Total de visualizações de página

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

A PRIMEIRA VEZ A GENTE NÃO ESQUECE: Copa São Paulo de Futebol Junior - 2ª parte


A PRIMEIRA VEZ QUE UM CLUBE DO DF PASSOU DA PRIMEIRA FASE

A edição de 2006, que contou com a participação de 88 clubes, teve a presença de Brasiliense e Gama como representantes do futebol junior do DF.
O Brasiliense manteve a base do tricampeonato da categoria Sub-20 do DF. O técnico Reinaldo Gueldini foi contratado para treinar os garotos, dos quais as maiores promessas eram os meias-atacantes Geraldo e Antônio, ambos de 19 anos, e que disputaram a Segunda Divisão de Goiás de 2005 pelo CRET, de Minaçu-GO. Geraldo foi o artilheiro do campeonato brasiliense de juniores, com 12 gols.
O ano de 2006 ficou marcado como aquele em que, pela primeira vez, aconteceu a classificação de um time brasiliense para a Segunda Fase.
Esse fato se deveu ao Brasiliense. Na primeira fase, o clube do DF fez parte do Grupo M, com sede em Araraquara, ao lado da local Ferroviária, do Moto Club, do Maranhão, e do São Paulo.
Surpreendeu o tricolor paulista no primeiro jogo, derrotando-o por 1 x 0, no dia 4 de janeiro, com um gol de Kabrine, aos 39 minutos do 2º tempo.
Garantiu sua classificação antecipada no dia 7, ao vencer a Ferroviária, por 3 x 2. 
No dia 10, o placar final de 0 x 0 classificou as duas equipes para a segunda fase, com o mesmo número de pontos ganhos: sete. O Moto Clube garantiu o primeiro lugar do grupo com a vantagem de um gol no saldo (3 x 2). E o Brasiliense ficou com uma das dez vagas por índice técnico. 
Na Segunda Fase, em jogos pelo sistema “mata-mata”, no dia 14 de janeiro, o Brasiliense foi derrotado pelo Paysandu, do Pará, por 1 x 0, e deu adeus à competição.

A PRIMEIRA VEZ QUE UM CLUBE DO DF CHEGA ÀS QUARTAS DE FINAL

Em 2010 (com jogadores Sub-18) aconteceu a melhor campanha de um time do DF na Copinha.
Os representantes do DF foram o Brasiliense e o CFZ.
O Brasiliense jogou em Campinas na primeira fase (Grupo D) e ficou em terceiro lugar no grupo.
Por outro lado, o CFZ realizou um feito inédito até então: chegou às quartas de final, fase nunca antes alcançada por outro clube do DF.
Na primeira fase, em Araras, o CFZ fez parte do Grupo O, juntamente com o local União São João, o Vasco da Gama, do Rio de Janeiro (RJ) e o Atlético Sorocaba (SP). Grupo difícil, mas o CFZ conseguiu ficar em primeiro lugar. 
Na estreia, 2 de janeiro, chegou a estar vencendo o Vasco da Gama por 3 x 1 ainda no primeiro tempo, mas permitiu que o clube carioca empatasse em 4 x 4. Jogou o CFZ com Warlei, Gustavo, Dudu (Giuliano) e Zé Roberto; Tarcísio, Marcos Rogério, Ronaell (Elvis Marley), Elvis, Carlyle (Júlio) e Vítor Hugo; Marcos Fernando. Técnico: Antônio Carlos Toseti (Toninho Cajuru). Os gols do CFZ foram marcados por Marcos Fernando, 22; Ronaell, 29; Zé Roberto, 30 e Ronaell, 69.
No segundo jogo, no dia 5 de janeiro, venceu os donos da casa, o União São João, por 3 x 1. O CFZ saiu na frente, aos 14 minutos do primeiro tempo, com Ronaell. O empate dos paulistas aconteceu aos 24, com gol de Renato. Três minutos depois, Carlyle colocou o CFZ na frente novamente com um belo gol olímpico. No 2º tempo, Marcos Fernando definiu o placar para o CFZ, aos 36 minutos.
O CFZ repetiu o marcador de 3 x 1 contra o outro clube paulista, o Atlético Sorocaba, no dia 8 de janeiro. Marcos Fernando, Giuliano e Carlyle marcaram os gols do CFZ.
Na Segunda Fase (“mata-mata”) teve logo pela frente o Flamengo, do Rio de Janeiro, no dia 12 de janeiro, em Araras. Empate de 2 x 2 no tempo normal de jogo. Carlyle abriu o placar para o CFZ, aos 13 minutos, Guilherme empatou para o Flamengo aos 22, isso no 1º tempo. No segundo, Guilherme voltou a marcar, aos 14 e virou o placar para o Flamengo. Aos 30 minutos do 2º tempo, Carlyle decretou o empate. Nos pênaltis, melhor para o CFZ. Lucas e Michel erraram para o Flamengo, enquanto os brasilienses (Carlyle, Ronaell, Marcos Rogério e Marcos Fernando) não desperdiçaram nenhuma cobrança, dando a vitória ao CFZ, por 4 x 2.
O CFZ encarou outra pedreira na Terceira Fase, o Coritiba. Jogando em Paulínia, no dia 16 de janeiro, goleou o clube paranaense por 4 x 1. O CFZ inaugurou o placar aos 14 minutos do 1º tempo, através de Marcos Fernando. Cinco minutos depois, o CFZ aumentou o placar por intermédio do lateral Tarcísio. O Coritiba diminuiu aos 39 minutos, com Dudu. O 1º tempo terminou com o placar de 2 x 1 a favor do CFZ.
No 2º tempo, aos 19 minutos, Carlyle marcou o terceiro gol do CFZ e aos 35 minutos, Marcos Fernando marcou o quarto.
O CFZ só parou nas quartas-de-final, no dia 19 de janeiro, depois de empatar com o Juventude, de Caxias do Sul (que havia eliminado o Corinthians na fase anterior), no Estádio Nicolau Alayon, na capital paulista. 

Jackson Follmann defende mais um pênalti
Mesmo com um jogador a mais nos últimos 38 minutos, o CFZ não conseguiu sair do empate em 1 x 1 no tempo normal. Giuliano marcou para o CFZ aos 17 minutos do 2º tempo e Hiago, cobrando pênalti, empatou aos 30. O CFZ foi extremamente infeliz e perdeu a vaga nas semifinais ao desperdiçar quatro pênaltis (três defendidos pelo goleiro Jackson Follmann - um dos sobreviventes do trágico voo que caiu com o time da Chapecoense, em 29 de novembro de 2016 - e um para fora) e ser derrotado por incríveis 2 x 1 na decisão por pênaltis.
O CFZ ficou na oitava colocação no geral, a melhor alcançada em todos os tempos.
O time que enfrentou o Juventude foi Léo, Gustavo, Dudu e Zé Roberto; Tarcísio (Elvis Marley), Rogério (Giuliano), Ronaell, Elvis, Carlyle e Vítor (João Paulo); Marcos Fernando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário