quarta-feira, 8 de abril de 2020

ARQUIVOS DO FUTEBOL BRASILIENSE: Torneio Início (Divisão de Amadores) - 1964


Torneio Início da Primeira Divisão de Amadores, disputado no Estádio “Aristóteles Góes”, no dia 10 de maio de 1964.

Grêmio 0 x 0 Cruzeiro (nos pênaltis, vitória do Grêmio, por 3 x 2; Bugue converteu os três para o Grêmio e Morales só dois para o Cruzeiro)

Guanabara 1 x 0 Pederneiras, gol de Jair, 9 do 2º tempo. O Guanabara formou com Diogo, Nilson II, Aragão, Toninho e Suez; Jair e Ercy; Chico, Lula, Paulo e Nilson I. O Pederneiras jogou com Edivaldo, Tarciso, Nonô, Santana e Wanderley; Luís e Paulo; Deca, Russo, Cotia e Inácio.

Dínamo 2 x 0 Vila Matias, gols de Laerte, de pênalti, e César.
Dínamo: Araújo, Jacy, Malta, Lúcio e Chocolate; Expedito e Laerte; César, Saul, Justino e Isaías.
Vila Matias: Fernando, Paredão, Canhoto, Geraldo e Sudevando; Walter e Sansão; Baixinho, Marival, Aristides e Paulo.

Nacional 3 x 0 Grêmio, gols de Diniz, Zezito e Gadinho.
Nacional: Chico, Amazonas, Alberto, Logodô e Ferreira; João e Toninho; Diniz, Zezito, Genivaldo e Gadinho.
Grêmio: Weldas, Paulinho, Baganha, Jaimir e Miro; Joãozinho e Bugue; Silas, Paulo Roberto, Aragão e Sérgio.

Dínamo 0 x 0 Guanabara (vitória do Dínamo na quarta série de pênaltis; Fernandes cobrou pelo Dínamo e Jair pelo Guanabara).
Dínamo: Araújo, Walter, Malta, Lúcio e Fernandes; Laerte e Zé Paulo; Adilson, Saul, Justino e Isaías.
Guanabara: Diogo, Nilson II, Aragão, Toninho e Suez; Jair e Ercy; Chico, Lula, Paulo e Nilson I.

Final

NACIONAL 3 x 0 DÍNAMO
Árbitro: Aristeu Santana
Gols: Gadinho, 9 do 1º tempo; Zezito, aos 14 e 26 do segundo
Nacional: Chico, Amazonas, Alberto, Logodô e Ferreira; João e Toninho; Diniz, Zezito, Genivaldo e Gadinho.
Dínamo: Araújo, Benincassa, Malta, Lúcio e Fernandes; Expedito e Zé Paulo; Justino, Saul, Gama e Isaías.

O campeão Nacional conquistou a Taça “General Luiz de Toledo” (Presidente de Honra do Central Clube Nacional).
Vice-campeão: Dínamo.

O Guanabara sagrou-se campeão do desfile, conquistando a Taça “Dr. Hugo Mósca”.



terça-feira, 7 de abril de 2020

OLHO NO LANCE: Gama x Botafogo - 1978


Lance do amistoso realizado no dia 19 de março de 1978, entre Gama e Botafogo, do Rio de Janeiro. A foto mostra uma situação que foi constante durante o jogo: a boa marcação de Manoel Ferreira sobre o saudoso Mário Sérgio.
A estratégia utilizada pelo técnico Airton Nogueira, de deslocar o ponta Manoel Ferreira para o meio de campo, deu certo, pois o craque botafoguense foi praticamente anulado pelo garoto gamense, fazendo com que o time carioca perdesse seu poder de criação.

GAMA 0 x 1 BOTAFOGO
Data: 19 de março de 1978
Local: Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Arnóbio Passos
Gol: Nilson Dias, 63
GAMA: Walmir Gato, Carlão, Kidão, Marinho (Kell) e Manuel Silva; Santana, Júlio e Manoel Ferreira; Roldão, Niltinho (Vicente) e Tico (Gaúcho). Técnico: Airton Nogueira.
BOTAFOGO: Zé Carlos, Perivaldo, Osmar, Renê e Beto; Luisinho Rangel, Mendonça (Ademir Vicente) e Clóvis (Ricardo); Dé, Nilson Dias e Mário Sérgio. Técnico: Zagalo.

Colaboração: Márcio Almeida.



segunda-feira, 6 de abril de 2020

ANIVERSARIANTE DO DIA: Clube Atlético Colombo


Mineiro de Uberlândia (MG), Adolfo Luís Rizza chegou para Brasília ainda em 1957. Juntamente com seu irmão Antônio, era proprietário do Posto e Recapagem Colombo, na Cidade Livre, hoje Núcleo Bandeirante, durante a construção de Brasília. Seus irmãos Pedro e Luiz também atuaram como empresários na Cidade Livre.
Formada por vários desportistas, a família Rizza foi a maior incentivadora para a fundação, na Cidade Livre, do Clube Atlético Colombo, em 6 de abril de 1960.
A primeira diretoria do Colombo ficou assim composta:
Presidente: Francisco Correia Bento; Vice-Presidente: José Ribeiro Costa, Diretor Secretário: Jason Santana; Diretor Tesoureiro: Manoel Ribeiro da Costa; Diretor Esportivo: Adolfo Rizza e Vice-Diretor Esportivo: Pedro Rizza. Adolfo Rizza também era o representante do clube junto a Federação Desportiva de Brasília - FDB.
As cores oficiais do novo clube foram escolhidas na mesma reunião: amarela e azul.
Disputou campeonatos oficiais da Federação desde o ano de sua fundação até o ano de 1972.
A primeira participação do Colombo em competições oficiais da FDB aconteceu no dia 9 de julho de 1961, no Torneio Início da Segunda Divisão. Ficou com a segunda colocação, perdendo a final para o Guanabara, por 3 x 1. Real e La Salle foram os outros clubes participantes.
Sua estreia no certame da Segunda Divisão de 1961 aconteceu no dia 6 de agosto de 1961. No Estádio “Israel Pinheiro”, o Colombo marcou 3 x 0 no Real.
Depois de dois turnos disputados, chegou a uma melhor-de-três em igualdade de condições com o Guanabara. Após dois empates (1 x 1 e 2 x 2) e uma derrota de 1 x 0 no dia 3 de dezembro de 1961, o Colombo ficou com o vice-campeonato. Formou o Colombo com Maia, Vonges e Nilo; Nenê, Dequinha e Paulista; Tião II, Carrara, Tião I, Baiano e Cid.
No ano de 1962, já como clube da Primeira Divisão, participou do Torneio Início no dia 10 de junho, no Estádio “Ciro Machado do Espírito Santo”. Em seu primeiro e único jogo empatou em 0 x 0 com o Defelê, sendo derrotado nos pênaltis por 3 x 1.
Sua estreia na Primeira Divisão foi no dia 1º de julho de 1962, no Estádio “Israel Pinheiro”, com vitória de 3 x 0 sobre a A. E. Presidência, com dois gols de Tião I e um de Tião II. A formação do Colombo foi a seguinte: Helinho, Vonges, Nilo e Nenê; Dequinha e Paulista; Tião II, Cid, Tião I, Índio e Almir. O treinador era Edward Brandão.
Realizou uma brilhante campanha (18 jogos, 11 vitórias, 3 empates e 4 derrotas; 47 gols a favor e 19 contra), mas ficou com a segunda colocação, atrás apenas do bicampeão Defelê. Dez equipes disputaram o campeonato brasiliense de 1962.
Além da campanha, três jogadores do Colombo terminaram o campeonato entre os quatro maiores artilheiros da competição: 1º Cid, com 14 gols; 2º Tião I, com 11 e 4º Tião II, com 9.

Ainda neste ano de 1962 teve três de seus jogadores convocados para representarem o Distrito Federal no Campeonato Brasileiro de Seleções: os atacantes Cid, Tião I e Tião II. O DF passou por Mato Grosso mas foi desclassificado por Goiás.
No Torneio Início, realizado em 12 de maio de 1963, no campo do Grêmio, Estádio “Vasco Viana de Andrade”, chegou até a final, contra o Defelê. No tempo normal de jogo, empate em 1 x 1. Na cobrança de pênaltis, seu ex-jogador Cid (contratado pelo Defelê) decidiu o torneio em favor do seu novo clube, convertendo 2 em 3 cobranças, enquanto Nilo, do Colombo, perdeu dois.
No campeonato, não reeditou sua campanha anterior, ficando em quinto lugar entre nove participantes.
Em 1964, foi aprovada a implantação do profissionalismo no futebol de Brasília e o Colombo resolveu aderir à novidade. Sob o novo regime estreou no dia 8 de março de 1964, no Torneio “Prefeito Ivo de Magalhães” derrotando o Luziânia por 2 x 1. Ficou em terceiro lugar no torneio.
No campeonato de profissionais, que reuniu cinco equipes, estreou com derrota de 3 x 0 para o Defelê, no dia 6 de outubro de 1964. No final do certame, ficou na terceira colocação, atrás de Rabello e Defelê.
Seus maiores destaques foram o goleiro Dico (que mais tarde defenderia o Rabello e o Clube do Remo), o zagueiro Sir Peres e o meio-de-campo João Dutra, além de continuar contando com a eficiência da dupla Tião I e Tião II.
No campeonato de profissionais de 1965, disputado por apenas quatro clubes, ficou em segundo lugar, um ponto atrás do Rabello, o campeão, e à frente de Guará e Defelê. Voltou a contar com a força do atacante Cid e teve como treinador Didi de Carvalho.
Em 1966, perdeu João Dutra para o Rabello. Chegou à semifinal do Torneio Início, quando foi derrotado pelo Defelê. No campeonato de profissionais, que passou a contar com sete equipes, ficou em terceiro lugar, e teve o artilheiro do campeonato, Cid, com 11 gols.
Logo depois, a FDB promoveu o Torneio de Profissionais “Engenheiro Plínio Cantanhede”, com a participação das mesmas equipes que disputaram o campeonato.
O título foi decidido em um jogo extra entre Colombo e Defelê. Aconteceu empate de 3 x 3, com Zezé, Tião e Baiano marcando para o Colombo e Invasão (2) e Sabará para o Defelê. Com o empate, o título foi decidido no “gol-average”, critério que beneficiou o Colombo, declarado campeão do torneio. Foi o primeiro título de campeão do Colombo, que formou na decisão com Sílvio, Edson (Baiano), Juci, Sir Peres e Oliveira; Índio e Zezé; Paulista, Cid, Tião e Crispim.
Individualmente, o destaque do Colombo foi o zagueiro Juci, que tempos depois defenderia a Desportiva Ferroviária, do Espírito Santo. Além dele, o Colombo colocou mais dois jogadores na “Seleção do Ano” escolhida pela Editoria de Esportes do jornal Correio Braziliense: o lateral-esquerdo Oliveira e o atacante Cid.
Em 1967, perdeu seu grande artilheiro Cid para o Rabello, o mesmo acontecendo com seu goleiro Dico. Sua primeira competição no ano foi o Torneio Brasil Central, disputado por duas equipes de Goiânia (GO), duas de Anápolis (GO) e mais o Defelê, do DF, de 30 de abril a 28 de junho. O Colombo chegou na sexta e última colocação, sem vitória nos dez jogos que disputou.
Venceu o Torneio Início de Profissionais, no dia 11 de junho. Na decisão: Colombo 1 x 0 Cruzeiro do Sul, gol de Milton (contra).
No campeonato de profissionais, jogando contra outras cinco equipes, ficou com a terceira colocação.
O ano de 1968 já começou ruim para o Colombo depois que Juci e Crispim, dois dos seus melhores jogadores, se transferiram para o América, de Belo Horizonte (MG). E terminou mal, com o clube chegando na quinta e última colocação no campeonato de profissionais de 1968.
Preferiu não se inscrever no campeonato misto (profissionais e amadores) que a Federação resolveu promover em 1969.
Retornou em 1970 e em 2 de maio deste ano realizou Assembleia para escolher sua nova diretoria.
Não participou do Torneio “Governador Hélio Prates da Silveira”, iniciado em 5 de julho de 1970. Por outro lado, tomou parte do campeonato brasiliense, onde estreou no dia 7 de setembro, com vitória de 2 x 0 sobre o Jaguar, gols de Zequinha e Paulinho. O Colombo ficou com a quinta colocação entre dez equipes.

Não foi bem no Torneio “Governador do Distrito Federal”, primeira competição oficial do ano de 1971 e marcada por muitos WO, pois muitos clubes estavam irregulares (débito com a Tesouraria da FDB) e suspensos de suas obrigações. Disputado por 11 equipes, o Colombo chegou em 8º lugar.
Em compensação, conquistou invicto o título do campeonato oficial de 1971, com direito a vencer os dois turnos disputados.
Em seu último jogo, no dia 31 de outubro de 1971, o Colombo formou com Carlos José, Luiz Gonçalves, Sir Peres, Jonas e Paulo Moreira; Zoca e Pedro Léo; Procópio (Gonçalves), Zé Carlos, Diogo (Hermes) e Macalé.
Foram oito jogos disputados, com cinco vitórias e três empates. Marcou 12 gols e sofreu 3. Somou treze pontos ganhos, quatro a mais que A. A. Serviço Gráfico, o vice-campeão. Os demais participantes foram Ceub, Grêmio Brasiliense e Jaguar.
No campeonato de 1972, que seria o último disputado, o Colombo chegou na terceira colocação entre sete equipes. Foram 12 jogos, com seis vitórias, quatro empates e duas derrotas. Vinte gols a favor e doze contra.
O último jogo disputado pelo Colombo foi no dia 26 de novembro de 1972, no Estádio Pelezão, contra o Ceub. Sob a arbitragem de Alaor Ribeiro, aconteceu empate em 1 x 1. O gol do Colombo foi marcado por Serginho, do Ceub, contra suas próprias redes. O jogo foi suspenso aos 35 minutos do 2º tempo; o restante da partida seria realizado no dia 29.11.1972. O Colombo encaminhou ofício à FDB desistindo de jogar o restante do tempo da partida.
A última vez que o Colombo entrou em campo o fez com essa equipe: Wilsinho, Paulo Moreira, Miguel, Sir Peres e Ramilson; Zoca e Pedro Léo; Gonçalves, Zé Carlos, Joãozinho e Cid (Gentil). Técnico: Paulista.
Numa Assembléia Geral Extraordinária de 16 de agosto de 1973, o Colombo transformou-se em Sociedade Esportiva Bandeirante e tinha como presidente João Batista Rizza. Não disputou nenhuma competição oficial naquele ano.



domingo, 5 de abril de 2020

HÁ 50 ANOS NO FUTEBOL BRASILIENSE: Torneio de 10º Aniversário do Colombo


No dia 5 de abril de 1970 foi realizado um torneio no Estádio Adolfo Rizza, no Núcleo Bandeirante, para comemorar o 10º aniversário do Colombo.
A programação constava de um torneio com seis equipes amadoras do Núcleo Bandeirante. Participaram Botafogo, Colombo (com uma equipe mista), Ipiranga, Mercedes, Portuguesa e Uberaba.
Os resultados foram esses:
Ipiranga 1 x 0 Colombo (misto)
Botafogo 1 x 0 Portuguesa
Uberaba 2 x 1 Mercedes
Ipiranga 0 x 0 Botafogo (no sorteio, o classificado foi o Ipiranga) e
Ipiranga 3 x 1 Uberaba. Campeão: Ipiranga.

A atração principal do dia foi o jogo Colombo x Coenge, cuja ficha técnica foi a seguinte:

Lance do jogo Colombo x Coenge
COLOMBO 0 x 0 COENGE
Data: 5 de abril de 1970
Local: Estádio Adolfo Rizza, Núcleo Bandeirante-DF
Árbitro: Oswaldo dos Santos
Renda: NCr$ 826,00
COLOMBO: Negão, Gonçalves, Edson, Quim e Paulista; Heitor e Nemias; Paulinho, Diogo, Tião (Índio) e Zequinha.
COENGE: Carlos José, Ferraz (Elias), Bi, Mauro e Pereira; Santiago (Lunda) e Divino; Agostinho, Noé, Marcos e Oscar.


sábado, 4 de abril de 2020

TODOS OS TÉCNICOS DO BRASÍLIA NO CAMPEONATO BRASILIENSE DA PRIMEIRA DIVISÃO - 1975 a 2017



Obs.: nos anos que não constam da relação, o Brasília não disputou o Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão.

ANO
TÉCNICOS
JOGOS
1975
Airton Luiz Nogueira
13
1976
Edilson Braga
3
1976
Maurílio José de Souza "Velha"
8
1976
Rubens de Freitas
8
1977
Airton Luiz Nogueira
13
1978
Cláudio Galbo Garcia
16
1979
Airton Luiz Nogueira
17
1980
Joaquim Cristiano de Araújo Neto "Bugue"
25
1981
Ercy Rosa de Souza
23
1982
Ercy Rosa de Souza
29
1983
Mozair Silviano Barbosa
52
1984
Jorge Cardoso Medina
24
1984
José Pedro de Oliveira Pradera
7
1985
José Roberto Buani
9
1985
Josemar Macedo da Cunha
7
1985
Manoel Ribeiro Castelo Branco Cajueiro
9
1986
Manoel Ribeiro Castelo Branco Cajueiro
22
1987
Antônio Fabiano Ferreira "Raimundinho"
14
1987
Antônio Montanari "Ipojucan"
12
1988
Josemar Macedo da Cunha
28
1989
José Alberto Bougleux
11
1989
Josemar Macedo da Cunha
10
1990
Carlos Alberto do Carmo Reis "Remo"
14
1991
Carlos Alberto do Carmo Reis "Remo"
16
1991
Pedro Hugo de Barros
12
1992
Carlos Alberto do Carmo Reis "Remo"
4
1992
Heitor de Oliveira
16
1992
Pedro Hugo de Barros
10
1993
Almir Vieira
16
1993
Heitor de Oliveira
9
1993
Joaquim Cristiano de Araújo Neto "Bugue"
7
1994
Heitor de Oliveira
18
1995
Ahlaemyr Pinheiro Lemos "Ahlá"
3
1995
Carlos Alberto do Carmo Reis "Remo"
20
1995
Paulo Roberto Alves
5
1996
Carlos Alberto do Carmo Reis "Remo"
19
1997
Carlos Alberto do Carmo Reis "Remo"
22
1998
Paulo Roberto Alves
10
1998
Não Identificados
8
1999
Jorgenei Nery da Silva
9
1999
Paulo Roberto Alves
4
1999
Ronaldo Araújo da Silva
3
1999
Sidney Waldo Picanço
2
2000
André Luís Bossolan
7
2000
Paulo Roberto Alves
7
2000
Jorgenei Nery da Silva
6
2001
Carlos Alberto do Carmo Reis "Remo"
8
2001
José Pedro de Oliveira Pradera
3
2001
Paulo Roberto Alves
7
2002
Eurípedes Bueno de Morais
8
2002
Manoel Miluir Macedo Cunha
7
2002
Sidney Waldo Picanço
1
2009
Marcos Aurélio Alves da Silva "Marquinhos Carioca"
22
2010
Humberto Ramos
10
2010
Wilson Moreira Lopes
4
2011
Adelmar Carvalho Cabral "Déo"
7
2011
Wilson Moreira Lopes
7
2013
Paulo Roberto Junges "Gauchinho"
16
2014
Luís Carlos dos Santos Souza "Luís Carlos Carioca"
13
2014
Marcos Alexandre de Souza Soares
4
2015
Luís Carlos dos Santos Souza "Luís Carlos Carioca"
16
2016
José Omar Feitosa
1
2016
Júlio César Valduga Camargo "Julinho Camargo"
6
2016
Marcos Aurélio Alves da Silva "Marquinhos Carioca"
1
2016
Paulo Roberto Junges "Gauchinho"
5
2017
Christian Botelho Ramos
11

RESUMO

C
TÉCNICOS
TOTAL DE JOGOS
Carlos Alberto do Carmo Reis "Remo"
103
Mozair Silviano Barbosa
52
Ercy Rosa de Souza
52
Josemar Macedo da Cunha
45
Airton Luiz Nogueira
43
Heitor de Oliveira
43
Paulo Roberto Alves
33
Joaquim Cristiano de Araújo Neto "Bugue"
32
Manoel Ribeiro Castelo Branco Cajueiro
31
10º
Luís Carlos dos Santos Souza "Luís Carlos Carioca"
29
11º
Jorge Cardoso Medina
24
12º
Marcos Aurélio Alves da Silva "Marquinhos Carioca"
23
13º
Pedro Hugo de Barros
22
14º
Paulo Roberto Junges "Gauchinho"
21
15º
Cláudio Galbo Garcia
16
Almir Vieira
16
17º
Jorgenei Nery da Silva
15
18º
Antônio Fabiano Ferreira "Raimundinho"
14
19º
Antônio Montanari "Ipojucan"
12
20º
Wilson Moreira Lopes
11
Christian Botelho Ramos
11
José Alberto Bougleux
11
23º
José Pedro de Oliveira Pradera
10
Humberto Ramos
10
25º
José Roberto Buani
9
26º
Rubens de Freitas
8
Eurípedes Bueno de Morais
8
Maurílio José de Souza "Velha"
8
29º
Manoel Miluir Macedo Cunha
7
André Luís Bossolan
7
Adelmar Carvalho Cabral "Déo"
7
32º
Júlio César Valduga Camargo "Julinho Camargo"
6
33º
Marcos Alexandre de Souza Soares
4
34º
Sidney Waldo Picanço
3
Ahlaemyr Pinheiro Lemos "Ahlá"
3
Edilson Braga
3
Ronaldo Araújo da Silva
3
38º
José Omar Feitosa
1

Obs.: Não Identificados = 8 (em 1998).