiliense de 1980, defendendo a meta do Ceilândia.
Com 31 anos de idade se formou e foi convidado a ser Diretor de Assuntos Educacionais da AGAP-DF, onde por um ano desenvolveu junto aos clubes incentivo para os atletas estudarem. Logo depois, ingressou na Secretaria de Educação do DF, como Professor concursado em Educação Física. Por motivos pessoais, teve que sair da Secretaria, cedendo sua vaga para o também ex-jogador Pedro Pradera. Aposentou-se em 2011.

Tendo abandonado o profissionalismo, não parou de jogar bola no futebol amador da Ceilândia até os 35 anos. Logo depois, começou a trabalhar como técnico em algumas equipes amadoras da Ceilândia, até passar para o futsal, onde está até hoje, treinando várias categorias de diversas equipes (AET, Afusta e Candangos), além de ser treinador de seleções estudantis por cinco anos e também desenvolver projetos de escolinhas por todo o Distrito Federal.
Atualmente dirige a equipe do Capital, que vai disputar o campeonato de masters do DF.

Curiosidade: em toda sua carreira Édson foi, provavelmente, um dos goleiros mais baixos do Brasil: tem 1,65 metros.

terça-feira, 21 de março de 2017

CLASSIFICAÇÕES FINAIS - Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão de 1962



O Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão de 1962 foi disputado por dez clubes que, na Primeira Fase, foram divididos em duas zonas: Norte e Sul. A Zona Norte era composta por Alvorada, Defelê, Guanabara, Nacional e Rabello; já a Zona Sul teve Colombo, Cruzeiro, Grêmio, Guará e Presidência.
Na Primeira Fase jogaram entre si, em turno único, classificando-se as três primeiras colocadas de cada chave para a segunda e decisiva fase.
Antes de ser iniciado o segundo turno, o Alvorada encaminhou ofício à Federação Desportiva de Brasília solicitando dispensa do restante do campeonato.

CLASSIFICAÇÃO FINAL

CF
CLUBES
PG
J
V
E
D
GF
GC
SG
% Aprov.
DEFELÊ
22
17
8
6
3
27
19
8
64,7%
COLOMBO
25
18
11
3
4
47
19
28
69,4%
RABELLO
22
17
9
4
4
29
18
11
64,7%
GUARÁ
20
18
6
8
4
31
20
11
55,6%
GRÊMIO
15
18
5
5
8
15
23
-8
41,7%
NACIONAL
15
17
6
3
8
22
27
-5
44,1%
PRESIDÊNCIA
5
8
2
1
5
7
27
-20
31,3%
GUANABARA
4
7
1
2
4
7
12
-5
28,6%
CRUZEIRO DO SUL
4
8
1
2
5
7
15
-8
25,0%
10º
ALVORADA
0
4
0
0
4
3
15
-12
0,0%


JOGOS REALIZADOS = 66
GOLS ASSINALADOS = 195
MÉDIA DE GOLS POR JOGO = 2,95