Total de visualizações de página

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

CRAQUES DE ONTEM E DE HOJE: Péricles - 2ª parte



Quando Péricles e Gama tentavam se entender para a renovação de um contrato até o final da temporada de 1980, o jogador foi vendido para o Guarani, de Campinas (SP). Tudo começou dias antes, quando Cláudio Garcia, admirador do futebol de Péricles, assinou contrato como treinador do time paulista. Logo depois surgiu o interesse do Guarani por Péricles. Criado o impasse e após várias reuniões, o Gama repassaria Péricles para o Cruzeiro, de Belo Horizonte, em troca de outro jogador do clube mineiro. Dias depois, Péricles comunicou que não houve acerto com o Cruzeiro e viajou até Campinas, quando acertou seu ingresso no Guarani. Quase na mesma época, o Brasília vendeu o passe de Ernâni Banana ao Guarani.
O primeiro jogo de Péricles no Guarani aconteceu no dia 9 de fevereiro de 1980, no amistoso realizado em São José dos Campos (SP), quando o clube de Campinas venceu o São José por 2 x 0. Péricles substituiu Nardela.
O time do Guarani tinha um grande time, com destaques para Zenon e Careca, e não foi fácil para Péricles conseguir um lugar no time, permanecendo na reserva na maioria das vezes.
Poucos dias depois desse amistoso, participou do primeiro jogo do Guarani pelo Campeonato Brasileiro de 1980. Foi no dia 24 de fevereiro de 1980, no Engenheiro Araripe, em Cariacica (ES), com derrota de 1 x 0 diante da Desportiva (ES). Desta vez, Péricles entrou no lugar de Paulo César.
Permaneceu no Guarani para o campeonato paulista, quando disputou seu primeiro jogo em 22 de maio de 1980, em Franca, na vitória sobre a Francana, por 3 x 0. Novamente substituiu Nardela.

Como não conseguia se firmar entre os titulares, Péricles foi emprestado ao Grêmio Maringá, onde encontrou Junior Brasília, para a disputa do campeonato paranaense, a partir de agosto desse ano. O Maringá não conseguiu classificação para o quadrangular decisivo, ficando na quinta colocação.
Retornou ao Guarani após o final dessa competição e, em 10 de março de 1981, desembarcou em Brasília, na companhia do supervisor Edilson Braga, que foi a Campinas para o acerto final com o Guarani. Do aeroporto, Péricles seguiu para o escritório do Presidente do Taguatinga, Froylan Pinto, quando foi sacramentado o acordo. Dois dias depois, o Taguatinga deu entrada na Federação Metropolitana de Futebol do contrato de Péricles.
Cinco dias após sua chegada a Brasília, Péricles fazia sua estreia no Taguatinga. Foi no dia 15 de março de 1981, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro da Terceira Divisão - Taça de Bronze. Depois de conquistar a vaga no Torneio Seletivo do DF, o Taguatinga teve como adversário o vencedor do Torneio Seletivo de Goiás, o Itumbiara. Venceu o primeiro jogo em Taguatinga por 1 x 0, no dia 8 de março, e perdeu em Itumbiara pelo marcador de 3 x 0, nesse dia 15. Com melhor saldo de gols, o clube goiano passou para a Segunda Fase.
Devido à ausência de compromissos, o Taguatinga só voltaria a se apresentar na primeira rodada do Campeonato Brasiliense de 1981. No dia 7 de junho de 1981, no Bezerrão, Péricles voltaria a disputar um jogo válido pelo campeonato brasiliense. Gama e Taguatinga empataram em 2 x 2.
Já no jogo seguinte, em 14 de junho, o Taguatinga foi até o Augustinho Lima e derrotou o Sobradinho por 2 x 1, com um gol de Péricles.
O Taguatinga perdeu o 1º turno para o Guará, após dois resultados iguais (1 x 0 para cada um). Na disputa de pênaltis, deu Guará.
Novamente o Taguatinga perdeu um turno, o segundo, após três jogos contra o Brasília. No primeiro empate, Péricles marcou para o Taguatinga.
Finalmente, em 11 de outubro de 1981, o Taguatinga venceu um turno. Na partida decisiva, vitória de 2 x 0 sobre o Guará, com um gol de Péricles.
No triangular decisivo, o Taguatinga pôde comemorar o seu primeiro título de campeão brasiliense, após vencer Brasília (2 x 0 e 1 x 0) e Guará (1 x 0 e 1 x 0). Péricles marcou o gol da vitória sobre o Guará, em 1º de novembro de 1981, no CAVE.
Ao final da competição, Péricles era novamente artilheiro, com nove gols, três a mais que seu companheiro de equipe Paulo Hermes. Disputou vinte e seis jogos de um total de 27 do Taguatinga.
Também fez parte da relação dos melhores jogadores da temporada de 1981, conforme análise da equipe de esportes do Jornal de Brasília.
Passou a ter, então, invejável retrospecto no futebol de Brasília: todos os três campeonatos que disputou - sempre por times diferentes - ele ganhou: 1978, no Brasília, 1979, no Gama e 1981, no Taguatinga. 

Em 1982, transferiu-se para o Uberlândia. 
Péricles chegou ao Uberlândia num período em que o clube estava sem atividades, fora da duas divisões do Campeonato Brasileiro desse ano e tendo como próxima competição o campeonato mineiro, no segundo semestre.
Assim, para manter a forma dos jogadores, o Uberlândia disputava amistosos, com um em destaque, nas festividades de inauguração do Parque do Sabiá, no dia 6 de junho de 1982: uma goleada de 4 x 0 sobre o Santos.
De forma oficial, Péricles fez o primeiro jogo pelo Uberlândia no dia 18 de julho de 1982, válido pelo campeonato mineiro. No Parque do Sabiá, empate em 0 x 0 com o Cruzeiro. O técnico do Uberlândia era Bugue.
Péricles foi o artilheiro do Uberlândia no campeonato mineiro e quarto no geral, com 12 gols, mesmo número alcançado por Reinaldo, do Atlético Mineiro.
Seu último jogo pelo campeonato mineiro aconteceu em 5 de dezembro de 1982, no Parque do Sabiá, na vitória do Uberlândia sobre o Vila Nova, por 2 x 0.
Retornou ao futebol brasiliense em 1983, novamente para defender o Taguatinga.
De 6 a 23 de março de 1983, o Taguatinga realizou excursão pelo interior de Minas Gerais. Segundo jornais de Belo Horizonte, os grandes destaques da equipe do técnico João Avelino foram o goleiro Adriano, Péricles, Fantato e Julinho.
Voltou a defender o Taguatinga em 14 de maio de 1983, no Serejão, na vitória de 2 x 1 sobre o Guará, marcando o primeiro gol do jogo.
Péricles disputou onze jogos pelo campeonato brasiliense de 1983, marcando quatro gols. O Taguatinga ficou com a terceira colocação no geral, após ser batido por Brasília e Guará num triangular final. A curiosidade desse triangular foi que Péricles tentou o título defendendo o Taguatinga. No banco do Guará, como treinador, estava o pai de Péricles, Didi de Carvalho, e, no campeão Brasília, seu irmão mais novo Wander.
No dia 17 de outubro de 1983, Péricles foi operado dos meniscos. Depois que se recuperou, foi convocado para a Seleção do DF que enfrentou a Seleção Brasileira de Novos, no dia 15 de dezembro de 1983, na reinauguração do estádio Mané Garrincha, depois de sete anos fechado. A Seleção do DF perdeu por 2 x 1, com Péricles marcando seu gol. Também foi expulso nesse jogo.
Em fevereiro de 1984 acertou sua transferência para o Guarani, de Campinas, onde teve rápida passagem e retornou ao Taguatinga.
Quando voltou, em agosto desse mesmo ano, já estava rolando o terceiro turno do campeonato brasiliense. Em seu primeiro jogo, na vitória do Taguatinga sobre o Gama por 1 x 0, em 19 de agosto de 1984, Péricles foi expulso de campo.
O Taguatinga ficou em terceiro lugar no campeonato brasiliense, após ser superado por Sobradinho e Brasília no triangular final.
Péricles ainda disputou 16 jogos, tendo marcado 9 gols, ficando em terceiro lugar na artilharia da competição.
Em 1985, Péricles disputou poucos jogos oficiais pelo Taguatinga. No total, seis, todos pelo campeonato brasiliense, quando marcou apenas dois gols. O Taguatinga perdeu a decisão para o Sobradinho e ficou com a segunda colocação no certame do DF.
Em nossas pesquisas não conseguimos descobrir por onde Péricles andou nos anos de 1986 e 1987.
A única referência a esse período foi uma pequena matéria na revista Placar de 03.02.1986, sob título ‘O GALO GASTA 2,5 BILHÕES”, onde dizia: “Foram comprados Zenon (ex-Corinthians, 800 milhões), Renato (ex-Botafogo-RJ, 700 milhões) e ... O clube ainda conseguiu Péricles (ex-Uberlândia), trocado por Murilo.”
Acontece que pesquisamos revistas, blogs e sites contendo fichas técnicas dos jogos do Atlético Mineiro nesse período e não encontramos nenhuma referência a essa passagem. Caso algum amigo tenha conhecimento, favor informar aqui nos comentários.
Péricles voltou ao futebol brasiliense em 1988, seu último ano como jogador de um clube do DF. Disputou 26 jogos pelo campeonato brasiliense, tendo marcado apenas dois gols. A primeira partida foi em 28 de fevereiro de 1988, no Bezerrão, no empate Gama 0 x 0 Taguatinga, e a última em 7 de agosto de 1988, no Serejão, quando perdeu o jogo para o Guará e a chance de disputar mais uma final. O Taguatinga ficou novamente na terceira colocação.
Depois que encerrou sua carreira, andou trabalhando como comentarista esportivo em rádio e TV de Brasília. Nunca quis ser treinador ou outra função no futebol. 
Em todos esses anos no futebol do DF, Péricles disputou 124 jogos pelo campeonato brasiliense e marcou 44 gols.
“Um artilheiro que vinha de trás, tabelando com seus companheiros, que quase nunca era visto dentro da área, mas, que, na hora da finalização, estava sempre bem colocado.” Essa foi a melhor definição de Péricles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário