Total de visualizações de página

terça-feira, 19 de julho de 2016

# PASSARAM POR AQUI: Juvenal



Juvenal Francisco Dias, ou apenas Juvenal, nasceu no dia 12 de março de 1923, em Vespasiano, Minas Gerais.
Foi no 5º Batalhão de Belo Horizonte, durante o período em que prestou o serviço militar, que o futebol do jovem Juvenal despertou o interesse de representantes do antigo Paraense, de Pará de Minas, onde iniciou sua trajetória no futebol antes de chegar ao Cruzeiro Esporte Clube.
Quase sempre atuando como lateral-esquerdo ou zagueiro, integrou o time do Cruzeiro, participando das conquistas estaduais de 1944 e 1945. 
Foi jogador da seleção mineira no ano de 1944. 
Seu último jogo com a camisa do Cruzeiro foi no dia 4 de agosto de 1946, no empate de 2 x 2 com o Atlético Mineiro.

Talentoso para desarmar os adversários sem choques ou faltas e com facilidade para tocar a bola com qualidade, logo chamou a atenção do Botafogo, do Rio de Janeiro, para onde se transferiu ainda em agosto de 1946. 
Adaptou-se muito bem, fazendo sua estreia no dia 1º de setembro de 1946, em jogo pelo campeonato carioca, diante do América. 
Seu primeiro título em gramados cariocas foi o Torneio Início de 1947, realizado no dia 27 de julho.
Participou da inesquecível conquista do campeonato carioca de 1948 contra o forte time do Vasco da Gama, chegando depois ao selecionado carioca e nacional.


Pela Seleção Brasileira foi aproveitado nas formações que o técnico Flávio Costa colocou em campo em 1949, visando os preparativos para a Copa do Mundo de 1950, sendo que Juvenal não foi lembrado na lista final do treinador para disputar o mundial.
Na seleção carioca foi campeão brasileiro em 1950.
Vestiu a camisa do Botafogo por 384 vezes e marcou 13 gols. Juvenal é o décimo primeiro jogador que mais vestiu a camisa alvinegra.
Sua última partida foi em 3 de fevereiro de 1957, contra o Atlético Mineiro, no Independência, onde o Botafogo venceu por 3 x 1.


Após pendurar as chuteiras, Juvenal mudou-se para Brasília. Em 23 de julho de 1960 passou a ser o novo treinador do Clube de Regatas Guará.
Em 23 de fevereiro de 1961, Juvenal assinou contrato como técnico do C. C. Nacional.
Em 1962 passou para o Rabello e também fez parte da comissão técnica da seleção brasiliense que disputou um amistoso em Nova Friburgo (RJ), no dia 13 de maio de 1962.
No final de 1963 deixou o Rabello e passou a dirigir a Associação Esportiva Cruzeiro do Sul, que seria campeã brasiliense naquele ano.
Também em 1963 foi novamente técnico da seleção de Brasília que disputaria um amistoso contra o Atlético Mineiro. Pediu dispensa antes do jogo.

Antes do fim de 1963 passou a dirigir o Alvorada.
Em 1964, quando teve início a movimentação de alguns clubes para a implantação do profissionalismo no futebol brasiliense, Juvenal passou a ser treinador do 1º de Maio.
À frente desse clube, disputou o Torneio “Prefeito Ivo de Magalhães”, a primeira competição sob o regime profissional em Brasília.
O 1º de Maio não teve vida longa e Juvenal passou para o Guará em 1965. Problemas financeiros o afastaram do comando do clube em julho de 1965.
Passou, então, em 1966, para o CSU - Clube dos Servidores da Universidade de Brasília, que disputava o campeonato do Departamento Autônomo.
No dia 18 de junho de 1967, Juvenal assinou contrato para ser o novo técnico do Rabello, em substituição a Samuel Lopes. Essa foi sua última participação como treinador no futebol brasiliense. O profissionalismo no futebol do DF só durou até 1968 e segundo algumas fontes de pesquisa, Juvenal foi durante muito tempo o responsável pelo serviço de guarda-volumes da Rodoviária do Plano Piloto.
Juvenal faleceu no Rio de Janeiro no dia 30 de agosto de 2012, aos 89 anos.

Um comentário:

  1. Amigo o blog é muito bom, parabéns!!!! Gostaria de pedir se fosse possível postar as classificações de campeonatos anteriores.

    ResponderExcluir