Total de visualizações de página

sábado, 3 de dezembro de 2016

# PASSARAM POR AQUI: Cuca


Alexi Stival, o Cuca, nasceu em Curitiba (PR), no dia 7 de junho de 1963.

CARREIRA COMO JOGADOR

Cuca iniciou sua carreira de jogador no Santa Cruz, de Santa Cruz do Sul (RS), em 1984, e depois jogou os dois anos seguintes no Juventude, de Caxias do Sul (RS), antes de chegar ao Grêmio, de Porto Alegre (RS).
No Grêmio, onde jogou de 1986 a 1989, e novamente em 1990, após breve passagem pela Espanha (onde defendeu o Valladolid, em 1990), Cuca marcou o gol decisivo na final da Copa do Brasil de 1989, que deu o título ao Grêmio, e foi campeão gaúcho em 1988, 1989 e 1990.
Em 1991, Cuca disputou um amistoso pela Seleção Brasileira contra a Seleção do Paraguai: 1 x 1.
Depois de deixar o Grêmio, teve passagens menos marcantes por outros grandes clubes, como Internacional (campeão gaúcho em 1991), Palmeiras (1992) e Santos (1993). 
Seus últimos clubes como jogador foram Portuguesa de Desportos-SP (1994), Remo-PA (campeão paraense em 1994), Juventude-RS (1995), Chapecoense-SC (1996), até que, em 1996, aos 33 anos de idade, encerrou sua carreira no Coritiba.

CARREIRA COMO TREINADOR

Dois anos após parar de jogar, formou-se em Educação Física e Ciência do Esporte. Então, Cuca deu início a sua carreira de treinador à frente do Uberlândia, em 1998. Depois passou por Avaí-SC e Brasil, de Pelotas-RS, em 1999, Avaí e Internacional, de Limeira-SP, em 2000, Remo-PA e Internacional, de Lages-SC, Criciúma-SC e Gama-DF em 2002 e Paraná em 2003.

A notoriedade como treinador somente veio durante o Campeonato Brasileiro de 2003, quando Cuca aceitou o convite para treinar o Goiás, que havia terminado o 1º turno na última posição. Em uma recuperação impressionante, o time do Goiás acabou a competição na nona colocação, classificando-se para a Copa Sul-Americana do ano seguinte.
Após o excelente trabalho no Goiás, a grande chance de Cuca surgiu com o interesse do São Paulo em tê-lo como treinador para a temporada seguinte. No comando do São Paulo, Cuca chegou até as semifinais da Taça Libertadores de 2004. Deixou o clube em agosto do mesmo ano, contudo, foi responsável pela contratação de vários jogadores que levariam o São Paulo à conquista da Taça Libertadores e do Mundial de Clubes de 2005.

Cuca seguiu sua carreira no Grêmio de setembro a dezembro de 2004, mas não obteve sucesso. O time foi rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro.
Estreou no Flamengo no dia 15 de fevereiro de 2005. Cuca também não fez sucesso no Flamengo e foi demitido em 16 de abril de 2005.
Foi para o Coritiba, onde estreou em 5 de maio de 2005 e foi demitido no dia 14 de outubro de 2005.

No São Caetano estreou no final de 2005, mas não conseguiu se destacar novamente.
Em 2006, Cuca iniciou seu trabalho no Botafogo, um trabalho de dois anos que o recolocou no patamar dos melhores treinadores do Brasil. Responsável pela montagem de um bom time, Cuca resgatou o Botafogo para a disputa de títulos nacionais.
Em 2007, o Botafogo era tido como o time de futebol mais vistoso no Brasil, e não foi à toa que aquela equipe liderou o Campeonato Brasileiro da sexta até a 18ª rodada. No final, porém, o título acabou nas mãos do São Paulo, enquanto o Botafogo ficou com a nona posição. Paralelamente ao declínio no Brasileiro, o Botafogo viveu o drama da eliminação na Copa Sul-Americana, quando foi derrotado nas oitavas-de-final, o que acabou desencadeando o pedido de demissão de Cuca.
Curiosamente, três jogos depois de pedir demissão, nove dias no total, Cuca aceitou retornar ao comando do Botafogo. Mantendo o bom trabalho, Cuca conseguiu levar o Botafogo às finais do Campeonato Carioca de 2008, contra o Flamengo, que ficou com o título.
A falta de títulos, apesar de seu reconhecido bom trabalho à frente do Botafogo, acabou por resultar em seu desligamento do clube carioca depois da eliminação na Copa do Brasil. Daí por diante, ainda em 2008, Cuca teve passagens desastrosas por Santos e Fluminense. 
Em 2009, Cuca teve sua segunda passagem pelo Flamengo, quando enfim conseguiu conquistar seu primeiro título expressivo na carreira, o de campeão carioca. Em 22 de julho de 2009, Cuca foi demitido do time carioca, após trinta e nove jogos.

Em 1º de setembro de 2009, Cuca foi anunciado como novo treinador do Fluminense. Quando chegou ao clube, o Fluminense era dado como rebaixado para Série B. Matemáticos calculavam 98% de chance de rebaixamento. Foi nesse contexto que Cuca liderou o clube, que depois de ter trocado de técnico quatro vezes no mesmo ano, conseguiu a façanha de fugir do rebaixamento em 2009.
No mesmo ano, Cuca ainda conseguiu o vice-campeonato sul-americano. Porém, em 19 de abril de 2010, com o fracasso da equipe no campeonato carioca, foi demitido.

Em 8 de junho, Cuca passou a ser treinador do Cruzeiro. Conseguiu garantir a classificação do Cruzeiro para a disputa da Libertadores de 2011 com antecedência. 
Terminou o campeonato com o clube na segunda colocação, apenas dois pontos atrás do campeão Fluminense.
Em 2011 foi campeão mineiro, contudo, após uma eliminação precoce na Libertadores e um início ruim no Brasileiro, Cuca deixou o comando da equipe em junho de 2011.
Cuca foi, então, contratado para ser o novo treinador do Atlético Mineiro. Após perder as seis primeiras partidas, sendo duas pela Sul-Americana e quatro pelo Brasileirão, ele chegou a entregar o cargo após a derrota para o Cruzeiro, porém foi convencido pelos jogadores a continuar como treinador da equipe. Cuca conseguiu equilibrar a equipe e começou uma campanha de recuperação incrível que livrou o time do rebaixamento para a Série B.
No primeiro semestre de 2012, Cuca conquistou novamente o campeonato mineiro pelo Atlético e de forma invicta, o que não acontecia há 36 anos no clube. Nas oitavas de final da Copa do Brasil, após uma sequência de 14 jogos invictos no ano, intercalados entre Campeonato Mineiro e Copa do Brasil, o Atlético foi eliminado da competição. Com isto o time passou as suas atenções para o Campeonato Brasileiro. Cuca levou o Atlético ao vice-campeonato brasileiro e consequentemente à Taça Libertadores, o que não ocorria desde 2000. Em 2013, levou o Atlético Mineiro ao seu primeiro título da Libertadores.
Ao final de 2013, após eliminação no Mundial de Clubes, foi confirmada sua saída do Atlético Mineiro, passando a partir de 2014 a treinar o Shandong Luneng.
No clube chinês foi campeão da Copa da China de 2014 e da Supercopa do país, em 2015. Mas não teve sucesso no campeonato nacional, terminando em terceiro lugar. Em 6 de dezembro de 2015 o treinador deixou o time chinês e foi substituído por outro brasileiro: Mano Menezes.

Em 12 de março de 2016, Cuca voltou ao Brasil como técnico do Palmeiras. 
Em abril, prometeu que seria campeão brasileiro com o Palmeiras. 
E, em 27 de novembro de 2016, Cuca consagrou-se campeão brasileiro, encerrando um jejum de 22 anos deste título.


PASSAGEM PELO GAMA

Cuca apresentou-se ao Gama em 16 de maio de 2002, em substituição a Sérgio Alexandre, com o objetivo de preparar a equipe para o hexagonal final do Campeonato Brasiliense de 2002.
Três dias depois, 19 de maio, fazia sua estreia como técnico do Gama, no estádio Chapadinha, no empate de 0 x 0 com o Brazlândia.
O Gama perdeu apenas uma partida (para o campeão CFZ) nas dez que disputou pelo hexagonal decisivo, ficando com a segunda colocação.
A despedida de Cuca como técnico do Gama aconteceu em 3 de julho de 2002, no Bezerrão, na vitória de 2 x 1 sobre o Brasiliense.
Apesar da falta de ética da diretoria do Gama - Cuca ficou sabendo que o clube estava à procura de outro treinador para o Campeonato Brasileiro, ainda com o campeonato brasiliense em andamento - fez questão de ficar até o final da competição e só então deixou o clube.

Nenhum comentário:

Postar um comentário