Total de visualizações de página

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

7 DE NOVEMBRO: DIA DO RADIALISTA







No dia 31 de maio de 1958, o presidente Juscelino Kubitschek inaugurou a Rádio Nacional de Brasília, em um barracão improvisado na que é hoje a quadra 507 Sul. Foi a primeira rádio a se instalar na que viria a ser a capital do Brasil.
Os candangos que trabalhavam na construção da Capital Federal deram uma pausa nas obras para ouvir o discurso do presidente e participarem da festa.
Após o discurso, no final da tarde, a festa continuou com um show de artistas e os apresentadores da Rádio Nacional do Rio de Janeiro.
Quando a Rádio Nacional foi inaugurada, Brasília ainda era um imenso canteiro de obras, e através dela JK esperava prestar contas da construção da cidade, muito criticada na época.
A vida cultural e o lazer dos pioneiros na futura capital federal eram os serviços de alto-falantes na Cidade Livre, hoje Núcleo Bandeirante, entre eles o “Voz de Brasília”, que funcionou até 1961. O nome era uma reminiscência ao programa Voz do Brasil. Através do Voz de Brasília, Carlos e Cleusa Senna anunciavam a chegada dos candangos para trabalhar nas obras e as vagas disponíveis nos diferentes setores da construção da nova capital. 
Com a Rádio Nacional, Brasília passou a ouvir e falar para o Brasil. 

O primeiro desafio esportivo da Rádio Nacional de Brasília foi transmitir a Copa do Mundo de 1958. Enquanto na Suécia a seleção conquistava o primeiro título mundial, com Garrincha, Pelé e companhia, os brasileiros estavam sintonizados na emissora. Dentre os ouvintes estava o presidente Juscelino Kubitschek que ajudava a fazer a audiência.
Pouco tempo depois, em setembro de 1958, a Rádio Nacional tentou trazer Jorge Curi para transmitir o jogo Guará x Atlético Goianiense, na inauguração do estádio Israel Pinheiro, do Guará. Seria o primeiro jogo entre clubes do DF e de Goiás, antes mesmo da inauguração na nova Capital Federal.
Como o locutor carioca não pôde comparecer, Wanderley Mattos, que nesse mesmo ano havia sido transferido da Rádio Nacional Rio para a Nacional Brasília como cantor e, por aquele tempo, já era disc-jóquei (termo utilizado para descrever a figura do locutor de rádio que anunciava e tocava as músicas dos discos), produtor e apresentador de programas infantis.
Depois que surgiram os primeiros órgãos de comunicação, o futebol das equipes de empresas construtoras não houve como ser preterido.
Sérgio Dias tornou-se o primeiro narrador esportivo candango, enquanto Wanderley Mattos e Sérgio Leal comentavam e reportavam. Nos programas informativos, não dispunham mais do que 15 minutos, pois ainda não haviam em Brasília reportagens de cassete.
O segundo narrador esportivo surgiria apenas em 1962, na Rádio Alvorada: Raimundo Laranjeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário