Total de visualizações de página

quarta-feira, 20 de julho de 2016

HÁ 50 ANOS NO FUTEBOL BRASILIENSE: Confusão na Taça Brasil de 1966



No dia 20 de julho de 1966, o Rabello foi até Anápolis, no interior de Goiás, para disputar o segundo jogo válido pela Taça Brasil desse ano (havia vencido o primeiro, em Brasília, uma semana antes, por 2 x 0).
O jogo foi interrompido durante o intervalo, com 0 x 0 no marcador, após a agressão de um dirigente do clube goiano ao árbitro Carlos Ferreira do Amaral, que não reiniciou o jogo, por falta de garantias.
Os 45 minutos finais foram disputados somente em 12 de agosto, em Goiânia (GO).
No dia 20 de julho, a ficha técnica do jogo foi a seguinte:

Estádio Jonas Duarte
Anápolis 0 x 0 Rabello
Árbitro: Carlos Ferreira do Amaral (DF)
Local: Estádio Jonas Duarte, Anápolis (GO)
Anápolis: Morais, Nina, Osmar, Paô e Ali; Eudécio e Genésio; Zezito, Nelson Parrilla, Dida e Diamante (Zezão).
Rabello: Zé Walter, Jair, Gegê, Pelé e Aderbal; Zé Maria, João Dutra e Beto Pretti; Zezé, Invasão e Otávio.

Na continuação do jogo, em Goiânia e com arbitragem carioca, o Anápolis conseguiu marcar um gol e venceu por 1 x 0, tornando obrigatória a realização do terceiro jogo, que aconteceria dois dias, no mesmo local.
Os dados técnicos desse jogo foram:
Anápolis 1 x 0 Rabello
Local: Estádio Pedro Ludovico, Goiânia (GO)
Árbitro: Gualter Portela Filho (RJ)
Gol: Zezão, aos 6 minutos.
Anápolis: Morais, Nina, Osmar, Paô e Ali; Eudécio e Genésio; Zezito, Nelson Parrilla, Dida e Zezão.
Rabello: Zé Walter, Didi, Gegê, Pelé e Aderbal; João Dutra e Beto Pretti; Agostinho, Roberto, Otávio e Arnaldo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário