sábado, 30 de setembro de 2017

DREAM TEAM: Sobradinho


O “Dream Team” deste mês é com o Sobradinho.
Foram selecionados os dez jogadores que mais defenderam o Sobradinho no Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão, por posição, do goleiro ao ponta-esquerda. Todos eles receberam uma pontuação, de 100 para o primeiro colocado até 10 pontos para o décimo.
No segundo critério foram dados pontos para os jogadores que mais marcaram gols com a camisa do Sobradinho. O maior artilheiro do Sobradinho recebeu 100 pontos e o décimo 10.
O 3º critério premiou aqueles jogadores que fizeram parte da conquista de campeonatos brasilienses. Todos os jogadores, independentemente da quantidade de jogos, receberam 30 pontos.
Também receberam pontos os jogadores do Sobradinho que foram convocados para a seleção brasiliense ou fizeram parte da seleção dos melhores do ano, eleita pela imprensa especializada. Cada jogador nesse quesito recebeu 20 pontos por evento.
Já o 5º critério - sagrar-se campeão de competição regional ou nacional - ficou prejudicado pois o Sobradinho não conquistou títulos desse âmbito.
Como dissemos anteriormente, essas “seleções dos melhores” também servirão como uma espécie de desafio para os torcedores de cada clube: a partir de agora, verifiquem quais os jogadores que você não concorda com a “convocação” e participe relacionando nos comentários os que seriam os seus “substitutos”. Quem sabe, com uma participação muito grande, chegaremos a outros “times dos sonhos”.
Como os esquemas táticos mudaram muito nos últimos anos, resolvemos adotar o 4-3-3 como padrão para esse time e os demais. Justamente por isso ocorrerá de algum jogador ter atuado em duas ou até três posições.
Aqui está o “Dream Team” do Sobradinho, separado em três seleções:

SELEÇÃO "A"
SELEÇÃO "B"
SELEÇÃO "C"
1
BOCAIÚVA
ATAYDE
CHICÃO
2
CHIQUINHO
MARCELO
ARNALDO
3
RILDO
FLÁVIO
RÉGIS (Leomar)
4
HANI
TOINZÉ
WILTON
5
ZÉ NILO
OLIVEIRA
PIRES
6
CLAUDINHO
JERÔNIMO
AHLÁ
7
RÉGIS
EUDES
WASHINGTON
8
WELLINGTON
FILÓ
ZUZA
9
DIMBA
TONI
SILVA
10
MICHAEL
ARTUR
PALHINHA
11
JAMIL
EDICARLOS
ZÉ VIEIRA

OUTROS DESTAQUES

JOGADORES QUE MAIS VESTIRAM A CAMISA DO SOBRADINHO
JOGADOR
JOGOS
CLAUDINHO
169
RILDO
165
MICHAEL
146
CHIQUINHO
141
ZÉ NILO
138
FILÓ
135
WELLINGTON
128
ARTUR
124
JAMIL
117
10º
RÉGIS
104
OS QUE MAIS MARCARAM GOLS
JOGADOR
GOLS
DIMBA
44
TONI
22
FILÓ
21
RÉGIS
18
SILVA, LAÉCIO e JAMIL
17
MICHAEL
16
EDICARLOS
14
ZUZA
12
MAYCON, RILDO, PALHINHA, CHIQUINHO e ALEX ALVES
11
10º
RENATO, WADI e ARTUR
10
Obs.: em jogos válidos pelo Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão.



sexta-feira, 29 de setembro de 2017

PERSONAGENS & PERSONALIDADES DO FUTEBOL BRASILIENSE: o árbitro Rodrigo Raposo


O árbitro Rodrigo Batista Raposo nasceu em Brasília (DF), no dia 22 de julho de 1979.
Atualmente é Servidor Público, trabalha na Secretaria de Planejamento e Orçamento do Distrito Federal, é formado em Administração de Empresas e pós-graduado em Gestão Pública. Tem 38 anos e é casado.
Sua admiração pelos árbitros vem dos tempos de colégio. Naquela época, ele foi o árbitro das gincanas entre turmas e jogos amistosos dos professores contra outra equipe convidada. Ele não jogou profissionalmente. Era um bom goleiro, mas só atuou até a época de universitário. Tinha como objetivo primeiro fazer uma faculdade e estudar para concurso. Assim que terminou a faculdade, em 2003, ficou atento para fazer o próximo curso de arbitragem.

Em 2005, ele fez o Curso de Arbitragem pela Federação Brasiliense de Futebol e Sindicato dos Árbitros do Distrito Federal, sendo eleito o segundo melhor aluno do curso.
Suas atividades como árbitro tiveram início em 2006 e logo no primeiro ano de sua carreira foi eleito o melhor árbitro das categorias Fraldinha, Pré-Mirim e Mirim, além de participar de cinco finais pelo Sindicato de Árbitros do Distrito Federal.

Em 2007 foi eleito novamente como melhor árbitro das categorias Fraldinha, Pré-Mirim e Mirim. Neste ano, os árbitros de Brasília não atuaram no Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão. Foram contratados árbitros de São Paulo para dirigir os jogos do campeonato do DF.
Seus primeiros trabalhos na divisão principal do campeonato brasiliense foram como 4º Árbitro, em três jogos no ano de 2008. Foi eleito árbitro revelação de Brasília nesse ano.
O ano de 2009 foi muito bom para Rodrigo Raposo. Fez sua estreia no campeonato brasiliense da 1ª Divisão no jogo Legião 2 x 0 Ceilândia, no dia 21 de fevereiro, no estádio Mané Garrincha. Além desse, foi o árbitro dos jogos Legião 1 x 0 Brazlândia, no dia 11 de março, no Mané Garrincha, e Ceilândia 2 x 1 Brasília, em 22 de março, no Abadião. Também foi o árbitro nas finais do infantil, juniores e da Segunda Divisão do Campeonato Brasiliense, com o estádio do CAVE lotado, pois havia a expectativa do gol 900 do atacante Túlio Maravilha. Nesse ano foi eleito, novamente, árbitro revelação de Brasília.
Em 2010, Rodrigo Raposo entrou para o quadro de árbitros da Confederação Brasileira de Futebol - CBF. Sua estreia aconteceu no dia 17 de julho, no jogo Ceilândia 2 x 0 Brasília, no Abadião, válido pelo Campeonato Brasileiro da Série D.
Neste ano, foi eleito o melhor árbitro de Brasília. Foi o árbitro da final do Infantil, da Segunda Divisão (CFZ 1 x 0 Bosque Formosa, no estádio JK, no Paranoá, no dia 30 de outubro) e do jogo de ida da final da Primeira Divisão, Ceilândia 3 x 1 Brasiliense.

Foi eleito, novamente, como melhor árbitro de Brasília em 2011 e foi o mediador da final da Primeira Divisão, Brasiliense 0 x 0 Gama.
Sua estreia na Série A do Campeonato Brasileiro foi no jogo Coritiba 3 x 0 Figueirense, no estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR), no dia 2 de dezembro de 2012.
Em 2013 foi eleito, mais uma vez, a terceira, como o melhor árbitro de Brasília. Apitou a partida final da Primeira Divisão de Brasília - Brasiliense 3 x 0 Brasília, na partida que também foi a reabertura do estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

Também em 2013 foi o árbitro da abertura e da final do Torneio Internacional de Seleções Femininas, entre Brasil x Chile, que ocorreu no Mané Garrincha, em Brasília.
Pela quarta vez nos últimos cinco anos, Rodrigo Raposo foi eleito melhor árbitro de Brasília, em 2014.
Em 2015 dirigiu a final da Primeira Divisão de Brasília - Gama 1 x 0 Brasília e foi eleito melhor árbitro do Distrito Federal.
Repetiu esse feito em 2016, quando foi o árbitro da final da Primeira Divisão do DF - Luziânia 1 x 0 Ceilândia - e eleito o melhor árbitro de Brasília. Em 2016, também foi promovido ao quadro de Aspirantes da FIFA.
O ano de 2017 é o segundo no quadro de árbitro Aspirante à FIFA. De 4 a 8 de setembro deste ano, em São Paulo, participou do processo seletivo para se tornar um árbitro FIFA.
Rodrigo Raposo é o árbitro de Brasília mais bem classificado desde 2012 no quadro da CBF, sendo o principal árbitro de Brasília na atualidade.

NÚMEROS DE RODRIGO RAPOSO

CAMPEONATO BRASILIENSE:
68 jogos apitando, 6 jogos como 4º árbitro e 1 jogo como 5º árbitro, totalizando 75 atuações.

CAMPEONATO BRASILEIRO:
114 jogos apitados; 28 atuações como 4º árbitro e 20 atuações como arbitro assistente adicional: totalizando 162 atuações com o escudo da CBF.

Série A: 14 jogos
Série B: 43 jogos
Série C: 18 jogos
Série D: 15 jogos
Copa do Brasil: 13 jogos.

Outros jogos
Feminino e Copa Verde: 11 jogos.

Rodrigo Raposo afirma que a escola de arbitragem de Brasília é uma das melhores do País, já tendo revelado grandes árbitros.

Na opinião de Rodrigo Raposo, o futebol brasiliense tem grandes jogadores e treinadores, porém peca na gestão do futebol. Se tivesse um calendário melhor para todas as equipes elas poderiam se programar melhor e assim os jogadores ficariam mais entrosados melhorando assim o nível técnico. A torcida de Brasília também gosta muito de futebol. Se tiver um campeonato qualificado, a torcida, com certeza, irá comparecer aos estádios. A torcida comparecendo, os grandes empresários se animam a patrocinar o campeonato e as equipes. Tudo é um ciclo. Se tiver uma gestão eficiente, o futebol de Brasília voltará aos tempos áureos.