domingo, 9 de outubro de 2011

FICHA TÉCNICA: Sir Peres


Sir Peres, à esquerda, cumprimentando Joãozinho, do Santos,
na inauguração do Estádio Augustinho Lima

Sir Peres de Barros nasceu em Alegrete, Rio Grande do Sul, em 5 de agosto de 1939.
Começou a jogar futebol em sua cidade natal, no Botafogo local, clube que disputava a Segunda Divisão do Rio Grande do Sul.
Resolveu procurar emprego em Brasília e na futura Capital Federal desembarcou no dia 5 de junho de 1959.
Passou a jogar futebol no Planaltina Esporte Clube.
Quando os dirigentes do Guará, querendo reduzir os gastos com a importação de jogadores, resolveram investir em jogadores locais, o relacionamento de Oswaldão com o pessoal de Planaltina era muito bom e teve seu nome indicado para fazer testes no Guará.
Tinha como principais características ser um zagueiro vigoroso, que sempre chegava junto, com bom preparo físico, boa recuperação e leal. Apesar da baixa estatura sempre foi muito bom nas bolas cruzadas em sua área, foi e aprovou, por lá atuando nos anos de 1962 e 1963.
Defendeu a Seleção de Brasília pela primeira vez em 29 de setembro de 1962, num amistoso realizado em Goiânia (GO), contra o selecionado de Goiás, quando aconteceu empate de 2 x 2 entre as duas seleções estaduais.
Ainda neste ano de 1962 foi convocado para fazer parte da Seleção de Brasília que disputaria o Campeonato Brasileiro. Como o titular era Bimba, não participou dos jogos contra Mato Grosso e Goiás.
Foi escolhido pelo jornal Diário Carioca-Brasília como revelação do campeonato de 1962 e fez parte dos melhores jogadores da Seleção da Zona Sul da mesma competição.
No aniversário de Brasília, em 21 de abril de 1963, no amistoso contra o Atlético Mineiro, novamente foi convocado e não disputou a partida. Ao final do ano, o jornal DC-Brasília o colocou na “Seleção do Ano” do campeonato brasiliense de 1963.
Em 1964, se transferiu para o Colombo, do Núcleo Bandeirante, permanecendo neste clube até 1967.
Firmou-se como titular da Seleção de Brasília em 1964 ao disputar os três amistosos realizados naquele ano: nos dias 2 e 5 de julho, contra o Fluminense, de Feira de Santana (BA), e no dia 23 de agosto, no empate de 1 x 1 com o Atlético Mineiro.
Em 1968, sagrou-se campeão brasiliense defendendo o Defelê.
De 1970 a 1972, jogou novamente no Colombo, conquistando o título de campeão brasiliense no ano de 1971.
Defendeu o Unidos de Sobradinho nos anos de 1973 e 1974.
Antes do início do campeonato oficial de 1975, 13 jogadores que pertenciam ao Unidos de Sobradinho foram transferidos para o Campineira. Sir Peres foi um deles. Neste mesmo ano, com este time conquistou mais um título de campeão brasiliense.
Em 1976, ano da definitiva implantação do profissionalismo no futebol de Brasília, a Campineira, clube de Sir Peres, resolveu continuar jogando no amadorismo. A Campineira conquistou a fase regional da Copa Arizona de Futebol Amador e foi vice-campeã da fase nacional, em São Paulo. Na decisão, a equipe brasiliense foi derrotada por 1 x 0, pelo Golfinho, de Guarulhos (SP).
Neste ano, Sir Peres também defendeu o Humaitá, do Guará, no Torneio Imprensa, a primeira competição oficial da nova fase do futebol do DF.
Em 1978, ele estava na equipe do Sobradinho quando da inauguração do Estádio Augustinho Lima, em 30 de abril de 1978, jogo em que o Santos Futebol Clube ganhou de 3 x 0.
Encerrou a carreira de jogador em 1980, no Sobradinho E. C.
Depois que encerrou a carreira de jogador passou a ser treinador no próprio Sobradinho, abandonando posteriormente a função, dedicando-se ao futebol amador, como orientador técnico do Unidos de Sobradinho, Botafogo e Kosmos ou jogador do Diamante Negro, Arte & Cultura, Real e Flamenguinho.
Faleceu no dia 7 de novembro de 2008. Deixou viúva, Regina Lúcia, e os filhos Paula, Cláudio, Leila e Flávia. Ele costumava dizer que o futebol era sua cachaça e tinha especial orgulho de ter sido um dos atletas a trazer o fogo simbólico para inauguração de Brasília, em 1960.
Fora dos gramados foi diretor e conselheiro do clube SODESO por várias vezes, além de um dos fundadores Associação dos Veteranos de Sobradinho – AVESO, em 1º de maio de 1994, participando inicialmente como Diretor de Esportes e depois como Presidente da entidade nos períodos 1998, 1999, 2000 e 2006.

4 comentários:

  1. TIVE O PREVILÉGIO DE CONHECELO E ATÉ PARTICIPAR DE ALGUMAS PARTIDAS JUNTO COM ELE NA EQUIPE DE VETERANOS DO "AVESO" E APREDI A DMIRA-LO, POR SE TRATAR DE UM GRAMDE HOMEM, DE FÁCIL RELACIONAMENTO COM AS PESSOAS. PARA A FAMILIA DESTE LEGENDÁRIO CIDADÃO, TENHO CERTEZA DO QUANTO VOCES SE ORGULHAM DE FAZEREM PARTE DESTA HISTÓRIA QUE É A MANUTENÇAO DOS VALORES PRIMORDIAIS PARA O SER HUMANO; PARABENS.....

    ResponderExcluir
  2. Hola. retificação, o Sir Peres teve 6 filhos, Paula, o Roberto (beto)Que faleceu com 10 anos de idade. Claúdio,Leila e Lúcia (gemeas), Flávia,e mais 2 netos Claúdio Roberto e Bianca e devo acrescentar ainda, ele participou também dos campeonatos "ARIZONA" de grande repercursão Nacional e na verdade.. pessoas como ele já não existem mais! " TE AMAMOS ONTEM , HOJE E SEMPRE POR TODA A VIDA"

    ResponderExcluir
  3. Hola. retificação, o Sir Peres teve 6 filhos, Paula, o Roberto (beto)Que faleceu com 10 anos de idade. Claúdio,Leila e Lúcia (gemeas), Flávia,e mais 2 netos Claúdio Roberto e Bianca e devo acrescentar ainda, ele participou também dos campeonatos "ARIZONA" de grande repercursão Nacional e na verdade.. pessoas como ele já não existem mais! " TE AMAMOS ONTEM , HOJE E SEMPRE POR TODA A VIDA"

    ResponderExcluir
  4. Zagueiraco, o Sr Sir Peres. Quando menino assisti muitas dessas partidas mencionadas na matéria. Meu irmão mas velho, também falecido, jogou algumas vezes contra o Sr Dor Peres. O homem era duro, meu irmão que o diga. Abraço aos familiares dele!

    ResponderExcluir