Total de visualizações de página

domingo, 4 de setembro de 2016

CRAQUES DE ONTEM E DE HOJE: Péricles - 1ª parte


Considerado por muitos como o maior jogador produzido pelo futebol brasiliense em todos os tempos, Péricles está aniversariando no dia de hoje. Está completando 62 anos. 
Péricles de Carvalho nasceu em Uberaba (MG), no dia 4 de setembro de 1954.

Defelê 1960: Péricles, mascote, Didi de Carvalho,
treinador (de branco) 
Veio para Brasília acompanhando seu pai, Waldyr de Carvalho, que foi um dos primeiros técnicos a vir trabalhar no futebol do Distrito Federal, trazido do interior de Minas Gerais para treinar o Defelê. Didi de Carvalho chegou à Brasília em julho de 1960, passando a fazer parte do quadro de funcionários do Departamento de Força e Luz - DFL e, a convite de Ciro Machado do Espírito Santo, passou a treinar o Defelê, onde se tornou bicampeão em 1960 e 1961.
Antes mesmo de completar 16 anos, Péricles foi registrado pelo Defelê, para disputar o campeonato brasiliense de 1970 (ainda amador). No entanto, não disputou um jogo sequer. O Defelê foi muito mal na competição, ficando em décimo e último lugar no primeiro turno, não conseguindo classificação para a Segunda Fase.
Em 13 de agosto de 1971 o Defelê foi desfiliado da Federação Metropolitana de Futebol.
Um ano depois, em agosto de 1972, foi concedida ao jogador Péricles a transferência, sem estágio, do Defelê para o Piloto Atlético Clube, visto tratar-se de agremiação desfiliada da Federação há mais de um ano.
A estreia de Péricles no Piloto aconteceu em 19 de agosto de 1972, na derrota diante da A. A. Serviço Social, por 4 x 1. O técnico do Piloto era o pai de Péricles, Didi de Carvalho.
No dia 30 de setembro de 1972, Péricles marcou os dois gols da vitória de 2 x 1 do Piloto sobre o Carioca.
Fez seu último jogo com a camisa do Piloto em 28 de outubro de 1972, no Pelezão, com derrota de 3 x 2 para o Colombo. Foram nove jogos de Péricles pelo Piloto, tendo marcado quatro gols. O Piloto ficou em quarto lugar no campeonato.
Em 3 de novembro de 1972, Péricles encaminhou requerimento à Federação Metropolitana de Futebol solicitando o cancelamento de sua inscrição como atleta amador e outro qualquer vínculo com o Piloto A. C.
Ceub - 1973
Em 1973, o único clube profissional do Distrito Federal era o CEUB. Este mantinha uma equipe amadora para disputar o campeonato dessa categoria em Brasília e uma profissional para disputar o Campeonato Brasileiro. Nesta última foi que Péricles passou a jogar.
Sua estreia no CEUB, porém, aconteceu em um dos amistosos preparatórios do clube para o Campeonato Brasileiro. Foi no dia 31 de março de 1973, no Pelezão, marcando o gol do CEUB no empate em 1 x 1 com o Atlético Mineiro.
Quando o CEUB fez sua estreia no Campeonato Brasileiro de 1973, no Pelezão, contra o Botafogo (0 x 0), em 25 de agosto de 1973, Péricles era um dos titulares da equipe, poucos dias antes de completar 19 anos de idade.
Entre todos os convidados a participar do Campeonato Brasileiro desse ano, nenhum como o CEUB estava tão despreparado. Por isso tornou-se uma das agradáveis surpresas desse campeonato. Tirou pontos dos grandes (Botafogo, Cruzeiro, São Paulo, Corinthians e América-RJ deixaram pontos em Brasília), mas, por outro lado, entregou para os pequenos (perdeu, em casa, para CRB, Moto Clube e Fortaleza).
Essa campanha irregular fez com que o CEUB ficasse na 33ª colocação entre os 40 clubes disputantes.
O CEUB disputou um total de 28 jogos. Péricles atuou em quinze deles, marcando quatro gols. 
Em 1974 o CEUB disputou 19 jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro, tendo Péricles participado de 14 deles, sem marcar gols.
No ano seguinte, 1975, foram 16 jogos do CEUB no Campeonato Brasileiro e 14 de Péricles, que voltou a marcar quatro gols.
De 1º de maio a 13 de junho de 1975, Péricles esteve com a equipe do CEUB numa excursão por gramados de países da África e Europa. Foi a primeira vez que uma equipe de futebol do DF excursionava por gramados do exterior.
O CEUB realizou um total de 16 jogos. Péricles foi um dos destaques da equipe nos melhores resultados obtidos, na Espanha: no dia 7 de junho, o CEUB venceu o La Coruña, por 2 x 0, com um gol de Péricles. Três dias depois, Péricles marcaria o gol da vitória do CEUB sobre o Betis, por 2 x 1. Segundo o jornal espanhol ABC, os melhores jogadores do CEUB foram o goleiro Paulo Vitor e o armador Péricles.
Em 1975, Péricles atuou pela primeira na Seleção de Brasília. No dia 13 de julho de 1975, no Mineirão, a seleção brasiliense empatou em 0 x 0 com a seleção mineira, que representou o Brasil na Copa América desse ano.
Em 19 de janeiro de 1976 aconteceu a transferência de Péricles para o Goiânia Esporte Clube. Juntamente com ele foram o zagueiro Emerson e o atacante Marco Antônio.
Seu primeiro jogo no novo clube foi em 11 de fevereiro de 1976, no estádio Serra Dourada, na vitória do Goiânia sobre o Rio Verde, por 1 x 0.
Péricles não conseguiu se firmar como titular. Dos 24 jogos que o Goiânia disputou, Péricles atuou em dez deles, tendo marcado dois gols. O Goiânia ficou em terceiro lugar no campeonato goiano de 1976. Permaneceu no Goiânia para a disputa do Campeonato Brasileiro de 1976, marcando dois gols, não o suficiente para tirar o Goiânia da nona e última colocação do Grupo D.
Logo depois de encerrado o ano de 1976, Péricles retornou ao futebol do DF. Para o segundo Torneio Imprensa, que foi realizado de 5 de março a 7 de maio de 1977, o Corinthians, do Guará, montou um bom time e conseguiu o empréstimo de Péricles junto ao Goiânia. Péricles não disputou todas as partidas. No dia 19 de março de 1977, marcou os dois gols da vitória de 2 x 0 sobre o Taguatinga. O Corinthians ficou em terceiro lugar, entre nove clubes.
O Corinthians não quis disputar o campeonato brasiliense de 1977 e Péricles acertou sua transferência para o Mixto, de Cuiabá (MT).
Péricles chegou ao Mixto no final do 1º turno do campeonato matogrossense. Sua primeira participação aconteceu em 17 de abril de 1977, na vitória do Mixto sobre o Operário, de Várzea Grande. Aos 18 minutos do 1º tempo, Péricles marcou um dos gols do Mixto. Paulo Victor, que já tinha passado pelo futebol brasiliense, era o goleiro do Operário.
Voltaria a marcar um gol no dia 8 de maio, no empate em 3 x 3 com o Comercial, e o gol da vitória de 1 x 0 sobre o União, em 19 de maio.
O Mixto foi terceiro colocado no 1º turno e quarto no segundo. Logo depois de encerrado o campeonato matogrossense, Péricles ainda disputou pelo Mixto o Torneio Seletivo que apontaria o representante do Mato Grosso no Campeonato Brasileiro de 1978, contra Dom Bosco e Operário-VG. Seu último jogo com a camisa do Mixto foi em 2 de outubro de 1977, com derrota de 2 x 1 para o Operário-VG.
Quando começaram as atividades nos clubes do DF, em janeiro de 1978, Péricles passou a treinar no Brasília E. C., no começo apenas para manter a forma, e depois, em abril de 1978, acertando seu ingresso no novo clube.
O Campeonato Brasileiro de 1988 já estava rolando quando Péricles fez sua estreia com a camisa do Brasília. Foi no dia 16 de abril de 1978, no Pelezão, na vitória de 1 x 0 sobre o Rio Branco (ES). Com um bom time, formado por muitos jogadores jovens, onde se destacavam o goleiro Paulo Victor, os zagueiros Jonas Foca e Emerson, Ernani Banana e o atacante Edmar, o Brasília conseguiu classificar-se em sexto do seu grupo (integrado por 12 equipes) e passou para a Segunda Fase, onde foi desclassificado.
O último jogo de Péricles pelo Campeonato Brasileiro desse ano foi em 24 de junho de 1978, no Pelezão, diante do Coritiba.
Um mês depois teve início uma excursão do Brasília pelo interior de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A excursão tinha por objetivo preparar a equipe para o campeonato brasiliense de 1978, quando o Brasília estaria buscando a conquista do tricampeonato. Foram onze jogos disputados até o dia 15 de agosto de 1978. Péricles marcou dois gols.
No dia 10 de setembro de 1978, o Brasília goleou o Sobradinho, por 6 x 0. Foi a estreia de Péricles no Brasília em jogos oficiais. Marcou dois gols.
O Brasília não deu a menor chance para os demais seis adversários, conquistando o tricampeonato de forma invicta, com doze vitórias e três empates nos quinze jogos que realizou. Péricles disputou quatorze desses jogos e foi o segundo artilheiro do campeonato, com oito gols, um a menos que o primeiro, seu companheiro de clube, Edmar.
O bom momento de Péricles valeu-lhe um espaço na reportagem da revista Placar de 17.11.1978, intitulada GOL DO BRASIL - Os Artilheiros de Norte a Sul.
No final do ano, quando saíram as tradicionais enquetes para escolher os melhores do ano, os dois principais jornais de Brasília, o Correio Braziliense e o Jornal de Brasília, colocaram Péricles entre as seleções do campeonato. O Correio Braziliense escolheu Péricles como o “craque do campeonato”.
De 7 a 23 de fevereiro de 1979, Péricles fez parte da delegação do Brasília que excursionou ao interior de Minas Gerais e São Paulo, disputando os sete jogos.
No dia 28 de fevereiro, teve seu contrato encerrado com o Brasília, e como era dono do passe aceitou fechar um contrato para jogar uma temporada pelo Gama, que lhe ofereceu melhores condições financeiras que o Brasília.
Poucos dias depois, 4 de março de 1979, Péricles fez sua estreia no Gama, com vitória de 2 x 1 sobre o Sobradinho, no Bezerrão, jogo válido pelo Torneio Seletivo, promovido com a finalidade de escolher o clube que ocuparia a segunda vaga reservada para o Distrito Federal no Campeonato Brasileiro de 1979. 
Os primeiros gols de Péricles com a camisa do Gama foram anotados (os dois) no dia 21 de março de 1979, no Bezerrão, na vitória de 2 x 0 sobre o Sobradinho.
O Gama perdeu essa oportunidade ao ser derrotado pelo Guará na final realizada em 15 de abril de 1979, no Bezerrão. Mais tarde, o Gama ficou com a terceira vaga para o DF no Campeonato Brasileiro que teve o absurdo número de 94 participantes.
No dia 22 de abril de 1979, no Bezerrão, Péricles disputou sua segunda partida com a camisa da Seleção do DF, no empate de 1 x 1 com a Seleção de Goiás.
Contra o Sobradinho, em 29 de abril de 1979, no estádio Augustinho Lima, Péricles estreou no Gama pelo campeonato brasiliense. E foi com derrota de 3 x 0.
No jogo seguinte, contra o Brasília, em 6 de maio de 1979, no Bezerrão, Péricles marcou os dois gols da vitória do Gama por 2 x 1.
Nada disso, porém, impediu que o Gama fosse o último colocado do primeiro turno, com apenas dois pontos ganhos (justamente a vitória sobre o Brasília).
O Gama se recuperaria plenamente no segundo turno, quando passou a contar com o comando do treinador Martim Francisco, e ficou com a primeira colocação de forma invicta, vencendo quatro jogos e empatando um. Essa campanha teve início no dia 3 de junho de 1979, no Bezerrão, na vitória de 1 x 0 sobre o Sobradinho, gol de Péricles. Uma semana depois, na vitória de 4 x 2 sobre o Brasília, Péricles anotou dois gols.

O Gama também venceu o terceiro turno de forma invicta (três vitórias e dois empates). Na decisão do campeonato, contra o Brasília (campeão do 1º turno), no Pelezão, em 19 de agosto de 1979, o Gama sofreu o primeiro gol e virou para 2 x 1, com dois gols de Péricles, conquistando seu primeiro título de campeão brasiliense.
Dos 17 jogos disputados pelo Gama para chegar a essa conquista, Péricles esteve em quinze deles. Além de capitão da equipe, foi a “voz” de Martim Francisco dentro de campo e tornou-se artilheiro do campeonato, com 10 gols, dois a mais que seu companheiro de equipe, Fantato.
Logo após o encerramento do Campeonato Brasiliense de 1979, a Editoria de Esportes do Correio Braziliense escolheu “Os Melhores do Ano” no futebol do Distrito Federal. Além de fazer parte da seleção do campeonato, Péricles foi eleito o “Craque do Campeonato”.
Veio o Campeonato Brasileiro e o Gama fez sua estreia nessa competição no dia 16 de setembro de 1979, no Bezerrão, vencendo o Atlético Goianiense por 4 x 3, com dois gols de Péricles. Voltaria a marcar mais três vezes e ajudou o Gama a ficar em primeiro lugar do Grupo C e a se classificar para a Segunda Fase. Nesta fase, o Gama foi muito mal e ficou em oitavo e último lugar no Grupo L, não conseguindo classificação para a terceira fase do campeonato.
O último jogo de Péricles com a camisa do Gama foi em 28 de novembro de 1979, no Arrudão, em Recife (PE), no empate de 2 x 2 com o Náutico.
No começo de 1980 a Associação Brasiliense de Cronistas Desportivos - ABCD divulgou a relação dos destaques de 1979 em todas as modalidades esportivas existentes no Distrito Federal.
A eleição foi apurada através dos votos de todos os cronistas desportivos do Distrito Federal e de dirigentes que acompanharam de perto tudo o que ocorreu no desporto brasiliense em 1979. No FUTEBOL, foram dois os destaques: futebol amador - Marco Antônio, do Brasília, e futebol profissional - Péricles, do Gama. Além disso, Péricles fez parte da “seleção brasiliense de 1979” e também recebeu o prêmio como “artilheiro do ano”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário