Total de visualizações de página

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

FORMAÇÕES BÁSICAS DAS EQUIPES PARTICIPANTES DO CAMPEONATO DE 1961

DEFELÊ
Goleiros: Matil e Cauby; Defensores: Zé Paulo, Euclides, Loureiro, Alonso Capela, Bimba, Matarazzo, Paulinho e Oswaldo; Atacantes: Ramiro, Sérgio, Bosco, Ely, Pelé, Jorge, Fino e Raimundinho.

GUARÁ
Goleiros: Redola e Heitor, Defensores: Aderbal, Jair, Chagas, Agostinho, Alan, Jaime, Eluff e Paulo; Atacantes: Barretinho, Sérgio, Severo, Molina, Léo, Índio, Ditão e João Balbino.

PLANALTO
Goleiros: Issinha e Raspinha; Defensores: Edson Galba, Hudson, Osvaldo; Jair, Moreira, Wolney, Enes e Ferreira; Atacantes: Azulinho, Ferrete, Vitinho, Brasil, Rui, Elói, Lima, Leônidas e Negão.

RABELLO
Goleiro: Gaguinho; Defensores: Paulo, Leocádio, Pedrinho, Alberto, Bugre e Pernambuco; Atacantes: Baixinho, Roberto, Sabará, Baianinho, Calado, Joãozinho, Nilo, Arnaldo e Carioca.

GRÊMIO
Goleiro: Tonho; Defensores: Duque, Evangelista, Reinaldo, Alemão, João e Zé Olindo; Atacantes: Hilton, Wellington, Lima, Pedersoli, Djalma, Ilídio, Joãozinho, Edson, Roberto e Wilton.

ALVORADA
Goleiro: Pena; Defensores: Ibê, Roberto, Fontenelle, Venino, Loureiro e Zeca; Atacantes: Cícero, Sílvio, Gilberto, Jason, Valquir, Chico, Élcio, Luizinho e Zé Carlos.

NACIONAL
Goleiros: Sinval e Chico Alberto; Defensores: Aldovandro, Eufrásio, Armando, Hamilton, Alberto, Manoel e Logodô; Atacantes: Dini, Zezito, Toninho, Zezinho, Ferreira, Flávio e Jadir.

SOBRADINHO
Goleiro: Ivan; Defensores: Wilson, Maneco, Pedrinho, Danton, Paulinho e Valmir; José Paulino, Ceará, Léo, Rocha, Pelé, Raulino, Zinho e Ramos.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

EXCURSÃO DO E. C. BAHIA AO DISTRITO FEDERAL

 
 
Entre os dias 31 de agosto e 4 de setembro de 1966, o Esporte Clube Bahia, de Salvador (BA), esteve atuando por gramados brasilienses.

Pequeno público compareceu ao Estádio de Brasília (que, mais tarde, viria a se chamar Pelezão) para prestigiar a primeira apresentação do tricolor baiano, no dia 31 de agosto de 1966.
Depois de um 1º tempo equilibrado, quando o Bahia perdeu as melhores chances de marcar, o Pederneiras voltou mais disposto no 2º tempo e acabou vencendo o jogo por 1 x 0. O gol foi marcado por Moisés, aos 9 minutos do 2º tempo.
O árbitro do jogo foi Idélcio Gomes de Almeida e a renda chegou aos Cr$ 2.900.000,00.
As equipes formaram assim:
PEDERNEIRAS: Chico, Marinho (Tarcísio), Farneze, Juarez e Bolinha; Firmo e Tião; Deca, Zezito, Moisés e Lima.
BAHIA: Jair, Virgílio, Henrique (Tiago), Ivan (Ailton) e Florisvaldo; Enaldo (Ivan II) e Aurelino; Biriba, Edinho (Valfredo), Nona e Delorme (Bronzeado). Técnico: Pinguela.

O Bahia se recuperou no dia 2 de setembro de 1966, quando venceu o Colombo, também pela contagem mínima.
O gol foi marcado aos 4 minutos do 2º tempo, por Edinho, que testou a bola vinda de um escanteio cobrado por Enaldo.
Novamente, pequeno público compareceu ao Estádio de Brasília, deixando em suas bilheterias Cr$ 2.200.000,00.
O Colombo atuou com Sílvio, Ivan, Jucy, Sir Peres e Oliveira; Índio e Paulista (Haroldo); Gilson, Cid, Baiano e Zezé.
O Bahia teve essa constituição: Jair, Virgílio, Tiago, Ivan e Florisvaldo; Ailton (Aurelino) e Delorme; Enaldo, Nona, Edinho e Biriba.

Encerrando sua curta temporada em Brasília, o Bahia venceu o Rabello, no dia 4 de setembro de 1966, por 2 x 0, placar construído ainda no 1º tempo.
Nona, aos 5 minutos, e Carlão (contra), aos 29, definiram o marcador em favor do tricolor baiano.
O Rabello, que jogou aquém de suas reais possibilidades, mandou a campo Zé Walter, Aderbal, Carlão, Mello e Didi; João Dutra (Invasão) e Beto Pretti (Moacir); Zezé, Otávio (Roberto), Zé Maria e Reinaldo (Zoca).
O Bahia venceu mais uma com Jair, Virgílio, Tiago, Ivan e Florisvaldo; Aurelino e Delorme (Bronzeado); Enaldo, Edinho (Valfredo), Nona (Roberto) e Ivan II (Biriba).
O jogo foi realizado no Estádio de Brasília e teve como árbitro Carlos Ferreira do Amaral. A renda foi de Cr$ 2.300.000,00.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

CAMPEONATO BRASILIENSE DE 2013: SÚMULAS DE 27.01.2013

 
 
 
ATLÉTICO CEILANDENSE 3 x 0 BOTAFOGO
Data: 27 de janeiro de 2013
Local: Boca do Jacaré, Taguatinga (DF)
Árbitro: Vanderlei Soares
Público: 388 pagantes
Renda: R$ 1.940,00
Expulsão: Willian, do Botafogo
Gols: Wéder (contra), 6; Amauri, 70 e Piva, 87.
ATLÉTICO CEILANDENSE: Edson, Maxwell (Messias), Wallace, Adalton e Esquerdinha; Yan, Ismaile, Grafite e Piva (Heriton); Amauri e Jackson (Lucas). Técnico: Luciano Reis.
BOTAFOGO: Roberto, Paulo Vinícius (Júnior), Rodrigo Melo, Wéder e Willian; Elenilson, Mateus (Quarentinha), Sena (Weslei) e Maninho; Valdo Bacabal e Boré. Técnico: Gilmar César.

BRAZLÂNDIA 0 x 2 BRASILIENSE

Data: 27 de janeiro de 2013
Local: Chapadinha, Brazlândia (DF)
Árbitro: Rodrigo Raposo
Público: 1.091 pagantes
Renda: R$ 5.455,00
Gols: Washington, 12 e 42.
BRAZLÂNDIA: Márcio, Diogo, Piu e Thiago Eciene; Bigu, Betson, Pão de Queijo (Gustavo Gago), David Gustavo, Mário Zan (Fabrício) e Oberdã, Johnie. Técnico: Wilson Moreira.
BRASILIENSE: Guto, Bocão, Fábio Braz, Rafael Tavares e Jefferson; Jordã, Everton, Baiano e Luís Augusto (Elivelto); Washington (Piovesan) e Abraão Lincoln (Romarinho). Técnico: Márcio Fernandes.

GAMA 3 x 2 SOBRADINHO

Data: 27 de janeiro de 2013
Local:
Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Ademário Neves
Público: 2.703 pagantes
Renda: R$ 25.905,00
Gols: Laércio, 6; Laionel, 21; Laércio, 53; Léo, 65 85.
GAMA: André Luiz, Amaral, Da Silva, Junior Soares e Da Silva; Kabrine (Léo), Juninho Goiano, Bruno Sabino, Laionel,  Gilmar e Allann Delon (Renato); Luís Carlos. Técnico: Victor Hugo.
SOBRADINHO: Diego, Ronaldo, Alysson, Fabão e Zé Carlos; Everton, Túlio, Fágner (Edicarlos) e Laércio; Vandinho (Mário Lúcio) e Hildo.Técnico: Branco.

domingo, 27 de janeiro de 2013

CAMPEONATO BRASILIENSE DE 2013: SÚMULAS DE 26.01.2013

 
BRASÍLIA 1 x 1 LEGIÃO
Data: 26 de janeiro de 2013
Local: Boca do Jacaré, Taguatinga (DF)
Árbitro: Sávio Sampaio.

Público: 386 pagantes
Renda: R$ 1.430,00
Gols: Jefferson, 7 e Danilo, 75.
BRASÍLIA: Marcão, Bruno Paraíba, Filipe, Danilo e Breno; Pedro Ayub, Daniel, Siston (Jean) e Natan (Vitinha); Luquinhas e Júnior (Ítalo). Técnico: Gauchinho.
LEGIÃO: Diego, Bruninho, Mauro, Madruga e Boca (Rafael); Jocelmo, PH, Marquinho (Igor) e Jefferson; Juninho e Rodrigo Mello (Jhon). Técnico: Rol Faúla.

CAPITAL 0 x 0 UNAÍ
Data: 26 de janeiro de 2013
Local: CAVE, Guará (DF)
Árbitro: Wales Martins,

Público: 90 pagantes
Renda: R$ 900,00
CAPITAL: Fernando, Clein, Márcio Costa, Zumba e Rafinha; Marcel, Wallacy (Lukinha), Rafael Toledo e Rochinha; Igor Rafael (Matheus) e Fernando. Técnico: Gerson Vieira.
UNAÍ: Thiago Rocha, Filhão (Rochinha), Binha, Neuran e Wallace; Pedrinho, Sabino, Chocolate (Israel) e Alemão; Sandro Goiano e Douglas (Renatinho). Técnico: Cleyton Mineiro.

CEILÂNDIA 1 x 0 LUZIÂNIA
Data: 26 de janeiro de 2013
Local: Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Gildevan Lacerda
Público: 143 pagantes
Renda: R$ 1.430,00
Gol: Cassius, 50
CEILÂNDIA: Dennys, Wisman (Gustavo), André Nunes, Renato e Badhuga; Cléber, Clécio, Didão e Pupu; Rodrigo Cardoso (Willian) e Cassius (Dimba). Técnico: Adelson Almeida.
LUZIÂNIA: Dida, Gláuber, Perivaldo, Galego e Tiago; Renan, Rodrigo, Vinícius (Paulinho Cuiabá) e Rodrigo Medeiros (Moisés); Nélisson e Kayke (Thiago Ferreira). Técnico: João Carlos Cavalo.

sábado, 26 de janeiro de 2013

CRAQUES DE ONTEM E DE HOJE: GAGUINHO




José Nogueira de Souza, o Gaguinho, nasceu em 15 de dezembro de 1936, em Pirapora, Minas Gerais.
Até seus 14 anos batia bola com seus amigos, jogando na linha. Ao passar para o gol, tornou-se bom goleiro e foi defender o arco do Comercial, de sua cidade natal.
Os bons amistosos realizados contra clubes da região, a boa atuação na inauguração do campo do Ateneu, de Montes Claros, e outros jogos com bom desempenho, fizeram despertar o interesse de outros clubes na contratação de Gaguinho.
Apesar de nunca ter sido a favor de testes de experiências em outros clubes, ainda assim Gaguinho esteve no Atlético Mineiro, em 1957, e também no Bangu, do Rio de Janeiro, treinado pelo técnico Tim e onde conheceu outro goleiro que viria a atuar no futebol brasiliense: Otaziano. Ficou três meses e só não acertou seu ingresso porque o clube carioca não quis oferecer “luvas” no contrato.
No começo do ano de 1960, um tio seu o convidou para vir para Brasília. Relutante, aceitou e chegou à Capital Federal somente depois do carnaval daquele ano.
Naquela época, para despertar o interesse nos jogadores de fora da cidade, os clubes de futebol de Brasília ofereciam emprego nas construtoras ou nos órgãos do Governo do Distrito Federal que estavam sendo criados.
Dessa forma, Gaguinho assinou contrato com o Rabello F. C., time mantido pela Construtora Rabello, passando a morar no acampamento da construtora.
Gaguinho recebeu o Registro nº 135 junto à Federação Desportiva de Brasília.
Sua estreia no Rabello aconteceu em 21 de agosto de 1960, no Estádio Paulo Linhares, vencendo o amistoso contra o Brasil Central, por 4 x 2.
 
O Rabello formou com Gaguinho, Délio e Leocádio; Alaor, Capixaba e Remo; Babá, Matias, Baianinho, Nilo e Antônio. De 1960 até julho de 1966 foi titular absoluto no Rabello, conquistando três títulos de campeão brasiliense de profissionais (1964 a 1966), além de outras conquistas menores, como torneios início e da Prefeitura do Distrito Federal.
Em 1962, Gaguinho foi eleito o melhor goleiro do campeonato pela crônica esportiva de Brasília. No ano seguinte, o DC-Brasília o colocou como o goleiro da “Seleção do Ano”.
Depois do Rabello, foi para o Guará, para onde se transferiu no começo do mês de agosto de 1966. Neste clube, jogou o restante de 1966, em 1967 e um pouco de 1968, quando recebeu convite do radialista Wanderley Mattos para jogar na A. A. Serviço Gráfico, com a garantia de um emprego na gráfica do Senado Federal. Não pensou duas vezes para mudar de ares. Por lá jogou de 1969 a 1971.
Encerrou sua carreira nessa equipe, com problemas intermináveis em seu joelho.
Gaguinho sempre foi titular de todas as seleções formadas por jogadores do futebol de Brasília, a primeira em 16 de abril de 1961, na derrota para a seleção de Goiás. Teve o privilégio de defender os fortes chutes de Pepe, do Santos, de jogar contra Tostão, do Cruzeiro (em partida que foi considerado o melhor jogador em campo), de parar o ataque do Atlético Mineiro no dia 23 de agosto de 1964, no empate de 1 x 1 com o Atlético Mineiro.
Depois que abandonou o futebol oficial, por muitos anos desfilou sua categoria nas peladas jogadas nos campeonatos internos da ASSEFE – Associação dos Servidores do Senado Federal.
Hoje com 76 anos, Gaguinho
 não tem nada a reclamar do futebol. Foi com esse esporte que conquistou amigos e conseguiu emprego.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

O AMÉRICA, DE BELO HORIZONTE, EM BRASÍLIA

 
 
O América, de Belo Horizonte (MG), realizou dois amistosos em Brasília no mês de maio de 1965.
No primeiro, em 16 de maio de 1965, no Estádio Paulo Linhares, enfrentou o Rabello.
Com vinte minutos de jogo, o América vencia por 2 x 0, com dois gols de Jair Bala, aos 18 e aos 20 minutos.
Cinco minutos depois do segundo gol do América, Sabará diminuiu para o Rabello.
Aos 40 minutos do 1º tempo, Jair Bala foi expulso, por ofensas ao árbitro Eduíno Edmundo de Lima.
No 2º tempo, com menos um homem, o América tentou manter o resultado a todo custo. Isso não foi possível graças a um gol de Cid. Com isso, o resultado final foi de 2 x 2.
O Rabello atuou com Gaguinho, Sanches, Gegê, Bimba e Ivan (Leocádio); Zé Maria (Wilson) e Beto Pretti; Sabará, Djalma (Farneze), Clarindo (Zezé) e Mendes (Cid). O América jogou com Capellani, Luizinho, Jorge, Aldemar e Murilo (Catocha); Airton e Ney; Robson, Jair Bala, Oldack (Saci) e Nilo.
A renda foi de Cr$ 980.000,00.

Três dias depois, 19 de maio de 1965, o América se apresentou novamente em Brasília, desta vez tendo como adversário o Defelê, em seu estádio, o Ciro Machado do Espírito Santo.
Jogando mal e com alguns jogadores sem condições físicas, além da ausência de três titulares, o Defelê foi totalmente dominado pelo América, que não encontrou qualquer dificuldade para chegar a uma elástica goleada de 8 x 0.
Quatro gols foram marcados no primeiro tempo e mais quatro no segundo. Eis os marcadores: Nilo, 3; Jair Bala, 20; Ney, 29; Luizinho, 32; Nilo, 58; Saci, 66; Airton, 75 e Canhoto, 88.
O árbitro da partida foi Joaquim Gonçalves, da Federação Mineira de Futebol, e a renda chegou aos Cr$ 590.000,00.
O Defelê foi goleado com Matil (Rubens), Zé Paulo, Malta, Bosco e Matarazzo (Lúcio); Nilo (Leônidas) e Walter (Alaor Capella); Manuelzinho (Sidney), Invasão, Bawani (Solon) e Sabará.
O América venceu com Zé Ernesto (Capellani), Jorge (Helinho), Caio, Aldemar e Murilo (Catocha); Airton e Ney (Saci); Geraldo (Canhoto), Luizinho (Oldack), Jair Bala e Nilo.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

COMPLETADA A PRIMEIRA RODADA DO CAMPEONATO BRASILIENSE DE 2013

 
LUZIÂNIA 1 x 1 BRAZLÂNDIA
Data: 20 de janeiro de 2013
Local: Serra do Lago, Luziânia (GO)
Árbitro: Ademário Neves
Público: 806 pagantes
Renda: R$ 7.178,00
Gols: Rodrigo Alves, 37 e Mariozan, 42.
LUZIÂNIA: Dida, Renan, Perivaldo, Galego e Glauber; Zé Ricarte (Paulinho Cuiabá), Rodrigo Menezes (Tiago), Rodrigo Alves e Vinícius; Kaick e Nélisson (Thiago Silva). Técnico: João Carlos Cavalo.
BRAZLÂNDIA: Márcio, Diogo, Piu, Thiago Eciene e Oberdan (Alexandre); Betson, Bigu, Éliton (Gustavo Gago) e Mariozan (Rogerinho); Johnne e Gustavo. Técnico: Wilson Moreira.

ATLÉTICO CEILANDENSE 2 x 0 UNAÍ
Data: 20 de janeiro de 2013
Local: Boca do Jacaré, Taguatinga (DF)
Árbitro: Valdeci Ferreira
Público: 92 pagantes
Renda: R$ 460,00
Gols: Ismaile, 41 e Helton, 82.
ATLÉTICO CEILANDENSE: Edson, Maxwell, Wallace, Adalton e Esquerdinha; Yan, Elton, Piva (Jorge) e Ismaile; Amauri (Heriton) e Jackson (Lucas). Técnico: Luciano Reis.
UNAÍ: Thiago, Filhão (Hendrich), Binha, Neuran e Wallise; Pedrinho, Renatinho, Moreira (Luan) e Alemão; Sabino e Douglas (Israel). Técnico: Cleyton Mineiro.

LEGIÃO 1 x 2 CEILÂNDIA
Data: 20 de janeiro de 2013
Local: Augustinho Lima, Sobradinho (DF)
Árbitro: Wales Martins
Público: 144 pagantes
Renda: R$ 955,00
Gols: Jocelmo, 54; Didão, 73 e 90
LEGIÃO: Diego, Bruninho, Madruga, Mauro e Boca; Jocelmo, PH, Marquinho (Felipe), Juninho (Carbura) e Rodrigo Melo (Igor); Jefferson. Técnico: Roll Faúla.
CEILÂNDIA: Dênis, André Nunes, Renato Coimbra e Badhuga; Guilherme, Clécio (Cléber), Alisson, Didão, Rodriguinho (William Saroá) e Higor (Gustavo); Cassius. Técnico: Adélson de Almeida.

Fonte: Site da FBF.

domingo, 20 de janeiro de 2013

PRIMEIROS JOGOS DO CAMPEONATO BRASILIENSE DE 2013

GAMA 4 x 1 BOTAFOGO
Data: 19 de janeiro de 2013
Local: Bezerrão, Gama (DF)
Árbitro: Rodrigo Raposo
Público: 2.310 pagantes
Renda: R$ 21.885,00
Gols: Gilmar, 7; Luís Carlos, 46 e 47; Gilmar, 50 e Valdo, 81.
GAMA: André Luiz, Amaral, Da Silva, Júnior Soares e Kabrine; Juninho (Washington), Fagner, Luiz Carlos, Allann Delon (Renato Bondi) e Gilmar; Laionel (Juninho Costa). Técnico: Victor Hugo.
BOTAFOGO: Cardoso, Paulo Vinícius, Rodrigo Melo, Bruno e Alvim (Boré); Juninho, Willian, Betinho (Vitor), Maninho e Keké; Marcelo Vigilante (Valdo). Técnico: Edmilson Marçal.

SOBRADINHO 2 x 3 CAPITAL
Data: 19 de janeiro de 2013
Local: Augustinho Lima, Sobradinho (DF)
Árbitro: Jucilê Pires
Público: 2.393 pagantes
Renda: R$ 3.965,00
Expulsões: Ramon (Sobradinho) e Coquinho (Capital)
Gols: Igor Rafael, 42; Hildo, 60; Laércio, 80; Rafael Toledo, 83 e Formiga, 87.
SOBRADINHO: Diego Zurlo, Ronaldo (Rafael), Ramon, Fabão e Zé Carlos; Hildo, Túlio, Fagner e Mário Lúcio (Juninho); Laércio e Edicarlos (Cauê). Técnico: Branco.
CAPITAL: Fernando, Clein, Márcio Costa, Flávio Zumba e Rafinha; Coquinho, Marcel, Rafael Toledo e Rochinha (Formiga); Igor Rafael (Wallacy) e Fernando Veiga (Arthur). Técnico: Gérson Vieira.

BRASILIENSE 0 x 2 BRASÍLIA
Data: 19 de janeiro de 2013
Local: Boca do Jacaré, Taguatinga (DF)
Árbitro: Rogério Bueno
Público: 1.177 pagantes
Renda: R$ 4.120,00
Gols: Luquinhas, 31 e 79
BRASILIENSE: Guto, Bocão, Fábio Braz, Rafael Tavares e Jefferson; Jordã (Piovesan), Everton, Baiano, Rafael Ipuã e Serginho (Romarinho); Washington (Abraão Lincoln). Técnico: Márcio Fernandes.
BRASÍLIA: Marcos, Bruno Paraíba, Felipe, Danilo e Breno; Pedro Ayub, Daniel, Natan (Marciel), Luquinhas e Siston (Vitinha); Ítalo (Claudionor). Técnico: Gauchinho.

sábado, 19 de janeiro de 2013

ATO DE SOLIDARIEDADE

Numa promoção das mais elogiáveis e com o objetivo dos mais nobres, no dia 21 de janeiro de 1962, no campo do Nacional (Estádio Aristóteles Góes) o Rabello enfrentou amistosamente o quadro da Colônia Gaúcha, em benefício das vítimas da catástrofe ocorrida em uma casa de espetáculos, o “Grand Circo Norte-Americano”, na cidade de Niterói (RJ), no dia 17 de dezembro de 1961.
A partida apresentou bom desenvolvimento no que se refere ao entusiasmo e empenho dos dois quadros. O Rabello, mesmo com seu superior padrão técnico, não conseguiu superar o entusiasmo e a fibra do time adversário. Resultado final: 1 x 1. Os gols foram marcados por Bazan, da Colônia Gaúcha, aos 41 minutos do 1º tempo, e Baianinho, do Rabello, aos 28 minutos do 2º tempo.
Lourandyr Castro Gomes foi o árbitro do jogo e a renda chegou aos Cr$ 35.000,00.
As equipes formaram assim: Rabello - Gaguinho, Pernambuco, Léo e Enes; Calado e Bimba; Roberto, Robertinho (Negrão), Baianinho, Nilo e Joãozinho. Colônia Gaúcha - Ivan, Barreto, Lúcio e Bazan; Fuchs e Zé Paulo; Boneco, Mongli (Vielmo), Djalma (Ênio), Abidorá (Wanderley) e Manchon (Ferreira).
Na preliminar, com início às 14 horas, o Nacional fez 4 x 0 na Seleção da Aeronáutica, com gols de Ferreira, no 1º tempo, e Beto, três vezes, no segundo. Jorge Cardoso foi o árbitro e as equipes formaram assim: Nacional - Chico, Alberto, Eufrásio e Índio; Logodô e Lobato; Jadir, Toinho, Beto, Ferreira (Laércio) e Jair. Seleção da Aeronáutica - Abel, Manoel, Wellington e Magalhães; Édson e Jorge; Oliveira (Moreira), Celso, Nelson, João e Pedro.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

A VISITA DO VALERIODOCE, DE MINAS GERAIS

 
 
Nos dias 14 e 21 de maio de 1961, o Valeriodoce, que era o campeão do interior de Minas Gerais, realizou dois jogos amistosos em Brasília.
No primeiro, no dia 14, no campo do Guará, o Valeriodoce goleou o Defelê, por 6 x 1. O Defelê até deu a primeira impressão de que iria dificultar as coisas para o lado do clube mineiro ao abrir o marcador, através de Fino, aos 12 minutos de jogo. Mas os visitantes não se impressionaram e, ainda no primeiro tempo, viraram o placar para 3 x 1. A goleada foi concretizada no segundo tempo, quando foram marcados mais três gols do Valeriodoce.
As equipes formaram assim: Defelê - Matil, Bimba, Euclides e Osvaldo; Pedrinho e Loureiro; Ramiro, Vitinho, Ely, Fino e Raimundinho. Técnico: Didi de Carvalho. Valeriodoce - Zeca, Jair, Zé Geraldo e Ladinho; Filhinho e Neca; Djalma (Márcio), Gilberto, Célio, Perci e Cardoso (Valter). Técnico: Airton Moreira (irmão de Aymoré e Zezé Moreira).
O árbitro do jogo foi o mineiro Simão Vacsman.
Na preliminar desse jogo, um amistoso cujo resultado causou surpresa: o Rabello perdeu para o Alvorada por 3 x 2.
Uma semana depois, 21 de maio de 1961, foi a vez do Rabello enfrentar o Valeriodoce.
O jogo foi cercado de grande interesse.
O Rabello exigiu bastante de seu adversário. O Valeriodoce mostrou que tinha maior sentido de conjunto e conseguiu sua segunda vitória em Brasília. O clube mineiro saiu na frente, com gol de Gilberto, aos 25 minutos do 1º tempo. Dois minutos depois, Dario empatou para o Rabello. Antes de terminar o 1º tempo, Djalma marcou o segundo gol do clube mineiro, aos 37 minutos. No 2º tempo, aos 25 minutos, Cardoso definiu o placar em 3 x 1 para o Valeriodoce.
Jogaram as equipes com: Rabello – Gaguinho, Paulo (Capixaba), Leocádio e Édson Galba (emprestado pelo Planalto para esse jogo); Calado e Délio; Arnaldo, Baianinho, Dario, Nilo e Joãozinho. Valeriodoce – Zeca (Clariovaldo), Jair, Zé Geraldo e Ladinho; Filhinho e Neca; Djalma (Márcio), Gilberto (Pedrinho), Célio (Valter), Perci (Marinho) e Cardoso.
Após os jogos em Brasília, o Valeriodoce realizou amistosos em Anápolis e Goiânia.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

AMISTOSOS ENVOLVENDO CLUBES QUE DISPUTARÃO O CAMPEONATO BRASILIENSE DE 2013


Antes do início do Campeonato Brasiliense de 2013, previsto para o próximo dia 19 de janeiro, os clubes de Brasília realizaram vários amistosos preparatórios. Eis alguns deles:

30.12.2012
UNAÍ 2 x 2 LUZIÂNIA
CEILÂNDIA 4 x 0 CRUZEIRO (juniors)
GAMA 0 x 1 BRAZLÂNDIA

05.01.2013
BRASÍLIA 0 x 3 LUZIÂNIA
CEILÂNDIA 3 x 2 BRAZLÂNDIA
UNAÍ 2 x 2 SELEÇÃO DE COLINAS-MG

06.01.2013
SOBRADINHO 4 x 2 SELEÇÃO AMADORA DE SOBRADINHO
GAMA 2 x 0 VILA NOVA-GO

09.01.2013
GOIANÉSIA 2 x 2 GAMA
LUZIÂNIA 3 x 2 BOTAFOGO-DF
CAPITAL 1 x 0 LEGIÃO
APARECIDENSE 0 x 2 SOBRADINHO

12.01.2013
SOBRADINHO 2 x 0 LUZIÂNIA
GAMA 1 x 2 APARECIDENSE
GRÊMIO ANÁPOLIS 1 x 0 CEILÂNDIA
BRAZLÂNDIA 1 x 1 LEGIÃO

13.01.2013
GOIANÉSIA 1 x 4 CAPITAL
ANÁPOLIS 2 x 5 BRASÍLIA
MAMORÉ 2 x 0 UNAÍ

O BOTAFOGO-DF DE CASA NOVA

 
 
Após representar por vários anos a cidade do Guará e, no ano passado, o Novo Gama, o Botafogo-DF agora tem uma casa nova.
No último dia 11 de janeiro de 2013, o Botafogo-DF assinou um acordo de patrocínio com a prefeitura de Santo Antônio do Descoberto (GO).
Com pouco mais de 60.000 habitantes segundo o Censo de 2010 do IBGE, e 56 km distante de Brasília, Santo Antônio do Descoberto está localizado na região leste de Goiás, tem por municípios limítrofes Águas Lindas de Goiás, Alexânia, Corumbá de Goiás e bem próxima à cidade-satélite de Samambaia, no Distrito Federal, e por essa razão é parte integrante do Entorno do Distrito Federal e um dos municípios da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno – RIDE.
Assim, a equipe passará a se chamar Botafogo SAD.
Os treinos acontecerão em três locais: No antigo "Cascalhão" (hoje chamado de Gramadão), localizado no centro de Santo Antônio do Descoberto, no campo da Embrapa, às margens da BR-060, e no Clube Rodoviário.
A estreia do Botafogo SAD no Campeonato Brasiliense de 2013 acontecerá no próximo dia 19 de janeiro, diante do Gama, no estádio Bezerrão. No entanto, segundo a assessoria de imprensa do clube, os jogos poderão ser remanejados para o Estádio Regional de Samambaia.

domingo, 13 de janeiro de 2013

11ª RODADA DO CAMPEONATO BRASILIENSE DE 2008


UNAÍ 0 x 0 DOM PEDRO II
Data: 26 de março de 2008
Local: Urbano Adjuto (Unaí-MG)
Árbitro: Sandro Ricci
Renda: R$ 650,00
Público: 130 pagantes
UNAÍ: Márcio, Clein, Roberto, Cláudio Negão e Geovane; Val (Juninho), Daniel, Valdenir e Luciano Milagres (Toninho); Geraldo e Darciel (Rodrigo). Técnico: Alexandre Matos.
DOM PEDRO II: Osmair, Rodrigo Mello, Ivisson e Mello; Amaral, Zé Ricarte, Ferrugem (Gilmar), Maninho e Fábio (Chimba); Mazinho Brasília e Michel (Juninho). Técnico: José Lopes Risada.

LEGIÃO 0 x 1 CEILÂNDIA
Local: Mané Garrincha (Brasília)
Data: 26 de março de 2008
Árbitro: Almir Camargo
Renda: R$ 3.753,00
Público: 2.169 pagantes
Expulsão: Diego
Gol: Rodrigo, 35
LEGIÃO: Fernando, Paulo Ricardo, Ícaro, Thiago Eciene e Kaká; Erivaldo, Rodriguinho (Edmar), Kim e Evandro Chaveirinho; Joãozinho (Michel Carioca) e Chefe (Alison). Técnico: Reinaldo Gueldini.
CEILÂNDIA: Sérgio Vittori, Thompson, Adriano, Panda e Boby (Diego); Bruno Ramos, Ricardo Silva, Mineiro (Tiago) e Diego Macedo; Rodrigo (Andrei) e Rodrigo Félix. Técnico: Ricardo Oliveira.

BRASILIENSE 5 x 0 BRAZLÂNDIA
Data: 27 de março de 2008
Local: Serejão (Taguatinga)
Árbitro: Sérgio Santos
Gols: Jóbson, 12; Dimba, 59; Juninho, 68 e Adrianinho, 72 e 80.
BRASILIENSE: Luiz Müller, Patrick, Júnior Baiano, Aílson e Gleidson; Bidu, Coquinho (Juninho), Rodriguinho e Iranildo (Adrianinho); Jóbson e Dimba (Moré). Técnico: Gerson Andriotti.
BRAZLÂNDIA: Abraão, Fabrício, Renato, Piu e Magrão; Daniel, Welton, Fernando (Alan) e Liuson (Kiki); Edicarlos e Leandro Porto (Dida). Técnico: Sílvio de Jesus.

GAMA 4 x 0 ESPORTIVO
Local: Mané Garrincha (Brasília)
Árbitro: Alexandre Andrade
Renda: R$ 720,00
Público: 216 pagantes
Gols: Gerson, 29; Thiago Bezerra, 62; Ésley, 83 e Ademir, 87.
GAMA: Rafael Córdova, Índio (Ademir), Ozéia, Gerson e Digão; Lucas, Henrique, Léo Gonçalves e Leto (Thiago Bezerra); Ésley e Maia (Dendel). Técnico: Ademir Fonseca.
ESPORTIVO: Aylton (Pedro), Haroldinho, Elton, Márcio Paraíba e Robson Pirapora; Valmir, Simão, Igor (Gustavo Lopes) e Paulo César Jabuticaba; Dudu Mineiro e Léo Guerreiro. Técnico: Marquinhos Bahia.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

O BANGU EM BRASÍLIA


Poucos dias antes da inauguração de Brasília (que aconteceria em 21 de abril de 1960), o Bangu, do Rio de Janeiro, visitou a que seria a nova Capital Federal, aqui realizando dois jogos amistosos.
Os clubes de Brasília sofreram duas goleadas.
Eis as súmulas dos dois jogos:

GUARÁ 0 x 4 BANGU
Data: 2 de abril de 1960
Local: Estádio Israel Pinheiro, Brasília (DF)
Árbitro: desconhecido.
Gols: Luís Carlos, 10 e 27; Aloísio, 77 e 85.
GUARÁ: Redola, Pezão e Tostão; Severo, Múcio e Homero; Belchior, Mário, Fernando, Tôco e Maia.
BANGU: Ubirajara (Otaziano), Joel e Mário Tito; Zózimo, Ananias e Nilton dos Santos; Aloísio, Luís Carlos, Vermelho, Válter e Beto. Técnico: Tim.

GRÊMIO 0 x 3 BANGU
Data: 3 de abril de 1960
Local: Estádio Israel Pinheiro, Brasília (DF)

Árbitro: desconhecido.
Gols: Luís Carlos (40), Beto (73) e Hélcio Jacaré, 89.
GRÊMIO: Bosco, Pedersoli e Hugo; Remis, Alemão e Ralf; Édson, Sabará, Carlinhos, Mambaquinha e Reinaldo.
BANGU: Djalma, Joel e Mário Tito; Zózimo, Ananias e Alcides (Hélcio Jacaré); Aloísio, Luís Carlos, Vermelho, Valter e Beto. Técnico: Tim.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

ESTATÍSTICAS DO CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1973

CLUBES PARTICIPANTES: 10.
JOGOS REALIZADOS: 84.
GOLS ASSINALADOS: 236.
MÉDIA DE GOLS POR JOGO: 2,8.
MELHOR ATAQUE DO CAMPEONATO: Ceub, com 41 gols a favor.
PIOR ATAQUE DO CAMPEONATO: Carioca, 13 gols a favor.
MELHOR DEFESA DO CAMPEONATO: Ceub, com 15 gols contra.
PIOR DEFESA DO CAMPEONATO: América, 42 gols contra.
MELHOR SALDO DE GOLS: Ceub, 26.
MAIOR NÚMERO DE VITÓRIAS: Ceub, com 14.
MENOR NÚMERO DE VITÓRIAS: Carioca, 2.
MENOR NÚMERO DE DERROTAS: Ceub, 3.
MAIOR NÚMERO DE DERROTAS: Carioca, com 12.
MELHOR ÍNDICE DE APROVEITAMENTO: Ceub, com 77,5%.
MAIOR GOLEADA DO CAMPEONATO: 27.10.1973, Serviço Gráfico 6 x 0 América.
JOGO COM MAIOR NÚMERO DE GOLS MARCADOS: 27.10.1973, Ceub 6 x 2 Carioca.

ARTILHEIROS:

1º - Humberto (Relações Exteriores), 12 gols;
2º - Lucas (Serviço Gráfico/Ceub), 9;
3º - Dinarte e Renatinho (Ceub), Vavá (Humaitá) e Tita (Jaguar), 7;
4º - Pirombá (Atlético), Paulinho (Ceub), Moisés (Humaitá) e Carlinhos e Santos (Unidos de Sobradinho), 6;
5º - Silvinho (América), China (Humaitá) e Bazan (Serviço Gráfico), 5;
6º - Fischer e Toinho (Atlético), Pedro Léo (Ceub), Júlio (Humaitá), Ariston (Jaguar), Baiê, Hermes e Toninho (Luziânia) e Arnaldo, Lula e Zequinha (Relações Exteriores), 4;
7º - Evandro e Zé Pereira (América), Dutra (Atlético), Chenco (Carioca), Cid (Ceub), Lord (Humaitá) e Wesley (Unidos de Sobradinho), 3;
8º - Messias (América), Osias (Atlético), Ronaldo (Carioca), Carlinhos, Hamilton e Rominho (Ceub), Lula (Jaguar), Bispo e Paulo César (Relações Exteriores), Melinho e Tião (Serviço Gráfico) e Litinho, Paulinho e Renilson (Unidos de Sobradinho), 2;
9º - Ferreti, Joãozinho, Nunes e Ronaldo (América), Aloísio, Duda, Eustáquio, Joãozinho, Luiz Félix e Tio (Atlético), Ari, Baltazar, Divino, João Dias, Maurício, Newton, Peba e Raimundinho (Carioca), Fernando e  Wanderley (Ceub), Arleno e Oswaldo (Humaitá), Carlos Alberto, Ceará, Djalma, Luiz Alberto e Orlando-contra (Jaguar), Aloísio-contra, Edmar, Palhares, Waldo e Ziza (Luziânia), Redi e Régis (Relações Exteriores), Celino, Celso, César e Fernando (Serviço Gráfico) e Maurílio-contra, Newton, Rinaldo, Sabará e Sidney (Unidos de Sobradinho), 1 gol cada.

ÁRBITROS QUE MAIS ATUARAM:

1º - Jorge Aloise, 7 jogos;
2º - Cid Marival Fonseca, Arnóbio Passos de Andrade e Antônio Barbosa, 6;
3º - Edson Rezende de Oliveira, Ranulfo José Soares, Aristeu Teixeira Santana e Adhemar Pereira da Cruz, 5;
4º - Wolney Bezerril, César Orosco, Amphilóphio Pereira da Silva e Oswaldo dos Santos, 4;
5º - Sebastião Benedito de Souza, Osmar Marques e Luiz Carlos Serafim, 3;
6º - Reinaldo Serva, Aldo de Paula Cruz, Aníbal Blanch e Enízio Matte Vieira, 2;
7º - Sérgio Ellund, Luiz Roberto da Rocha e Racib Elias Ticby, 1.
Obs.: em três jogos não foi possível encontrar a arbitragem.

ESTÁDIOS UTILIZADOS:

Aconteceram jogos no Estádio Pelezão, em Brasília (75), Francisco das Chagas Rocha, em Luziânia (8) e Chapadinha, em Brazlândia (1).

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

CLUBES DE BRASÍLIA: ASSIBAN

A Associação dos Servidores do Instituto dos Bancários – ASSIBAN foi criada em 10 de junho de 1958, no Rio de Janeiro (RJ).
Juntamente com vários órgãos do Rio de Janeiro, então Capital do Brasil, foi transferido para Brasília antes mesmo da inauguração desta cidade (ocorrida em 21 de abril de 1960).
Disputou apenas o Campeonato Brasiliense de Futebol de 1959, quando ficou em segundo lugar na Zona Norte, três pontos atrás do Planalto, o campeão.
Teve seu time desfeito em 1960 e seu presidente, Paulo Dionísio Augusto, assumiu o comando do Brasil Central Atlético Clube.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

O QUE ACONTECEU HÁ 50 ANOS (01 a 31.01.1963)

 

01.01.1963
Fundado o Vila Matias Esporte Clube.

Devido às constantes chuvas e à proximidade dos festejos natalinos
e de ano novo, o campeonato brasiliense de 1962 foi paralisado, somente retornando em 13 de janeiro de 1963.

13.01.1963
No Estádio Ciro Machado do Espírito Santo, o Colombo venceu o Nacional por 2 x 1, com dois gols de Almir para o Colombo e João para o Nacional. O árbitro foi Aristeu Teixeira Santana.
Guará e Defelê empataram em 0 x 0 no Estádio Israel Pinheiro. Moacir Siqueira foi o árbitro do jogo.

Com um gol de Marcos, o Rabello venceu o Grêmio pelo marcador de 1 x 0. O jogo foi realizado no Estádio Paulo Linhares e teve como árbitro Eduino Edmundo Lima.

19.01.1963
O Colombo surpreendeu o Guará em seu campo, o Estádio Israel Pinheiro, vencendo-o por 1 x 0, gol de Tião II. O árbitro Nilzo de Sá expulsou de campo Zezito, do Guará.

20.01.1963
O Rabello foi até o campo do Nacional (Estádio Aristóteles Góes) e o goleou por 3 x 0. Arnaldo, duas vezes, e Logodô marcaram os gols do jogo. O árbitro Eduino Edmundo Lima expulsou do gramado Amâncio, do Rabello.
Ely marcou o único gol do jogo em que o Defelê venceu o Grêmio. A partida foi realizada no Estádio Ciro Machado do Espírito Santo e teve como árbitro Moacir Siqueira.

26.01.1963
Em jogo disputado no Estádio Israel Pinheiro, o Guará goleou o Nacional por 4 x 1. Marcaram os gols Aderbal, Raimundinho (2) e Zezito para o Guará e Baiano para o Nacional. O árbitro foi Lourandyr de Castro Gomes.

27.01.1963
Aconteceu empate no clássico Defelê x Rabello. O placar final foi de 1 x 1. Ely marcou para o Defelê e Léo para o Rabello. O local do jogo foi o Estádio Ciro Machado do Espírito Santo. O árbitro foi Eduino Edmundo Lima e a renda alcançou CR$ 92.000,00.
No outro jogo da rodada, realizado no Estádio Vasco Viana de Andrade, o Grêmio não fez valer o mando de campo e foi derrotado pelo Colombo, pelo placar de 3 x 1. O árbitro foi Nilzo de Sá e a renda de CR$ 12.400,00. Os gols do Colombo foram marcados por Nilo, Cid e Tião I, enquanto Sérgio assinalou o do Grêmio.