Total de visualizações de página

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

CRAQUES DE ONTEM E DE HOJE: Nilo



Nilo Domingos da Paz nasceu em Ubá, Minas Gerais, em 20 de outubro de 1940.
Antes de completar 19 anos já estava em Brasília, disputando o Campeonato Brasiliense de 1959, pelo Grêmio Esportivo Brasiliense, quando se tornou campeão da primeira competição realizada em Brasília, antes mesmo de sua inauguração.
Nilo teve participação decisiva nos jogos que apontaram o campeão de 1959. No primeiro, no dia 8 de novembro, marcou um dos gols do Grêmio na vitória de 4 x 2 sobre o Planalto.
Uma semana depois, 15 de novembro de 1959, voltou a marcar no segundo jogo da decisão, no empate de 3 x 3 entre Grêmio e Planalto.
Só não marcou no terceiro jogo, no dia 22 de novembro, quando o Grêmio venceu o Planalto por 1 x 0, gol de Carlinhos.
Em 1960, quando a Construtora Ribeiro resolveu investir pesado para formar o seu time de futebol, Nilo foi um dos contratados. A construtora promoveu o Troféu “Israel Pinheiro” (por iniciativa do presidente da Construtora Ribeiro Ltda., Cesar Ribeiro), disputado por equipes de oito companhias construtoras de Brasília.
Quando a mesma construtora resolveu contratar mais um craque para sua equipe, Beto Pretti, Nilo achou que era hora de sair e passou para o Rabello.
Estreou no Rabello no dia 10 de julho de 1960, no campo do Rabello, na vitória de 3 x 2 sobre o Expansão. Nilo marcou um gol e também perdeu um pênalti, chutado na trave.

Nilo foi o maior destaque do Rabello no Torneio Início realizado no dia 4 de setembro de 1960 e que contou com a participação de 16 equipes.
No sétimo jogo do dia, o Rabello venceu o Alvorada, por 1 x 0, gol de Nilo.
Depois, nos dois jogos seguintes, quando o Rabello não venceu o Guará e o Edilson Mota no tempo regulamentar, em ambos converteu os pênaltis que desempataram esses jogos (na época, um só jogador sobrava três pênaltis cada um até se conhecer o vencedor).
Na final, o Rabello venceu o Planalto por 1 x 0, gol de Nilo, cobrando pênalti. Foi o primeiro título de campeão do Rabello.
Segundo parecer dos técnicos que assistiram a todos os jogos do torneio, o meia-esquerda Nilo, do Rabello, foi a melhor expressão individual e técnica.

Logo depois, Nilo ajudaria o Rabello a se classificar para o Campeonato Brasiliense da Primeira Divisão de 1960. Em virtude do elevado número de clubes inscritos (16), a Federação Desportiva de Brasília resolveu fazer um torneio para determinar as oito equipes que disputariam o campeonato da Primeira Divisão e as oito que comporiam a Segunda.
O Rabello empatou o primeiro jogo com o Nacional (0 x 0), venceu o segundo contra o Real (6 x 1), com dois gols de Nilo e confirmou sua classificação em primeiro lugar no grupo com a vitória de 5 x 2 sobre o Alvorada.
No campeonato brasiliense de 1960, o Rabello ficou com a quarta colocação e Nilo marcou apenas três gols.
O ano seguinte seria bem melhor para Nilo.
No começo do ano, 19 de fevereiro de 1961, num amistoso contra o Flamengo, de Anápolis, voltaria a marcar um gol na vitória de 3 x 1.
Logo depois, quando pela primeira vez se convocou jogadores para formar uma seleção de Brasília, Nilo era um deles. No entanto, ficou no banco de reservas no dia do jogo, 16 de abril de 1961, quando a Seleção de Brasília foi derrotada pela Seleção de Goiás, em Goiânia, por 1 x 0.

Poucos dias depois, foi novamente convocado para a Seleção de Brasília que enfrentaria o Santos, de São Paulo, e novamente ficou no banco no dia do joho, 21 de abril de 1961, quando o selecionado brasiliense foi goleado por 4 x 0.
Faria sua estreia na seleção de Brasília no dia 30 de abril de 1961, quando a Seleção de Goiás retribuiu a visita da representação brasiliense. No Estádio Israel Pinheiro, a seleção de Brasília venceu por 2 x 0.
Nilo foi convocado pela última vez no ano para a Seleção de Brasília que enfrentou e empatou com o Fluminense, do Rio de Janeiro (2 x 2). Mais uma vez, não jogou.
Nilo marcou muitos gols no campeonato brasiliense de 1961. Cinco deles na goleada de 12 x 0 do Rabello sobre o Sobradinho, no dia 30 de julho de 1961.
Terminaria a competição como maior artilheiro, com 12 gols. O Rabello chegou na segunda colocação, após ser derrotado pelo Defelê em uma melhor-de-três.
No final do ano, teve o reconhecimento de Didi de Carvalho, treinador do bicampeão Defelê, que escolheu Nilo para fazer parte de uma hipotética seleção dos melhores do ano de 1961.
Continuou no Rabello nos anos de 1962 e 1963, quando o clube foi terceiro e segundo colocado, respectivamente.
O primeiro título de campeão brasiliense só veio em 1964, já como profissional, ainda defendendo o Rabello. Também nesse ano voltou a compor a seleção brasiliense em dois amistosos.
Passou a trabalhar como torneiro-mecânico na Fundação Universidade de Brasília - UnB e passou a diminuir suas atuações no futebol.
Jogou no Guará em 1965.

Foi lembrado para disputar um amistoso em 06.07.1969, envolvendo as seleções A e B do DF. Nesse ano, defendeu o Carioca.
Já veterano, Nilo jogou no CSU (clube da UnB), em 1976.
Foi admitido em 11 de março de 1998 como torneiro mecânico da Novacap.
Nilo ainda bate sua bolinha entre os veteraníssimos do Minas Brasília Tênis Clube, defendendo as cores do Zecabol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário