Total de visualizações de página

domingo, 29 de janeiro de 2017

A PRIMEIRA VEZ A GENTE NÃO ESQUECE: Samambaia



O Samambaia Futebol Clube foi fundado em 29 de janeiro de 1993, especialmente para ser logo profissional, isto é, sem passar pelos campeonatos amadores e da Segunda Divisão.
Pouco antes de começar o campeonato de 1993, o Samambaia recebeu o convite do então presidente da Federação Brasiliense de Futebol, Tadeu Roriz, teve sua entrada oficializada e somente a partir dessa certeza, é que o time foi fundado e iniciou os treinamentos.
O plantel foi composto com jogadores emprestados pelo Taguatinga e clubes do interior de Goiás.

O PRIMEIRO JOGO DO SAMAMBAIA

BRASÍLIA 2 x 1 SAMAMBAIA 
Data: 14.03.1993 
Local: Mané Garrincha 
Árbitro: Brasil Gadelha de Oliveira
Expulsão: Junior, do Brasília
Gols: Rondinelli, 29; Fabrício, 49 e Nildo, 84
BRASÍLIA: Gildo, Fabinho, Junior, Rildo e Joel; Edmar, Manoel Ferreira e Filó; Tadeu (Fabrício), Marcelo França e Rondinelli (Kelvis). Técnico: Almir Vieira.
SAMAMBAIA: Adão Pereira, Nildo, Marcelo, Carlão e Niltinho; Toninho, Gilson e Rivelino; Lúcio (Reginaldo), Pablo e Paulo César (Zé Carlos). Técnico: Dodô.

A PRIMEIRA VITÓRIA

CEILÂNDIA 1 x 2 SAMAMBAIA
Data: 05.09.1993 
Local: Serejão
Árbitro: Jorge Paulo Gomes 
Gols: Lola para o Ceilândia e Rivelino e Júlio César para o Samambaia.
CEILÂNDIA: Ronaldo, Flávio, Mesquita, Trajano e Pereira; Cimar (Wadi), Lola e Dorival; Lima, Arruda (Leto) e Raimundinho.
SAMAMBAIA: William, Marcelo, Carlão, Ismael e Niltinho; Serginho, Toninho e Rivelino; Mário (Neto), Júlio César e Zé Edmilson. Técnico: Zé Vieira.

Nota: Pelo fato de permanecer até setembro de 1993 sem vencer nenhuma partida do Campeonato Brasiliense, a imprensa local passou a chamar o Samambaia de “Íbis do DF”.

A PRIMEIRA DECISÃO

Somente uma vez em sua história o Samambaia esteve numa decisão: a do 2º turno do Campeonato Brasiliense de 1994, quando foi derrotado pelo Gama, após dois jogos.

SAMAMBAIA 0 x 0 GAMA 
Data: 18.09.1994 
Local: Rorizão 
Árbitro: Nilton Castro de Souza 
SAMAMBAIA: Germano, Jander, Ganda, Pedrinho e Niltinho; Serginho, Mozer e Júlio César; Tuta (Lino), Bino (Jairo) e Batata. Técnico: Jonas Foca.
GAMA: Gildo, Chaguinha, Leandro, Dias Baiano e Paulo Henrique; Teco, Pacheco e Ésio; Carlinhos (Neno), Anderson e Niltinho (Flávio Katioco). Técnico: Joel Martins.

GAMA 4 x 0 SAMAMBAIA 
Data: 25.09.1994 
Local: Bezerrão 
Árbitro: Luciano Almeida 
Renda: R$ 7.655,00
Público: 3.062 pagantes
Gols: Chaguinha, 8; Anderson, 21; Carlinhos, 54 e Anderson, 80
GAMA: Gildo, Chaguinha, Leandro, Dias Baiano e Paulo Henrique; Teco, Pacheco (Jorge) e Ésio; Carlinhos, Anderson e Niltinho (Flávio Katioco). Técnico: Joel Martins.
SAMAMBAIA: Germano, Jander, Ganda, Pedrinho e Niltinho; Serginho, Mozer e Lino; Tuta, Jairo e Batata (Lula). Técnico: Jonas Foca.

A PRIMEIRA VEZ NO RORIZÃO

O Estádio Joaquim Domingos Roriz, apelidado de Rorizão, está situado em Samambaia.
Foi inaugurado em 14 de agosto de 1994, com o jogo Samambaia 1 x 0 Taguatinga. O gol do novo estádio foi marcado por Jairo.
O árbitro do jogo foi Aldemir Padilha e as equipes formaram assim:
SAMAMBAIA: Germano, Zé Márcio, Ganda, Carlos Roberto (Batata) e Niltinho; Correa, Júlio César e Bino; Mozer, Lula (Jairo) e Tuta.
TAGUATINGA: Val, Márcio Franco, Zinha, Marião e Zé Carlos; Gilson, Paulo Lima e Vital; Gil, Henry (Flávio) e Edinho.

OS PRIMEIROS PRÊMIOS INDIVIDUAIS

No dia 29 de setembro de 1994, no Eron Brasília Hotel, aconteceu a solenidade de entrega do XI Troféu “Mané Garrincha”.
Participaram do comitê os radialistas Armando Sobral, Márcio Ferreira e Ailton Dias, o jornalista Hélio Oliveira e os técnicos Remo e Heitor de Oliveira.
Da seleção do campeonato brasiliense de 1994 fez parte o meio-campista Lino, do Samambaia.
Além dele, foi escolhido como melhor técnico do campeonato Jonas Foca, do Samambaia.
João Durval Ferreira, do Samambaia, foi eleito o melhor Presidente.

A PRIMEIRA TAÇA

Foi no Campeonato Brasiliense da Segunda Divisão de 2006, quando ficou com o vice-campeonato, dois pontos atrás do Esportivo Guará, o campeão e promovido. Foram seis vitórias nos oito jogos que disputou. Uma das duas derrotas que sofreu, no dia 29 de outubro, diante do Esportivo (2 x 1) definiu a classificação final da Segunda Divisão.

O PRIMEIRO GRITO DE “É CAMPEÃO”

Após desistência de cinco clubes, o Campeonato Brasiliense da Segunda Divisão começou no dia 2 de agosto de 2014.
Naquele dia, o Samambaia recebeu o Cruzeiro no Serejão, em Taguatinga, e venceu por 3 x 1. Carlyle abriu o placar para o Samambaia aos 10 minutos do primeiro tempo. Aos 24, Edicarlos ampliou o marcador. Oito minutos depois, Pedrinho descontou para o Cruzeiro. Mas aos 23 minutos da segunda etapa, Lucas Paiva fechou a fatura e confirmou a vitória do Samambaia.

No dia 20 de agosto, após os estádios da Capital Federal estarem interditados pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, a Federação Brasiliense de Futebol conseguiu a liberação e a bola, enfim, pode voltar a rolar.
No estádio Bezerrão, no Gama, o Bandeirante recebeu o Samambaia. Os gols só saíram no segundo tempo. Aos três minutos, Rafael abriu o placar para o time do Núcleo Bandeirante. Contudo, o Samambaia partiu pra cima e virou o placar. Aos 36, Somália empatou e, quatro minutos depois, Allann Delon virou o placar e garantiu os 100% de aproveitamento do Samambaia.

O Samambaia chegou aos nove pontos ganhos em três jogos (100% de aproveitamento) no dia 23 de agosto de 201, quando venceu de virada o Botafogo-DF, no Serejão. 
O Botafogo saiu na frente, através de Wallace, aos 12 minutos do 1º tempo. A virada do Samambaia veio logo no início do segundo tempo, com gols de Carlyle, aos três minutos e Edicarlos, aos seis.

Depois de 18 anos, o Samambaia retornou à primeira divisão do futebol brasiliense. E a volta foi confirmada com uma vitória de 1 x 0 sobre o Guará, no dia 30 de agosto de 2014, no estádio Serejão.
Aos oito minutos, Cassius cruzou e Edicarlos desviou para o gol, abrindo o placar para o Samambaia.

Edicarlos foi o artilheiro do campeonato
No dia 3 de setembro de 2014, no estádio Serejão, em Taguatinga, o Samambaia – já classificado para a final – recebeu o Paranoá. E o time comandado por Reinaldo Gueldini não teve dó: Edicarlos marcou três vezes e o Samambaia venceu por 3 x 0.

A decisão da segunda divisão do Campeonato Brasiliense, entre Samambaia e Cruzeiro, aconteceu no dia 13 de setembro, às 15h30, no estádio Serejão, em Taguatinga. O Samambaia jogava pelo empate, por ter somado quinze pontos (100% de aproveitamento) contra sete do Cruzeiro.

Apesar do melhor início do Cruzeiro quem abriu o placar foi o Samambaia. Em uma bela jogada pela direita Edicarlos recebeu a bola dentro da área e chutou forte para o fundo das redes.
Aos 32 minutos Edicarlos partiu em velocidade para o ataque, deixando para trás dois marcadores. Ao entrar na área foi parado com um carrinho pelo zagueiro Índio. O árbitro assinalou a penalidade e expulsou o defensor do Crueiro. Cassius cobrou no canto oposto ao escolhido por Marlon e sacramentou o título inédito para o Samambaia.
O Samambaia formou com Rafael, Douglas, Somália, Leandro e Dudu; Lucas Paiva, Thyago Fernandes (Bruno), Willian e Allann Delon (Pedro); Cassius (Daniel) e Edicarlos. Técnico: Reinaldo Gueldini.

Nenhum comentário:

Postar um comentário